Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

Violão Básico para Iniciantes (Aprenda)

Autor Mensagem
Thiago Affran
Veterano
# dez/10 · Editado por: Thiago Affran


Olá a Todos.

Bem, Sou Novo no Fórum e Ensino Violão, Contra-baixo, Teclado... Notei q não Existe um Tópico de Aprendizado de violão para Iniciantes(não até onde procurei), ou está tudo espalhado em partes entre milhares de tópicos já existentes. Por isso decidi criar um tópicos destinados ao amantes do violão e que estão desejosos por aprender a tocar este maravilhoso instrumento. Se algo que estiver postado aqui conter algum erro ou tenham algo a acrescentar, desde já estão todos permitidos a corrigir ou acrescentar.

Abraços!!!


Desde muito, os instrumentos musicais fascinam as pessoas com um poder incrível. O violão não foge a esta regra, e talvez seja o mais cativante de todos por diversas razões, sendo a principal delas; a beleza do acústico que só ele tem quando bem executado.

São diversas as razões que levam muitos a tentarem aprender a tocar violão; pretensão profissional, simples prazer, terapia pessoal, para impressionar aos que estão ao seu redor, etc. Não importa o que o levou ao estudo, mas a profundidade com que se deseja fazê-lo. Muitos fracassam por não darem seriedade ao treinamento pelo fato de se desejar um resultado imediato. Para os verdadeiros pretendentes, estão relacionados abaixo algumas observações fundamentais para se alcançar o êxito e melhor utilização deste método.

 Não importa o que o levou a querer tocar, e sim; que mentalize a idéia que você PODE e VAI conseguir.
 Todos que você vê tocando maravilhosamente passaram pelo mesmo processo que você, ou seja; tiveram que aprender do zero.
 Qualquer um pode aprender, embora alguns tenham mais facilidade para assimilar mais que outros. Entretanto, o que determina o sucesso quase sempre é a FORÇA DE VONTADE de cada um.
 Quanto tempo vai precisar? --- todo aprendiz pergunta isso. --- VOCÊ é quem estabelecerá conforme seu esforço aliado à sua atenção ao treinamento, Mas não se preocupe com o tempo, pois ele passará do mesmo jeito. Seja perseverante e saboreie cada passo do aprendizado como um degrau alcançado.
 Leia as lições atenciosamente, mentalize-as e se preciso, releia-as até que tenha compreendido bem.
 Pratique cada exercício e siga as instruções minuciosamente. Cada passo é essencial para o passo seguinte, assim como numa construção; um tijolo sobre o outro, etc.
 A teoria sem a prática de nada vale. Contudo, o conhecimento sobre a teoria somado à prática eleva sensivelmente a qualidade do músico.
 1a regra do músico; NUNCA despreze uma música ou um estilo musical, todos são válidos e merecem no mínimo; respeito.

"Quem tem a vontade, já tem a metade". Joselito Pereira

Este trabalho foi desenvolvido para ajudar os verdadeiros interessados em seu aprendizado. Ele foi elaborado através de uma árdua pesquisa e procura trazer uma linguagem clara, fácil e que obedeça aos padrões do método musical universal.

Música
É a arte universal de combinar os sons. É a maneira de se expressar através de melodias. Aliás, a Música é a primeira das sete artes universais. Desde seus primeiros passos, ela se valeu do desejo íntimo dos músicos para exportar as suas faces interiores, como se nela, o homem se revelasse por dentro.
Tudo que podemos ouvir são sons; uma buzina, um grito, um trovão, uma madeira sendo arrastada, etc. Quando selecionamos sons de forma harmônica, estamos transformando esses sons em melodia, ou seja, música.

A música pode ser dividida em três categorias:

 Melodia - Combinação de sons sucessivos;

 Harmonia - Combinação de sons simultâneos;

 Ritmo - Uma combinação de valores das notas dispostas no tempo em que são executadas;

Os sons podem ser divididos em duas categorias:

 Sons tonantes: são sons com variação de tonalidade entre grave e agudo, como os produzidos por instrumentos musicais.
 Sons não tonantes: são sons que não tem essa variação e produzem sons simples como qualquer barulho. OBSERVAÇÕES; a) Embora seja considerado um instrumento musical, a bateria e os instrumentos de percussão não produzem tonalidade. Eles são usados para dar ritmo à música. b) A voz humana é considerada o instrumento mais complexo, pelo fato de produzir sons tonantes ou não.



Notas musicais

São sons tonantes organizados por uma escala bem conhecida de todos; DÓ, RÉ, MÍ, FÁ, SOL, LÁ e SÍ. Estas são as famosas notas musicais básicas. Executar uma música é, portanto, selecionar estas notas numa melodia.

Para simplificar a nomenclatura, representamos estas notas por letras. Veja abaixo:


LÁ SI DÓ RÉ MI FÁ SOL
A - B - C - D - E - F - G

OBS:A nota LÁ recebe a letra A por ela ser a base de afinação da maioria dos instrumentos. Assim as outras notas que a sucedem recebem as outras letras do alfabeto em ordem.

Sustenido e bemol

Durante muito tempo essas notas musicais eram soberanas. Entretanto, notava-se que havia variação sonora(distância) entre algumas dessas notas, até que mais tarde surgiram os MEIO-TONS(menor distância entre duas notas) que preenchem justamente esses espaços, que na verdade, tornar-se-iam notas.
Só que, ao contrário de serem nomeados por outros nomes, esses meio-tons foram chamados de acordo com as notas próximas a eles pela relação sustenido e bemol.
Ex: A nota aumentada meio-tom a partir do Sol(G) se chama Sol Sustenido(G#)

Saibamos primeiro, entre quais notas existem esses meios-tons (aqui representados pelas lacunas):

__ A __ B C __ D __ E F __ G __

Portanto, somente entre SÍ e DÓ e entre MÍ e FÁ não há meio-tom.

Por que o Mi e o Fá são diferentes?

Na verdade o que acontece com essas notas é o seguinte, tomaremos o Mi como exemplo, porem, acontece a mesma coisa para o Si. A frequencia de vibração da nota, que supostamente seria, Mi# é praticamente identica a frequencia do Fá. Para não termos duas notas com o mesmo som, (o Mi# e o Fá), decidiu-se que o Mi# seria automáticamente o Fá, sendo então abolido, portanto, não "existe" Mi# nem Si# e nem Dób e Fáb!

Mi# não existe, seu valor é Fá
Si# não existe, seu valor é Dó
Fáb não existe, seu valor é Mi
Dób não existe, seu valor é Si

Cada espaço desses, que é uma nota como qualquer uma, recebe dois nomes pela relação sustenido-bemol:

• Sustenido (#) é o nome do meio-tom com relação à nota a que está à sua frente.
• Bemol (b) é o meio-tom posicionado um espaço antes da nota.

Assim, dizemos que o espaço entre as notas C e D tem um meio-tom, portanto, uma nota que recebe dois nomes pela relação sustenido e bemol. Observe como ficará essa nota:


C||C# e Db||D


Esse meio-tom tem dois nomes; DÓ SUSTENIDO (pois está meio-tom à frente de C) e RÉ BEMOL (por estar meio-tom antes de D). Assim chamamos esta nota: C# ou Db. O mesmo acontece com todos os meio-tons existentes (A# e Bb, D# e Eb, F# e Gb, G# e Ab).Não são dois meios-tons num espaço só. É um meio-tom em cada espaço e dois nomes para cada meio-tom.
OBS: Neste caso dizemos que estas notas (C#/Db, D#/Eb, F#/Gb...) são equissonantes, ou seja, possuem o mesmo som, então tocar a nota Fá sustenido(F#) é o mesmo q estar tocando a nota Sol bemol(Gb).

A escala das notas é contínua, ou seja, depois da última nota, volta para a primeira, obedecendo à seqüência das notas. Repare:

<------... C D E F G A B C D E F G A B C ... ------>

Logo, o meio-tom da última nota (G) é vizinho com a primeira (A).

Podemos dizer que a escala geral das notas tem então 12 notas. Olhe:

1 |- -2- - | 3 | 4 | - 5 - | 6
A |A# Bb |B |C |C# Db |D

- 7 - - |8 |9 | - 10 - |11 |12
D# Eb |E |F |F# Gb |G |G# Ab


Relação grave e agudo

É a principal relação da música, justamente quem determina a variação de tonalidades das notas. GRAVE é a tonalidade grossa e baixa, enquanto que AGUDO é o tom alto e fino.

Veja como se distribuem as notas por esta relação:

GRAVE ... A B C D E F G ... AGUDO

Isto quer dizer que, por exemplo; B é mais grave que C e mais agudo que A, assim como F é mais agudo que E e mais grave que G, etc. Como a escala é contínua, comparando duas notas iguais, concluiremos que cada nota à frente será sempre mais aguda que a anterior. Compare a nota D1 e D2:

... A B C D1 E F G A B C D2 E ...

Fica evidente que o D1 é mais grave que D2 e este é mais agudo que o antecessor. No caso de um possível D3, seria mais agudo que D2 e assim por diante.


Tons e acordes
ACORDE é uma base harmônica formada por notas para acompanhamento musical. Unindo no mínimo três notas que tenham relação entre si, obteremos um acorde. Se juntarmos, por exemplo, as notas C(Dó), E(Mi) e G(Sol) teremos então um acorde que, por ocasião será o acorde de DÓ MAIOR (C). Para isso, há uma escala de notas para cada acorde onde serão extraídas as notas para os determinados acordes (maiores, menores e dissonantes).

Observe como exemplo estas combinações:

DO MI SOL, SOL MI DO ou DO SOL MI

Não importando a ordem das notas, esta combinação de três notas resulta no acorde de DÓ Maior.

No nosso estudo o acorde será representado por um gráfico que representa uma reprodução do braço do violão, veja abaixo:

C (Dó Maior)

x|-----|-----|-----|:E
b|--3--|-----|-----|:A
x|-----|--2--|-----|:D
. |-----|-----|-----|:G
. |-----|-----|-1---|:B
. |-----|-----|-----|:e

Os números representam os dedos da Mão Esquerda onde:

1 - Indicador
2 - Médio
3 - Anular
4 - Mínimo


As linhas horizontais representam as cordas e as linhas verticais
são os trastes

|-----|-----|-----|:E
|-----|-----|-----|:A
|-----|-----|-----|:D
|-----|-----|-----|:G
|-----|-----|-----|:B
|-----|-----|-----|:e <- cordas
Trastes

As letras representam as cordas do instrumento

x|-----|-----|-----|:E -> 6ª Corda Mi mais grave (Mizão)
b|-----|-----|-----|:A -> 5ª Corda Lá
x|-----|-----|-----|:D -> 4ª Corda Ré
. |-----|-----|-----|:G -> 3ª Corda Sol
. |-----|-----|-----|:B -> 2ª Corda Si
. |-----|-----|-----|:e -> 1ª Corda Mi mais agudo (Mizinha)

A letra b e os três pontos no lado esquerdo do gráfico
representam os dedos da mão direita posicionados sobre
as cordas.

O b indica o dedo polegar chamado de BAIXO que é a nota
mais importante do acorde(tônica). A nota do baixo varia entre as cordas
4, 5 e 6 do instrumento, de acordo com o acorde executado.


TOM ou TONALIDADE refere-se a uma escala de valores que selecionam os acordes que tenham relação entre si para formar a seqüência deles nas músicas. Por exemplo, cada acorde tem uma escala onde se encontram as notas que tem relação com ela, essas notas são como seus parentes (notas primas) e a partir dessa escala, forma-se os acordes relativos à sua tonalidade. Trataremos disso a seguir.


Diapasão
É o valor original das notas, ou seja, a altura do tom padrão em tudo o mundo para a afinação dos instrumentos, fazendo haver uma unidade musical. Por exemplo, o C do piano deve ter a mesma altura de tom que o C dos demais instrumentos, como o violão, o saxofone, etc.

Diapasão é também um pequeno instrumento que reproduz as notas padrão para ajudar a afinar os instrumentos pelas notas originais.

Thiago Affran
Veterano
# dez/10 · Editado por: Thiago Affran
· votar


Instrumentos musicais

São instrumentos usados para reproduzir harmonia musical através de notas e acordes. Há grande diversidade deles e cada um tem sua maneira de representar os sons. Mas, basicamente eles se dividem em três categorias; cordas, de sopro e teclas (eletrônicas). Também classificados como instrumentos musicais, a bateria e percussão não emitem tons e sim, dão ritmo à música.

Veremos uma breve apresentação dos principais instrumentos mais tarde.

Anatomia do violão

Veja como se dispõe o corpo do violão:

1 - Tampo
Corresponde ao corpo do violão. Onde a sonoride varia de acordo com o tamanho, formato, madeira usada na confecção do instrumento.
2 - Rastilho
Parte do instrumento que se prende as cordas
3 - Cavalete
Serve de suporte para prender o Rastilho na altura correta.
4 - Boca
Orifício localizado no corpo do violão por onde o som se propaga.
5 - Cordas
Parte fundamental onde são produzidas as notas musicais. O som e formado a partir da casa precionada no braço do instrumento.
6 - Braço
Parte do instrumento onde se localiza as casas e os trastes.
7 - Trastes
Dividem o braço do instrumento em casas de maneira à alcançar a altura correta das notas.
8 - Casas
Indicam exatamente a localização das Nota musicais.
9 - Pestana
Tem a função de servir como apoio para as cordas direcionando-as para as tarrachas.
10 - Tarachas
Tem a finalidade de alcançar a afinação correta, afroxando ou apertando as corda, conforme a necessidade.
11 - Cabeça
Encontrada na parte superior do braço, serve de suporte para o mecanismo das Tarachas.

Como funciona o violão:
As cordas são presas a partir do cavalete e vão até o cabeçalho, onde são fixadas pelas tarraxas.
Através destas, afina-se as cordas, folgando ou apertando.
O braço é separado por trastes. Entre um traste e outro se encontra uma casa, que são enumeradas do cabeçalho para o cavalete.
A batida nas cordas reproduz o som que é ecoado dentro da caixa acústica e sai pela boca sonora.
Usamos o braço para selecionarmos as notas e os acordes apertando-as no meio das casas entre os trastes.

As cordas do violão

Enumeramos as cordas de 1 a 6 a partir da mais fina até a mais grossa(ou seja de baixo para cima). As três primeiras cordas(e(mizinha), B(Si), G(Sol)) são chamadas de cordas base, pois formam a base dos acordes. As três últimas(D(Ré), A(Lá), E(Mizona)) nós chamamos de bordões e são usadas para fazer o BAIXO dos acordes, semelhante o que faz o instrumento CONTRA-BAIXO nas bandas musicais. Estudaremos isso mais tarde.

OBS. A 4a corda(D), não raro, é também usada para base em algumas posições.

1ª corda: Mi
2ª corda: Si
3ª corda: Sol
4ª corda: Ré
5ª corda: Lá
6ª corda: Mi

O braço do violão está dividido em casas (pequenos retângulos delimitados por uma fina peça de metal). Ao pressionarmos uma das cordas com um dedo da mão esquerda, estaremos alterando sua tensão e consequentemente o som emitido por sua vibração, resumindo, estaremos tocando uma outra nota musical. As casas são contadas, no sentido da cabeça do violão para a caixa do violão.

Existem dois tipos de cordas; aço e nylon. As cordas de aço são mais fortes e reproduzem um som mais alto. Ideal para tocar ao ar livre sem amplificador. No entanto, as cordas de nylon são mais confortáveis para iniciantes quando para apertar as cordas. Profissionalmente, usa-se das duas variedades. Recomenda-se não fazer muita distinção e procurar se adaptar aos dois tipos.

Usando as mãos

MÃO DIREITA:
É usada para vibrar as cordas com batidas e dedilhados.
O polegar (P) dedilha os bordões e os demais dedos dedilham as cordas base. Indicador (I), Médio(M), Anelar (A).

MÃO ESQUERDA:
Usamos para selecionar as notas e acordes no braço, apertando as cordas DENTRO das casas, ou seja, entre os trastes e NUNCA em cima deles.
Os dedos enumerados cifram que o determinado dedo aperta a devida corda na casa estabelecida pela cifra.
O polegar é usado para segurar o braço do violão.
Indicador(1), Médio(2), Anelar(3), Midinho(4)

O braço do violão é ostentado pelo polegar esquerdo. Procure não abraçá-lo com toda a mão, para que esta fique flexível liberando um melhor movimento dos dedos sobre as cordas. Pressione as cordas exatamente com a cabeça dos dedos com firmeza, posicionando-os sobre a corda bem no meio da casa entre os trastes e nunca em cima deles.

Posições corretas das mãos

Mão direita

No exemplo do acorde de Dó maior teremos o seguinte posicionamento
x |-----|-----|------|:E
P |--3--|-----|-----|:A
x |-----|--2--|-----|:D
I |------|-----|-----|:G
M |-----|-----|-1--|:B
A |-----|-----|-----|:e

Polegar - P Atinge a Corda 5 que é o Baixo do acorde
Indicador - I Atinge a Corda 3
Médio - M Atinge a Corda 2
Anular - A Atinge a Corda 1

A mão direita deverá cair sobre o tampo do violão fazendo uma espécie de concha. É importante coloca a mão de maneira espontânea sem forçar e sem retesar os nervos.
O polegar deve sempre ficar a frente dos demais dedos num ângulo aproximado de noventa graus em relação ao dedo indicador. Nesta posição o polegar ao tocar a corda 4 não atrapalha o dedo indicador posicionado na corda 3.

Mão esquerda

O polegar e colocado na parte de trás do braço e os demais dedos sobre as cordas na parte da frente. A mão deve ser posicionada de tal forma que o polegar não ultrapasse o braço do violão, deixando a mão livre para percorrer o braço do instrumento.

Na formação de um acorde mantenha os dedos na posição mais vertical possível, isto evita um abafamento indesejado nas outras cordas.

Para seu conforto e saúde, mantenha sua coluna sempre reta.

Prof. Grosélio
Veterano
# dez/10
· votar


Eu não li o texto, mas deve ser bom.

Um abraço

Thiago Affran
Veterano
# dez/10 · Editado por: Thiago Affran
· votar


Esquema para canhotos

Se você é canhoto, não tem problema! É possível tocar tão bem quanto os destros – há quem diga ainda que os esquerdos são até melhores.
Há duas opções para sua escolha: você pode optar por inverter as cordas de modo que, mesmo do seu lado, os bordões fiquem em cima e as cordas-base em baixo; ou deixar as cordas na posição comum e aplicar os acordes ao contrário. As duas alternativas são viáveis, cabendo ao usuário descobrir na prática o que lhe convém.

Escala das notas no violão


Cada corda em cada casa reproduz uma nota. Suponhamos que apertemos a corda 3 na 5a casa; teremos então uma nota. Uma corda solta seria casa zero; também é uma nota. Notamos então, que em todo o braço do violão, temos muitas casas e, logo, muitas notas.

A relação grave-agudo no violão tem dois seguimentos; a) quanto às cordas: de cima para baixo, ou seja, da corda 6 à 1a. Note que as cordas são mais finas (agudas) neste sentido. b) quanto às casas numa mesma corda: quanto maior o número da casa, mais agudo.



É extremamente importante reconhecer cada nota em cada casa. Veja a escala das notas considerando o violão devidamente afinado:

                                                        (corda
solta)
10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0
--D--|Db/C#|--C--|--B--|Bb/A#-|-A-|Ab/G#|-G-|Gb/F#|--F--|E
--G--|Gb/F#|--F--|--E--|Eb/D#-|-D-|Db/C#|-C-|--B--|Bb/A#|A
--C--|--B--|Bb/A#|--A--|Ab/G#-|-G-|Gb/F#|-F-|--E--|Eb/D#|D
--F--|--E--|Eb/D#|--D--|Db/C#-|-C-|--B--|Bb/A#|-A-|Ab/G#|G
--A--|Ab/G#|--G--|Gb/F#|--F---|-E-|Eb/D#|-D-|Db/C#|--C--|B
--D--|Db/C#|--C--|--B--|Bb/A#-|-A-|Ab/G#|-G-|Gb/F#|--F--|e

AGUDO <-----------------------------------------------------------> GRAVE

Eis, portanto, a distribuição das notas no violão. Mentalizar tudo isso parece difícil, mas partindo da lógica da escala vai ficar fácil. Se desejar, por exemplo, saber a nota da casa 11 da 3a corda sem olhar a escala, basta partir da corda solta (G) e contar as casas. Repare:
Eis, portanto, a distribuição das notas no violão. Mentalizar tudo isso parece difícil, mas partindo da lógica da escala vai ficar fácil. Se desejar, por exemplo, saber a nota da casa 11 da 3a corda sem olhar a escala, basta partir da corda solta (G) e contar as casas. Repare:

0 1 2 3 4 5 6
G G#/Ab A A#/Bb B C C#/Db

7 8 9 10 11
D D#/Eb E F F#/Gb

Pronto. Já temos a nota (F#/Gb). Então, este é o ponto de partida; a nota das cordas soltas. Cordas: 1ª e, 2a B, 3a G, 4a D, 5a A e por fim a 6a E.
OBS: A 12ª casa pressionada corresponde a mesma nota da corda Solta.

Afinação do violão

Há quem toca violão e não sabe afiná-lo ou não tem confiança o bastante para isso. Parece assombroso, mas não é. A primeira coisa que devemos levar em conta é a distribuição das notas no braço. Quantas notas B encontram-se no braço? Várias, não? Podemos citar a 2a corda solta, a casa 4 da corda 3 e a 2a casa da corda 5. Pois, se elas são a mesma nota B não devem elas reproduzir a mesma tonalidade de B? Aqui está o segredo; as cordas devem concordar com o som das notas de uma corda com a outra.
Podemos concluir que a afinação do violão é a relação entre as notas de todas as cordas. Processar uma afinação é justamente igualar as notas iguais das cordas.

Supondo uma comparação entre as cordas 1 e 3 se estão afinadas uma com a outra; podemos comparar quaisquer notas iguais como G da 3a corda solta e a casa 3 da corda 1. Caso a tonalidade esteja semelhante, as cordas estão afinadas uma com a outra.

Como escolher um violão

Aparentemente, todo violão é igual, exceto por pequenos detalhes irrelevantes, como a cor e tamanho, por exemplo. De fato, há alguns aspectos que devem ser considerados para a aquisição de um modelo dele.
Um deles é a resistência. Existem diversos tipos de madeira com os quais se confecciona o instrumento. Isto implica na durabilidade e no timbre sonoro também. O tamanho da caixa acústica está diretamente ligado ao volume do som. Quanto maior, mais som. Os trastes devem ser feitos de bom material e bem instalados, do contrário, implicará na afinação. A mesma atenção se dá ao verificar se o braço do violão está bem aprumado, se o cavalete está bem colado e se as tarraxas se movimentam bem.
Os violões elétricos têm o formato de uma guitarra. Portanto, sua caixa acústica é mais rasa, seu braço mais alongado e já vem com um mecanismo de captura de som – comumente chamado cristal -- embutido dentro dele e um plug para conexão com uma mesa de som.
Para fins práticos, o que se deve ter por princípio para avaliar um violão é se ele afina precisamente.


Acessórios

Entre os utensílios para o violonista esta a alça para quem vai tocar em pé e não tem onde encostar o violão. A palheta é usada para bater as cordas – boa para ritmos rápidos e limitada para quem dedilha. Para contrabalançar, pode-se ficar com uma dedeira. Ela é acoplada ao polegar direito, que é justamente a parte dessa mão que mais sente desgaste.
Para dar mais garantia ao instrumento há um suporte metálico usado para prender as cordas que passam pelo cavalete. Não é raro que em violões de segunda linha o cavalete descole devido a pressão das cordas.

Exercício Prático


Chegou a hora de ter o primeiro grande encontro com o violão. Se você é um iniciante e de nada tem noção, não se intimide! Pegue seu violão como se fosse um amigo, olhe bem suas partes, posicione-o e pratique este exercício cuidadosamente, pois, de agora em diante, você vai aprender de verdade e executá-lo com toda a beleza.
Se até agora você só deu pancadas no seu instrumento, desde já, começará uma intimidade infinita com ele.

"Violão é como mulher: quem sabe, toca e sai música. Quem não sabe, bate e provoca ruído".

Exercício para agilizar a mão esquerda

Esse exercício ajuda a dar agilidade aos dedos esquerdos e a apertarem corretamente as cordas. Esse treinamento consiste da seguinte forma; posicione os dedos esquerdos sobre a 1a corda onde o dedo 1 aperta a casa 4 e toque a corda (com a mão direta), mantenha o dedo 1 sobre a casa 4 e com o dedo 2 pressione a casa 5 (toque a corda), em seguida o dedo 3 na 6a casa e da mesma forma, o dedo 4 na casa 7 sem tirar nenhum dedo de suas respectivas casas.

--------|------|-------|------|-------|-------|-------|E
--------|------|-------|------|-------|-------|-------|A
--------|------|-------|------|-------|-------|-------|D
--------|------|-------|------|-------|-------|-------|G
--------|------|-------|------|-------|-------|-------|B
---4----|--3---|---2---|--1---|-------|-------|-------|E

1) Dedo 1 na casa 4 2) Dedo 2 na casa 5 3) Dedo 3, casa 6 4) Dedo 4, casa 7
OBs:Faça isso em todas as cordas do violão, primeiro na corda mi(e), depois na si(B), depois na sol(G) e assim por diantes, subindo e descendo.

Cada vez que você põe um dedo numa casa e toca, você está fazendo uma nota. Comece devagar e depois vá acelerando o ritmo até pegar bastante prática. Depois inverta a ordem das casas, ou seja, faça as notas voltando, indo e voltando, tocando nas outras cordas, tocando em outras casas, etc.
Este exercício é primordial para o aprendizado. Pratique-o com todas as variações por um tempo mínimo de 30 minutos ininterruptos a cada dia.

Exercício para o ouvido

O ouvido devidamente treinado compreende bem a relação grave-agudo e reconhece a tonalidade das notas e acordes. É o que se diz; "Tirar uma música de ouvido". Vamos exercitar essa técnica:
1) Toque qualquer nota do violão e escute bem sua tonalidade. Agora, toque uma nota igual a essa em outra corda e compare sua semelhança.
2) Toque essa mesma nota seguidamente e depois seus vizinhos (nota da casa anterior e posterior), comparando as tonalidades. Descubra quem é mais grave e quem é mais agudo.
3) Sem olhar a escala nem fazendo contas, procure em cada corda as notas iguais a essa nota.
4) Compare outras notas no mesmo esquema.
5) Qual a nota mais grave no violão? E a mais aguda?

Não se canse de praticar esses exercícios. Eles ajudarão com os próximos e apressarão seu sucesso.

Thiago Affran
Veterano
# dez/10 · Editado por: Thiago Affran
· votar


Melodia e Acompanhamento

Melodia

É uma seqüência de notas que reproduz a parte expressa da música. A parte expressa é a parte cantada da música. Mesmo em uma música instrumental -- sem voz --, a melodia se destaca por ser a essência musical.
Imagine qualquer música e repare que a voz faz variação de tonalidade; baixo e alto, fino e grosso. É a relação grave-agudo. Geralmente, cada sílaba cantada é uma nota e quando alteramos a voz, estaremos alterando a nota. Veja um exemplo de uma música que todos conhecem e certamente já cantaram. Cante e compare a variação da tonalidade da voz:

"Parabéns pra você, nessa data querida...".
Veja o gráfico da voz:


----------------------------------------------QUE--------
--------------------VO---------------------------RI--DA--
-----------------------CÊ--------------------------------
---------------------------------------------------------
---------BÉNS-------------------------DA-----------------
--PA-RA--------PRA----------NES-TA-------TA--------------


Como já dissemos, a variação da voz também altera a nota. Analisando esse verso acima, notamos que as duas primeiras sílabas PA e RA permaneceram na mesma altura, o que implica que são duas notas iguais. A seguinte, (BENS), sofre uma alteração para mais alta (aguda), logo a nota também sobe. Desse modo, as notas sobem e descem conforme a voz. Esse é o sentido da música; a variação de tonalidades pela relação grave-agudo. O ouvido deve ser bem treinado para diferenciar as notas.
Só não confunda volume com tonalidade. O primeiro diz respeito à potência do som, independente da tonalidade ser grave ou aguda.
Para ter a prova dessa relação, cante este mesmo verso dentro da mesma nota. Horrível, não?

Acompanhamento

Chamamos de acompanhamento o fundo musical que envolve a melodia. São os acordes que fazem esse acompanhamento. Podemos dizer que a melodia é a parte cantada e o acompanhamento o resto do som de uma música. Estudaremos sobre isso no próximo capítulo.


Cifragem da melodia

O método de partitura é o modelo perfeito da representação musical. Contudo, usaremos um sistema simplificado para facilitar.
Ciframos uma nota qualquer do violão com dois números; o primeiro indica a corda usada e o segundo representa a casa dessa corda. Pode ainda ter um outro número elevado (sobrescrito) apontando o dedo usado para apertar essa nota. Veja o quadro abaixo:

Dedo (³)
Nota D (Ré)
23³

Corda (2ª) Casa (3ª)

O 2 representa a 2ª corda, o 3 a 3ª casa, e o ³ o dedo 3(Anelar). Logo estamos falando da nota Ré (D)
Desta forma, podemos cifrar uma melodia de uma música considerando cada nota por uma sílaba ativa, ou seja, uma sílaba cantada. Observando ainda que uma sílaba ativa pode ter duas sílabas dentro de apenas uma nota.
Vamos executar uma melodia? Como primeira experiência escoli uma música fácil que passo para todos meus alunos e bem conhecida de todos; "Para não dizer que não falei das flores" (Caminhando e cantando) de Geraldo Vandré .
Antes de tudo, cante-a e compare a variação de tonalidades pela relação grave-agudo. Durante a execução, usaremos as casas 2, 3, 4 e 5. Estabelecemos que cada dedo esquerdo ficará responsável por uma determinada casa. Então, mantenha-os na posição delas. Os dedos para as casas são:

CASA 5 4 3 2
-----------|---------|--------|--------|-------|-------|E
-----------|---------|--------|--------|-------|-------|A
-----------|---------|--------|--------|-------|-------|D
-----------|---------|--------|--------|-------|-------|G
-----------|---------|--------|--------|-------|-------|B
-----------|---------|--------|--------|-------|-------|e
DEDOS 4 3 2 1


Vamos à melodia:
OBS:o último número da sequência correspondem ao dedo a ser utilizado

1ª ESTROFE:
421|||||421||||343|||||||321||||||454||||||321|||||454
"CA-----MI-–---NHAN-–----DO E-----CAN------TAN-----DO E

443||||||321||||||454||||||443|||||||454
SE-------GUIN-----DO A-----CAN-------ÇÃO

421|||||421||||343||||321|||454|||||321
SO------MOS-----TO----DOS----I-----GUAIS

||443||||||443|||||321||||454|||||443|||454
BRA------ÇOS-----DA-----DOS-----OU----NÃO

||421|||421||||454|||||443||||421||||443||||421
-NAS----ES-----CO-----LAS----NAS----RU-----AS

||554||||||443|||||421||||||||||||554|||||||||||421
CAM-------POS----CONS----------TRU-----------ÇÕES

421|||421||||||454|||||||||443||||||454||||||443||||||421
CA----MI------NHAN--------DO E-----CAN-------TAN------DO E

||554||||||||443|||||||||421||||||554|||||||421
SE--------GUIN------–-DO A------CAN-----–-ÇÃO

REFRÃO:

|343|||343||||354|||343||343||321
VEM----VA----MOS----EM--BO----RA

|||321|||321||||454|||44|||421|||554|||42A-
QUE-ES---PE---RAR----NÃO---É-----SA---BER

|454||454|||454||321||454||454|||443||443
QUEM--SA----BE--FAZ----A---HO----RA---NÃO

|443||454|||443||||443|||443||343
ES---PE---RA A---CON----TE---CER

|254|343|||343||343||232||321
VEM--VA---MOS--EM---BO----RA

||321|||||321||343|||321|||321||454|||454
QUE-ES---PE---RAR--NÃO----É----SA---BER

|343||343||343||321||454||454||443
QUEM--SA---BE--FAZ----A---HO---RA

|443||443||454|||443||||421|||554||421
NÃO--ES---PE---RA A---COM---TE---CER.

Repare que em alguns casos, há junção de duas sílabas em uma só nota, quer dizer, duas sílabas numa só sílaba ativa, pois são cantadas juntas. Ex. "Ca-mi-nha-do e can-tan-do e ..'' .
As demais estrofes dessa música seguem a mesma cifragem dessa 1a mostrada aqui. Confira toda a letra dessa música no nosso repertório. Vale destacar o valor histórico que tem essa canção, o belíssimo cunho intelectual da letra e a simplicidade da harmonia que a torna lindíssima. Ótima indicação para eventos culturais.

Thiago Affran
Veterano
# dez/10 · Editado por: Thiago Affran
· votar


Uma coisa que devemos considerar é o valor das seqüências das notas. Já dissemos que a escala das notas é contínua, quer dizer, ao fim de uma, reinicia-se outra com as mesmas notas.

Ex: D D#/Eb E F F#/Gb G G#/Ab A A#/Bb B C C#/Db D
-----1---------------------------------------------------------2
Assim, teremos várias notas iguais, como D no exemplo acima. Mas, entre um D e outro, tem uma diferença de tonalidade também, onde o primeiro é mais grave e o segundo é mais agudo. O som é semelhante porque são a mesma nota D, entretanto o grau de tonalidade é diferente.
Na melodia que acabamos de conferir, temos duas notas iguais aplicadas em duas seqüências diferentes. Temos um E na cifra 421 e outro em 254 (veja na música "Caminhando e cantando"). Nem um E poderia ser usado no lugar do outro porque devem obedecer ao valor das seqüências a quem pertencem. Pois o primeiro é mais grave e o segundo mais agudo.
Por isso, devemos reconhecer a ordem das seqüências de notas no violão, a começar pela nota mais grave E da 6a corda solta (60). Esta podemos dizer ser o E1, ou o E da seqüência 1. O próximo será o E2 .Essa seqüência na corda 6 vai até A (LÁ) na casa 5. À partir daí, a seqüência continua na 5a corda solta (A) que tem o mesmo valor de A na casa 65. Então, todas as notas depois de A (65) tem os valores iguais às que continuam depois de A da 5a corda solta (50).Por exemplo, B (67) é o mesmo de B (52). Na corda 5 essa seqüência vai até D (55) e se iguala com D da 4a- corda solta. Na Quarta corda, a seqüência segue até G (45) e continua na corda 3 solta (G) que vai até B (34) para seguir igual a B da 2a corda solta que prossegue até E (25) onde se compara com a 1a corda solta (E) até a última nota desta.


NOTAS \\\E1 F1 G1 A1 B1 C1 D1 E2 F2 G2 A2 B2 C2 D2 E3 F3 G3 A3 B3 C4 D4 E4
\\\\\\\E-0--1--3---5--7--8--10-12---------------------------------------------------------
\\\\\\\A-----------0--2--3--5--7---8---10--12---------------------------------------------
\\\\\\\D--------------------0--2---3---5---7---9---10--12---------------------------------
\\\\\\\G-------------------------------0---2---4---5---7---9----10--12--------------------
\\\\\\\B---------------------------------------0---1---3---5----6---8---10--12------------
\\\\\\\e---------------------------------------------------0----1---3---5---7---8---10--12


:

• Na escala acima, não citamos os meios-tons (sustenido e bemol), mas subentende-se a presença deles entre as notas comuns. Ex. Entre F1 (61) e G1 (63), é notável que o meio-tom entre eles (F#/Gb) estejam na casa 2 da corda 6 (62).
• A nota E1 é a mais grave do violão. Podemos localizá-la na casa 60 (Corda 6 solta). E2 é mais aguda que E1, pois, já faz parte de outra seqüência. Encontramos E2 em três casas diferentes e com o mesmo valor da seqüência; 612 (corda 6 e casa 12), 57 e 42.No quadro acima, ciframos cada corda até a casa 12, mas podemos tocar suas casas posteriores, muito embora, o indicado é tocar na corda abaixo uma vez que as notas são iguais. Por exemplo, ao contrário de usar a casa 13 da 6a corda (F2), usamos a nota 58 (Casa 8 da 5a corda) ou ainda 43 (3a casa da corda 4). Já na 1a corda, é natural usar todas as casas.
• Quando for tocar uma melodia, evite tocar cordas soltas e substitua a nota por uma semelhante. Exemplo, ao contrário de tocar a nota 20, use a 34 (ambas são B).


Acordes

Divisão dos acordes

Basicamente, os acordes se dividem em duas categorias:

 Acordes naturais – Também chamados de Acordes Perfeitos. Formados pela união de três notas básicas. Ex. C (Dó maior), Cm (Dó menor).
 Acordes dissonantes – São os acordes com deformação. Na verdade, são acordes naturais que receberam uma ou mais notas além das três notas básicas para fazer uma pequena alteração na sua tonalidade, dando um efeito especial ao acorde. Ex. C7, Cm7, F#m7/5-.

Escala das notas para formar acordes

Para formar os acordes, unem-se notas combinadas em uma posição. Para saber quais notas para cada acorde nós usamos uma escala de notas primas composta de oito notas (ou graus) para cada tonalidade ou tom de acorde. Então, cada tonalidade (maior e menor) recebe uma escala de notas que combinam entre si. Por exemplo, o Tom A (maior) vai receber uma escala de oito notas para que a partir de então, sejam formados os acordes relativos à A (A, A7, A4/7, etc.).

ESCALA DAS NOTAS PARA ACORDES

----------GRAUS-----------

TOM||1 |2 |3 |4 |5 |6 |7 |8
||A||A |B |C#|D |E |F#|G#|A
F#m||F#|G#|A |B |C#|D |E |F#
||B||B |C#|D#|E |F#|G#|A#|B
G#m||G#|A#|B |C#|D#|E |F#|G#
||C||C |D |E |F |G |A |B |C
|Am||A |B |C |D |E |F |G |A
||D||D |E |F#|G |A |B |C#|D
|Bm||B |C#|D |E |F#|G |A |B
||E||E |F#|G#|A |B |C#|D#|E
C#m||C#|D#|E |F#|G#|A |B |C#
||F||F |G |A |Bb|C |D |E |F
|Dm||D |E |F |G |A |Bb|C |D
||G||G |A |B |C |D |E |F#|G
|Em||E |F#|G |A |B |C |D |E
|A#||A#|C |D |D#|F |G |A |A#
|Gm||G#|A |A#|C |D |D#|F |G#
|C#||C#|D#|F |F#|G#|A#|C |C#
A#m||A#|C |C#|D#|F |F#|G#|A
|D#||D#|F |G |G#|A#|C |D |D#
|Cm||C |D |D#|F |G |G#|A#|C
|F#||F#|G#|A#|B |C#|D#|F |F#
D#m||D#|F |F#|G#|A#|B |C#|D#
|G#||G#|A#|C |C#|D#|F |G |G#
|Fm||F |G |G#|A#|C |C#|D#|F

OBSERVAÇÕES:

• Na escala acima, estão relacionadas notas sustenidos (#) também como as bemóis (b). Deste modo, a escala de Db por exemplo, entendemos ser a de C#.
• Olhando as escalas de A(Lá) e F#m(Fá sustenido MENOR), podemos notar que as notas são as mesmas, apenas estão em ordem diferentes. Mas, nenhuma outra escala tem essa semelhança, nem mesmo A(Lá) ou F#(Fá sustenido MAIOR). Tem sempre uma nota diferente entre as escalas. A e F#m são acordes primos ou acordes relativos (todas as notas das suas escalas são iguais com exceção da tônica(1ª nota)), assim como C e Am. Cada acorde maior tem um acorde menor primo cujas tonalidades são semelhantes. Suas escalas estão na ordem maior e menor na tabela acima.
• As escalas de C e Am não têm nenhuma nota sustenido (ou bemol). São escalas de notas perfeitas.
• Repare que a nota 8 é sempre igual à 1ª nota da escala. Essa escala também é contínua e a partir da 8ª nota que é igual à 1ª, a 9ª à 2ª, a 10ª à 3ª, etc.
• Dica: Para saber a relativa de qualquer nota MAIOR basta reduzir a nota desejada em 1 tom e 1/2 (ou 3 casas no violão), a nota alcançada será menor. Ex: Relativa de D (Ré maior)- reduzindo 1 tom e meio temos Db/C#, C, B logo a relativa de D (Ré) é Bm (Si menor)

Vejamos as principais notas relativas.

Cifras - Suas Relativas
A - - - - F#m
B - - - - G#m
C - - - - Am
D - - - - Bm
E - - - - C#m
F - - - - Dm
G - - - - Em


Formação dos acordes maiores

Formamos os acordes maiores com as notas 1, 3 e 5 da escala de cada acorde. Supomos que para formar o acorde C (Dó maior) usaremos a 1ª, 3ª e a 5ª nota da sua escala (escala de C). Obteremos as seguintes notas:

ACORDE--1--2--3--4---5--6--7--8
----C------C--D--E--F--G--A--B--C

Podemos dizer então que, formamos o acorde C com a união das notas C, E e G. Deste mesmo procedimento formamos todos os acordes maiores; selecionando as notas 1, 3 e 5 de sua escala. Outro exemplo; acorde de F# (Fá sustenido) é formado pelas notas F#, A# e C#. Lembrando ainda que F# é o mesmo que Gb.
Para executar um acorde maior no violão, devemos simplesmente juntar suas três notas básicas e tocá-las ao mesmo tempo. Como o violão tem capacidade de tocar até seis notas ao mesmo tempo (uma em cada corda), podemos repetir um ou mais notas básicas para formar uma posição de acorde maior. Apenas há uma condição para isto; a nota mais grave deve ser a do acorde. Esta nota mais grave é o baixo (o bordão) do acorde.

Acompanhe o sistema de formação de acordes no violão:

• Escolhamos um acorde para exemplificar; digamos D.
• Selecionando suas notas básicas chegaremos a D, F# e A. (1ª, 3ª e 5ª respectivamente)
• Agora, vamos procurar estas notas no braço do violão a começar pelas cordas-base (cordas 1, 2 e 3). Elas devem estar juntas para facilitar que sejam apertadas.
• Após, devemos acrescentar o baixo que deve ser a nota do próprio acorde (D).
• Escolha os dedos para apertar cada casa e pronto!

Você não deve ter encontrado dificuldades para formar um acorde de D. Até porque percebeu que no braço do violão, existem várias notas iguais às que procurava, possibilitando assim, diversas maneiras de formar um mesmo acorde de D.

Thiago Affran
Veterano
# dez/10 · Editado por: Thiago Affran
· votar


Formação dos acordes menores

A formação dos acordes menores é semelhante a dos maiores. As notas básicas são enumeradas 1, 3 e 5 só que, da escala dos acordes menores. Quando formamos D (Ré maior), selecionamos as notas de sua escala maior, enquanto que para o acorde Dm (Ré menor) selecionamos suas notas da escala de Dm. Repare:

ACORDE---1 - 2 - 3 - 4 - 5 - 6 - 7 - 8
-Dm-- -----D - E - F - G - A -Bb- C - D

Com as notas nas mãos, resta apenas procurá-las no violão e demarcar as casas na cifra.

OBS: Assim como os acordes maiores, os menores também são formados por conjuntos de notas, porém a tabela que teremos que fazer será um pouco diferente.

A escala MAIOR como vimos é formada por ---> Tônica (I grau) - 1 Tom (II grau) - 1 Tom (III grau) - 1/2 Tom (IV grau) - 1 Tom (V grau) - 1 Tom (VI grau) - 1 Tom (VII grau) - 1/2 Tom/Tônica Oitavada (VII grau).
Ela varia 1/2 Tom do III para o IV grau e do VII para o VIII grau.

A escala MENOR será formada por ---> Tônica (I grau) - 1 Tom (II grau) - 1/2 Tom (III grau) - 1 Tom (IV grau) - 1 Tom (V grau) - 1/2 Tom (VI grau) - 1 Tom (VII grau) - 1 Tom/Tônica Oitavada (VIII grau).
Fica bem vísivel a mudança, a variação agora é do II para o III grau e do V para o VI grau.

Com essa fórmula é possível montar a escala MENOR e MAIOR de qualquer acorde.

Reconhecendo entre Maior e Menor

Diferenciar entre acorde maior e menor é ESSENCIAL para a continuação do aprendizado. Para isso, é necessário exercitar o ouvido para distinguir entre um e outro. A técnica para isso é simples; toque um acorde maior por alguns instantes e em seguida, toque esse mesmo acorde agora como acorde menor. Ex. D e Dm. Depois torne a tocá-lo maior e menor, tantas vezes possível até que tenha assimilado a diferença. Faça isso com os demais acordes e logo, a compreensão será natural.
A tonalidade entre um acorde maior e um menor tem uma diferença significante, possibilitando assim sua distinção. Treine bastante o ouvido para perceber essa diferença.


Acordes com 7ª

Existem notas que além de serem formados pela PRIMEIRA, TERÇA e a QUINTA são formados também pela SÉTIMA. Estes acordes são chamados de Acordes com 7ª. Agora aprenderemos a fazer os acordes com 7ª a partir das tabelas citadas anteriormente com base nas fórmulas das escalas maior e menor também aqui citadas.

Para acharmos a sétima menor de uma nota devemos pegar a primeira (que é sempre ela própria) e diminuir um tom inteiro e para charmos a 7ª Maior (Ex. D7M) pegamos a primeira e diminuimos 1/2 tom!

Portanto a notação é:

X7 - Leia X com 7ª menor ou apenas, X com sétima
X7M - Leia X com 7ª maior.
Por Exemplo:

A7 (Lá com 7ª), pegamos o próprio Lá (nota), que é a primeira de A (acorde) e diminuimos 1 tom inteiro.
ou seja, o A era formado por, Lá, Dó e Mi daí pegamos a primeira de A que é Lá e diminuimos 1 tom, então A7 é formado por Sol, Dó e Mi.

Por que pegar a primeira e diminuir 1 tom para achar a sétima menor, qual é a lógica?

Muito simples, um acorde com sétima é formado pela TERÇA, QUINTA e a SÉTIMA, para encontrarmos a sétima, é mais fácil você pegar a OITAVA e diminuir 1 tom inteiro, não é mesmo? É, exatamente o que nós fizemos, lembra que a 1ª e a oitava são iguais! Baixamos direto da primeira porque já sabemos que a primeira de qualquer nota é ela mesma!

Vamos a outro exemplo:
Como achar D7 (Ré com 7ª)?

Primeiro passo: Quais as notas que formam D(Ré)?
Elas são: Ré, Fá# e Lá.

Sabemos que a primeira de qualquer nota é ela mesma, então a primeira do acorde Ré é a nota Ré, então vamos achar a sétima diminuindo 1 tom da primeira. Ré - 1 tom = Dó.

Então, D7 é formada por: Dó, Fá# e Lá.
(Cuidado quando for diminuir 1 tom de Fá e Dó, pois Dó - 1 tom = Lá# e Fá - 1 tom = Ré#)

polezel10
Veterano
# dez/10
· votar


Muito boa a iniciativa!

xavy
Veterano
# dez/10
· votar


Eu não li o texto, mas deve ser bom. rsrs

Parabéns pelo tópico kra, realmente contem estimulo para os novatos na musica e me fez relembrar de quando não conseguia fazer soar um acorde sequer com perfeição!

Pé de chinelo
Prêmio FCC 2011
# dez/10
· votar


só precisa dar uma editada em algumas tabs, que tão desajeitadas

mas boa iniciativa!

abraços!

Prof. Grosélio
Veterano
# dez/10 · Editado por: Prof. Grosélio
· votar


Thiago Affran

Muito bom o que voce está fazendo. Valeu pela paciência.

Obs: Agora eu lí.

Um abraço

Thiago Affran
Veterano
# dez/10
· votar


polezel10
xavy


Obrigado...
Também me lembro quando comecei, mal conseguia produzir um som, mas achava q tava muito bom... Saudade daquela época.

Pé de chinelo

É eu sei... Tava com pressa, precisava sair... por isso ficou um
pouco desajeitada... mas já editei tudo... e acrescentei outras coisas que passaram despercebidas por mim.

Prof. Grosélio

Obrigado... Ainda nao acabei... Tem um pouco mais de trabalho
pela frente ^^

Thiago Affran
Veterano
# dez/10 · Editado por: Thiago Affran
· votar


Continuando...

Inversões

Fazer a inversão de um acorde significa colocar na base desse acorde, ao invés da nota fundamental, a mediante ou a dominante.
Por exemplo: C é formado por: Dó, Mi e Sol. Sua primeira inversão, é em Mi, sua segunda Inversão é em Sol e sua Terceira Inversão é em Si, e o que isso significa? Mi, Sol e Si correspondem, respectivamente à TERÇA, QUINTA e a SÉTIMA de Dó.
As inversas devem ser adicionadas as notas originais, ou, as notas originais devem ter o baixo na nota inversa.

Exemplos: Existem Duas notações
1ª Notação
Quando temos algo parecido com X/Y, onde X é uma nota qualquer e Y é outra nota qualquer.
Exemplos:
G/A
Em/B
Fa#/E


2ª Notação
Quando temos algo parecido com X/N onde X é uma nota qualquer e N é um número qualquer.
Exemplos:
C/7
D7/9
E7/11


Veja esta música...

Tempos Modernos
De: Lulu Santos


Introdução: (G/D D) A Em

G D A7 A6
Eu vejo a vida melhor no futuro
Em G D A7
Eu vejo isto por cima de um muro
G Em/B
De hipocrisia
Em C7+ C/D
Que insiste em nos rodear


Na introdução, temos logo de cara um Sol com baixo em Ré, analizando a nota, através da tabela, descobrimos que Ré é a Quinta de Sol, ou seja, sua 2ª inversão!

Depois temos Mi menor com baixo em Si, Si também é a Quinta de Mi menor, portanto também é a 2ª inversão.

Já o Dó com baixo em Ré, na última linha, é uma outra nota, não é uma inversa, pois a inversa deve ter baixo ou na TERÇA, na QUINTA ou SÉTIMA. Analizado esta nota, chegamos a conclusão que o Ré, é a NONA de Dó. (ou SEGUNDA, mas a notação mais usual é a oitava superior)

Renata Pillar
Veterano
# dez/10
· votar


Ótimo tópico!

Como já disseram, boa iniciativa.

Bem completo e detalhado, embora se sua intenção era deixar fácil de entender, não deu certo.. Tenho muitas dúvidas, mas deixa pra lá.

Thiago Affran
Veterano
# dez/10
· votar


Renata Pillar

Obrigado....
Em relação a compreensão, alguns assuntos abordados realmente
são um pouco difícies de entender... O que postei aqui é mais pra
servir como um guia de estudo ou um mapa pra quem esta começando
Tentei ser o mais claro possível...
E quanto as suas dúvidas pode posta-las aqui... Afinal essa é a intenção deste tópico

Abraços!!!

Thiago Affran
Veterano
# dez/10 · Editado por: Thiago Affran
· votar


Transporte

O transporte é utilizado para modificar a tonalidade da música para mais aguda ou para mais grave.
Se a música estiver cifrada muito baixa na marcação original encaminha-se para a direita até achar o tom ideal . Quando estiver cifrada muito alta encaminha-se para esquerda .

Para a direita ----------: mais alto
Para esquerda :--------: mais baixo

Transposição de Tons
A transposição de tonalidade é o meio de fazer com que uma música que você já tenha cifrada em casa, mas não consegue cantar por não conseguir alcançar a tonalidade, possa ser baixada ou aumentada, em sua tonalidade, de acordo com as suas necessidade, servindo também para facilitar o trabalho de outros instrumentistas evitando que tenha que tocar em tonalidades difíceis de ser executadas.

Para isso utilizamos a escala.
Dó|#|Ré|#|Mi|Fá|#|Sol|#|Lá|#|Si|Dó

Faremos dois exemplos para a sua compreensão.

EXEMPLO 1
Digamos que, uma música foi feita originalmente nos acordes Dó - Fá - Sol, mas quando você a executa a sua voz não alcança algumas notas por serem muito agudas, é nesta situação que recorreremos ao uso da transposição de tonalidade, e trocaremos os acordes por outros mais graves logicamente.

Usando a escala acima vamos diminuir meio tom ou seja vamos localizar os acordes Dó - Fá - Sol na escala e voltar um acorde.
Resultado o acorde Dó passará a ser Si, o acorde Fá passará a ser Mi e o acorde Sol passará ao acorde Fá #.

EXEMPLO 2
Digamos que o caso seja inverso, que a música que você pretende executar é muito grave e você quer que a melodia se torne mais aguda.
Tomaremos como base os acordes Mi - Lá - Ré, e usando a escala alteraremos um tom, ou seja duas notas para frente.
Resultado o acorde Mi passará a ser o Fá # o acorde Lá passará a ser o acorde Si e o acorde Ré a Mi.


* Ritmo e dedilhados

Vamos Entrar agora no final do nosso aprendizado abordando um tema que é causa de muita dor de cabeça para a maioria dos que estão aprendendo a tocar: Ritmo, dedilhados e batidas.

O Tempo

Para ter uma noção básica sobre o tempo, vamos praticar
usando como marcador um relógio, a cada segundo passado
toque a 6ª corda do instrumento com o Polegar, siga o ritmo
dos segundos sem atrasar e nem adiantar. Vamos tocar a mesma nota
a cada segundo que passa.

Então vamos dizer que 1 tempo e igual a 1 segundo.

Agora vamos tocar a cada tempo uma nota diferente.

Usaremos 3 tempos.

No primeiro tempo toque com o polear a 6ª corda;
No segundo tempo toque com o polegar a 5ª corda;
No terceiro tempo toque com o polegar a 4ª corada;

Observe o esquema abaixo:

Tempos 1 2 3 1 2 ...
Dedos P P P P P ...

Repita este movimento até sincronizar com perfeição, um
toque a cada tempo.

---------------------------------------------------------------------- ----------

Dedilhado

É o processo de tirar notas sucessivas, uma corda de cada vez,
cada corda com um dedo diferente.

1º Dedilhado


Tempos 1 2 3 4 1 2 3 ...

Dedos B 1 2 3 B 1 2 ...
|_____________|
Ded. Completo

Onde:

B = Baixo
1 = Indicador
2 = Médio
3 = Anular

Exercício:

Para praticar este dedilhado vamos treinar no acorde de C (Dó maior).

C
|-----|-----|-----|:E
b|--3--|-----|-----|:A
|-----|--2--|-----|:D
. |-----|-----|-----|:G
. |-----|-----|--1--|:B
. |-----|-----|-----|:e

Começamos tocando com o Polegar na 5ª corda indicado por b no gráfico,agora toca-se o Indicador na 3ª corda, em seguida o dedo Médio na 2ª corda e finalmente o dedo Anular na 1º corda.


Tente executar no dedilhado o trecho abaixo, aplicando o dedilhado completo duas vezes em cada posição. Você deve alcançar a perfeição quando conseguir fazer as passagens de um acorde para outro seguindo o tempo corretamente.

Am - A7 - Dm - Am - E - E7 - Am

Batidas

Esse é outro quesito com bastante dúvidas. Todos devem lembrar inicialmente, que hoje em dia não existem mais músicas que devem ser tocadas por aquela determinada batida. Por exemplo: Atualmente, não tem regra de que uma música sertaneja tem que ser tocada com a batida sertaneja e por aí vai.

Os ritmos estão muito misturados. Hoje, um pagode é tocado em arpeggio, que é uma batida especialmente pra músicas românticas. Então o que vocês devem pensar, é nunca seguir a regra. Procurem utilizar a batida pra música que está sendo tocada. Não liguem se o grupo é de forró e tem que tocar a batida de forró. Hoje, como todas as músicas estão meio ``comerciais`` os ritmos ficam misturados, e o que é forró, pode ser algo romântico. Sei que é difícil vocês entenderem no início, mas tente ir tocando junto com a música para vocês perceberem a batida que será utilizada.

Inventar também é preciso! Não pensem que só existem aquelas batidas que coloquei no site. Existem muitas outras e nós devemos ser criativos. Vários cantores não inventam acordes? E porque não devemos inventar as batidas? Serja original antes de mais nada. Mas quando for criar uma batida, crie algo em que haja sincronização com o tempo da música e com os acordes.

irei colocar aqui uma forma que também pode ser ensinada. é um pouco mais complicada, mas quem já possuir um pouco mais de afinidade com o instrumento vale a pena aprender.

Para indicar estas batidas usaremos um sistema muito simples veja:

B /\ || /\ B...
|| \/ ||


Esta batida é um acompanhamento muito comun em musicas populares.


Observe abaixo alguns dos simbolos usados e seus significados:

B - Baixo

Representa um toque com o polegar no baixo do acorde formado


/\ - Marcação curta para cima
||
Representa o toque para cima nas cordas inferiores
do acorde formado (1º para 3º cordas) usando o dedo indicador



|| - Marcação curta para baixo
\/
Representa o toque para baixo nas cordas inferiores
do acorde formado (3º para 1º cordas) usando o dedo indicador



|| - Marcação prolongada para baixo
||
\/ Representa o toque para baixo em toadas as cordas
do acorde formado, usando o dedo indicador


|| - Marcação prolongada para baixo com abafamento
||
\/ Representa o toque para baixo em toadas as cordas
~~ do acorde formado, usando o dedo indicador adicionado
um abafamento coma a palma da mão direita

O abafamento consiste em dar um tapa com a palma da mão sobre as
cordas, com a finalidade de parar sua vibração.


Representação da mão direira nos gráficos dos acordes


C G
|-----|-----|-----|:E b |--2--|-----|-----|:E
b |--3--|-----|-----|:A |-----|--1--|-----|:A
|-----|--2--|-----|:D |-----|-----|-----|:D
. |-----|-----|-----|:G . |-----|-----|-----|:G
. |-----|-----|--1--|:B . |--3--|-----|-----|:B
. |-----|-----|-----|:e . |--4--|-----|-----|:e


Lembrando dos gráficos de acorde, note que são indicados com
a letra b do baixo e os três pontos nas cordas inferiores, que
representam as marcações da mão direita. Os pontos indicam as
cordas que devem ser batidas.


Agora veja abaixo alguns exemplos de batidas:


B /\ || /\ B...
|| \/ ||



B /\ || /\ || /\ || /\ B...
|| \/ || || || \/ ||
\/
~~

B /\ || B...
|| ||
\/
~~


B || B /\ || B...
|| || ||
\/ \/


B || B...
||
\/
~~


B /\ || /\ || /\ B...
|| \/ || || ||
\/
~~


B /\ || /\ B /\ || /\ || /\ B...
|| || || || \/ || || ||
\/ \/
~~ ~~

      
B /\ || /\ B...
|| || ||
\/
~~

É isso ai Galera espero ter ajudado.. Acho que com esse material vocês tem uma boa base pra começar o seus estudos...
para, pelo menos, tocar em rodas de amigos e fazer boas apresentações pessoais.

É sempre bom lembrar que você não deve ficar só nisso aqui que foi passado, até porque como eu disse, isto é apenas um Guia. Ele só serve pra lhe ajudar nos estudos, tirar dúvidas e ter um aprendizado mais rápido com seu professor. Mas é necessário estudar sempre mais e mais.

lembre-se sempre: O grande segredo do aprendizado do violão é a persistência. Não desista na primeira dificuldade, pratique as cifras, e principalmente pratique mudar de uma cifra pra outra no menor espaço de tempo possível. Quando estivere apto a posicionar os dedos nas casas corretas e firmemente pra que o som flua corretamente e sem olhar pra mão do braço do violão, você estará apto a tocar qualquer música.

Um grande abraço à todos e espero que tenham gostado de tudo!!!

ABRAÇOS!!!!
Thiago Ribeiro

duily
Veterano
# dez/10
· votar


parabens pela iniciativa!
mto bom guia para pessoas como eu que ja viram td isso, mas é sempre bom lembrar e fixar.

Menininha Dayse
Veterano
# dez/10
· votar


Nossa, tópico muito bom, estava a procura de métodos que fossem bacana para quem tá começando (como eu rsrs).
Tô começando do ZERO e pretendo aprender em casa mesmo e suas dicas vão ser com certeza cruciais

Remo Yaconi
Veterano
# jan/11
· votar


Thiago Affran
Primeiramente,...
Bem vindo ao FCC!

Simplesmente De mais!
Parabens pela Paciencia e mais ainda pelo pré disposição para com os outros que por sinal, acredito que não conheças!
Muito bom mesmo, só faltou ler o ultimo post (por que preciso dormir pra trabalhar amanha)

Aos moderadores
Poderiam colocar este tópico como fixo lá no topo do fórum, e se possivel, mante-lo sempre limpo, (inclusive de posts como este), tipo
deixando todo o conteudo em ordem (sem os post de comentarios entre eles), e deixando abaixo deste apenas as perguntas e suas respectivas respostas (até mais de uma se necessário, mas apagando o que não está respondendo, ou está repetindo, ou apenas comentando)... Sei que é complicado e até chato de fazer, mas seria uma baita mão na roda (mais até do que ja esta sendo este tópico) para os iniciantes, pois ai fica facil de achar bastante conteudo, e bem organizado.


Mais uma vez parabens!

Juneba
Veterano
# jan/11
· votar


aew cara, parabéns pela iniciativa !
se alguém não entender algo tem o forum para tirar dúvidas!
abraço.

Thiago Affran
Veterano
# jan/11
· votar


duily
Obrigado... nunca é demais aprender e lembrar o que foi aprendido

Menininha Dayse
Obg!!! Espero q te ajude

Remo Yaconi
Vlw cara... foi difícil mas valeu a pena... obrigado pelo apoio pra tornar o post fixo.

Juneba
Obrigado... E como vc disse se alguem não entender tem o forum e até mesmo esse topico pra tirar dúvidas

Abraço a Todos!!!

Thiago Affran
Veterano
# jan/11
· votar


UP

Rick Rock
Veterano
# jan/11
· votar


Tudo bem pessoal, sou novo por aqui e iniciante no violão, achei muito bacana este tópico.

Thiago Affran Muito obrigado por tudo que escreveu, é realmente muito importante o que disse no começo sobre desistência e sobre não desanimar diante das dificuldades.

 Qualquer um pode aprender, embora alguns tenham mais facilidade para assimilar mais que outros. Entretanto, o que determina o sucesso quase sempre é a FORÇA DE VONTADE de cada um.

Vou colocar um vídeo aqui para as pessoas lembrarem dele quando tiverem pensando em desistir diante dos obstáculos que certamente terão que ultrapassar.



Força de vontade pessoal.

Forte abraço

zaamboni
Veterano
# jan/11
· votar


olá pessoal, tenho uma certo conhecimento e etc.. mais preciso de uma ajuda ..

compus uma letra, e queria por uma melodia simples so pra acompanhar .. eu estava usando Em, C, G e D a musica inteira. mais no refrão queria mudar os acordes sem alterar mt a tonalidade da musica.. seria possivel, e quais acordes seriam? vaaleu .

Babooturbo
Veterano
# jan/11
· votar


Ótimo Tópico! Parabéns!

Remo Yaconi
Veterano
# jan/11
· votar


Thiago Affran ou alguem que saiba responder
Na formação dos acordes, por exemplo C [/b[

ACORDE--[b]1
--2--3--4---5--6--7--8
------C------C--D--E--F--G--A--B--C

alem do tradicional e na terceira com pestana encontrei tb alguns


10ª
12ª
15ª
17ª
20ª

Mas como vou saber se devo ou não usar a pestana uma casa antes, ao fazer o acorde?? o que determina usar ou não a pestana??? estava olhando um dicionário de acordes e alguns aparecem também com meia pestana, por que isso??

(Não só no acorde C, mas em todos os outros.)

espero que tenha conseguido explicar minha duvida.

espero uma resposta, obrigado

Thiago Affran
Veterano
# jan/11
· votar


Ricardo Perussi
Obrigado... Mto bom seu vídeo... e como eu disse não se deve desistir nunca, se vc ama algo independetemente do que seja tem que ter força de vontade e correr atrás.

Babooturbo
Obrigado!

Thiago Affran
Veterano
# jan/11
· votar


zaamboni
Com os acordes q vc Falou (Em, C, G, D) vc esta tocando no tom de G(Sol Maior), então tente explorar seu campo harmônico que é formado por (G, Am, Bm, C, D, Em, F#°). Mais vou dar algumas dicas como vc pediu...

Pelo que eu entendi sua música começa com uma cadência simples alterada (VI(Em), IV(C), I(G), V(D)).
Seguindo nessa linha de raciocinio e imaginando q vc toca introdução e todo o corpo da música com esta sequência de acordes, você pode no refrão apenas inverter a ordem, perceberá como ficará com uma sonorizacao mto boa, já que a ultima nota é D que pertence ao V grau da escala de G e portanto será a dominante, você volta para a tônica e agora toca na ordem a partir dela (I(G), V(D), VI(Em) IV(C)), portanto a notas do seu refrão serão, G, D, Em, C.
OBS: Se vc quiser deixar a música com um efeito legal ponha o D com baixo na primeira inversão, D/F#, assim estará harmonizando com o G e o Em, provocando um efeito descrescente mais ao mesmo tempo estável na música, ficando assim. G,D/F#,Em,C.

Ou se vc nao quiser alterar a sequencia da nota pode tmb utilizar esta forma:
Em, C, G
Em, G, D
Em, C, G
Am, C

Tente encaixar TODAS essas notas acima nessa sequencia q passei no seu refrão e veja se fica legal(imaginando eu que sua música seja quaternaria).

Espero ter ajudado, sem ter complicado ^^
Abraços!!!

Thiago Affran
Veterano
# jan/11 · Editado por: Thiago Affran
· votar


Remo Yaconi
Não entendi direito a sua pergunta, vou tentar explicar de acordo com o que eu entendi.

Primeiro: Um Mesmo Acorde pode ser formado de Varias formas diferentes. Respeitando é claro a estrutura de formação de acordes 1ª, 3ª, 5ª(triades) e 7ª(tetrades).

Segundo: A pestana foi criada para poder fazer qualquer acorde baseado em um desenho de um acorde já existente, o que determina usar a pestana é em qual corda vc pretende fazer o baixo, na 4ª, 5ª ou 6ª corda (o mais comum é ser usado na 5ª ou 6ª corda) feito isso, a pestana obedece a um desenho. Vamos dizer q vc quer fazer um acorde com pestana com o baixo na 6ª corda(E). Sabendo q a sexta corda é a Mi, forma-se o seu acorde e com base no desenho desse acorde monta-se todas as outras pestanas. Perceba no desenho:


b |-----|-----|-----|:E ACORDE de E(MI)
|-----|--2--|-----|:A
|-----|--3--|-----|:D
. |-----|-----|--1--|:G
. |-----|-----|-----|:B
. |-----|-----|-----|:e

Vejamos agora o Acorde de F(Fá) que é feito com pestana baseada no desenho de pestanas com baixo na 6ª corda.

b |-----|-----|--°--|:E ACORDE de F(Fá)
|--3--|-----|--°--|:A
|--4--|-----|--°--|:D
. |-----|--2--|--°--|:G
. |-----|-----|--°--|:B
. |-----|-----|--°--|:e

Perceba que o desenho é o mesmo do acorde Mi, apenas andamos uma casa a frente para montar o acorde Fá
e botamos o dedo indicador nas casas vazias para fazer de pestana.
OBS: CHAMAMOS DE PESTANA, POR O DEDO IMITAR A PESTANA, OBJETO Q ENCONTRASSE ENTRE O BRAÇO E A CABEÇA DO VIOLÃO.


MONTANDo como vc disse o acorde de C(Dó) com baixo na 6ª corda chegamos a 8ª casa da 6ª corda aplicando o desenho do acorde mi teremos então o acorde assim:

8ªcasa
b |-----|-----|--º--|:E ACORDE de C(Dó)
|--3--|-----|--º--|:A
|--4--|-----|--º--|:D
. |-----|--2--|--º--|:G
. |-----|-----|--º--|:B
. |-----|-----|--º--|:e

Novamente o desenho é o mesmo do acorde Mi, só andei a pestana.


Se eu posso fazer isso na 6ª corda, também posso fazer isso na 5ª corda. A 5ª corda é a corda Lá, então tomaremos por base o desenho do ACORDE Lá. Veja agora como vai ficar:

|-----|-----|-----|:E ACORDE de A(Lá)
b |-----|-----|-----|:A
|-----|--1--|-----|:D
. |-----|--2--|-----|:G
. |-----|--3--|-----|:B
. |-----|-----|-----|:e

Aplicando esse desenho vamos a próxima nota B(si) usando a regra de desenho da pestana com baixo na 5ª corda. Ficará assim:
2ªcasa
|-----|-----|-----|:E ACORDE de B(Si)
b |-----|-----|--º--|:A
|--2--|-----|--º--|:D
. |--3--|-----|--º--|:G
. |--4--|-----|--º--|:B
. |-----|-----|--º--|:e

Novamente o desenho dos dedos é o mesmo, andei apenas duas casas e coloquei uma pestana. Montando o acorde de C(Dó) com o baixo na 5ª corda
Ficaremos assim.

3ªcasa
|-----|-----|-----|:E ACORDE de C(Dó)
b |-----|-----|--º--|:A
|--2--|-----|--º--|:D
. |--3--|-----|--º--|:G
. |--4--|-----|--º--|:B
. |-----|-----|--º--|:e

Perceba q os dedos 2,3,4, do acorde Dó faz o mesmo desenho dos dedos 1,2,3 do acorde Lá, só acrescentamos a pestana.



OBS: Para Fazer o acorde com pestana na quarta corda D(Ré) basta obedecer o desenho desse acorde e aplicar a pestana.

Espero ter ajudado...
Abraços!!!

Remo Yaconi
Veterano
# jan/11
· votar


Acho que agora esclareceu :D

mas só mais uma duvidazinha,

por que alguns acordes que vao para as casa de maior numero (ou seja mais para o corpo do violão)
não necessitam de pestana?

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
 

Tópicos relacionados a Violão Básico para Iniciantes (Aprenda)

290.755 tópicos 7.586.610 posts
Fórum Cifra Club © 2001-2014 Studio Sol Comunicação Digital