Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      A guitarra está morrendo lentamente?

      Autor Mensagem
      sandroguiraldo
      Veterano
      # 27/jun/17 11:21
      · votar


      Lelo Mig
      Concordo mas acrescento, nem só de música vivem as guitarras

      Buja
      Veterano
      # 27/jun/17 11:38 · Editado por: Buja
      · votar


      Que o fórum tá bem paradão, é uma realidade (nesse momento, que escrevo, uma segunda, 20:36, só eu e o Viciado em Guarana online).
      renatocaster

      Realmente as estatisticas assustam.
      120.162 usuários cadastrados
      Online agora: 10 | 8 membros e 2 visitantes

      Meio tenso ne.
      Nao acho que estes 120 mil estejam TODOS trabalhando de uma forma que nao consiga acessar o forum nem no 3g, ou que estejam agora 120 mil tocando guitarra o o que seja.
      Isso é desinteresse mesmo.

      Estou falando de 120 mil ok?! Nao estou se referindo a quem eventualmente vai ler isso, porque este alguem, se estará lendo isso, costuma entrar no forum e nao está nesta estatistica.

      Mas o restante, sei la, digamos 119 mil.
      Muitos eram moleques, cresceram, perderam o interesse no instrumento, racharam fora.

      Outros eram lojistas, professores, representantes, ou simplesmente os que acharam que o forum era um especie de OLX, queriam divulgacao e comercio, e nao acharando este espaco, racharam fora tambem.

      Ainda outros poderiam ser apenas zuadores, que acharam que isso era um tipo de orkut, virao que nao era. Metade está no OT, outra metade está no face.

      Sobraram ainda alguns que gostam e entenderam que isso é um forum, e formaram uma familia aqui, uma boa comunidade, e até fizeram amigos presenciais. Digamos que somente 1% destes fizeram isso. 1200 membros.

      Cade eles?

      MMI
      Veterano
      # 27/jun/17 11:45 · Editado por: MMI
      · votar


      Buja

      Digamos que somente 1% destes fizeram isso. 1200 membros.
      Cade eles?


      Chutou alto, hein? kkkkkkk

      Talvez refletiria melhor um 0,1%...

      Obs.: sem falar nas revistas de guitarra... kkkkkk

      Buja
      Veterano
      # 27/jun/17 12:14
      · votar


      MMI
      Vixe entao a coisa ta feia.

      1 a cada 1000 realmente ainda fica por aqui. E mesmo ainda insistindo em nao abandonar completamente, raramente entra ou comenta.

      Obs.: sem falar nas revistas de guitarra... kkkkkk
      E os caras que tem 2, 3 ou mais nicks kkkk

      MatheusMX
      Veterano
      # 27/jun/17 14:28
      · votar


      Li esse artigo esses dias.
      Bem interessante.

      Já havia notado essa falta de interesse por guitarra na geração mais nova.
      Comecei a tocar com 11 anos, e no colégio, vários dos meus amigos também tocavam guitarra ou algum outro instrumento, formávamos banda de rock, e a influência era crescente, alguns amigos que não tocavam nada começavam a se interessar e compravam uma guitarra. Isso foi de 2001-2008, e nossas maiores influências eram bandas e guitarristas dos anos 80.
      Hoje em dia vejo meu irmão mais novo, que está nessa mesma idade... tem um certo interesse por música, me pediu uma guitarra que estava encostada e de vez em quando tenta tirar uma música ou um riff, e é só isso. Os amigos não tocam nenhum instrumento, não tem bandas no colégio... enfim.
      Mas acho que é a tendência mesmo. O principal "veículo" da guitarra é o rock, que anda sem espaço na mídia, e as últimas safras de influenciadores foram as de 80/90. Até que houve um movimento interessante do indie rock, new metal e hardcore nos anos 2000, mas não durou muito.
      Assim como os sintetizadores ficaram pra trás depois dos anos 80, a guitarra também está ficando. Não como um instrumento musical qualquer, mas um instrumento de destaque, do solo, do riff marcante.

      sandroguiraldo
      Veterano
      # 27/jun/17 14:48
      · votar


      MatheusMX
      Comecei a tocar com 11 anos, e no colégio, vários dos meus amigos também tocavam guitarra ou algum outro instrumento, formávamos banda de rock, e a influência era crescente, alguns amigos que não tocavam nada começavam a se interessar e compravam uma guitarra. Isso foi de 2001-2008, e nossas maiores influências eram bandas e guitarristas dos anos 80.

      Eu comecei na guitarra aos 14 (estou com 30) Lembro que no ensino médio, na hora do intervalo, tocava muito Pearl Jam, Iron Maiden, Metallica e principalmente Creed que, embora alguns não gostem, tinha a guitarra em certa evidência. O que será que rola hoje nos "recreios" escolares? De funk a sertanejo universitário...

      Hoje em dia vejo meu irmão mais novo, que está nessa mesma idade... tem um certo interesse por música, me pediu uma guitarra que estava encostada e de vez em quando tenta tirar uma música ou um riff, e é só isso. Os amigos não tocam nenhum instrumento, não tem bandas no colégio... enfim.

      Eu toco na igreja já há 17 anos (comecei na bateria, depois baixo e por fim a guitarra) e percebo que a galera da minha geração, a maioria, cantava relativamente bem e/ou tocava algum instrumento.
      Hoje, eu vejo os meninos de 14-17 anos da igreja, não tem um que toque um instrumento. Eles até acham legal, curtem me ver tocando, mas quando falo de algum deles aprender, eles dizem que não tem "tempo"...

      Não como um instrumento musical qualquer, mas um instrumento de destaque, do solo, do riff marcante.

      Na banda que toco na igreja a guitarra ainda tem um papel de destaque.
      Na música gospel como um todo, ela ainda está bem presente, mais em riffs do que em solos, é verdade, mas mesmo que cheia de delays, reverbs e shimmers, ainda está lá.

      locostras
      Membro Novato
      # 27/jun/17 15:45
      · votar


      Pra falar o que acho verdade é que o mundo evoluiu sem o rock.
      O mundo não...a música.
      Qualquer músico toca como suas influências.
      O Brasil evoluiu musicalmente no começo dos anos 90...com o Faustão na Globo...o surgimento da música gospel junto com a classificação etária da TV...o samba saiu do Morro e foi pro asfalto com o pagode e o axé e tudo isto com violão e guitarra...quem curte Rock hoje são as nozes...fora de moda...feios...que não pega mulher nenhuma com abada no Carnaval...evoluiu a guitarra também...somos democráticos...cada um direito de fazer o que quiser com a sua vida...Segovia por exemplo praticamente fez da guitarra o instrumento mais popular do mundo.
      Graças ao violão clássico e muita teimosia.

      Buja
      Veterano
      # 27/jun/17 15:55
      · votar


      sandroguiraldo
      Eu comecei a tocar (guitarra) com 11 e tambem trintei.

      Na minha epoca tambem existiam muitas bandas na escola. Até rolou um festival (na verdade campeonato) patronicado pela diretoria mesmo, onde os professores eram os juris e tinha 3 categorias (bandas, cover solo e autoral)

      Eu fiquei em segundo lugar com cover solo, e na final perdi apenas por que 3 doors down fizeram a cabeca das meninas mais nao dos professores, que preferiram legiao urbana. Mas pra mim foi o mesmo que ser campeao rsrs.

      Naquela epoca, a gente sentada com o violao no intervalo, na saida da aula, na matada da aula tambem rsrs, e tocavamos de tudo, desde mpb, até slipknot (sim, no violao mesmo, com powerchords e tudo mais).

      Mas voltando a realidade de hoje, nao vejo NENHUM mokele da regiao se interessando por tocar instrumento. E nem ve-lo ser tocado.
      A garotada de hoje curte mesmo é celular, whats, face, insta, snap e muito funk. As meminas, que de forma generalizada falando (tem as excecoes), gostam mesmo é de dançar. Dancar o que? O funk!

      Bom, nao posso criticar. Eu curti o que tava na moda na minha adolescencia. Os molekes de hoje curtem o que ta na moda na adolescencia deles. Normal.
      Até meu pai, que na epoca dele tava na moda quem pegava o peixe maior, curte muito uma pescaria, e fica triste de ver que eu curtia guitarra, e nao sabia sequer colocar uma isca no anzol. Nao da pra criticar.

      Nesse quesito a guitarra sim, está morrendo. As ingrejas que ainda apresentam bandas, talvez façam o instrumento viver mais um pouco. Mas (opiniao pessoal), logo logo os fieis seram mais interessados em louvar a cristo em outro estilo, e a banda guitarra-baixo-batera-voz, vai perder espaco para os djs gospels. É o que eu acho.

      Luiz_RibeiroSP
      Veterano
      # 27/jun/17 16:17
      · votar


      O fato do fórum estar mais vazio e as revistas minguarem não evidencia um declínio da guitarra. Muitos migraram para outras plataformas como redes sociais. O formato impresso esta bem devagar sim, para qualquer um como livros, revistas, jornais, HQ, etc.
      Guitarra ou qualquer instrumento popular dizer, que esta morrendo é exagero. pode perder o protagonismo ou ser incomum, como citado sobre a viola de gamba, mas sempre tem alguém fazendo.
      Posso estar errado, talvez esteja morrendo como dito mas eu não vejo isso, no entanto admito que eu, assim como todos, estamos vivendo em bolhas culturais, na minha bolha banda e guitarra estão em alta. Não sei prever o efeito disso, mas ta esquisito.

      Thiago.Guibu
      Membro Novato
      # 27/jun/17 16:53
      · votar


      Bom eu toco desde os 13 anos (violão) mas tbm como disseram acima, eu tocava de tudo no violão desde Marisa Monte até Maiden.
      E onde eu estudava os professores até nos ajudavam nessa questão da musica, por exemplo pegar a situação do país e fazer uma paródia. Querendo ou não até parecia besta na época mais era um "incentivo" para nós. E me lembro que aqui na minha cidade tinham vários festivais de rock com bandas underground, e algumas que estão na estrada até hoje. Sempre onde havia um grupo de pessoas, tinha um som rolando.
      Sempre tive vontade de ter guitarra mais pelas condições só adquiri minha primeira guitarra a 1 ano, estou com equipamento bem inferior ao que eu queria, mas já serve para eu tocar na igreja e deixar os vizinhos loucos rsrsrsrs.
      Hoje dificilmente vejo a molecada com um violão fazendo um som na calçada ou em uma praça.
      Naquela época (década de 90 a 2000) nós tivemos musicas de qualidade, principalmente pq eu sempre gostei dos sons das décadas de 60, 70 e 80.
      Hoje é difícil você ver alguém ouvindo nem que seja um nickelback ou creed como citaram acima no carro, aqui no interior é só sertanejo e funk que predomina.

      Mas acredito que essa nossa geração onde tudo é tão "fácil e espontâneo" nós conseguiremos fazer com que nossos herdeiros levem a diante essa saga.
      Meu filho tem 5 anos e ele já fica cantarolando smoke on the water pela casa pelo fato de ouvir eu tocar, e ele ja fica me pedindo pra ensinar ele. Está um pouco difícil mas chego lá.

      Até mais!

      thiago stteffen
      Veterano
      # 27/jun/17 17:03
      · votar


      Tem um outro fator, que é muito importante.

      Vivemos numa época fast food. As pessoas tem e querem tudo na mão, tudo pronto, sem esforço.

      A guitarra (e qq outro instrumento) felizmente ainda é algo que exige dedicação de verdade, o cara pode falar e falar sobre guitarra, mas só vai ficar bom se sentar a bunda na cadeira e tocar, tocar e tocar. E o jovem médio hoje em dia, não tem a paciencia necessária.

      Digo mais, só toco hoje em dia pq eu nao tenho a distração que é a internet. Na época q eu comecei, não tinha esse lance de internet, então a diversaão em si era passar o dia tocando, tirando uma musica e etc. Hoje em dia a maioria das pessoas não tem essa paciencia.

      Se por um lado a informação está mais ampla e acessível, por outro as pessoas nao tem essa manha mais, de se dedicar.

      A cabeça da pessoa funciona mais ou menos assim: Ah, aqui tem um video falando de pentatonica, aqui um de formação de acordes, então está sossegado. E nisso a pessoa pensa q absorveu a informação, num frenesi de tentar se enganar rs.

      Buja
      Veterano
      # 27/jun/17 17:10 · Editado por: Buja
      · votar


      Thiago.Guibu
      A excecao dos jovens de hoje que curtem uns anos 60-90 sao os proprios pais.
      Os filhos seguem os pais, em um aspecto ou outro, e isso sempre foi a regra.

      Os mokeles que 10 anos hoje que vejo desejando um phione (phione nao ne, IPHONE 7 PLUS) e cantanado mc g15, tem os pais fazendo exatamente a mesma coisa, pais que consomem conteudo da globo e da aba "Popular no Brasil" do Youtube, que trabalham pra comprar roupa de marca e carro de boy, e sair pro pagodao na sexta. Nao tem como pegar o filho estar ouvindo Queen ne!
      Nao da pra criticar uma menina de 13 anos que faz quadradinho de 8, quando a roupa mais comprida da mae bate pouco abaixo da virinha, e o conteudo que a prorpia mae mais consome é a timeline do instagram.

      Essa geracao de hoje segue os pais.
      Eu pelo menos segui um pouco da guitarra, nao porque meu pai ouvia Led Zepellin, (ele ouvia tonico e tinoco), mas pelo menos ele ouvia um bee gees as vezes, e me botava na frente de um som gradient pra ouvir esse cara e esse cara.

      Isso de alguma forma de fez seguir no que hoje sou. Mas garanto que se eu fosse um mokele de 10 anos hoje, e meu pai me enfiasse um celular guela abaixo pra calar minha chatice, e nesse tempo ele so visse televisao, futebol, cerveja, e mulher, no minino hoje eu tinha um brinco rosa em cada orelha, cabelo verde, bone de aba reta e seria aspirante a filipe neto.

      Os filhos sao um pouco do reflexo dos pais.

      Pleonasmo
      Membro Novato
      # 27/jun/17 17:17
      · votar


      thiago stteffen
      A guitarra (e qq outro instrumento) felizmente ainda é algo que exige dedicação de verdade, o cara pode falar e falar sobre guitarra, mas só vai ficar bom se sentar a bunda na cadeira e tocar, tocar e tocar. E o jovem médio hoje em dia, não tem a paciencia necessária.

      Isso é verdade e não é só na música, é em todas as áreas, vejo pela baixa qualidade dos menores aprendizes que são contratados aqui, todos tem um vicio imenso em ficar no celular todo o tempo possível e tem um péssimo desempenho em todas as áreas profissionais ou não.

      Thiago.Guibu
      Membro Novato
      # 27/jun/17 17:18
      · votar


      Buja

      Com certeza, meu pai tbm me influenciou muito, ele gostava muito de Bee Gees, Queem, ABA, e por ai vai, mas do mesmo jeito que o seu tbm tinha o oposto (Tonico e Tinoco).
      Eu na minha casa nem video game eu tenho, justamente para meu filho não ficar a frente da televisão, ele só senta em frente a tv quando a familia esta reunida para assistir um desenho (porque convenhamos a tv aberta de hoje está um caos para não falar outras palavras).
      Mas ele sempre está do meu lado quando estou tocando ou quando estou ouvindo musicas e tal.
      Tive a sede de tocar guitarra e violão porque tenho um tio que tem um conservatório de musica em São caetano - SP, e meus olhos sempre brilhavam em ver ele tocando. E a partir dele que aprendi a ouvir Jeff Back, Led e por ai vai.

      MatheusMX
      Veterano
      # 27/jun/17 17:46
      · votar


      Apesar do funk e do sertanejo dominarem o cenário musical nacional, eles estão longe de ser a causa desse "enfraquecimento" da guitarra. Afinal, isso é uma mudança que está ocorrendo no mundo todo, seja no Brasil, ou ainda nos EUA ou na Inglaterra, que são os "berços" da guitarra e do rock.

      entamoeba
      Membro Novato
      # 27/jun/17 18:20
      · votar


      thiago stteffen
      Vivemos numa época fast food. As pessoas tem e querem tudo na mão, tudo pronto, sem esforço.

      A guitarra (e qq outro instrumento) felizmente ainda é algo que exige dedicação de verdade, o cara pode falar e falar sobre guitarra, mas só vai ficar bom se sentar a bunda na cadeira e tocar, tocar e tocar. E o jovem médio hoje em dia, não tem a paciencia necessária.


      Concordo. Por um lado, tem isso.

      Por outro, hoje, é muito mais fácil de aprender guitarra do que era antes do youtube. Hoje, cê vai em qualquer cidade pequena e tá cheio de Steve Vai. Antes, isso era impensável.

      Só que me parece que essa facilidade de acesso tira a obscuridade da coisa, e a minha impressão é de que essa obscuridade era vital para selecionar os tocadores.

      Tocar já foi coisa de outsider, agora é coisa de gente aplicada.

      Lelo Mig
      Membro
      # 27/jun/17 18:56
      · votar


      Não é a guitarra que tá morrendo.

      Tem menos bateristas, menos pianistas, saxofonistas e etc....Tudo muito menos do que quando eu era garoto.

      Vocês estão confundindo as coisas, não é menos guitarra, é menos instrumentos, menos livros, menos cinema... é menos CULTURA!


      Em compensação o número de fuzis, porretes, facas, cachimbos de crack e etc, aumentou pra cacete!

      Del-Rei
      Veterano
      # 27/jun/17 19:05
      · votar


      JJJ
      É... Talvez, varie de local pra local.

      Onde eu morava a galera não tinha muito acesso a instrumentos musicais porque eram caros e a maioria meia-boca. E lembro que a única banda que conheci quando moleque foi de uns camaradas no final da rua que eram mais endinheirados na época. Eu gostaria de ter uma banda naqueles tempos, mas minha grana mal dava pra comprar um par de tênis pra jogar bola, então eu jogava descalço.

      Não tenho dúvidas de que hoje é MUITO mais fácil comprar um instrumento, mesmo que de qualidade mediana. E não falo só de mim. As facilidades econômicas hoje são enormes. Qualquer um tem crédito.

      Em 2015 e 2016 foram os anos que mais rodei no RJ tocando na noite com outras bandas (autorais). Eu chutaria, por baixo, que nesse tempo conheci por volta de 200 bandas só da cidade do Rio, e isso do segmento exclusivamente autoral. Não considero aí banda covers... E certamente há outras autorais que não conheci. E nem considerei outras cidades do RJ, nem os outros estados do Brasil... Imagine no mundo. É banda que não acaba mais.

      Se o Superstar fosse na década de 70-80 teria no máximo 1/10 das inscrições que tem hoje.

      Um aceno de longe!!!

      JJJ
      Veterano
      # 27/jun/17 20:00
      · votar


      Lelo Mig

      Eu concordo, mas o artigo era específico sobre guitarra e aqui é o fórum de guitarra, dai o tópico.

      Del-Rei

      É... Não vou discutir contra seus fatos. Mas, na minha experiência, a quantidade de bandas percentualmente à população, caiu, dos anos 70/80/90 pra hoje. Pode ser o local, realmente. Aqui havia uns 6 ou 7 estúdios de ensaio que eu toquei com uma banda uns anos atrás. Todos faliram.

      pedropohren
      Membro Novato
      # 27/jun/17 20:50 · Editado por: pedropohren
      · votar


      locostras
      quem matou o rock foi aquela molecada do sec XX que fumava maconha promiscuamente com várias gangues e que competia pra ver quem cuspia mais longe.

      Quer dizer os caras que inventaram o rock, pra começo de conversa?

      entamoeba
      Só espero que o violão morra antes!

      Vey... Tô ficando com medo dessa galera... o.O

      Lelo Mig
      Membro
      # 27/jun/17 20:58 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      JJJ

      Eu entendi a intenção do tópico. Acho importante a discussão.

      Mas o artigo é específico porque é pobre, é simplista. Concentrar-se na guitarra é relativizar uma questão muito ampla.

      Ao longo das décadas vem morrendo o fagote, o oboé, a trompa... A guitarra é muito mais popular e moderna, sua diluição se faz mais notada porque está em todos os gêneros musicais.

      Mas instrumentistas estão acabando, gente seria não quer fazer música ordinária e sem arte... então, não havendo espaço, vão fazer outra coisa.

      Como havia dito em outro post, quase não há mais artistas na música. Há tocadores de instrumentos....e esses, podem até tocar muito, mas ninguém aguenta mais.

      Música tem se tornado algo extremamente chato e pobre.

      JJJ
      Veterano
      # 27/jun/17 21:02
      · votar


      Lelo Mig

      Tá certo. Não posso deixar de concordar.

      Luis A.
      Membro Novato
      # 28/jun/17 00:36
      · votar




      sandroguiraldo
      Veterano
      # 28/jun/17 09:08
      · votar


      Lelo Mig
      Não é a guitarra que tá morrendo.

      Tem menos bateristas, menos pianistas, saxofonistas e etc....


      Foi o que o JJJ disse, por ser o fórum de guitarra, focamos mais nela mesmo.

      Há 4 anos atrás eu comecei a tocar numa igreja e não tínhamos baixista.
      Ficamos um bom tempo segurando guitarra, bateria e um amigo guitarrista levando o baixo. Mas de um ano pra cá, estamos com 4 baixistas e mais 3 que são quebra-galhos, em contrapartida, só 2 guitarristas...

      Bateristas temos 3, e mais 2 quebra-galhos.
      Mas fico impressionado com o lance da guitarra... nunca apareceu nenhum outro...
      A intenção era formar várias bandas para todos poderem tocar, porém como só tem 2 guitarras, acabamos ficando de agenda cheia.
      Por um lado é bom, porque toco muito, 3 a 4 vezes por semana, por outro lado, fica inviável ter qualquer projeto paralelo.

      E de todos os adolescentes que conheço e convivo, não tem UM que esteja sequer pegando uma baqueta pra batucar...

      JJJ
      Veterano
      # 28/jun/17 09:20
      · votar


      Luis A.

      Foi exatamente esse vídeo que me levou ao artigo.

      Buja
      Veterano
      # 28/jun/17 10:00
      · votar


      Lelo Mig
      quase não há mais artistas na música. Há tocadores de instrumentos....e esses, podem até tocar muito, mas ninguém aguenta mais.



      Eu concordo com seu pensamento, ehh, sim, está certo.
      Mas existem ainda muitos emergentes artistas por ai tentando fazer boa musica.
      Porem, nasceram na epoca errada.
      Como ja estamos dissertando neste topico, nasceram na epoca da tecnologia, na era da informacao rapida, do miojo instantaneo, do bolo pronto. A audiencia pra se ouvir um artista novo, com ideias novas, hoje é pequeno.
      O povo hoje quer um bum-bum tan-tan, que arrebenta por uns 3 meses, e logo passa. Passa tao rapido que se tiver sido inventada em abril desde ano, ja morreu até o axe bahia do ano que vem. Como eu mesmo ja li jovens escrever no facebook sobre um hit bem atual: "cara iso ai éh fosiu", "mitoh jah era", "c vive na lua kcte" e coisas afins. (O portugues dessa galerinhad e hoje tambem é lindo viu!)

      O cara que é artista mesmo, está compondo coisas incriveis, é o novo Chico Buarque desta era, nao tem espaco mais. No mais vai conseguir um fã clube de bons apreciadores, e só.
      Essa horda de novos artistas ai, existe, mas ja nasce agonizando. Nasceram na epoca errada infelizmente.

      Felipe Stathopoulos
      Membro Novato
      # 28/jun/17 11:07
      · votar


      Focando no objeto do texto enviado, que li inteiro.

      Na minha opinião modesta a guitarra não está morrendo. O rock pode estar morrendo, a música popular pode estar uma caca, a cultura pop uma eca, não existem mais guitar heroes, a molecada na vagabundagem não quer mais estudar música., etc. Tudo ok.

      Mas a guitarra em si não irá morrer por um simples motivo: ainda não inventaram um instrumento que dê para tocar tudo que a guitarra toca, com a mesma sonoridade ampla, e ocupe o mesmo "nicho" numa banda de música popular.

      Quero dizer: você pode até imitar uma guitarra com um teclado, mas não vai tirar o mesmo som. Você pode usar como médios numa banda o acordeon ou o bandoneon (instrumentos muito mais raros de se encontrar quem toque bem que a guitarra), mas o timbre é completamente outro.

      Na música popular, se se tirar a guitarra de uma banda vai se completar com o que, excetuado um violão (que é basicamente o mesmo instrumento)?

      Não tem muito o que colocar: ou é teclado, ou é acordeon. Todas as demais hipóteses não pertencem à música popular, ao menos hoje em dia. E estes instrumentos na minha opinião são muito mais difíceis de se tocar que uma guitarra elétrica ou um violão acústico, que qualquer orelhudo consegue tirar uma musica inteira.

      "Ah, mas tem o computador". Sim, mas sempre precisará de um cara por trás para compor a "linha de guitarra" e, mesmo assim, a sonoridade jamais será a mesma.

      Não adianta: a guitarra continua sendo o "instrumento perfeito" para a música popular; para quem quer fazer um som sem ter de dedicar sua vida inteira para tocar meia dúzia de músicas.

      E mais, e isso eu sei por experiência própria, pois toquei baixo durante muito tempo: salvo exceções "malucas" (como o cara do Royal Blood, por exemplo) a guitarra/violão numa banda de música popular é o único instrumento que "fala sozinho", ou seja: você não precisa de outro instrumento para tocar uma música inteira, nem mesmo a voz. Você não toca uma música só na bateria, ou no baixo, e apenas a voz pode ser legal, mas não é bem música popular.

      Dependendo da música a guitarra/violão não precisa de nada: nem bateria, nem baixo, nem teclado, nem mesmo a voz.

      Não, a guitarra não irá acabar tão cedo.

      Enfim, só uma opinião pra contribuir com o debate.

      Buja
      Veterano
      # 28/jun/17 11:37
      · votar


      No meio desse debate lembrei, que se a guitarra morresse, apareceriam mais "guitarras humanas" pra preencher as lacunas kkk.

      acabaramosnicks
      Membro Novato
      # 28/jun/17 14:01
      · votar


      Curiosamente, algumas coisas curiosas acontecem. (redundância proposital)
      Vários MC's vem tocando com banda ao vivo, estão pipocando vários projetos de DJ + instrumento, já vi Sax, Clarinete, Violino, Cello... Talvez possa ser uma volta por cima da música orgânica ao vivo ao menos a nível BR...



      Criolo (ex criolo doido) fez uma gravaçãozinha muito bacana com banda em um estúdio recentemente. Gostei.
      Tem uns caras de musica eletronica que fizeram certa vez um EPzinho chamado "darkside", com participação do nicholas jaar, musica eletronica com instrumentos também, solinhos de guita, etc... bem massa.
      Chet faker tem praticamente seus albuns inteiros eletronicos, porem, vive fazendo especiais com banda, fica super bacana.

      Enfim, a guitarra não vai morrer, e provavelmente não vai encolher drasticamente como aconteceu com as orquestras, mas as coisas mudaram. Se por um lado a guitarra está cada vez mais espalhada por cantos que antes não se via guitarra, ela está também protagonizando a musica cada vez menos, seja qual for o estilo. Mas o mercado de guitarra em massa está fadado à extinção, isso é certo.

      acabaramosnicks
      Membro Novato
      # 28/jun/17 14:02
      · votar


      Curiosamente, algumas coisas curiosas acontecem. (redundância proposital)
      Vários MC's vem tocando com banda ao vivo, estão pipocando vários projetos de DJ + instrumento, já vi Sax, Clarinete, Violino, Cello... Talvez possa ser uma volta por cima da música orgânica ao vivo ao menos a nível BR...



      Criolo (ex criolo doido) fez uma gravaçãozinha muito bacana com banda em um estúdio recentemente. Gostei.
      Tem uns caras de musica eletronica que fizeram certa vez um EPzinho chamado "darkside", com participação do nicholas jaar, musica eletronica com instrumentos também, solinhos de guita, etc... bem massa.
      Chet faker tem praticamente seus albuns inteiros eletronicos, porem, vive fazendo especiais com banda, fica super bacana.

      Enfim, a guitarra não vai morrer, e provavelmente não vai encolher drasticamente como aconteceu com as orquestras, mas as coisas mudaram. Se por um lado a guitarra está cada vez mais espalhada por cantos que antes não se via guitarra, ela está também protagonizando a musica cada vez menos, seja qual for o estilo. Mas o mercado de guitarra em massa está fadado à extinção, isso é certo.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a A guitarra está morrendo lentamente?

      305.535 tópicos 7.891.971 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital