Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      O que é uma guitarra de qualidade e qto pagaria por ela?

      Autor Mensagem
      nichendrix
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      pedroes

      Cara, na boa, por mais que o pessoal daqui goste de malhar o Chimbinha, uma coisa não dá pra negar, o cara tem um puta dum bom gosto pra escolher guitarra, uma vez eu vi uma matéria sobre a coleção de guitarras dele, não tem um modelo que eu não compraria pra minha... hehehehehe

      MauricioBahia

      Cara, eu recomendo vc começar dando uma olhada no capitulo sobre qualidade do livro de Teoria Geral da Administração do Maximiano, qualquer coisa, me manda uma MP que eu vejo o nome do capitulo certinho pra ti. É bem interessante ver tanto como se define qualidade em suas diversas dimensões quanto como a visão da qualidade evoluiu com o tempo.

      pedroes
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      nichendrix

      kkkkkkkkk, verdade...o fato é q mesmo o cara não sabendo tocar bem, ganha dinheiro com força e compra as guitars tops da vida

      De Ros
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      MauricioBahia

      Pô velho, valeu por dirigir a pergunta também a mim! É uma honra!

      Mas vamos ao teu questionamento, que eu acho muito perspicaz!



      O que é uma guitarra de qualidade

      Somos pessoas diferentes, com percepções diferentes a tudo o que nos envolve.

      Dito isso, não é possível afirmar o que é uma guitarra de qualidade. Deixa eu demonstrar-

      Uma vez eu peguei uma guitarra de um colecionador, um instrumento que deve estar valendo por volta de 15 mil dolares no mercado.

      Daí eu pensei - é um belo instrumento, mas com uma tocabilidade bem "diferente", para não dizer ruim. Eu não teria condições de fazer um show com aquela guitarra, iria necessitar de uma semana de estudo com ela para me adaptar, sem falar de uma bela regulagem (ela tava precisando).

      Naquela época eu ainda era endorser da Washburn. Eu tinha algumas guitarras topo de linha inclusive, mas sabe qual guitarra eu estava levando para as tournês? Uma Washburn X-series, que deve custar uns 700 reais nas lojas...

      Essa Washburn tinha uma tocabilidade muito bacana, e o som era honesto. Ou seja, eu fazia com uma guitarra de 700 reais aquilo que com uma de 15.000 dolares eu não era capaz.

      Isso não significa que a Washburn tivesse mais qualidade! Era simplesmente o instrumento mais adequado. Ainda mais porque se roubassem a minha guitarra na turnê, com a Washburn eu tinha como me virar, mas se roubassem a de colecionador, eu tava ferradíssimo!

      Respondendo de forma mais direta – um instrumento de qualidade, a meu ver, é um instrumento que afina e mantém a afinação, que tem boa tocabilidade (isso muda de pessoa para pessoa) e com características sonoras adequadas para o som que a pessoa busca.

      Uma guitarra pode possuir dois valores bem diferentes:
      O quanto ela custa (o preço que o lojista ou o dono coloca)
      O quanto ela vale (o preço que as pessoas pagam por ela)

      Pode ter certeza que os meus valores são bem diferentes do que eu costumo ver por aí...



      e qto pagaria por ela?


      Isso é bem complicado. Existe duas formas bem diferentes de pensar.

      1 -Eu sou um músico e a guitarra é meu instrumento de trabalho.
      2- Sou um colecionador/investidor e a guitarra precisa ter valor comercial.

      Eu sou do primeiro caso. Preciso de uma máquina que tenha algumas características, e é por essas características que eu vou pagar. Um detalhe que para mim não faz diferença é o nome no headstock.

      Cara, não vou falar em valores porque é contra meus princípios, ainda mais em um fórum público, mas te digo que tem preços que eu vejo por aí, na área de colecionáveis, que eu acho um disparate! E para te falar a verdade, vejo instrumentos muito bacanas, perfeitamente usáveis nas lojas por um preço muito bom! Quisera eu ter começado com os instrumentos que o pessoal acha ruim nos dias de hoje...

      Mas graças a Deus comecei com instrumentos meia-boca, porém ouvindo instrumentistas geniais. Isso sim faz a diferença!

      Hoje sou endorser de uma guitarra de Luthier, a C. Peruzzo. Madeiras nobres, peças de primeiríssima qualidade, construção impecável, e projeto personalizado.
      Esse luthier (e muitos outros pelo Brasil, lógico) é capaz de construir a máquina ideal para minhas aspirações. E quer saber a melhor parte? Ela custa muito pouco e, para mim, vale muito!


      Abraços!

      Ricardo.N.B
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      MauricioBahia

      Pra mim guitarra ideal é aquela que meu dinheiro pode comprar naquele momento.
      Vai me trazer muito prazer se eu comprar uma guitarra de R$ 700,00 se eu não tenho nem uma, ou uma de R$300,00.

      O que seria para o Joe satriane pegar uma nova Ibanez a ultima que fizeram PRA ELE?
      Nem a metade do prazer de quando chegou minha Epiphone Custon do Ebay.

      E sempre uma questão de contraste.

      Abraços

      nichendrix
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      pedroes
      o fato é q mesmo o cara não sabendo tocar bem

      Eu sou obrigado a discordar novamente. Eu não gosto do estilo de musica que ele toca, não me agrada, mas ele é muito bom no que se propõe a tocar e se engana quem pensa que aqueles ritmozinhos que ele toca são fáceis, já muito tocador de soul e funk quebrando os dedos pra tirar aquelas levadas caribenhas que ele toca. São ritmos que não são faceis, mesmo que não tenham solos elaborados ou harmonias muito complexas, o outro elemento da musica, o ritmo é bem chatinho pra tirar.

      No fim musica é hamonia, melodia e ritmo e ele está acima da média em pelo menos um dos quesitos, embora seja mediano em outros, só isso já faz ele estar a anos luz de muito fritador wannabe daqui.

      De Ros
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      nichendrix

      Concordo com tudo que tu disse sobre o Chimbinha. Nunca entendi porque o pessoal pega no pé dele!
      Ele toca muito bem aquilo que ele se propôs a tocar!

      MauricioBahia
      Moderador
      # jan/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      De Ros
      Ricardo.N.B
      pedroes
      Motoboy From Hell-SDMF

      Thanks my friends!

      nichendrix: Cara, eu recomendo vc começar dando uma olhada no capitulo sobre qualidade do livro de Teoria Geral da Administração do Maximiano

      Com certeza vou consultar. Tenho um monte do Kotler, conhece Philip Kotler?

      Abs

      MauricioBahia
      Moderador
      # jan/10
      · votar


      De Ros

      Sua opinião é uma honra e muuuito útil! :-)

      Abs e muito obrigado mais uma vez!

      nichendrix
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      MauricioBahia
      Tenho um monte do Kotler, conhece Philip Kotler?

      Tem como não conhecer, ele é o Peter Druker do Marketing hehehehehehe

      A diferença do Kotler pro Maximiano é que ele contempla melhor alguns pontos de outras áreas da ciência administrativa, como a parte de produção e operações, que vai entrar um pouco na explicação de como é feito o controle de qualidade e por aí vai. Não se aprofunda a ponto de ser técnico demais, mas dá uma noção mais generalista que o Kotler.

      Powerslave158
      Veterano
      # jan/10 · Editado por: Powerslave158
      · votar


      MauricioBahia
      Cara pra mim seria uma guitarra que tenha um timbre que me agrade ao meu estilo de som, que seja confortável para tocar, e que não seja feita de compensado ou MDF uhahuauhauha, resumindo uma madeira boa, e que seja de baixo custo, é lógico que uma dessas tu não vai achar por 400 reais, mas tá valendoo.

      Um exemplo são as tagimas strato de 90 e poco, as primeiras que foram feitas, pra mim aquelas são muito boas.

      rsf
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      hiii." rapaiz."...agora que percebi...esse tópico é só para alguns profissionais e "entendidos" em guita..heheheheh quéquieutô fazendo aqui? ...
      me fui, seu dotô...

      nichendrix
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      rsf

      Deixa de marmota rapaz e contribua, que vc tem um pensamento bem interessante sobre a matéria em questão.

      marcioguita
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      A gente pega no pé do Chimbinha , mas nao é nada pessoal,hehehe, tinha q ser alguem,neh?
      No meu parco entender, é uma guita com bom material, tipo
      custom shops da vida e se eu gostasse e tivesse grana compraria
      desde que se adaptasse as minhas necessidades,
      Quisera eu ter começado com os instrumentos que o pessoal acha ruim nos dias de hoje...(2)

      MauricioBahia
      Moderador
      # jan/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      rsf: hiii." rapaiz."...agora que percebi...esse tópico é só para alguns profissionais e "entendidos" em guita..heheheheh quéquieutô fazendo aqui? ...
      me fui, seu dotô...


      Você omitiu "entre outros amigos" que escrevi, com isso parece que eu exclui todo o restante. Pq vc fez isso?

      Gostaria que os entendidos em guitarras, certamente temos pessoas que postam neste fórum realmente capacitadas pra isso, incluindo o Bertola, profissional de luthieria, De Ros, Christian, profissionais da música e o Nichendrix que trabalhou com comércio de instrumentos musicais, se não me engano, entre outros amigos

      Além disso no post em Enviado: 12/jan/10 22:02, agradeci a vc e disse: todas as opiniões são bem vindas.

      nichendrix: Deixa de marmota rapaz e contribua, que vc tem um pensamento bem interessante sobre a matéria em questão.

      O que o rsf escreveu não procede, olha a resposta que dei a ele logo aqui acima.

      Abs

      ogaitnas
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      De Ros

      bom post, estendeu bem os pontos de o que um músico profissional precisa de uma guitarra, e que isso depende de músico para músico...

      Mauricio Luiz Bertola
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      MauricioBahia
      Do meu ponto-de-vista, existem fatôres objetivos e subjetivos que fazem um instrumento de qualidade.
      Objetivamente é simples: Boas madeiras, bom acabamento (tanto estético quanto de construção - trastes, por exemplo), bom "hardware", projeto bem feito (nesse quesito, Léo Fender e Les Paul deram o "caminho das pedras").
      Subjetivamente é mais complicado, pois envolve questões pessoais, como muito bem observou o De Ros.
      Nesse aspecto há uma questão importante: Qual a concepção do músico e da música que ele irá produzir. Assim, dependendo da concepção, da proposta, pode até ser que uma guitarrinha de R$ 300 e uma Zoom 505 funcione à contento (se a pessoa que ouve não gosta, aí é outra questão).
      Como luthier eu tenho uma concepção, uma forma de trabalhar que se adequa à minha pessoa e à minha proposta como luthier, isso, é claro, dentro dos parâmetros profissionais.
      Quanto ao que se paga por um instrumento: Aqui é que a questão fica polêmica mesmo, pois no fundo isso é subjetivo. Nesse aspecto, também invoco a lúcida contribuição do De Ros. Ademais existem aí fatôres como "feitiche da mercadoria" (para citar "en passant" o Marx), "sonhos de consumo", etc; ou objetividade pura e simples. Isso depende do indivíduo.
      Uma coisa é certa, na minha opinião: Marca não é sinônimo de qualidade nem de boa música, embora possa ser símbolo de "status", e isso se aplica a quase todos os tipos de produtos industriais (não críticos ou altamente especializados).
      Abçs

      jigo__
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      Acho q guitarra de qualidade é de qualidade...

      se vc for num luthier competente e mandar ele fazer uma guitarra com boas madeiras, bons trastes os captadores a sua escolha, ponte e etc... vc vai ter um otimo instrumento e pagar relativamente o valor real do produto... ja fiz alguns calculos gastaria aproximadamente 5 mil reais com peças de primeira e madeira de primeira (mogno ou alder) e etc

      agora se vc quiser tocar com uma guitarra q tenha um estilo e q seja uma lenda, pra isso eu desembolsaria no maximo 8 mil reais (não tenho esse $$ mas pagaria)...

      agora, ja vi nego com guitarra de 300 reais com captadores decentes fazer um som de primeira...(o amp era bom)

      abçs

      MauricioBahia
      Moderador
      # jan/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      Galera:

      Todas as opiniões são bem vindas. Não é pra ter medo. Minha ideia é fazer um artigo que ainda não sei o título, mas será sobre paixão por guitarras e o valor da marca, basicamente. É algo complexo pra caceta, eu sei, e tive a idéia depois de ler muitos tópicos polêmicos, os quais mostra CLARAMENTE, que independente do ponto de vista, a paixão e o entusiasmo causados pelas nossas "filhas", feias ou bonitas, pobres ou ricas, "de marca" ou não é arrebatadora. Tenho certeza que dará um belo artigo que podem ter certeza será idôneo, até pq também sou apaixonados por Fenders, Gibsons, etc, apesar de não gostar muito do "poder da marca" e o que ele pode fazer com "sua alma". :-)

      Pretendo publicar aqui e, talvez em alguns sites ou mesmo numa revista de design/marcas.

      Óbvio, não citarei nomes!

      Abs

      rsf
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      MauricioBahia

      mané, tu anda com uma falta de humor da peste, hein?
      relaxa, velho...foi só uma piada...será que vou ter q legendar para vc minhas ironias? hehehehe...

      olha só, outro ponto que acho interessante sobre esse assunto...
      ao invés de fazer uma digressão a la nichendrix vou dar um exemplo..

      experiencia e exigencia

      essas duas situações também interferem na análise de um instrumento no quesito qualidade..vamos ao exemplo:

      eu tenho uma guitarra fender american series...é uma guitarra indiscutivelmente de boa (disse boa) qualidade, a qual, para os meus padrões (entenda-se: experiencia e exigencia) é satisfatória..
      ou seja, é uma guitarra com qualidade....Porém, se eu colocar essa guitarra nas mãos de figuras como Zero Zen, MMI e Nichendrix essa percepção continuará? Resposta: Não.
      Por quê não, se qualidade é qualidade independentemente de qualquer outra coisa? por um motivo simples..a medição da qualidade de algo está associada, também, ao nivel de conhecimento, experiencia e exigência de quem analisa..Nesse exemplo, os colegas citados são intimos no convivio de guitarras construídas com o que que há de mais nobre em materia de peças e partes, esmero na construção que se pode encontrar em uma guitarra. são pessoas que já "experimentaram", tiveram ou têm guitarras que estão em um nível muito acima no quesito qualidade..são as tão desejadas e, na maioria das vezes, inalcançáveis custom shop... para esses caras, a minha guitarra é "boazinha". tem qualidade? tem, mas não é "a guitarra". Eles são esnobes e ultraexigentes porque acham minha guitarra apenas boazinha? resposta: SIM (isso é uma piada, bahia..heheheh)..evidentemente que não..apenas possuem experiencia e um nível de exigencia acima do meu...logo, no dicioanário deles para uma guitarra atingir o status de guitarra com "qualidade", ela precisa possuir certas caracteristicas que estão acima da média....

      mas, enfim, quero crer que existem níveis de qualidade..
      Porém, pelo menos na minha concepção, para que um instrumento seja considerado de qualidade ele, obrigatoriamente, deve possuir peças e partes de boa qualidade, construção bem feita e um projeto eficiente onde o "conjunto' da obra funcione de forma eficiente e equilibrada..esse é o minimo, a partir dai, passa-se a ter niveis de qualidade...chegando-se até o suprassumo das guitarras que são aquelas que eu não conheço e, possivelmente, terei que nascer de novo para chegar perto de uma..hehehehehe

      MauricioBahia
      Moderador
      # jan/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      rsf: mané, tu anda com uma falta de humor da peste, hein?

      Peguei uma trânsito de 3h, num calor da porra... Cheguei em casa e só tinha miojo com sardinha pra fazer, aí ligo o micro e leio coisas que não disse exatamente! Pô, vc quer que eu fique de bom humor?

      hehe

      Abs, posta aí cara! ;-)

      ps. e sem mulé!

      Mauricio Luiz Bertola
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      MauricioBahia
      Esse calôr aqui em Nikity tá infernal mesmo...... Me lembro logo daquele filme do Spike Lee, ou então daqueles westerns Spaghetti que todo mundo sua pra caramba....

      MauricioBahia
      Moderador
      # jan/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      rsf

      Uma coisa que eu quero deixar bem claro: eu sou fissurado em Fenders e Gibsons e sabe de uma coisa, 99% pela marca. Pq eu sei que nela está escrita um história que inclui um monte de fatores, inclusive qualitativos.

      Eu NUNCA direi que uma guitarra é boa ou ruim pq isso é relativo, lógico. O que eu SEMPRE brigo é com relação ao "poder" da marca e é por isso que criei o tópico.

      Cara, 100% dos foreiros gostariam de ter uma Fender ou Gibson? Provavelmente, sim... Mas pq? PQ?

      Essa é a questão pq estamos falando de um instrumento que pode ser produzido por um luthier, não é caso de comparar um Fusca e uma Ferrari, (SX x Fender) como disse o Nichendrix. Eu discordo disso. Essa comparação não procede por vários fatores que, ser quiser eu explico.

      Cara, então é isso: EU NÃO GOSTO DO PODER DAS MARCAS, mas adoro as Fender e Gibsons. Eu tenho uma Fender sabia? E meu amp é Fender, sabia?? hehe

      Na verdade eu sou uma vítima pq se me derem 2 guitarras iguais feitas pela Fender, só que uma com o logo da Fender, eu vou querer a com o logo da Fender, mesmo que eu esteja fazendo propaganda gratuita! É, eu sou um "fantoche"!!! hehe

      Abs

      edalko
      Veterano
      # jan/10 · Editado por: edalko
      · votar


      Po só tem fera aí, a gente se sente até um inutil opinando.

      Mas vamos lá...

      Vários aqui do fórum me conhecem pela minha constante troca de equipo e, felizmente, ultimamente tem pintado algumas coisas interessantes para alguem que começou com uma Giannini Sonic e um Amp Frahm.

      Pois bem.
      Nos idos de 90', após ter muitas guitas furrebas, consegui juntar com um suor indescritível a grana para mandar fazer minha DiCastellis, haja vista que a importação de guitas top nem existia, e a facilidade de encontrar uma sem o bum da internet era rara.
      Fiz a guita do gosto, na época às expensas de uma Gibson ou fender.

      Corpo escolhido, ferragens, captadores... hj, muito embora ela esteja mais guardada do que em uso, toda a vez que pego ela pra tocar penso: eis aqui uma guita de qualidade.

      Hoje, após tocar em varias guitas entendo que a qualidade numa guita não pode ser medida singularmente, mas sim, num reunião de muitos fatores, que se positivos, tornarão o instrumento perfeito para quem o tem ou toca.

      Ou seja, a construção, desde a escolha de madeiras, a combinação de madeiras, o corte, acabamento, pintura, durabilidade da pintura, tudo isso para um instrumento de qualidade tem que ser perfeito.

      Fenders, Gibson, PRS inclusive a linha SE, e minha Dicastellis são perfeitas nisso. Vc não encontra nada fora do esquadro... nenhuma bolha, nenhuma trinca, colagem mal feita.

      Com relação aos captadores, aí creio que a guita vai ser de qualidade se ela tiver um captador que de o som que vc deseja. Não adianta o cara pegar um burstbucker e querer um som agressivo igual um X2N da DMZ...

      Ferragens então, contando com tarrachas seja com trava ou não, que mantenham a afinação, nuts bem preparados para receber as cordas, sem o travamento encontrado em inumeras guitarras que atrapalham a afinação. Potenciometros com giro fácil e escalonamento progressivo de sua função, pois é comum ver pots baratos que atuam 8 ou 80. O mesmo dizer de pontes estáveis, com componentres duráveis e com regulagem milipentelhésima que possibilite uma afinação quase perfeita.

      Aliás, hj em dia é muito comum pegar guitarras que não mantém a distância adequada entre o nut e ponte resultando numa afinação deficiente.

      A soma de todos esses detalhes resulta numa guita de qualidade pra mim.

      Deste modo, pode se ver que a marca, a história, o valor comercial não influencia. Na verdade a marca é uma referência mas não é uma presunção absoluta de qualidade.

      Além de todo esse conjunto positivo, como já citaram, tem que haver o conforto, e aquela relação de tesão com o instrumento.
      Já tive guita barata que era apaixonado por ela, como já detestei guitas bem mais caras... que pareciam não ter vida.]
      O legal da guita é quando ela se torna uma extensão sua, como que houvesse uma união entre o guitarrista e o instrumento, e isso as vezes ocorre e noutras não.

      Ian Anderson
      Veterano
      # jan/10 · Editado por: Ian Anderson
      · votar


      De daria nessa ordem

      1) Madeira
      Como foi citado antes que poderia haver outros materiais, mas com a maioria é feira de madeira vou analisar por isso

      Como as guitarras normalmente são pintadas, é difícil analisar a madeira que esta que por baixo, mas teria preferência por madeiras cortadas em "quertsaw" com veio na vertical e sem nós no meio, (madeiras como maple que tem o "flamed" e "birdeye" não enquadraria nisso)

      A qualidade dos recortes, contornos e abaulamentos, devem estar impecáveis. Se não há escavações em excesso (essa é difícil de ver num primeiro momento). Ver se ela foi bem pensada e executada.

      O braço, não entrarei em questões de fixação e "curvatura", por questões de gosto, mas a madeira as regras da madeira devem ser as mesmas citadas acima, ver ser o braço está em boas condições, não tem imperfeições, pois ele é a peça mais sensível da guitarra.

      (2) Ferragens

      - Ver se as tarraxas não definam com facilidade, se tem travas
      - Se a ponte regula com facilidade as oitavas, se seguram bem a afinação
      - Se a pestana, potenciômetros, chave, trastes e jack estão em bom estado
      - Verificar se Escudo, Jack, Straps, estão bem fixados
      - Se a guitarra esta blindada, se a fiação bem soldada e se os fios e aterrada

      3) Captadores

      Ver a quantidade de ruído/chiado de singles e Humbuckers (sim já vi humbuquers novos chiando, aí é floyd meu)

      4) Pintura

      Pode ser supérfluo para alguns, mas digo que uma guitarra bem pintada faz muita diferença na hora da compra. Eu consigo ver a diferença da uma LP da Gibson das demais pela pintura

      Não sei estou esquecendo-me de algo, mas a maiorias das coisas esta aí, talvez se eu começar a botar mais coisas estaria deixando de generalizar e partindo para um conceito mais pessoal.

      buddy guy
      Veterano
      # jan/10 · Editado por: buddy guy
      · votar


      MauricioBahia

      O que é uma guitarra de qualidade e qto pagaria por ela?

      Fala meu camarada,tudo pela ordem? Então,uma guitarra de qualidade seria aquela que possui boas madeiras,que passaram por um processo de corte e secagem adequada(creio que no mínimo uns 10 anos já estaria aceitavel),encaixes perfeitos entre neck pocket e troculo do braço ,um bom jogo de tarraxas com trava para que com isso a guitarra tenha uma "desafinação aceitálvel",pestana de osso ou latão,uma boa ponte de marca mediana como as Gotoh,bons captadores de álnico ou algúm outro de marca respeitavel de cerâmica,um perfeito entrastamento para que com isso a guitarra não venha trastejar. Agora saindo um pouco do "básico genérico" que citei,vou mencionar uma guitarra que faz minha cabeça e que ao meu ver seria suficiente para mim em termos de guitarra de qualidade: Uma fender dos anos 80,90 american standard para mim já estaria muito satisfeito. E quanto pagaria por ela ? Bom,creio que na faixa dos seus 2500,2800 já estaria de bom tamanho para uma guitarra dessas. Espero ter acertado na resposta,valeu? Abração !!!!

      nichendrix
      Veterano
      # jan/10 · Editado por: nichendrix
      · votar


      Eu não disse, tópico bom só pega embalo na pagina 2, e na 3 é que o circo começa a pegar fogo... heheheheh

      edalko

      Tu te aqueta que tu acabou de acrescentar uma Les Paul Joe Perry, nunca vi um caçador da arca perdida dos equipamentos raros a preço de banana feito tu... hehehehehehheheheheh

      No fim tu resumiu os principais pontos que são comuns a todas as guitarras de qualidade, sejam ela de 300 ou 300mil dolares.

      Pois enquanto a qualidade é relativa e se manifesta em diversas esferas, muitas das quais subjetivas, algumas características são obrigatórias em qualquer instrumento de qualidade.

      rsf

      Eu tu está exagerando, eu testei sim guitarras que até eu sonho em ter, várias delas eu vendi pros donos e isso dá uma visão mais apurada de muita coisa, mas no fim eu ainda acho que qualidade não é exclusividade de uma Pensa Custom Guitars ou de uma PRS, cada faixa de preço tem qualidade ao que se propõe e as exigências daquele público.

      Isso não quer dizer que elas sejam melhores pra mim, um exemplo claro é algumas das minhas preferências, a melhor guitarra do mundo pra mim é minha ES-135, não porque ela seja a melhor, mas por motivos subjetivos ela é a guitarra mais comfortável pra mim, a que eu considero uma extenção do meu braço.

      Eu já toquei em muita Strato Custom Shop que eram maravilhosas e tive algumas american (Am. Standard e Strat Plus), mas até agora a Strato que mais me agradou foi uma Squier JV ano 1984, não só pela qualidade da construção, mas novamente por motivos subjetivos, eu já tive Stratos American que eu percebia ser melhores que ela tecnicamente, mas na minha mão, comigo tocando eram apenas Stratos genéricas enquanto com a JV o som tem minha personalidade, o que pra mim é mais importante do que onde ela foi feita ou se o corpo dela é feito em 1 bilhão de partes. Ironicamente essas guitarras usadas hoje em dia são vendidas a preço de American Standard nova.

      Da mesma forma eu sou apaixonado por SGs, e a melhor que tive sem duvida foi a Custom Shop Reissue da SG '61, não tem uma SG melhor que aquilo pra mim, o que não me impediu de vender ela e ficar com uma Epipoca regulada com a ação um pouco mais alta pra brincar de tocar slide e achar que ela tem um som bom para a proposta dela.

      Pra mim todas essas guitarras (e as outras 2 que tenho, que são instrumentos medianos também), são guitarras de qualidade, pois se adequam a sua proposta, tem os elementos básicos que me permitem tirar o som que quero (e que o edalko e o Bertola citaram com maestria), e me custaram o preço que eu estava disposto a pagar.

      Com certeza já toquei em instrumentos muito melhores, com certeza já tive instrumentos melhores, mas elas são o que eu preciso, do jeito que preciso, no preço que precisei que elas fossem e estou satisfeito com isso, pra mim isso é qualidade.

      MauricioBahia
      Essa é a questão pq estamos falando de um instrumento que pode ser produzido por um luthier

      Isso é bom que seja esclarecido, eu nao fiz a comparação Fusca e Ferrari por conta da marca, mas pela proposta dos dois instrumentos. Se você me pedir pra comprar uma Strato Zaganin feita me Ash e uma Fender Custom Classic, eu acho que vc está comparando instrumentos com propostas iguais, com níveis de exigência iguais e portanto é uma comparação adequada.

      É aquela coisa do direito romano, direito igual para os iguais e desigual para os desiguais. Você não pode pegar uma guitarra desse nível, independente da marca e comparar com uma SX que custa menos de 10% do preço dela e achar que a comparação é justa.

      Eu discordo disso. Essa comparação não procede por vários fatores que, ser quiser eu explico.

      Explica pq eu fiquei sem entender esse pedaço... heheheheheh

      Na verdade eu sou uma vítima pq se me derem 2 guitarras iguais feitas pela Fender, só que uma com o logo da Fender, eu vou querer a com o logo da Fender, mesmo que eu esteja fazendo propaganda gratuita! É, eu sou um "fantoche"!!! hehe

      Eu discordo, eu não acho que isso seja burrice, ou ser um escravo da marca, eu acho que é uma escolha, e nela entra fatores psicológicos e até mesmo a história da marca e dos seus idolos.

      Pra mim ser escravo da marca não é estar disposto a pagar pela qualidade percebida nela ou mesmo pagar um pouco mais por isso ou pelos confortos psicológicos que ela pode oferecer.

      O fato de após vc ter percebido esta igualdade ter optado pela marca pra mim é uma escolha psicológica, vc escolheu o que te deixava mais confortável.

      Pra mim ser escravo da marca é se vc pegasse as duas guitarras iguais, e não conseguisse perceber que elas tem igual qualidade por conta da marca. Se você fosse incapaz de perceber que as duas guitarras são igualmente por conta do logo no headstock, aí eu diria que é uma influência negativa da marca.

      O resto é escolha e pouco tem haver com a qualidade do instrumento em sí. Eu sou um que estou disposto a pagar um pouco mais por uma marca que me deixa mais confortável (se for o caso), mas dificilmente eu tocaria duas guitarras de qualidade similar e deixaria de perceber isso em função da marca, mesmo que no fim eu faça a opção pelo logo, eu fui capaz de perceber que as duas eram similares.

      rsf
      Veterano
      # jan/10
      · votar


      MauricioBahia

      cara, as vezes acho que vc é severo demais com as suas criticas as suas próprias percepçoes dos fatos e das coisas..algumas vezes é preciso relativizar as coisas, sob pena de nada nessa vida ter justificativa ou algum valor...é assim com o trabalho, com os amigos, com as mulheres e, por que não, com as guitarras...eu não me acho um fantoche...comprei uma fender por questões objetivas, citando-as:
      queria uma strato,
      queria uma strato de boa qualidade,
      queria uma strato que, no caso do aperto ou desistir dessa história de tocar guitarra, pudesse vendê-la com certa rapidez e com a menor perda de investimento possível...
      queria uma strato para agora....

      alternativas:
      1) comprar uma strato pronta na loja.
      2) mandar fazer uma....

      a segunda alternativa logo descartei, por dois motivos:
      1) não conheço nenhum luthier que faça uma strato tão boa como uma fender que não cobre, no final, o preço muito próximo de uma fender na hora da compra, mas muito distante na hora de uma eventual venda...
      2) não estava disposto a esperar sei lá quantos meses para ter a guitarra...

      por que escolhi a primeira alternativa?
      resposta:
      1) bastava entrar em uma loja, escolher a guitarra, perguntar o preço e, se o saldo bancário permitisse, sair com a guitarra de baixo do braço...

      pois, bem, entrei na loja, testei todas as stratos disponiveis e conclui, segundo meus criterios de avaliação (tocabilidade, qualidade perceptivel, timbre que mais me agradou no momento), perguntei o preço..contei uns trocados aqui, outros ali e comprei a guita...ressalto que durante esse processo, em momento algum pensei no Leo Fender e na história da porra da vida do Leo Fender...toco guitarra na sala...à excessão de minha mãe em visitas eventuais, mais ninguem teve o desprazer de me ouvir tocar guitarra..ninguem das minhas relações saberia distinguir uma guitarra de um violão...segundo uma amiga "o violão é mais gordinho que a guitarra"..portanto, a tese de que poderia comprar uma fender para fazer "bonito" para os outros, pelo menos no meu caso não procede....Ah, mas pode ser o meu inconsciente trabalhando, querendo que eu me sinta o Mark knopfler das salas de estar...cara, meu inconsciente já passou por anos a fio de terapia...não aprendi muito sobre ele, mas o pouco que aprendi é o suficiente para concluir que eu sou do tipo que caga e anda para marcas, no que se refere ao que elas representam socioeconomicamente...a minha relação com marcas, se dá a partir da qualidade (ou falta de qualidade) que elas representam..por exemplo...boss....odeio pedais boss, odeio pedaleiras boss....agora sou fã da linha de gravadores digitais da boss (ou roland) sei lá...tanto que tenho dois..um micro br e um br 900..
      para mim, marcas apenas indicam o que eu posso esperar quanto à qualidade ou a falta dela e não quanto ao que os "outros" ou eu mesmo de forma infantil e iingenua possa achar sobre mim mesmo..ou seja: sou o cara, porque tenho um Audi A6 ou porque tenho uma fender..a proposito, não tenho um A6...é por isso que às vezes me irrito tanto quando leio coisas do tipo...ah, essa guita é mito, é só um logo no headstock....não é verdade, é uma guitarra com qualidade e quanto mais custom shop for mais qualidade terá...desafio a qualquer um nesse foro, de luthier a colecionador, a descrever pormenorizadamente, item por item, os "defeitos" de uma fender americana basica (hoje, se não me engano, é standard a denominação...) que os levam a afirmar coisa do tipo...fender, hoje, é só midia...mas não me venham com aquelas frases feitas, do tipo: não é mais a mesma coisa do que nos anos 60, é só um logo no headstock e blá, blá.. quero observações concretas e com justificativas..
      a madeira é ruim? por quê? as ferragens são ruins? por quê? os caps são ruins? por quê? a construção é ruim? por quê?
      aliás, é uma curiosidade que eu tenho..
      se ela é cara ou não aqui no brasil, isso é outra história, estou falando de qualidade ou falta de qualidade...´

      puts..cansei...hehehehe

      MauricioBahia
      Moderador
      # jan/10
      · votar


      nichendrix: Explica pq eu fiquei sem entender esse pedaço... heheheheheh

      Pode ser depois? hhehe Tô mortinho. Meu "célebro" já tá batendo pino... Te respondo te tim tim por tim... Antes de mais nada, comparar carros cp, guitarras é como comparar tecnologia pura com artesanato. Tem muita coisa além de um motor "flex"!

      Vou ouvir um som aqui! :-))) The Dead Weather, meu vício da semana!

      :-)

      rsf
      Veterano
      # jan/10 · Editado por: rsf
      · votar


      nichendrix

      acho que tanto vc quanto o bertola cometem um equivoco basico que compromete a tese que vcs desenvolvem..

      qualidade é diferente de adequação...são coisas distintas...
      qualidade é condição objetiva..
      adquação é condição subjetiva...

      nesse contexto, algo que que tem qualidade, não deixa de ter porque está sendo usado inadequadamente..
      assim como algo sem qualidade, não passa a ter qualidade porque está sendo utilizado adequadamente...são coisas diferentes, que se referem a coisas diferentes...para análise da qualidade, nesse caso, sequer se faz necessário citar eventual adequação ou inadequação..esse é um dado irrelevante para verificar se a guitarra tem ou não qualidade...

      No caso das guitarras, no contexto do tópico, a estrutura semiológia é essa:
      1) qualidade - é um valor intrinseco ao objeto...
      2) adequação - é o valor relacionado ao uso, à finalidade de utilização do objeto...

      MauricioBahia
      Moderador
      # jan/10
      · votar


      rsf

      Quero me desculpar, de público, contigo pelo mau humor... Músicos são sentimentais baby! heheh

      abs

      Você não pode enviar mensagens, pois este tópico está fechado.
       

      Tópicos relacionados a O que é uma guitarra de qualidade e qto pagaria por ela?

      305.394 tópicos 7.889.402 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital