Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Review Epiphone Dot Es-335 (e breve comparaçao com a Sheraton II)

      Autor Mensagem
      bpv
      Veterano
      # nov/09 · Editado por: bpv
      · votar


      Motoboy From Hell-SDMF

      Editei umas infos lá em cima.
      Não tenho. Vou pegar às cegas. Mas cara, a qualidade do violão da Crafter é magnífica! Se essa guitarra seguir a linha do violão (e bem provável que sim) então tá tranquilo =]

      E putz olha esse comment:

      Sold my Gibson ES 125 as well as I stopped playing it when I bought this Crafter."

      E sua guita é linda cara. Sempre quis vermelha igual a sua. Haha, a minha é black. Parabéns aí.


      Abçs

      Motoboy From Hell-SDMF
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      bpv

      Bom, os comentarios realmente sao bem favoraveis à guitarra!
      Se mantiver o mesmo padrao da epi Dot pelo menos, pode ter ctza q vc estará mto bem servido!
      Boa sorte na compra!! Qndo comprar posta um review ai e diz tuas impressoes!

      (haha esse vermelho da minha eh maravilhoso mesmo! Mas black é mto bonito tb!)

      abçs!

      Motoboy From Hell-SDMF
      Veterano
      # nov/09 · Editado por: Motoboy From Hell-SDMF
      · votar


      Esse comentario do cara da Gibson é pra deixar tua G.A.S aflorada neh hauhauauauhauah
      mas sei lá tb! Sao modelos diferentes e tal! vai saber :s
      Pior q to procurando samples da seg-300 mas nao acho nada

      bpv
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      Motoboy From Hell-SDMF

      Os comentários todos afloraram! Mas esse em especial, ahaha.
      O cara enviou ontem, assim que chegar e eu enviar a squier, já começa a fase de testes. Também não achei samples, vou postar alguma coisa no youtube com certeza.

      De qualquer forma valeu aí, principalmente pelo review que foi excelente.

      nichendrix
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      bpv
      Motoboy From Hell-SDMF

      Rapaz duvide muito desses comentários do tipo troquei uma guitarra de 5000 dolares por uma de 500 porque a de 500 é tão boa ou melhor quanto.

      Das duas uma, ou essa pessoa não conhece o instrumento o suficiente para perceber as diferenças ou então ela está simplesmente mentindo descaradamente (sim, americano também mente, e muito por sinal, já que adoram contar vantagem).

      Eu já fiz essa troca, por pura necessidade, eu tinha uma SG Standard '61 Reissue VOS da Custom Shop da Gibson que vendi por conta de um perrengue financeiro muito grande e não rolava outra maneira de resolver se não vender meu equipamento ou meu carro, como tinha comprador imediato pra ela vendi.

      Eu tinha uma Epiphone G-400 Custom Limited Series Japonesa, que são melhores que essas Coreanas e Chinesas, e gastei pelo menos 1,5x o preço dela trocando ferragens e parte elétrica pelas originais Gibson, no fim eu tenho uma guitarra muito boa, com o som elétrico que não deixa muito a desejar a uma SG Standard da Gibson USA (as de série), mas mesmo assim ela não se equipara nem à SG de série, seja em sonoridade, seja em tocabilidade, em acabamento, nada. Tentar comparar com a Custom Shop seria insanidade.

      Obvio que qualquer leigo olharia e diria que o som é igual e que são a mesma coisa, mas duvido que qualquer pessoa tocando nas duas por mais de 1 ou 2 dias consiga dizer a mesma coisa. A diferença na pegada e na tocabilidade da SG Standard de série e a Epiphone é gritante, mesmo com os mesmos captadores o som não é tão e rico, o corpo vibra menos contra teu corpo, o som acustico dela é menos presente, enfim eu poderia passar o dia todo enumerando as diferenças pra quem toca. Da mesma forma a diferença da Custom Shop pra de série, é muito grande, embora bem menor que que da Epipoca pra Gibson.

      O que eu posso realmente dizer é que dando um upgrade dos grandes, vc consegue ter uma guitarra que o som plugado até próximo, mas a diferença entre quase a mesma coisa e ser a mesma coisa, vale cada um dos milhares de dolares que as separam.

      MMI
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      Pessoal, como diriam os antigos, cada cabeça, uma sina.
      Quanto a questão de americano mentido descaradamente, ás vezes nem é propriamente uma mentira. Pode ser uma verdade só para a pessoa que escreveu. Dá uma olhadinha por esse fórum, quantas afirmações do tipo "minha SX não perde para nenhuma strato", "minha Fender American Standard é top e não tem nada melhor que ela" e por aí vai. Está cheio! Mesmo comparações do tipo "Epipoca é igual a Gibson Studio", mais para a frente outro diz "Gibson Studio é igual a Standard", e por aí vai, onde se conclui que Epipoca é igual a Gibson Standard...
      Só para ilustrar, conheço um cara extremamente pão-duro, o cúmulo da avareza, que ganha uma fortuna por mês, algo como o valor de um carro luxuoso zero a cada mês. Na casa dele só entrava, até bem pouco tempo, refrigerante Dolly porque ele não se dizia em condições de comprar Coca-Cola, mas é a mesma coisa. O cara anda muito de carro, viaja sempre com os filhos, mas tem um Celtinha básico, sem nenhum acessório. Diz que um Celta é igual a um Mercedes (ou qualquer outro carro superior), serve para levar de um lugar a outro, então ele é mais esperto e o Celta dele é melhor porque é mais barato. Outro cara que eu conheço tem mais de 1 milhão no banco, mas usa papel higiênico cor de rosa em casa, aquele da piuor qualidade. Eu não me conformo com essas coisas, talvez por isso que eu não sou rico como eles. Mas eles afirmam a verdade deles, cada cabeça, uma sina...

      Symptom
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      MMI

      É o que eu sempre digo, o pessoal confunde custo-benefício com ser "melhor" (no caso das SX, Condors e outras queridinhas do fórum).

      nichendrix
      Valeu pela resposta lá. Nem esperava tanto. =)

      bpv
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      MMI

      Tem até um tópico engraçado onde tinha um cara dizendo que a squier era uma merda. Eu comentei lá: Esse daí tem uma Tagima. Esses dias achei esse tópico de novo e fui olhar o perfil do cara, e tinha um tópico dele tirando uma dúvida sobre a tagima dele. Hahahaha, rolei de rir. Não tem jeito, não se pode levar o que se lê aqui como verdade. São poucos aqui no fórum que eu confio no que diz.

      nichendrix

      Valeu pelo toque. Mas eu não confio 100% nos reviews mesmo não. Estou levando como critério a qualidade da marca mesmo, porque tenho um violão Crafter que comprei justamente porque um amigo tem um semelhante. E é simplesmente os melhores violões que já toquei. Acho nível de Gibson. Os reviews foram legais para eu saber o que acham da guita, porque aqui no FCC parece não ter um cidadão que conheça. Acho que o meu vai ser o primeiro review daqui. Mas to confiante na qualidade da guitarra, pois os instrumentos da Crafter, até onde eu sei, são 100% handcrafted e muito bem acabados.

      nichendrix
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      bpv

      Cara, Crafter é tranquilo, elas são difíceis de achar, mesmo nos USA elas são bem raras, tanto guitarras quanto violões, os que testei chegam fácil no nível dos Takamine, só testei os Folk e um Resonator, o Resonator não chegava a ser um Dobro (que é subsidiária da Gibson), mas batia fácil os Fender (as segunda marca que eu mais via nos USA).

      Enfim, no geral, como marca elas fabricam instrumentos bons e com uma relação custo benefício ótima, digamos que qualquer coisa realmente melhor, vai ser muito mais cara.

      MMI
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      bpv
      Caramba... Essa sua afirmação também é forte... Para mim, o ícone dos violões Gibson, que quando se fala em violão Gibson vem a imagem imediatamente, é o J-200/SJ-200. Jumbo, som enorme, os de corpo de flamed maple tem um som peculiar, bem brilhante. Já toquei em violões desses de linha normal, Custom Shop, Vintage. Se você está falando que Crafter é igual, tudo bem, porque toquei vários Gibson e quase nenhum Crafter, mas os que toquei não chegavam nele não.
      Veja esse Gibson J-250 Monarch. Será que um Crafter chega nele?
      Deixa para lá, não é por mal não nem quero polêmica. Só um alerta para refletir antes de generalizar. Na boa.
      Abç

      nichendrix
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      MMI
      Caramba... Essa sua afirmação também é forte... Para mim, o ícone dos violões Gibson, que quando se fala em violão Gibson vem a imagem imediatamente, é o J-200/SJ-200. Jumbo, som enorme, os de corpo de flamed maple tem um som peculiar, bem brilhante. Já toquei em violões desses de linha normal, Custom Shop, Vintage.

      Rapaz, pra mim é heresia comparar o santo graal dos flat top com qualquer coisa que seja. Rapaz, SJ-200 é o violão mais perfeito que já toquei, pra mim as coroas das marcações são bem merecidas, nunca vi um que eu pudesse dizer que deixava a desejar. Mas violão não é meu forte, por isso pra mim as linhas mais baratas quebram meu galho.

      Agora que um SJ-200 normal, de série tem um som cheião, com graves presentes e aqule brilho inconfundível, ah! só de pensar é um orgasmo. Pena que eu tocando violão seja uma negação.

      MMI
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      nichendrix
      Tenho esse sonho de consumo, um SJ-200... Mas também não sou grande coisa como violonista, tenho tocado pouco e perdi um pouco o hábito. Aliás, isso que me fascinou nas guitarras com piezo, um timbre acústico razoável com pegada de guitarra. Já tive um Martin, hoje tenho um Taylor que preferi por ter o fundo e laterais em rosewood, com um timbre bem cheio, daqueles de tremer o tórax nos bordões.
      Mas depois que toquei num J-200 68 e num SJ-200 Custom Shop, meu conceito de violão mudou. São obras de arte, timbres únicos. Assim como o Martin Mark Knopfler HD-40MK e Martin Custom Shop também são violões dos melhores que o dinheiro (muito!) pode comprar.

      nichendrix
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      MMI

      Com certeza, mas pras minhas necessidas um Epipoca e um Martin DX estão de bom tamanho, as vezes ficam de 3 meses sem ver corda nova de tão esquecidos que são.

      john_joao
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      nichendrix
      Rapaz duvide muito desses comentários do tipo troquei uma guitarra de 5000 dolares por uma de 500 porque a de 500 é tão boa ou melhor quanto

      Minha Epiphone Custom tem uma som bem melhor na minha Ibanez de 4k!

      Paciência.

      john_joao
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      Na boa, melhor coisa é teste cego, pega todos os feticheiros na hora!

      bpv
      Veterano
      # nov/09 · Editado por: bpv
      · votar


      nichendrix
      MMI

      Então, eu já testei vários violões. E foram poucos Gibson (uns 2 jumbos, que eram muito bons), mas nenhum eu tive o conforto e som como esse 2 violões da Crafter, nem mesmo os da Gibby. É como se eles fossem mágicos. Digo que acho nível de Gibson, porque é justamente o conforto e o som que me chamam a atenção na Gibby. Na minha opinião quando peguei o Crafter foi como pegar a Gibson, depois de testar várias epiphones (me refiro às guitarras agora). E é justamente nesses 2 quesitos que fazem minha epi (mesmo com um seymour) serem piores que minha gibson. Que são o conforto e o som, que obviamente se devem a vários fatores, como construção e madeira. Acho que realmente a Crafter é uma das grandes marcas que não tem o merecido valor justamente porque não é muito conhecida, mas acho é a marca que mais se aproxima da Gibson em quesito qualidade. Quanto às guitarras ainda não sei, quando chegar (e eu testar) a semi-acústica eu posto um review aqui.

      bpv
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      john_joao

      O mestre Les Paul disse isso na última entrevista dele.

      A melhor forma de testar um instrumento é blind-folded.

      john_joao
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      bpv
      A melhor forma de testar um instrumento é blind-folded.

      com relação a ao som é isso mesmo, não tem essa é "Gibson" e pronto. Tem camarada de uma banda aqui do estado que colocou um kit emg 81/85 numa Epiphone LP Special, loucura total, só os pups pvalem mais que a guitarra. Mas só escutando ninguem diz que é uma Special. Então...

      nichendrix
      Veterano
      # nov/09 · Editado por: nichendrix
      · votar


      bpv

      Cara, como eu costumo dizer, vc não toca só com o som.

      Seja no conforto fisico, sonoro ou psicológico, N fatores influenciam.

      Eu concordo que num teste cego de som, 99% erra, agora discordo no teste de pegada, porque no teste de pegada mesmo, de pegar o instrumento a coisa começa a mudar, mas mesmo isso não é absoluto, o que é confortável pra mim é braço grosso tipo taco de baseball e escala curta e o shape mais arredondado possível, mas eu tenho 18cm de mão, pra vc isso não pode ser e por aí vai.

      A marca também influi neste conforto, a primeira guitarra muito boa que tive, foi uma Gibson Semi-Solida, pulei de uma Squier pra ela, e pra mim existe uma associação entre Gibson semi-solida e segurança ao tocar, então se eu tiver que pegar entre 10 guitarras pra tocar agora e eu não conhecer nenhuma e tiver uma Gibson semi-solida no meio, eu pego ela, porque eu sei o que esperar, eu me sentiria mais confortável, portanto tocaria melhor, não por ser uma Gibson, mas por estar mais relaxado.

      Enfim, eu acho que instrumento tem muito disso, não é só a especificação que diz o quão bom um instrumento é aos ouvidos e ao toque, mas via de regra elas dizem muito, mas muito mesmo.

      Por isso embora concorde com o Les Paul ao dizer que a melhor maneira de escolher um instrumento pelo som, é de olhos vendados, eu também sei que existem outros fatores, ergonomicos, materiais e psicológicos que afetam a performance e consequentemente o som do cara.

      bpv
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      nichendrix

      Concordo.

      Mas eu acho que a parte do blind-folded devem incluir algumas preferências suas. Por exemplo, você chega na loja e fala que quer testar algumas guitarras com o braço arredondado, escala curta e shape redondo. E pede guitarras com esse padrão de várias marcas e tipos, mas necessariamente com esses requisitos. Aí sim, você vai de venda e escolhe a guitarra. Muitos de nós músicos adquirimos preferências ao longo do tempo e ter que desacostumar com elas, as vezes é um pedido quase impossível. Inclusive prefiro os 50' necks também.

      nichendrix
      Veterano
      # nov/09 · Editado por: nichendrix
      · votar


      bpv
      Mas eu acho que a parte do blind-folded devem incluir algumas preferências suas. Por exemplo, você chega na loja e fala que quer testar algumas guitarras com o braço arredondado, escala curta e shape redondo. E pede guitarras com esse padrão de várias marcas e tipos, mas necessariamente com esses requisitos. Aí sim, você vai de venda e escolhe a guitarra. Muitos de nós músicos adquirimos preferências ao longo do tempo e ter que desacostumar com elas, as vezes é um pedido quase impossível. Inclusive prefiro os 50' necks também.

      Eu não duvido, eu uso um exemplo da Ibanez, que tem semi-solidas que são inclusive melhores que as Gibson, tácnicamente eu sei que são melhores, sonoramente eu sei que são melhores, atendem qualquer exigência que eu fizer delas, mas ao mesmo tempo não é a minha ES-135, por melhor que seja. Ela é meu parametro, portanto pra mim tudo parte dela, inclusive aquele Gibson no headstock.

      É como meu avô, ele tem uma renda que permitiria a ele ter virtualmente qualquer carro que queira, mas anda todos os dias num Jipe Willys 1944 que foi o primeiro carro que ele comprou em 1946. Ele já teve diversos carros, nacionais e importados, dos básicos aos de luxo, inclusive teve mais de 10 Willys ao longo da vida, mas nenhum carro pra ele é melhor que o primeiro carro que ele comprou, nem mesmo da mesma marca e modelo mais novos, ele é a medida de comparação de todos os outros a ponto de qualquer carro por pior que seja que dê a ele a sensação mais próxima de dirigir o jipe dele, se esse jipe um dia se for antes dele, e vc botar ele pra escolher entre uma Rural e uma Land Rover, não tenha duvida que ele escolheria a Rural, embora possa realmente ter uma Land Rover.

      Enfim, como eu disse, o conforto ao tocar é bem relativo e diretamente proporcional ao conforto psicológico. Pra mim é reconfortante ver um Gibson no Headstock. Eu já fiz o teste, em show tocando de Fender ou Tagima, ou Washburn ou Epiphone, todo mundo diz que eu não toco tão bem quanto toco com a Gibson, isso não é um fator objetivo, é puramente psicológico.

      Como diz o negão duma propaganda da Gibson, eu economizei 1 ano de trabalho pra comprar minha primeira guitarra elétrica, o cara da loja me ofereceu Silvertones e outras marcas, e eu falei, tem que ser uma Gibson, foi por ela que eu trabalhei.

      Eu não sou radical a este ponto, gosto muito de diversas outras marcas, inclusive a Crafter, mas no fim, se eu tiver que comprar no escuro, a unica marca que eu compraria sem pensar seria a Gibson. Não por ser melhor, mas porque psicologicamente é a que ficou na minha mente a vida intera, pois qualidades e defeitos todos instrumentos de todas as marcas vão ter, então na duvida ou na incapacidade de testar ou avaliar um por um, eu vou pro que eu julgo mais confortável a nível psicológico.

      bpv
      Veterano
      # nov/09 · Editado por: bpv
      · votar


      nichendrix

      Haha, gostei da história do seu avô. Sei que existe mesmo isso de preferência psicológica em relação ao nome do headstock. Muita gente venera algumas marcas (que nem é preciso exemplificar), e as vezes nem sabem o porquê (não que seja o caso, pelo contrário, você sabe muito bem o porquê). Por isso o método blind-folded é o mais correto pra mim. Pois com o blind-fold a pessoa poderia se surpreender. Você, por exemplo, em um teste cego, poderia de repente, achar uma semi-acústica da Condor melhor que uma Gibson em um desses testes. O que pra você seria mais surpreendente ainda, considerando o seu vício psicológico e a qualidade da Gibby. Se entre 10 eu tivesse que pegar uma, eu iria de Les Paul Custom, apesar de nunca ter testado uma dessas, tenho uma Studio e já testei Standard. E se a Custom é melhor que uma dessas, então não tem como errar. A minha Studio é muito boa, mas sei que a Custom é um outro nível. No meu psicológico é assim, hehe.

      Abçs

      MMI
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      bpv
      nichendrix
      O teste cego é bem complicado. Depende do som, mas depende da "pegada" da guitarra, do peso, do visual... O visual também é importante! Ontem estava vendo uma uma Gibson R8, uma R9 e uma R6. A primeira vista, de bater o olho, o flame da R9 e a pintura da R6 chama muito mais atenção que o tampo liso da R8. Ou seja, a R8 começa com 1 ponto a menos, e isso acho que é todo mundo. Só que plugadas, fica dificil falar qual é a melhor. Talvez a R8, que tinha 2 Seth Lover... Mas não sei qual eu compraria, acho que tem um cara desse forum que iria na Goldtop R6 por causa dos P-90... To errado? rsrsrsrs
      Amigo nichendrix, não sei se você é do ramo. Mas jipeiro é jipeiro, não tem jeito e não tem o que cure. Nada paga para os caras, seu avô inclusive, que sentar em cima do tanque de gasolina, o cheiro de combustível, o barulho, tomar chuva se chover, o câmbio duro, a direção dura... Um Land Defender também é legal, a posição torta de dirigir, a vedação ineficiente, o barulho interno... Mas não é um Willis. Entendo perfeitamente seu velho, jipeiro é jipeiro! Talvez as fender e as Gibson são os Willis dos instrumentos. É igual guitarra, tem algumas que podem ganhar o apelido de "mojo", como dizem os americanos. Não é para qualquer uma.

      bpv
      Veterano
      # nov/09 · Editado por: bpv
      · votar


      nichendrix

      Por quanto vendeu a tua Gibson reissue? Deve ter sido um puta peso no coração pra repassar essa guitarra hein? Se fosse eu, ia cogitar seriamente em vender o carro, ahaha!

      MMI

      Haha, o batera da minha banda tem um bandeirante azul muito bacana. Vai vender agora porque tá dando muito prejuízo. Acho o barulho interno horrível, hahaha. Eu sempre quis um Jipe desde muleque, um dia vou realizar esse sonho, hehe.

      Mas jipeiro é jipeiro, não tem jeito e não tem o que cure

      Bem semelhante com a G.a.s, não? Hahaha.

      nichendrix
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      bpv
      ois com o blind-fold a pessoa poderia se surpreender. Você, por exemplo, em um teste cego, poderia de repente, achar uma semi-acústica da Condor melhor que uma Gibson em um desses testes. O que pra você seria mais surpreendente ainda, considerando o seu vício psicológico e a qualidade da Gibby.

      Cara, a verdade que eu não acho difícil achar guitarra melhor que Gibson, pelo contrário, já achei e foi muitas, na média qualquer PRS Custom 22 dá de pau em muita Gibson de série, e as Custom todas são um trabalho só comparavel às tops da Custom Shop da Gibson e não é raro elas serem melhor não.

      Como eu disse, existe um fator psicológico que nada tem haver com a tocabilidade ou com as especificações, que é a segurança que o cara tem com um instrumento. Com minha Teresa Cristina e meu Marshall eu toco com os Rolling Stones e não to nem preu, são as duas peças de equipamento que eu tenho há mais tempo, que tenho maior ligação emocional e sei que em qualquer situação eu vou saber me virar com os dois. Nenhum dos dois é o melhor equipamento do mundo, mas é os que "eu sei usar melhor".

      Por isso quando eu tenho que usar o dos outros, eles são o parametro de comparação, pela experiência, se vc me perguntar qual guitarra e amp que eu compro pra ter e nunca mais comprar outra, eu diria qualquer Gibson com um Marshall das linhas vintage, preferencialmente JTM. Não é meu único equipamento, nem o que eu acho técnicamente melhor, mas na duvida, no escuro é o que eu escolheria, porque minha experiência faria com que eu me sentisse seguro pra tirar os sons que eu tiver vontade com esse tipo de equipamento.

      Acho que vale uma história do George Harrison, quando os Beatles foram pros USA a primeira vez, a Rickembacker estava quase falida, a unica chance que o presidente da empresa via pra salvação é criar uma associação dos modelos deles com os Beatles, já que o John usava uma Rick 325, mas ela é tamanho 3/4, não é um instrumento que alta vendagem, então ele levou os 2 primeiros modelos prontos da 360/12 e deu de presente pra eles, o John não quis nem saber e o George ficou com os 2.

      Segundo o Neil Aspinall, que era Roadie deles na época e depois foi presidente da Apple, o Geroge gostou tanto, mas tanto delas que passou o dia todo tocando e falando o quanto eram boas a ponto de os outros não aguentarem a encheção. A noite eles foram tocar no Ed Sullivan, e ele não tocou com as Ricks como esperado, achava que como era a primeira vez, deveria usar um instrumento que ele já tivesse mais confiança e usou uma Gretsch Country Gentleman plugada em um Vox AC-30, mesmo que no resto da turnê ele tenha usado essa Rickembacker de 12 cordas plugada em um Fender Deluxe '57 em várias musicas durante os shows, ainda assim, na hora que tudo tinha que dar certo, ele preferiu uma guitarra que ele se sentisse mais confortável.

      Quando falei da Gibson era mais nesses termos, quando tudo é duvidoso é na minha Teresa Cristina e no Marshall que confio, da mesma forma se for pra comprar ou tocar no escuro, me sinto mais seguro usando esse tipo de equipamento, embora eu saiba que meu Marshall superaquece ou que os JCM-2000 são danados pra dar pau por super-aquecimento, mas eu já sei o que fazer com eles nessa hora, sei quais fusiveis trocar se der um pico de tensão, enfim, é algo muito mais psicológico do que técnico.

      MMI
      Mas não sei qual eu compraria, acho que tem um cara desse forum que iria na Goldtop R6 por causa dos P-90... To errado?

      [emoticon assobiando]

      heheheheheheh
      Cara eu adoro P-90, pra mim são os melhores, mas a lembrança mais antiga que tenho duma Guitarra é uma Les Paul '59 Cherry Sunburst flame top, então é uma disputa muito braba pra eu sair ileso dela.... heheheheh

      Amigo nichendrix, não sei se você é do ramo. Mas jipeiro é jipeiro, não tem jeito e não tem o que cure. Nada paga para os caras, seu avô inclusive, que sentar em cima do tanque de gasolina, o cheiro de combustível, o barulho, tomar chuva se chover, o câmbio duro, a direção dura... Um Land Defender também é legal, a posição torta de dirigir, a vedação ineficiente, o barulho interno... Mas não é um Willis. Entendo perfeitamente seu velho, jipeiro é jipeiro! Talvez as fender e as Gibson são os Willis dos instrumentos. É igual guitarra, tem algumas que podem ganhar o apelido de "mojo", como dizem os americanos. Não é para qualquer uma.

      E o barulho do motor, teco-teco-teco-teco-teco-teco-teco-teco... hehehehe ou o vrooooom, quando acelera???

      Eu acho a mesma coisa, mas no caso chega a um ponto que ele tem dificuldade em dirigir carro com direção no sistema de pinhão e cremelheira, só se dá bem com setor e rosca sem fim, que hj em dia só é usado em alguns tipos de tratores.

      Perguntas:

      1-) A Lucille que está pra vender na Soul Shine é a tua?
      2-) Essas R6, R8 e R9 eram as da Krocodille Pop?

      bpv
      Por quanto vendeu a tua Gibson reissue? Deve ter sido um puta peso no coração pra repassar essa guitarra hein? Se fosse eu, ia cogitar seriamente em vender o carro, ahaha!

      Cara, não sei se convém falar do preço, mas foi mais de 10mil, pra mim era mais util que o carro, pq se vendesse o carro ia sobrar 10mil e andar a pé ou pegar um sem ar ou muito velho, ou seja sem um bom valor de revenda na hora da troca. O carro eu teria que esperar aparecer comprador, resolver toda a burocracia de transferência de papelada, a SG tinha um que só faltava me deixar doido pra eu vender pra ele, enfim, era mais ou menos o valor que precisava e a venda era certa, rápida e fácil.

      Dificil foi segurar o choro quando soltei o case na mão do novo dono. Voltei pra casa soltando algumas lagrimas pensando exatamente que emocionalmente fazia mais sentido o carro, mas a lógica imperou na hora.

      Motoboy From Hell-SDMF
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      nichendrix

      Dificil foi segurar o choro quando soltei o case na mão do novo dono. Voltei pra casa soltando algumas lagrimas pensando exatamente que emocionalmente fazia mais sentido o carro, mas a lógica imperou na hora.

      Cara, deve ter sido tenso. Imagino que até hj vc deve ter akela pontinha de remorso de ter vendido ela né?
      Mas poxa, vc jah pensou em re-comprar ela do dono atual?

      nichendrix
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      Motoboy From Hell-SDMF
      Cara, deve ter sido tenso. Imagino que até hj vc deve ter akela pontinha de remorso de ter vendido ela né?
      Mas poxa, vc jah pensou em re-comprar ela do dono atual?


      Cara, remorso não, eu sinto ter que ter vendido, acho que se tivesse esperado um pouco mais teria conseguido dar outro jeito (como dei, com a outra parte do problema financeiro que tava passando), mas no fim eu fiz o que tinha que ser feito, não me arrependo de ter vendido, mas de ter chegado no ponto de ter que vender.

      Até pensei, mas digamos que hoje ela está um pouco mais cara do que vendi, já que ela é na faixa de preço de uma R8, só um pouco mais barata, sem contar que ele não vende, ele é o Morphz daqui... hehehehehhehehe... colecionador ferrenho.

      Motoboy From Hell-SDMF
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      nichendrix

      Contrata os caras que roubaram a les paul black beauty do jimmy page!! hahahaha

      MMI
      Veterano
      # nov/09
      · votar


      nichendrix
      Não tenho nenhuma guitarra à venda, só um pedal ainda está a solta na Teodoro. Como comentei anteriormente, se fosse vender seria a Wolfie, mas não estou com vontade e coragem de mandar embora. Dúvida cruel... Também tem o fato que o pessoal da Soulshine é ruim de negócio, negócio bom só para eles, via de regra.
      Essas R6, R8 e R9 são de um conhecido, não estão em loja nenhuma. Conheço uma galera que tem equipos legais, a gente tenta sempre passar na rede de conhecidos antes de cair nas mãos de alguns lojistas que acham que são sócios do seu equipamento na hora de vender. Mas pelo menos os caras da Soulshine eu sei que estão sabendo dessas guitarras.
      Cara, já vendi muita guita com dor no coração... Pensando bem, acho que todas senti pelo menos um pouco de dor no coração. Verdade que quando uma Custom Shop vai embora, dá uma pontada de angústia, não são guitarras que tem aos montes por aí. Talvez eu seja mais "roleiro", uma só das minhas Custom me dá alguma saudades, as outras, nada. Mas eu nunca deixei lágrimas rolarem por guitarras, sou dos que pensam: "Sua *****... Vou pegar uma melhor que você!" kkkkkkk

      bpv
      Jipeiro é jipeiro e GAS é GAS! kkkkkkk

      nichendrix
      Veterano
      # nov/09 · Editado por: nichendrix
      · votar


      MMI
      Também tem o fato que o pessoal da Soulshine é ruim de negócio, negócio bom só para eles, via de regra.
      Essas R6, R8 e R9 são de um conhecido, não estão em loja nenhuma. Conheço uma galera que tem equipos legais, a gente tenta sempre passar na rede de conhecidos antes de cair nas mãos de alguns lojistas que acham que são sócios do seu equipamento na hora de vender. Mas pelo menos os caras da Soulshine eu sei que estão sabendo dessas guitarras.


      Não tenha duvida, lá os caras na hora da compra enchergam até os quark up encebados que sairam levemente do eixo pra descontar os 50% deles, na hora da venda a guitarra está toda arranhada e o cara tentando te convencer que é near mint.

      Bom, eu tenho um ciclo parecido aqui, mas essas coisas do tipo R9 pra cima, só tem realmente 3 pessoas que compram com frequência, o resto é que nem eu era, uns gatos pingados que tem 1 ou 2.

      Mas Sampa é mais de 10x maior que aqui, então está na média estatística da coisa.

      Mas eu nunca deixei lágrimas rolarem por guitarras, sou dos que pensam: "Sua *****... Vou pegar uma melhor que você!" kkkkkkk

      Cara, a diferença é a quilometragem nas costas, hoje eu diria a mesma coisa, mas naquela época, 4 pra 5 anos atrás a maturidade ainda era pouca, tanto que eu gastava com equipo mais que com meus investimentos pessoais. Obvio fazia meus investimento, e se não sai totalmente ferrado no fim da importadora, foi por causa deles que ainda me seguraram um tempo, mas hoje eu vejo que eu deveria ter investido mais, poupado mais e entrado menos no oba oba de trocar de guitarra toda hora. Mas hoje eu estou chegando nos 30, como minha bisavó dizia quando eu era adolescente: "Meu filho aproveite agora que o juizo só chega depois dos 25".

      Motoboy From Hell-SDMF
      Contrata os caras que roubaram a les paul black beauty do jimmy page!! hahahaha

      Nam eu queria conhecer mesmo era os mafiosos que ficaram com a Les Paul '59 no Clapton.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Review Epiphone Dot Es-335 (e breve comparaçao com a Sheraton II)

      302.606 tópicos 7.833.344 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital