Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Masterização nos dias atuais e a "loudness war"

      Autor Mensagem
      strinbergshredder
      Veterano
      # out/13
      · votar


      Casper
      hahahahaha, muito bem bolado!!!

      Casper
      Veterano
      # out/13
      · votar


      Caro strinbergshredder:

      Esse abaixo também é muito bom:

      http://brokenpants.com/comics/random/loudnesswar01.png

      strinbergshredder
      Veterano
      # out/13
      · votar


      Casper
      hahahahaha, bom demais!!!

      Adler3x3
      Veterano
      # out/13
      · votar


      Muito boa esta.
      Se o Neymar ver vai querer fazer assim também.

      Casper
      Veterano
      # 10/mai/17 08:37
      · votar


      Esse filme abaixo é mais sobre qualidade do som, mas
      é bem interessante. Recomendo.



      basstreble
      Veterano
      # 10/mai/17 21:16
      · votar


      Mesmo tendo 27 anos ainda cheguei à ouvir por aí músicas em vinil, depois veio a fita, cd e hoje as mídias completamente digitais. A diferença realmente é "gritante". Nesse tempo o vinil além de ser fiel a dinâmica da música, você percebia pequenos errinhos dos músicos (incluindo o cantor), imagino que mesmo com os takes alguma coisa escapa!!Li todas as respostas do tópico, e mesmo não entendendo muita coisa sobre softwares, estúdio e teorias musicais, gosto de saber que muitas opiniões postadas se parecem com as minhas e que todos nós aqui "babamos" por essa arte que é a música, pensei que só eu tinha percebido isso!!Deus abençoe nós todos ( músicos profissionais ou por hobby que é meu caso, gosto muito de cantar)!!

      Ismah
      Veterano
      # 11/mai/17 14:07
      · votar


      É meia verdade que o vinil é fiel! Existem limitações físicas nele que implicaram na necessidade de compressão, sem falar que a curva RIAA, tanto a de gravação, como a de reprodução, variam bastante que por si só distorce. O digital é sem dúvida mais fiel, entretanto o que se tem feito com ele que é bem diferente do passado.

      basstreble
      Veterano
      # 11/mai/17 18:22
      · votar


      A história do "tudo em excesso" kkk!!

      Ismah
      Veterano
      # 12/mai/17 04:24
      · votar


      Basicamente!

      NOTA: Lá em cima eu falei que o disco é limitado em questão de dinâmica e resolução, o digital também é! Mas se tem contornado isso de diversas formas. Mas em todos os casos, se usa HPF e LPF pra limitar a banda e não gravar informação desnecessária.
      Só ultimamente, com a popularização de streamming, é que se deixou um pouco de lado isso! Agora não se está mais limitado em quantidade de informação do CD, cassete e vinil. Então se passou a usar mais recursos (como o dithering e maior bit depth) para melhorar dinâmica, e maior taxa de amostragem para melhorar a curva de resposta....

      Casper
      Veterano
      # 14/mai/17 07:44 · Editado por: Casper
      · votar


      Eu não aguento mais ouvir meus LP's antigos.
      Ruído de fundo, cracks, pops...

      Quem acha que vinil é melhor que som digital
      de qualidade ( > 24 x 96 ) tem sérios problemas.

      Recomendo esse site, para quem gosta:

      https://mynoise.net/NoiseMachines/dustyScratchedVinylNoiseGenerator.ph p

      PguitarMaxx
      Veterano
      # 16/mai/17 17:53 · Editado por: PguitarMaxx
      · votar


      basstreble
      Mesmo tendo 27 anos ainda cheguei à ouvir por aí músicas em vinil, depois veio a fita, cd e hoje as mídias completamente digitais.

      Eu tenho 23 e cresci com ouvindo LPs. Minha avó tem uma coleção considerável de discos, de Roberto Carlos à Kenny G. Meus favoritos sempre foram os do Michael Jackson e Jackson 5. A fidelidade na performance dos músicos que você se refere, acredito não ter relação direta com o vinil, mas sim com os recursos da época.

      Vinil tem um gostinho musical diferente e no geral me parece menos descartável. Você tinha o encarte, alguns discos vinham até em cores diferentes, ocupavam espaço. Hoje em dia você compra albums por itunes, assina spotfy e no fim das contas é tudo muito virtual, você não tem mais o gosto de segurar a arte nas mão. Então, pra mim, o vinil ainda tem uma magia que o formato digital não oferece. Nunca fui muito fã nem mesmo de CDs.

      Crescendo, uma das minhas maiores diversões era ouvir Dangerous do Michael Jackson e ficar tentando entender aquele encarte. Passava horas, o que eu mais gostava era o cachorro cabeludo com o cetro.

      Ismah
      Veterano
      # 16/mai/17 21:11
      · votar


      Casper

      O ruído de fundo, "pops e pups" acontece em discos danificados e equipamentos de qualidade baixa e sem manutenção (agulha no fim da vida). Tente achar algum maluco com um Technics, até meu disco furado soou diferente nesse... Mas ainda falta muita grana pra ter um rsrs

      Entra também na jogada o barato do disco, que geralmente exige dedicação quase exclusiva para ser ouvido...

      O colega PguitarMaxx define bem, na mídia digital (CD já tá meio morto e obsoleto), se ficou bem mais restrito ao universo auditivo, quando a capa de um vinil é quase como um quadro que veio de easter egg...

      basstreble
      Veterano
      # 16/mai/17 21:34
      · votar


      PguitarMaxx
      PguitarMaxx
      Eu tenho 23 e cresci com ouvindo LPs. Minha avó tem uma coleção considerável de discos, de Roberto Carlos à Kenny G. Meus favoritos sempre foram os do Michael Jackson e Jackson 5. A fidelidade na performance dos músicos que você se refere, acredito não ter relação direta com o vinil, mas sim com os recursos da época.

      Aqui em casa não tinhamos, mas onde eu passava naquela época tinha gente com a chamada "radiola" era uma vitrola grandalhona kkkkkkkk. Quanto ao ponto importante da performance dos músicos no estúdio, é bem isso que você falou!!Hoje em dia fica na cara que a música foi muito mexida !! Tudo muito retinho!!

      PguitarMaxx
      Veterano
      # 17/mai/17 15:28 · Editado por: PguitarMaxx
      · votar


      Ismah
      Alguns artistas, como a Adele, tem lançado LPs. Eu particularmente gosto da ideia, acho que valoriza muito a obra. O formato digital é realmente mais pratico, principalmente hoje em dia onde vivemos muito o imediatismo e a necessidade de consumir cada vez mais e mais rápido, mas eu gosto da idéia de sentar e apreciar um album, com o encarte grande o suficiente para se fazer presente em casa :D



      basstreble
      Em casa eu tenho uma vitrolinha bem simples (daquelas que vinham com os aparelhos de som 3 em 1 nos 90s), mas que dá pra ouvir um album ou outro. Minha vó tem uma relativamente grande, com kbobs de metal, coisa mais linda hehe

      Talvez por ter crescido ouvindo essas músicas, eu também estranhe muito hoje em dia. As vezes quando vou ouvir algo novo, uma banda ou até uma música Pop, eu me sinto deslocado, é quase como se o que estivesse ouvindo não fosse humano. Imagine minha surpresa quando ouvi o album Traveller do Chris Stapleton, aquilo é tão orgânico... Uma satisfação imensa

      Ismah
      Veterano
      # 18/mai/17 17:24 · Editado por: Ismah
      · votar


      Não só Adele, deu uma hype bem grande de "vida orgânica". Sei de uma penca de bandas que o fez. Mas ainda não é viável dizer que é um disco como Sticky fingers de 71 (The Rolling Stones), pois a gravação ainda é atual, e com muita coisa em digital - e não dá para escapar disso! Os que fazem diferente são 2 ou 3 radicais, com um saco cheio de grana para ter o equipo, e para financiar, como o Dave Grohl...

      Eu gosto mui do Chris Stapleton, apesar de ser um álbum conceitual, eu não sei não, mas me parece BASTANTE chapado, pra conseguir aquele volume todo. Tem uma sonoridade bem pop, que não tem segredo é comprimido pra c...
      Posso estar enganado, mas não analisei ainda técnicamente isso, tenho medo de deixar de gostar de ouvi-lo hehehe

      Se gosta dele, recomendo "Windy City" da Alisson Krauss, e o trabalho da Miranda Lambert - não ouvi um álbum específico para recomendar.

      Todavia, tem muita coisa boa nessa playlist

      https://www.youtube.com/watch?v=ve8sNTqrzCw&list=RDQMry7YZIu73cc

      PguitarMaxx
      Veterano
      # 19/mai/17 17:49
      · votar


      O album dele foi gravado ao vivo, com um pequena platéia. De fato é um album relativamente comprimido, mas acredito ir mais pra um lado rock do que pop, pelo menos é o que eu sinto. De qualquer modo, eu me referi mesmo foi à performance dele, conforme o album avança, você nota alguns errinhos, as vezes uma semitonada como na primeira linha de Sometimes I Cry (que por sinal é a minha favorita hehe) Uma escorregadinha na guitarra... Alguns detalhes que do meu ponto de vista enriquecem demais a obra. Detalhes que se ouve em músicas icônicas. O que me incomoda no cenário Pop é que é tudo muito perfeito, muito corrigido. As vezes é bom ouvir o artista respirar antes de uma frase, sabe? torna mais humano.

      Gosto muito do Chris Stapleton, inclusive o novo album dele... meu Deus! hehe. Eu tenho essa música da Alisson Kraus na minha playlist de country no Spotfy. Da Miranda Lambert conheço muito pouco, mas vou procurar saber mais, com certeza.

      Bela lista, por sinal! Não sou louco por Blake Shelton, mas gosto da versão dele de Footloose :D

      Ismah
      Veterano
      # 20/mai/17 21:46
      · votar


      acredito ir mais pra um lado rock do que pop

      A isso chamam de country hehehe
      Mas falando sério tu tem ideia de quem é o cara? Ele é compositor a anos, e autor de vários hits de sucesso, coisas top 1 da Billboard mesmo... Dentro do country o cara é muito respeitado, meio que se tu não conhece ele, tu não conhece country... Dá uma olhada aí...

      https://americansongwriter.com/2015/09/five-essential-songs-by-chris-s tapleton/

      O resto é questão de estilo mesmo. Se buscou o perfeccionismo até a década de 90, quando ele foi atingido. Aí se viu que ele não soava tão legal, como bem dito não soava banda, soava como robô... Alguns gêneros isso ficou como, é o caso do pop, dance, etc...

      Pra ti ter ideia, rap, batidão "funk" carioca, e alguma coisa de eletrônica se tu fizer um som com muita qualidade, não tem som disso... Assisti um workshop de um dos maiores produtores de eletro-funk do país, e ele disse que gravou um fulano com um mic de 4mil dólares, em 96kHz 32bit float point. Nem a pau soava como funk, soava pop. Gravou com um mic fuleiro, baixou a qualidade pra 44,1KHz 16bits, exportou pra MP3 128Kbps tava feito, não precisou nem masterizar...

      Americano é fascinado por afinação, veja o que são os quartetos de voice jazz, gospel e tal... O próprio country tem aberturas vocais absurdas e alguns fazem isso no osso do peito...!
      Mas nem todos conseguem, aí que entra o corretor de tom, dublagem de show ao vivo etc... Ninguém faz a performance de artistas pop, ou mesmo de casos como Rammstein e canta junto perfeitamente. Rammstein tenho que dar o braço a torcer, porque parece realmente ser no gogó do cara, mas ainda tenho minhas dúvidas..
      .
      O mesmo vale pra volume... Americano comprime, e comprime mui mesmo, sem dó, mas eles conseguem fazer isso soar bem... Não pergunte como, mas conseguem.

      Da Alisson Kraus, me referi ao DISCO/ÁLBUM que leva esse nome também... E da lista eu to ainda pasmo, a turma é boa mesma... Possível grandes nomes no futuro, como os ditos "clássicos" no gênero hoje...

      PguitarMaxx
      Veterano
      # 20/mai/17 22:58
      · votar


      Ismah
      Eu o conheci com a versão da Adele de If I Hadn't Been for love, desde então me tornei fã, mas me limitava aos shows dele no youtube, pequenas apresentações, etc. Ele é realmente bom, não é atoa que em tempos de Luke Bryan e Blake Shelton ele é referido como o salvador do country (isso quem diz são os americanos) embora eu sinta nele uma pegada soulthern rock, que no fim das contas esta bem proximo do country, mas tem uma diferença. Principalmente quando ele pisa pelos territórios do blues.

      Sou fã de R&B, Soul... Gosto muito de cantores powerhouses, cantores soulful, Logo também sou chato com afinação, mas a questão não é bem essa. O que me incomoda é quando foge do humano, algo frequente no cenário Pop (o que não é uma regra, eu sei). Porra, você pega qualquer coisa do Luther Vandross e é perfeito, você vê o cara metendo adlib em qualquer verso, sente o cara respirar, brincar com o tempo, com a dinamica... E por mais perfeita que seja a performance do cara, é orgânico, é real, sabe? E isso pra mim é o mais importante.

      Eu salvei o album da Alisson Kraus, vou sentar e ouvir com calma. No mais, fica ai uma performance, que é uma das minhas favoritas. Veja como ele trata a música e como "erra". Em um momento ele até esquece a letra



      Mas não importa, continua do C... hehe

      Ismah
      Veterano
      # 21/mai/17 00:00
      · votar


      Elvis que o diga, cada show era único, até nos erros, crises de riso (drogas?)... Talvez essa era a graça de seu show... Curioso é que a banda era tão boa e sincronizada, que não importava o que ele fizesse, eles iam junto... Talvez nunca mais veremos algum pop assim...

      Entendo o que diz quanto a "robotização", e o que disse só está nomeando alguns fatores que deixou assim a música assim...

      basstreble
      Veterano
      # 21/mai/17 00:21
      · votar


      PguitarMaxx
      Em casa eu tenho uma vitrolinha bem simples (daquelas que vinham com os aparelhos de som 3 em 1 nos 90s), mas que dá pra ouvir um album ou outro. Minha vó tem uma relativamente grande, com kbobs de metal, coisa mais linda hehe

      Cheguei a conhecer essas também kkk muito legal!!Nesse tempo percebo que o som era bem distribuído também, tinham três falantes em cada caixa ( e que caixas kkkk eram grandalhonas) um para os graves, um para os médios e um para os agudos!!Nos 3 em 1, tinha uns que "trocavam" o lado da fita automaticamente!!Essas com os knobs em metal eram bonitas mesmo!!Boa noite!!

      basstreble
      Veterano
      # 21/mai/17 00:27
      · votar


      PguitarMaxx
      O album dele foi gravado ao vivo, com um pequena platéia. De fato é um album relativamente comprimido, mas acredito ir mais pra um lado rock do que pop, pelo menos é o que eu sinto. De qualquer modo, eu me referi mesmo foi à performance dele, conforme o album avança, você nota alguns errinhos, as vezes uma semitonada como na primeira linha de Sometimes I Cry (que por sinal é a minha favorita hehe) Uma escorregadinha na guitarra... Alguns detalhes que do meu ponto de vista enriquecem demais a obra. Detalhes que se ouve em músicas icônicas. O que me incomoda no cenário Pop é que é tudo muito perfeito, muito corrigido. As vezes é bom ouvir o artista respirar antes de uma frase, sabe? torna mais humano.

      Exatamente o que eu quis dizer!!Hoje em dia voce consegue perceber que a música tá "cortada" através disso também!!O cantor respira a cada frase diante de um microfone que não deixa passar nem um pisada de leve e em muitas frases sem nem percebe ele respirando ou mesmo dando um pequeno errinho!!

      basstreble
      Veterano
      # 21/mai/17 00:35
      · votar


      Ismah
      Americano é fascinado por afinação, veja o que são os quartetos de voice jazz, gospel e tal... O próprio country tem aberturas vocais absurdas e alguns fazem isso no osso do peito...!

      Mas nem todos conseguem, aí que entra o corretor de tom, dublagem de show ao vivo etc... Ninguém faz a performance de artistas pop, ou mesmo de casos como Rammstein e canta junto perfeitamente. Rammstein tenho que dar o braço a torcer, porque parece realmente ser no gogó do cara, mas ainda tenho minhas dúvidas..
      Percebi isso também, mas fica muito estranho. Um dos efeitos colaterais é que a voz perde a personalidade (timbre) com esse excesso, percebo excesso!!Os cantores ficam com a voz tudo igual kk!!

      basstreble
      Veterano
      # 21/mai/17 00:38
      · votar


      PguitarMaxx
      Sou fã de R&B, Soul... Gosto muito de cantores powerhouses, cantores soulful, Logo também sou chato com afinação, mas a questão não é bem essa. O que me incomoda é quando foge do humano, algo frequente no cenário Pop (o que não é uma regra, eu sei). Porra, você pega qualquer coisa do Luther Vandross e é perfeito, você vê o cara metendo adlib em qualquer verso, sente o cara respirar, brincar com o tempo, com a dinamica... E por mais perfeita que seja a performance do cara, é orgânico, é real, sabe? E isso pra mim é o mais importante.

      Voce sente que é uma pessoa cantado, ela que está "mandado na máquina" e não a "máquina nela"!!

      basstreble
      Veterano
      # 21/mai/17 00:43
      · votar


      Eu salvei o album da Alisson Kraus, vou sentar e ouvir com calma. No mais, fica ai uma performance, que é uma das minhas favoritas. Veja como ele trata a música e como "erra". Em um momento ele até esquece a letra

      PguitarMaxx
      Massa!!Não sou contra a tecnologia nos estúdios musicais, não posso é concordar com enganos com as pessoas que curtem o trabalho do músico!!A música foi feita pra ser muito linda, mas o cara tem que mostrar sua performance sem equipamentos também!!

      basstreble
      Veterano
      # 21/mai/17 00:47
      · votar


      Ismah
      Elvis que o diga, cada show era único, até nos erros, crises de riso (drogas?)... Talvez essa era a graça de seu show... Curioso é que a banda era tão boa e sincronizada, que não importava o que ele fizesse, eles iam junto... Talvez nunca mais veremos algum pop assim...

      Entendo o que diz quanto a "robotização", e o que disse só está nomeando alguns fatores que deixou assim a música assim...

      Exato, Ismah!!Ouvir a música no estúdio é muito bom, ela fica mais "concentrada", mas ouvir ela ao vivo ou sem excesso de correções também é bom!!Boa noite!!

      Ismah
      Veterano
      # 21/mai/17 04:58 · Editado por: Ismah
      · votar


      Essas com os knobs em metal eram bonitas mesmo!!

      Mais comuns de ter isso eram os Gradiente (alguns), Marantz alemão e os Kenwood americanos... Esse último quem tinha era galo!

      nem percebe ele respirando

      É algo não incomum limpar a linha vocal cortando as respirações. É meio estranho, mas fica só a linha melódica, e acabamos caindo no quesito "gosto"... Eu deixo, é parte do instrumento "voz" essa sujeita.

      Um dos efeitos colaterais é que a voz perde a personalidade (timbre)

      Hum não, na verdade isso não é culpa da correção de afinação, é que realmente se tem pencas de cantores com voz igual, e processamento igual. Basta olhar pro nosso dito sertanejo, onde se não estiver escrito o nome da dupla, tu não sabe quem é porque a voz é igual...

      É uma tendência, se acabou nivelando por baixo infelizmente. GRANDE cantor/a, tá difícil achar alguém novo e bom, Preciso dar o braço a torcer, pra Lady Gaga, a mulher é o bicho... Eu me interessei com ela cantando com o Metallica, mas ela vai bem além... Tem uns covers da Amy Winehouse num formato piano e voz, que a própria Amy deve ter saído da cova pra aplaudir.

      https://www.youtube.com/watch?v=xernmx6rMng

      A música foi feita pra ser muito linda, mas o cara tem que mostrar sua performance sem equipamentos também!!

      Nessa toda banda quase vai rodar, em estúdio se lapida ao máximo... O power trio, vira orquestra... Ao vivo é a banda por sim mesma e pau na mula...

      Algumas poucas bandas conseguem ser espertas para fazer um arranjo bom, com o que tem na banda, e adicionar DETALHES de fora...

      Eu gosto muito dessa onda de metal nórdico, mas a maioria das bandas soa amadora ao vivo...
      Epica, eu sou grande fã. A Simone Simons é uma mulher radiante e canta pra carvalho, mas... mas... Tirou as trilhas pré-gravadas acabou a banda, só sobra cada músico individualmente um em cada canto, porque a música foi pro saco...

      Simone + Piano https://www.youtube.com/watch?v=8auP-OWVAFg
      Epica ao vivo https://www.youtube.com/watch?v=NlTpDn3HRFI

      Dá para ouvir que 80% da banda é pré-gravado, o som da bateria é alto, da guitarra e baixo nada vem pra festa, teclado está meio perdido lá no meio segurando a harmonia... Me decepcionei bastante, mais com o fator técnico que com a banda, não há um bobo, o show é pra cima mesmo nas baladas melancólicas...

      Agora uma gravação (ruim) do Nighwish no mesmo bar...
      https://www.youtube.com/watch?v=KV71CnAmRzM

      Do outro lado da moeda, Black Sabbath soa melhor hoje ao vivo que no disco.

      Adler3x3
      Veterano
      # 21/mai/17 09:58
      · votar


      Ismah

      Gostei do teu post.

      PguitarMaxx
      Veterano
      # 21/mai/17 13:39 · Editado por: PguitarMaxx
      · votar


      basstreble
      Ismah
      A banda do Elvis era inacreditável de boa. O que também devia contribuir para a confiança do cara alí no palco né. Eu não ponho Lady Gaga pra ouvir, sabe? Não é bem minha praia, mas a mulher é foda mesmo. Passei a admirar ela em uma performance no Grammy a uns 2 ou 3 anos atrás (na ocasião o AC/DC fez uma apresentação que levou todo mundo a loucura). Ela cantou justamente nesse esquema de piano e voz.


      Entendo que principalmente hoje em dia, no estúdio é onde tudo deve soar bem. Não sou um homem das cavernas, sei que a tecnologia é uma grande aliada da música nos tempos atuais, o problema é como é usada. Pô, se cara fez um take perfeito você não vai jogar fora e mandar o cara voltar por causa de um semintonadinha no fim. Corrige.... Ou deixa.O que pra mim ainda é valido. O problema está, do ponto de vista do meu gosto, quando isso é extrapolado.

      Pra mim a respiração é parte do instrumento, como o Ismah disse. Ta ali como o som da palhetada está pra guitarra, um escorregão de mãos sobre as cordas, os clicks de um B3... É claro que você não vai deixar o cara soando em uma música como se ele tivesse com uma crise de asma, mas a respiração pode ser aliada até da interpretação do cara em alguns casos. Pega pra ouvir Myles Kennedy, o cara usa bastante.

      No caso dos sertanejos, os caras soam igual por que é tendência, né. É o que é comercial. Outro dia vi a Wanessa Camargo cantando em um desses programas de televisão, a mulher que outro dia se inspirava na Mariah Carey mal e porcamente, hoje em dia tá muito mais pro lado dessas cantoras tipo maiara e maraisa (pra mim continua ruim). Até o Leonardo teve que dar uma reciclada.

      makumbator
      Veterano
      # 21/mai/17 18:25
      · votar


      PguitarMaxx
      ô, se cara fez um take perfeito você não vai jogar fora e mandar o cara voltar por causa de um semintonadinha no fim.

      Se houve uma semitonadinha no fim o take não foi perfeito.

      PguitarMaxx
      Veterano
      # 21/mai/17 19:27
      · votar


      makumbator
      Pensa bem, o cara cantou tudo, botou pra quebrar mesmo. Ele fez de fato algo especial naquela gravação, o único empecilho é um erro no final, algo que acontece com qualquer cantor... Eu considero um take perfeito, principalmente se o cara ta pagando por hora.

      É diferente de você gravar em casa, no seu próprio home. Se você tem tempo de sobra, manda bala e faz novamente.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Masterização nos dias atuais e a "loudness war"

      303.886 tópicos 7.863.477 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital