Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

Volume na gravação: Dica muito boa!

Autor Mensagem
BaNdAiD
Veterano
# jul/08 · Editado por: BaNdAiD


Depois de quase arrancar meus cabelos, e de estragar um monte de mixagens tentando descobrir como fazer a musica ter volume e dinâmica aceitáveis, resolvi pesquisar e me deparei com uma coisa muito interessante.

num forum gringo, o cara deu a dica: "I tend to mix for the dynamic, knowing that the mastering engineer will take care of the overall level to my specification. (Eu tendo a mixar em busca de dinâmica, sabendo que o engenheiro de masterização vai cuidar do volume geral de acordo com a minha especificação)

Ai veio a cartada final: ", Sean prefers to have mixes come in at -15db" (Sean prefere que as mixagens chegem em -15dB)

É muito simples, na verdade! Volume é "responsabilidade" da masterização!!

Quando você grava os instrumentos em volumes baixos (+ ou - 15dB), eles ficam muito mais fáceis de se trabalhar, já que se elimina o problema do clipping praticamente que por completo na mix! Depois que sua mixagem estiver balanceada e equalizada corretamente, exporte o mixdown, abra no seu programa de masterização e traga o volume dele para perto de 0dB com as ferramentas adequadas (normalizer, limiter, compressor, exciter, etc...). Assim, seu resultado final vai ficar muito melhor!!

Como disse o cara, "So, mix quiet and let the mastering engineer sort it out.. (Então mixe baixo e deixe que o engenheiro de masterização resolva..)

outra dica importante, "when you listen to it pre-mastered, simply turn it up. (quando vc ouvir antes da masterização, simplismente aumente o volume.)

Pagina de onde eu tirei as dicas! Detalhe: Repare qual estudio o cara usa para as mixagens dele...

Espero que a dica possa ajudar vcs tanto quanto ajudou a mim!!

Abraços!

João_Luiz
Veterano
# jul/08
· votar


BaNdAiD
É isso mesmo, eu aprendi após ler em algum lugar texto semelhante.

Abraço!

has4
Veterano
# out/08
· votar


BaNdAiD

Excelente dica! Realmente ja havia lido algo similar, mas ainda nao havia posto em pratica, o que farei a partir de entao, depois desta explicaçao bem objetiva. Espero nao empolgar e esquecer desta importante dica que deverei usa-la na pratica.

PS.: teclado do PC desconfigurado!

has4
Veterano
# out/08 · Editado por: has4
· votar


It's all about compression, not just compression on the tracks themselves, but compression on the output buss too, typical pop and rock tracks have a dynamic range of 3-5db, i.e. none at all.


PS.: meu teclado do PC continua desconfigurado, mas vamos la:

Note-se tambem que ha uma discussao entre rock pop e classica, esta ultima realmente possui um dinamismo diferente daquela. E destacam ainda sobre a compressao no BUSS em relaçao a compressao na track, individualmente, sendo p/ rock pop 3-5 decibeis.

Continuam informando que, "As well as compression, a lot of limiting (similar to compression) is also used"
(tanto quanto compressao o limter, que e similar a compresao, e usado) - sem falar nos efeitos.

La, no referido forum, destacam tambem uma breve diferença entre digital e analogico mixers, no que tange aos volumes (taxa de referencia de decibeis), mas sugerem deixar a bola e o chute final para o masterizador (engenheiro, hein!) que cuidara dos volumes limitados em 0db.

E... eles, usam apenas um estudiozinho, um tal de Abbey Road's onde pessimas bandas gravaram e masterizaram seus sons rsrsrsrsrss

e... temos muito o que aprender... eu, aqui, no meu little home studio rsrs

ENFIM, vale lembrar tambem q temos que tomar muito cuidado com os exageros nas compressoes, pois dependendo do que fizermos, cpmprimindo os audios absurdamente, nada podera ser salvo ou feito no momento da 'masterizaçao', pois podemos nao so quebrar o dinamismo como tudo aquilo que captamos.

EU, particularmente, estou me dando conta que, melhor para mim, ate que um dia domine melhor um pouco disso tudo, apenas COLHER (captar) e depois, enviar tudo para quem domine melhor e possa trazer um melhor resultado, enquanto isso, vou ficar de bicao, pra aprender mais, e obvio! rsrs

BaNdAiD
Veterano
# out/08
· votar


has4

Até que enfim alguem que deu bola pro meu post!! hueheuheue

Depois que eu aprendi isso ficou muito mais facil trabalhar as musicas...

ogner
Veterano
# out/08
· votar


ok, entendido.

Porem, aquela outra historia que na gravaçao do track individual, seja a guitarra por exemplo, ela tem q entrar com o sinal mais alto possivel sem clipar no momento da gravação....Pra melhorar conversão do sinal e etc...

Isso confere???

busterchair
Veterano
# out/08
· votar


Otima dica Bandaid

farei isso nas proximas gravacoes!!
abraço

BaNdAiD
Veterano
# out/08
· votar


ogner
aquela outra historia que na gravaçao do track individual, seja a guitarra por exemplo, ela tem q entrar com o sinal mais alto possivel sem clipar no momento da gravação....Pra melhorar conversão do sinal e etc...

Não necessáriamente. Eu por exemplo, gravo tudo em -15dB, pq ai eu tenho um espaço bom pra trabalhar tanto pra mais qto pra menos.

Se vc tem uma faixa gravada perto de 0dB, não dá pra aumentar o volume dela, tem que abaixar todas as outras...ou seja, dá mais trabalho!

busterchair
farei isso nas proximas gravacoes!!
abraço


Quero ver a conclusão daquela musica, com vocal e tudo mais!!

I.Nosferatu
Veterano
# out/08
· votar


BaNdAiD

Puts! Faz uma decada que comentei em algum post aqui sobre a não necessidade de se gravar com tudo beirando 0 db como se costumava indicar anteriormente por aqui... basicamente era: em 24 bits da pra deixar uma folga bem grande algo até -21 db já em 16 bits apesar de ser de onde partiu a necessidade de se gravar em 0 db ainda assim da pra deixar uma folga de -6 à -12 db para as gravações, claro que aqui quanto menos melhor portanto picos de até -6 db já ajudam muito... é uma formula muito basica e evita muitos problemas.

Engraçado que na epoca isso veio intuitivamente pra mim... parecia me meio logico, mas...

Hehehehe... vamos copiar os gringos!!!kkkkkkkk!

ogner

Acho que o comentario acima já esclarece sua duvida! Grave perto ou em 0 db e tenha clips inevitaveis na sua gravina, talvez imperceptiveis, mas estarão lá, num estagio de masterização eles vão saltar a vista e também não deixarão espaço suficiente (leia-se headroom) para um tecnico de masterização trabalhar, muitas vezes o trabalho sairá tão inapropriado que um bom engenheiro de masterização irá te aconselhar a refazer todo o processo, à não ser que queira daquele geito mesmo... portanto cuidado com os niveis e se pretende finalizar para uma obra definitiva, evite masterizar por conta propria suas mixes (a não ser que não tenha condições) e mande pra alguém mais experiente e com bons recursos, muitas vezes o resultado obtido supera as expectativas... teste quando puder masterize uma musica por si e mande a mesma pra outro com melhores recursos e maior experiencia e veja os resultados... alguns estudios oferecem um preview de uns 30 à 60 segundos pra ver se voce gosta do trabalho...

ogner
Veterano
# out/08
· votar


BaNdAiD
I.Nosferatu

Valeu, camaradas. Dicas anotadas e futuramente postas em pratica....

Obrigado.
Abço.

leobozzo
Veterano
# out/08
· votar


já ví tecnico de som/produtor/musico (respeitados) falarem o contrario.... "grave alto pra não captar muito ruído" e agora ouço isso... e agora?!?!

ó dúvida cruel :P

I.Nosferatu
Veterano
# out/08
· votar


leobozzo

Alto no caso seria acima do ruido (background noise, noise floor e interferencias) uma vez (acredito eu) que seu sistema ofereça uma boa relação sinal/ruido e livre de outros inconvenientes que atrapalham na hora da gravina, não vejo necessidade para tanto, já que na maioria dos casos seria algo sem noção... ou então voce talvez deva estudar a possibilidade de se trocar de aparelhagem se o caso (ruido) for tão grave assim...

de -10 à -21db para 24 bits e -6 à -12 db para 16 bits não é lá tão baixo assim também... num caso tipicamente muito ruim voce pode chegar a ter um noise floor de -52db, normalmente eu vejo -72/-62 db por ai nos piores casos, mas se voce consegue ir acima disso volto a enfatizar... talvez seja hora de trocar de aparelhagem...

leobozzo
Veterano
# out/08
· votar


I.Nosferatu

ahhh ruido mesm aqui não tem não, so os caps da guit q sao ruins e serão trocados, mas o equip não tem ruido nao...

bom eu gravava alto por ter lido algo assim mas agora vou testar dessa forma...

-10 à -21db para 24 bits e -6 à -12 db para 16 bits ---->vou me guiar por esse numeros ;)

I.Nosferatu
Veterano
# out/08
· votar


leobozzo

vou me guiar por esse numeros

Veja que é uma margem onde voce pode deixar seus picos durante a gravação, ou seja, supondo que voce grave em 24 bits voce pode fazer como o sugerido acima gravar com -15db de pico (eu prefiro -18db).

Outra coisa é que se voce parar um pouco para comparar uma gravação feita com picos batendo os 0 db e outra com picos em -15 (de acordo com o exemplo do BaNdAiD acima) vai notar que esta ultima soa mais agradavel com um tempo, talvez por causa da margem de erro dos conversores (não estou certo disso), outro ponto interessante é que quando voce vai utilizar algum processamento como um eq ou outro que favoreça o ganho de alguma forma, não terá a saida do plugin clipando precisando reduzir o nivel do sinal pra compensar o ganho entre outras coisas...

Música de Preto
Veterano
# out/08
· votar


eu achoq eu 0db já é abuso, mas é legal gravar com um nível razoável sim, sem dúvida pra não ter que aumentar tanto depois. Quanto ao lance da masterização, com minha pequena experiência, noto que a mix parece realmente "mudar" quando vou masterizar. Nesa de conseguir volume, alguns instrumentos que eu tinha deixado num plano legal dentro da mix saltam aos meus ouvidos de repente - e outros efeitos também fazem isso. Em outras palavras, acho que é uma receita em que nada pode dar errado. A mixagem já tem que "perfeita", do contrário na hora de masterizar já vai dar problema. Enfim, os melhores resultados que eu tenho tido são utilizando o Ozone 3 no master da mix. Na maioria das vezes, nem preciso abrir no SoundForge depois.

Enfim, é só o que eu acho...

BaNdAiD
Veterano
# out/08
· votar


I.Nosferatu

Poxa cara, nem to copiando os gringos! É pq eu não sabia mesmo que vc sabia, senão eu tinha te perguntado!
Mas vc me esclareceu muito tb com as medidas que vc colocou!! Agora vou me atentar mais pro lance dos bits!!

Abraços!

I.Nosferatu
Veterano
# out/08 · Editado por: I.Nosferatu
· votar


BaNdAiD

Hehehehe... foi só uma brincadeira velho!

No mais, em se tratando de tecnicas de estudio, acho muito dificil que as coisas que fazemos por aqui (mesmo os profissionais) não sejam copiadas de lá numa imensidade terrivel, o unico problema é quando se da muita importancia à algumas delas sem fazer uma analise do porque, já que normalmente quem dá essas dicas são pessoas renomadas do ramo...

Por exemplo, no caso do topico mesmo quando surgiu a dica de se gravar bem proximo dos 0 db, a situação era bem diferente de hoje, as interfaces eram de 16 bits ou analogicas, os gravadores de fita k7 ou dat, o snr entre os equipamentos talvez fosse maior, entre outras coisas, tudo isso justificaria a necessidade de gravar perto de 0 db, hoje as coisas felizmente são diferentes desta epoca, mas infelizmente algumas pessoas não sabem separar as coisas e tentar raciocinar, pegam dicas de outro seculo e continuam a usá-las nos dias atuais, e existem varias circulando por ai... fazer o que... somos descendentes de primatas mesmo... rsrsrsrsrs... copiar é mais facil e natural! Ops! Sem querer ofender! Os macacos claro! Rsrsrsrsrsrs....

BaNdAiD
Veterano
# out/08
· votar


I.Nosferatu

É verdade, e outra coisa tb é que antes da difusão do cd, a dinâmica da mídia era muito baixa (40dB do vinil, contra 90dB do CD, aproximadamente)!!

Mas de qualquer forma, muita coisa agente aprende e nunca se pergunta o pq daquilo...simplismente sabe que fazendo x, o resultado é y...

abraços!

AlexB
Veterano
# out/08 · Editado por: AlexB
· votar


O nível de gravação depende muito da sua relação sinal ruído, assim é difícil padronizar um valor, vai depender do equipamento. Existe um ruído de fundo que é constante, você tem que diferenciar muito claramente o sinal do ruído, um sinal muito baixo quando elevado vai aumentar o nível do ruído, e um sinal muito alto pode gerar ruído por si mesmo. Você deve balancear o sinal para conseguir a melhor relação. Em instrumentos com transientes muito alevados tipo a bateria, se os picos estiverem baixos muito do som vai se perder, por isto é melhor deixar os picos altos para depois aparar as montanhas com um compressor. Seria muito fácil se existisse uma regra geral, mas dependendo do equipamento e fonte sonora, o jeito de gravar muda muito. não se prenda a formulas, deixe o seu ouvido ditar o que é certo. Não é preciso enfatizar que um ouvido treinado é a principal virtude de um bom técnico.
Abraço,
Alex

I.Nosferatu
Veterano
# out/08 · Editado por: I.Nosferatu
· votar


AlexB

Alex, voce vai me desculpar, mas não há nenhuma formula magica apresentada acima... é uma dica, nada mais... e por sinal muito valida... cada um vai utilizar como mais lhe apetece...

Não acredito que alguém aqui seja tão ignorante pra gravar com ruido acima do sinal... portanto cada um pode julgar quão baixo o volume pode estar durante a gravação... agora se voce acha que a margem dada aqui para os picos de sinal como exemplo é um sinal muito baixo, sou obrigado a discordar, e como já observei antes se os equipamentos no geral (inclua-se tudo) de quem ta gravando estiver com ruido maior ou entre -62 ~ -52db, é melhor verificar qual o problema e saná-lo (isso inclui trocar de equipamento). Mas veja bem que estamos assumindo que isso não seja um problema aqui...

Não há nada de errado em deixar algum headroom durante a gravação, isso melhora o processo de mixagem e nesta favorece o trabalho de masterização... Veja bem, que por exemplo quem grava com 32bit float, faz justamente isso sem se dar conta, logico que num outro nivel tecnologico, embora não exista conversão real de 32 bits, muitos alegam que fazem isso justamente porque o sinal parece não clipar tão facilmente quando recebem um sinal hot, entre outras coisas... bom, tá cheio de comentarios por aqui sobre isso e não vou me estender nesse assunto, mas basicamente é o mesmo principio... e lembrando que nem toda DAW oferece esses recursos e que muitos ainda optam ou necessitam gravar até em 16 bits por variados motivos, então as dicas são realmente validas... porém não são de forma alguma regras a serem seguidas.

Regra é ficar impresso no consciente das pessoas e aparentemente sem justificativas plausiveis: "grave tudo o mais alto possivel sem clipar" que foi estabelecido anteriormente por aqui e outros locais semelhantes, o que induz a pensar que seja alto batendo 0 db... isso sim se tornou uma regra e nos dias atuais um erro no processo de gravação ao meu ver...

AlexB
Veterano
# out/08 · Editado por: AlexB
· votar


I.Nosferatu
O que eu quero enfatizar é que o nível de gravação depende da fonte sonora, às vezes tem como deixar um headroom, às vezes não. Em instrumentos com transientes muito grandes a conta fica justa.
"grave tudo o mais alto possivel sem clipar"
É preciso entender as diferenças entre o processo de gravação digital e o analógico, para entender o frase acima. No processo analógico a gravação passa pelo console e vai para o gravador, na hora de mixar o áudio sai do gravador para o console de mix. Outro ponto importante é entender que clipping digital e analógico são muito diferentes, em áudio digital o clipping é horrível, inaceitável. Gravadores analógicos são famosos pelo "tape compression" que é emulado por diversos algoritmos digitais.
A afirmação acima podia ser útil no tempo da fita, mas no áudio digital a coisa muda um pouco mas nem tanto. Temos que lembrar que em qualquer processo digital antes do conversor AD tem um equipamento analógico a ser ajustado, pode ser um pré ou outro, mas nesta parte a lógica analógica é fundamental.
Sempre que possível é bom ter headroom pelo óbvio motivo de que quando os sons são mixados juntos as ondas em fase somam-se e os picos vão tornando-se selvagens, com pouco headroom a mixagem fica mais complicada e diminuir o sinal nem sempre é a atitude mais elegante pelo bem do som.
O mais importante é que todo o aspecto sonoro do instrumento esteja representado na gravação, dos picos suaves aos harmonicos mais distantes.
Abraço,
Alex

diego gr
Veterano
# out/08
· votar


Um artigo muito interessante sobre isso:
http://en.wikipedia.org/wiki/Loudness_war

BaNdAiD
Depois que sua mixagem estiver balanceada e equalizada corretamente, exporte o mixdown, abra no seu programa de masterização e traga o volume dele para perto de 0dB com as ferramentas adequadas (normalizer, limiter, compressor, exciter, etc...)
acho que assim acaba jogando todo o trabalho fora, aplicando compressor e limiter
talvez só aplicando um filtro de aumento de volume (para -6db no máximo!!!!) o resultado fique bom (embora sempre ocasione ruídos, inaudíveis, mas voce percebe que eles estão lá)

ou deixa no volume baixo mesmo, a maioria dos DVD de filmes e shows são assim mesmo!

BaNdAiD
Veterano
# out/08
· votar


diego gr

Cara, o ponto que vc colocou é importante.
O uso desse tipo de ferramenta não estraga uma mix, se usado com moderação. Na verdade, eles são essenciais!!

Agora, se vc fizer igual ao "Clip Rubin", ai não tem mix que aguente!! hueheuheuhe


ps:
sempre ocasione ruídos, inaudíveis, mas voce percebe que eles estão lá)

Como é que se percebe um ruido inaudível????

busterchair
Veterano
# out/08
· votar


Death Compression, novo álbum do Metallica já nas lojas!

makumbator
Veterano
# out/08
· votar


busterchair

O álbum devia se chamar Death Dynamic

[/i]BaNdAiD

Hsahshsa. Estamos todos errados aqui meus amigos, que idéia maluca é essa de gravar SEM clipar? A regra que vale(by Clip Rubin e seus asseclas) é essa:

Grave tudo com clipping e ultra comprimido, depois, ao masterizar, comprima ainda mais, e adicione clipping extra a gosto...

E não ousem discutir isso!!!!!!

ophius
Veterano
# out/08
· votar


pow...as minhas gravações sempre tem "rachado" o som.
Será que essas dicas ae acima resolvem o problema??????
O lance é que tow masterizando no mesmo programa onde mixo: O NUENDO.


:P

BaNdAiD
Veterano
# out/08
· votar


ophius
Será que essas dicas ae acima resolvem o problema??????

provavelmente, se não resolver tudo, pelo menos dá um adianto!

O lance é que tow masterizando no mesmo programa onde mixo: O NUENDO.

Baixa o sound forge pelo amor de deus!!

Byel PS
Veterano
# out/08
· votar


Valeu mesmo camarada. É uma pena eu ñ ter participado a mais tempo de foros, eu tambem quebrei muito a cabesso com isso mas concegui chega a um dominador comum. Mas foi muito quebra cabeça. Geralmente mixadores tendem a aumentar o volume do canal mas baixo au invez de baixar os que estam altos de mais, mixagem digital pricipalmente agradeci quando ao minves de suspender o volume abaixar.

diego gr
Veterano
# out/08
· votar


BaNdAiD
Agora, se vc fizer igual ao "Clip Rubin"
não to ligado...que isso?

busterchair
hehehe boooa

Byel PS
u tambem quebrei muito a cabesso
o cabaço vc quis dizer?

busterchair
Veterano
# out/08 · Editado por: busterchair
· votar


aUHAUHAU clip rubin eh o produtor, ou qm masterizou o album do metallica novo huahuahu death dynamic

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
 

Tópicos relacionados a Volume na gravação: Dica muito boa!

290.212 tópicos 7.570.942 posts
Fórum Cifra Club © 2001-2014 Studio Sol Comunicação Digital