Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

Taxa de Amostragem do Áudio

Autor Mensagem
Petrella
Veterano
# set/07


Pessoal,

Tenho uma M-Audio Fast Track Pro e a dúvida é a seguinte:

Devo gravar em 44.1kHz / 16 bits ou consigo gravar em 48kHz / 24 bits?
Existe muita diferença de qualidade entre os dois formatos?

Valeu!
Petrella.

Baruck
Veterano
# set/07
· votar


Bicho, isso é assunto pra mt debate no forum. Teoricamente, é melhor gravar em 24/48 porq todo o processo de gravação, conversão e processamento de efeitos ocorre com um nível maior de detalhes e harmônicos. Finalizada a mixagem pra um estéreo, se masteriza pra 16/44, q é o padrão atual pra cd e mp3. Eu gravo em 24/44 porq 48 gera um arquivo wave mt grande e diminui a capacidade de canais e efeitos do meu pc.

Mas há quem diga q tt faz gravar em 24 ou 16 e q a diferença mesmo é gravar em 48 ou até em 96KHz porq isso é q faz a diferença. Acho estranho. Como disse, na teoria, quanto maior o nível de detalhes, mas informações vão estar nos arquivos wave até passar a régua pra 16 btis na masterização.

Eu gravo em 24/44 por limitações da máquina. Se pudesse, gravaria em 24/48.

Eder Muchiutti
Veterano
# set/07
· votar


Eu gravo em 32/44 por opção. Antes gravava em 24/48 até perceber que não faz muito sentido usar essa amostragem. O ganho de qualidade é muito pequeno de 44 pra 48, e os cálculos matemáticos pro downsampling obrigatório de 48 pra 44 são "aleatórios" demais. Você pode fazer um bounce e gostar, assim como fazer um bounce e não gostar. É melhor manter o sample rate estático. Mais pra frente talvez eu comece a usar 32/88, quando melhorar o computador do estúdio.

Petrella
Veterano
# set/07
· votar


Entendi galera!

Vou fazer alguns testes, como vocês indicaram.
Fiz algumas coisas em 24/48 e a máquina aguentou legal, mas vamos ver a hora que socar muitas pistas com muitos plugins o que rola.

Abraços,
Petrella.

I.Nosferatu
Veterano
# set/07
· votar


Petrella

Eu não gravaria em 24 e nem 32 bits a não ser que estivesse criando trilha sonora para um dvd, porque na minha opinião pra audio (multimidia e cd) isso é exagero e sobrecarrega o processamento do computador demais, sua placa suporta até 96k se não me engano né?

Neste caso eu gravaria tudo em 16 bits e 88.2k, isso já assegura maiores detalhes e cria arquivos de menor tamanho em disco, principalmente se voce estiver trabalhando com diversas pistas, mais consideraria a hipotese de gravar em 24 bits 44k se a placa não suportar até 96k, outra coisa, na hora do mixdown também acho interessante manter o samplerate e aumentar a taxa de bits, ex. 32bit float / 88.2k, porque voce vai estar concatenando varias pistas e efeitos e isso da uma margem de segurança para erros...

Mais cada um aqui grava do jeito que aprendeu ou que acha melhor, descubra qual é o seu, a melhor coisa é seguir sua intuição e seus sentimentos, seguir as ideias dos outros e não ter convicção daquilo que voce ta fazendo é a pior coisa...

Petrella
Veterano
# set/07 · Editado por: Petrella
· votar


I.Nosferatu

Obrigado pelas explicações.
Vou fazer isso mesmo, testar as possibilidades.
Com certeza vão pintar dúvidas aí recorro a vocês.
Caso precisem de alguma coisa também estamos aí, apesar da pouca experiência!!

Abraços.

El_Cabong
Veterano
# set/07 · Editado por: El_Cabong
· votar


Duas dúvidas.

1º) Numa gravação por exemplo, em 44.100Hz significa que durante um segundo de áudio, são colhidos 44.100 pontos com os quais o gráfico do som é desenhado ??

2º) Numa gravação em 16 bits significa que haverá 65.535 (65.535 = número binário de 16 casas) posições possíveis destes pontos se fixarem entre o valor mínimo e o 0db, ou seja, entre o silêncio e o volume máximo haveriam 65.535 valores ??

* Se isso estiver correto, para uma maior riqueza de harmônicas seria melhor então aumentar os "Hz" em vez dos "bits" ?? Opa esta é a 3º dúvida.

I.Nosferatu
Veterano
# set/07
· votar


El_Cabong

Na primeira duvida, não são colhidos os 44100 pontos são colhidas mudanças no estado dos conversores que mudam de acordo com a voltagem do sinal que chega até eles, no caso as mudanças de um sinal cuja frequencia e amplitude cause alterações no conversor armazenadas em 16 bits que contem 65536 posições possiveis para isso.

Na segunda duvida se o sinal for de volume que supere essas posições, voce tem um sinal clipado, se o sinal é de frequencia superior a 44100hz voce tera uma captura com menor definição na area dos harmonicos...

Tanto o aumento dos bits como o aumento de samplerate no estagio de captura do audio, aumentam a definição do mesmo, no caso dos bits voce aumenta a definição digital estabelecendo mais posições para alocação do audio, no caso do samplerate voce aumenta os detalhes (frequencias, harmonicos) que são capturados durante aquele segundo... ambos os metodos são validos, mais o que faz uma diferença enorme é a qualidade do conversor AD que se utiliza para o serviço...

A melhor forma de verificar o que é melhor pra voce é colocando a mão na massa e fazendo experiencias, grave suas brincadeiras sem compromisso algum além do seu desenvolvimento e já convertidas num cd toque no CD player da sala, carro, discman, casa do seu amigo ou o que quer que seja...

El_Cabong
Veterano
# set/07
· votar


I.Nosferatu

Ok.

Com relação a esta frequência de 44,1kHz, eu sempre ouvi dizer que nesta qualidade se consegue gravar sons de até 22kHz, e assim vai. Na qualidade de 48kHz grava-se sons de até 24kHz ...
Pois é necessário dois registros de mudanças para cada "Hz" do som.
Isto é verdade ?

El_Cabong
Veterano
# set/07
· votar


CLARO !!!
Agora que caiu a ficha !!!
Por exemplo neste desenho abaixo de uma onda zig-zag está aparecendo 5Hz,
mas para desenhar este zig-zag é necessário 10 pontos, ou 10 segmentos (variações).

| 1Hz 2Hz 3Hz 4Hz 5Hz
|\ /\ /\ /\ /\ /
|_\____/__\____/__\____/__\____/__\____/____________
| \ / \ / \ / \ / \ /
| \/ \/ \/ \/ \/
|

Por isso que é necessário o dobro de "Hz" para uma determinada frequência do som.
INTERESSANTE !!


I.Nosferatu
Veterano
# set/07
· votar


El_Cabong

Com 44.1 khz voce obtem uma captura do audio precisa de até 22 khz, ou seja toda a faixa audivel à um ser humano, e assim por diante com 48 - 24; 88.2 - 44.1; 96 - 48 e etc... porem com a primeira, voce consegue a captura de até 44.1 khz mas com uma resolução não tão precisa, mas ela está lá, não é ouvida, porem percebida entre as outras frequencias a região dos harmonicos, por não ter muita resolução, quando se grava alguma coisa rica em harmonicos, com 44.1 e 48khz esses harmonicos ficam empobrecidos resultando numa gravação de baixa qualidade... não é bem dois registros e sim uma taxa duas vezes maior para uma perfeita amostra do sinal, o interessante e que quase ninguém leva em conta é que nem todo instrumento produz harmonicos nessa região, ou alguns dos que produzem, não contribuem muito com o timbre na gravação...

O melhor mesmo é voce parar de se preocupar com bits e samplerate e começar a gravar e observar os resultados, principalmente onde eles serão mais ouvidos, cd, internet, mp3 player e por ai vai... se voce for ficar olhando o "ideal" voce vai desenbolsar muito dinheiro com isso, porque vai precisar de equipamentos ultra high-end e no meio disso tudo eu te pergunto, aonde fica a criação, a genialidade, o feeling e o improviso do musico? Afinal acho que isso é o que a maioria aqui é, deixe esses detalhes aos estudios de grande porte... abraço!

I.Nosferatu
Veterano
# set/07
· votar


El_Cabong

Uma maneira legal de voce notar a diferença visualmente é usando as configurações de sua placa de video, onde a qualidade de cor é relativa a taxa de bits e a resolução da tela seria o samplerate, voce pode abrir uma foto bem colorida no seu monitor e ficar brincando com a resolução da placa pra ver o que acontece.

nobre
Veterano
# set/07
· votar


dentre o "padrão" hj estabelecido de 44/16 com certeza o que tem ganhos mais expressivos na minha opiniao na hora de gravar é a taxa de bits, 65k é um valor muito baixo, além disso perde-se muita resolução (exponencialmente) a medida q vc grava em volumes mais baixos... Qualquer coisa abaixo de -12dB já perde muito em definição. 24 bits já são 16M de valores possíveis e resolve o problema

El_Cabong
Veterano
# set/07 · Editado por: El_Cabong
· votar


nobre

Realmente de 16bits para 24bits é um salto absurdo !!
Em 16 bits a "imagem" da onda do som tem 65 mil pontos.
Em 24 bits a "imagem" da onda do som tem 16 milhões de pontos.

Acho que com 24bits já dá para chegar perto de uma fidelidade perfeita (juntando a isso um alto samplerate) Na minha opinião.


Já com relação a frequência os saltos de qualidade são pequenos.
Por isso que eu acho que, para buscar um som melhor, deve-se prioritariamente aumentar bastante a frequência.
E os bits ? Indo para 24 bits é suficiente.

I.Nosferatu
Veterano
# set/07 · Editado por: I.Nosferatu
· votar


nobre

"...65k é um valor muito baixo..."

Voce fala isso porque compara qualidade de dvd 24bit com qualidade de cd 16bit e são coisas totalmente diferentes, voce pode ter toda essa faixa dinamica de 16M num arquivo de 24 bit, mais onde ela será representada em seu produto final? Em 16 bits??? 65K? Esses 65k podem ser baixo pra voce, mais são eficazes! Engraçado voce falar que quando se grava em 16 bits qualquer coisa abaixo de -12db perde definição, porque eu sempre uso 16 bits e jamais notei isso nessa faixa, ja percebi alguma perda em niveis de sinais muito despreziveis pra serem levados em consideração, coisa de "noise floor", talvez seja por causa dos meus conversores, né... antigamente eram de 20 bits, hoje de 24, seria pra isso a utilidade deles? hehehehehe... afinal eles estão sempre operando a 20 ou 24 bits, independente de voce estar gravando a 16, 24 ou 32 bits, pois são projetados para isso! Esse problema poderia ser aparente em placas mais antigas com conversores de 16 bits, algumas tinham conversores de 12 + 4 pra completar... mais com o surgimento de conversores de 18, 20 e 24 bits atualmente, teve se uma melhora (exponencialmente) nisso...

Por um lado resolvido o problema da faixa dinamica e o samplerate que é necessario o dobro no caso do cd pra se ter um aproveitamento da qualidade toda da midia é necessario 88.2k pra chegar numa resolução fiel de 44.1k... mais isso se faz desnecessário se voce tem certeza de que o que ta produzindo não passa de 16-20k, ai pra que seriam necessario tudo isso se os 44.1 ja resolveriam...

Marcelo França
Veterano
# nov/07
· votar


Pessoal

Quanto maior a taxa de amostragem, mais precisa será a gravação, por ex.: numa taxa de 96 kHz, significa que a cada segundo 96.000 pontos são digitalizados com relação a um segundo do sinal analógico original.

Quanto a quantidade de bits, quanto maior for, maior será a precisão dos pontos digitalizados.

Quando falamos de conversão de analógico para digital portanto, a taxa de amostragem e a quantidade de bits são muito importantes, e devem ser colocadas no valor maior que o computador suporta, com o objetivo de se registrar um som mais fiel possível com relação ao original analógico.

abraços

Marcelo - banda CRIA

http://www.myspace.com/bandacria

Marcelo França
Veterano
# nov/07
· votar


continuando minhas afirmações...

podem perguntar:

"- Mas se a taxa de reprodução do CD é de 44.1kHz/16bits porque eu devo gravar numa taxa e bits maior?"

resposta:

Durante a mixagem ocorrem transformações do som gravado, como por exemplo, a adição de efeitos digitais, compressores, reverbs, delays, overdrives, e a mixagem propriamente dita, quando se transforma vários canais em somente dois. Então quanto melhor a qualidade do som gravado, ou seja, maior a taxa de amostragem e maior bit, melhor será o resultado da aplicação dos efeitos e a mixagem.

ex de como se "perde" informação na conversão de analógico para digital:

1/3 + 1/3 + 1/3 = 1 - precisão infinita - erro = 0

0,333+0,333+0,333=0,999 - precisão de 3 casas decimais - erro =0,001

0,3 +0,3+0,3=0,9 - precisão 1 casa decimal - erro=0,1

abraços

shoyoninja
Veterano
# nov/07
· votar


Isso é tema de debate para mais de metro...

Tem gente que diz que consegue ouvir claramente a diferença entre taxas de amostragem (44k,96,192,etc) e de resolução (16 ou 24 bits)...

Até hoje nenhum teste provou isso... Todo mundo que dizia perceber a diferença E se submeteu a um teste cego não foi capaz de dizer qual era qual. Ao mesmo tempo, existem muitos que dizem ser capaz de perceber a diferença e se recusam a passar pelo teste.

Confesso que meus ouvidos não são "apurados" a esse ponto. Para mim um som a 44k e a 96k fica a mesma coisa... Talvez meu cachorro consiga perceber diferença, mas infelizmente ele ainda não compra CDs e não parece gostar muito de música...

Então teste e escute... Se você perceber diferença, parabéns, você tem ouvidos de morcego... Se não... De que adianta gravar em super ultra resoluções?

AlexB
Veterano
# nov/07
· votar


Gravar em resoluções super altas, acaba sendo apenas bobagem técnica que vai comer precessamento.
É bom gravar em uma resolução levemente mais alta para evitar o ruido de erro no processamento do sinal.
No momento que o códido é transformado por algum efeito, uma taxa ligeiramente mais alta garante que alguns ruidos gerados por erro serão menos evidentes no sinal de saida que sofrerá um "downsample".
Assim se gravar em 24bits 48 khz, já é suficiente para diminuir o erro de processamento.
Normalmente processamos o sinal nos daws atuais em 32bits floating point, para evitar que ocorra o cliping acidentalmente acima de 0dB. Se você manter-se bem longe deste limite os 24 bits serão mais que suficientes. Cliping digital é diferente de analógico onde há distorção. Usando 32 float você tem mais espaço para trabalhar em segurança sem cliping.
Abraço,
Alex

I.Nosferatu
Veterano
# nov/07
· votar


shoyoninja

"Tem gente que diz que consegue ouvir claramente a diferença entre taxas de amostragem (44k,96,192,etc) e de resolução (16 ou 24 bits)..."

Normalmente quem fala esse tipo de coisa esta falando o seguinte: "Eu consigo ouvir a diferença entre um arquivo gravado em 16/44.1 e outro gravado em 24/44.1" e não existe nada de extraordinario nisso, se voce pegar uma cristal de 16 e uma audigy de 24 e ouvir um cd bem gravado em ambas provavelmente vai surtir o mesmo efeito... existe uma diferença tremenda entre os arquivos ou mesmo o equipamento que se usa para analisá-los. Mais mesmo trabalhando com 16 bits com um conversor de maior capacidade ou do tipo delta sigma voce consegue uma boa qualidade do sinal.

Se produzir um cd e tirar um bom resultado tanto em 16 bit como em 24 bit e divulgá-lo, provavelmente um numero muito insignificante de pessoas vai saber que tipo de resolução voce usou, o restante somente se voce contar...

AlexB

Voce tem razão meu rapaz, muita resolução demanda muito processamento e equipamentos capazes de suportá-la, alguns hardwares externos ainda estão trabalhando em 44.1 /48 Khz e por isso muitos estudios profissionais ainda usam essa taxa de amostragem pois usam processamento externo em suas mixes, em se tratando de audio para cd isso já é suficiente porque abrange toda faixa audivel ao ser humano, 20k alguns não passam dos 16k... e mesmo instrumentos (tanto musicais como de captação) dificilmente estarão/ ultrapassarão essa faixa... agora uma gravação com sample de 88.2 tem maior quantidade de amostras do sinal e por isso não deixa de ser melhor e preferével que 44.1, mais pense nisso se seu equipamento suportar isso, até alguns bons plugins pedem arrego numa taxa dessas

Quanto a gravar em 16/ 24 ou 32 bits, a historia é outra, por exemplo, suponha que voce vá gravar uma guitarra eletrica ou distorcida, ou algum instrumento de percussão sem muita dinamica, perceba que mesmo se voce gravar isso em 24 bits, o instrumento não oferece tanta dinamica pra isso e muitas vezes possui ruido alto (caso da guitarra), dependendo da ocasião, nesse caso se voce gravar em 16 bits o resultado será igual à uma gravação de 24 bits, embora esse ultimo ofereça uma dinamica maior o intrumento que voce grava cabe tranquilamente na dinamica oferecida por 16 bits.

Agora por outro lado, se voce vai gravar vocais, bateria, violão acustico (principalmente classico) ou outro instrumento mais dinâmico, ai 24 bits na gravação vem a calhar, porque justamente a faixa dinamica é maior e não seria necessario o uso de compressores como antigamente para conter a faixa dinamica para um valor relativo aos 16 bits, e também voce pode gravar o instrumento num volume relativamente mais baixo a fim de evitar os clips durante a gravação, note que nunca se deve abaixar o volume nos controles de entrada da placa e sim no preamp, abaixar na placa não evita a clipagem do sinal...

Quanto a gravação em 32 bits é uma tecnica desnecessária, até porque não existe conversão de 32 bits, voce acaba criando arquivos maiores à toa, porém vale lembrar, que não importa quantos bits se use deve-se manter a taxa de amostragem sempre fixa eg. 44.1/96k, já a quantidade de bits, essa deve e pode ser mudada a cada processamento.

Ex. começou gravando em 16/44.1, mixe e processe para 24/44.1, começou com 24/88.2 mixe e processe para 32/88.2, e definitivamente efetue o processo de masterização (se necessário) em 32 bits... esta é a ordem que permite menor perda de sinal, mesmo que voce vá terminar em um cd (16/44.1) ou num dvd (24/48 ou mais) 32 bits na masterização é o ideal, se alguém discorda eu sinto muito afinal nesse meio se aprende de tudo (e já vi tanta besteira), principalmente primar por equipamentos ao invés de sua utilidade...

Marcelo França
Veterano
# dez/07
· votar


Uma experiência prática:

Gravei uma música com taxa de 44khz/32bits e depois gravei tudo de novo com 88khz/32bits . Mixei e masterizei e depois transformei tudo pra 44khz/16bits. Como de esperado a qualidade sonora do 88khz/32bits foi superior.

Portanto, usem a qualidade máxima que o seu PC suportar, os resultados certamente serão melhores! As resoluções intermediárias do processo de mixagem e masterização são muito importantes.


abraços

bilzão10
Veterano
# dez/07
· votar


ola pessoal, tenho uma placa 1010, e tenho uma mesa beringher 1204 fx pro, tenho intenção de alguns meses estar trocando de mesa quero estar fazendo varias gravações em meu home estudio inclusive de bateria estou comprando as coisas aos poucos,sei que uma coisa puxa a outra. com esta placa e esta mesa qual sera a melhor ligação que tenho que fazer, qual configuração de equipamentos a custo beneficio vcs me endicariam estar montando a não ter problemas futuros,se puder me ajudar agradeço.

tdm
Veterano
# jun/08
· votar


bilzão10 Tá no tópico errado mais se quizer tirar suas duvidas me adicione: pristhi9@hotmail.com.br

Meus amigos, tem gente que dá muita atenção a essa parte de khz e bits, eu já fiz os dois testes e realmente não tenho ouvido de morcego , mais a minha conclusão é: Tenha um ótimo instrumento, bons microfones, bons prés, uma boa sala com ótima acústica e um bom entendimento musical, já temos 99% dos problemas resolvidos.

www.homesounds.com.br/musicas

Enviar sua resposta para este assunto
        Tablatura   
 

Tópicos relacionados a Taxa de Amostragem do Áudio

286.587 tópicos 7.485.189 posts
Fórum Cifra Club © 2001-2014 Studio Sol Comunicação Digital