Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Instrumentais Virtuais 010101

      Autor Mensagem
      Flipe J.
      Membro Novato
      # ago/15 · Editado por: Flipe J.


      Fala galera! Segue abaixo uma playlist de 4 pequenas músicas que fiz ao logo da semana utilizando de instrumentos virtuais e samples.

      Dei uma variada de estilos tentando superar minhas limitações.

      Se possivel ouçam e comentem o que acharam e no que posso melhorar!! Um abraço à todos.

      https://soundcloud.com/felipe-j/sets/demo

      Jabijirous
      Veterano
      # ago/15
      · votar


      Flipe J.

      Nichizo parece ter uma leve distorção. A música é bela, curti bastante.

      Daw V2 A música é bela, mas precisa ser trabalhada mais a questão da dinâmica nas cordas. Tá muito flat, isso dedura que é midi.

      Eternal Rain É o mesmo piano usado em Nichizo? Parece estar bem comprimido, pois em alguns momentos o som diminui, típico de compressão exagerada. Muito bonita a música.

      Free v2 De todas as músicas é a que mais soa mecânica, ou seja, midi. Esse tipo de música é complicado de samplear, ainda mais com violão fazendo essa levada. Se tivesse um violão tocado de verdade, iria diminuir a sonoridade computadorizada.

      Ouvi ótimas composições, você tem futuro. O que você precisa agora é praticar mais seu sequenciamento e ter instrumentos virtuais de melhor qualidade.

      Flipe J.
      Membro Novato
      # ago/15
      · votar


      Jabijirous

      Primeiramente obrigado por ouvir e pelas criticas!
      Realmente compressores são minha dificuldade atualmente.

      É o mesmo piano usado em Nichizo?

      Sim e nessa usei um maximizer e fiquei na duvida: mantenho a dinamica ou que soe alto...?

      O que você precisa agora é praticar mais seu sequenciamento e ter instrumentos virtuais de melhor qualidade.

      Valeu pelas dicas!

      Jabijirous
      Veterano
      # ago/15
      · votar


      Flipe J.
      Sim e nessa usei um maximizer e fiquei na duvida: mantenho a dinamica ou que soe alto...?

      Como sua música tem uma estética que precisa de dinâmica, o ideal é que não use o compressor. Mas se for usar, use pouco.

      Flipe J.
      Membro Novato
      # ago/15 · Editado por: Flipe J.
      · votar


      Jabijirous

      Essa é minha grande dúvida atualmente: como ter um bom volume e manter a dinâmica? Principalmente em piano solos.

      Jabijirous
      Veterano
      # ago/15
      · votar


      Flipe J.
      Eu uso um pouco de compressor em minhas músicas, mas só pra chegar no volume ideal sem comprimir muito. Caso contrário, perco todo meu trabalho de dinâmica.

      Adler3x3
      Veterano
      # ago/15 · Editado por: Adler3x3
      · votar


      Felipe J

      Ouvi as músicas, todas tem um ótimo potencial.
      Concordo com o Jabijirous sobre o uso de compressores.
      E no seu estilo musical o seu uso deve se buscar um uso bem de leve, ou quase inexistente.

      A questão da relação volume/dinâmica é complicada no uso de instrumentos virtuais.
      E a receita que vale para um instrumento virtual pode não valer para o outro.
      Usando softwares pode existir "n" formas diferentes de se controlar o nível de volume.
      A começar pelas velocidades das notas, mas da mesma forma quando se fala da dinâmica do áudio em geral, tem que observar também a dinâmica das tracks midi.
      O aumento da velocidade de ataque das notas, aumenta o volume, mas depois de certo ponto, pode também prejudicar a dinâmica, pois um ataque muito forte, tira a sensibilidade da música.
      Então tem que em midi usar outras instruções para aumentar o volume, como a expressão por exemplo.

      Por outro lado, digamos que um certo instrumento virtual, esta soando baixo, e o que fazer?
      01- verificar o nível de velocidade se esta muito baixo;
      02- aplicar o recurso midi de expressão;
      03- Aumentar o nível de volume no Vst mesmo que já esteja perto ou em zero db, se aumentar o volume e não clipar não tem problema.
      04- Revisar a articulação do instrumento, você pode estar usando uma articulação que esta em pianissímo, mas a dinâmica da música exige um meso forte, e assim vai tocar mais baixo; então tem que experimentar e verificar se esta usando a articulação correta.
      Claro depende da complexidade do VST, softwares mais simples não tem muito controle de volume;
      05- A media que se vai adicionando mais tracks de instrumentos, a música como um todo vai aumentando naturalmente de volume;
      Assim esta parte só deve ser analisada melhor quando todas as tracks estão prontas;
      06- E conforme o Software podem existir outras formas de ganhar mais volume.
      Dê sempre a preferência aos próprios efeitos do Vst, para depois se não tiver jeito usar efeitos externos.
      07- Como último recurso utilize compressores e limiters, mas as vezes em vez de usar um compressor tradicional, experimente usar um maximizador, que tem funções parecidas com o compressor, mas atua de forma diferente, e assim pode-se conseguir um resultado melhor de um plugins que não agrida tanto o áudio final.
      E existem diferentes softwares com diferentes nomes que influenciam no nível de volume, tem que ir experimentando.
      08- E tem plugins que se inserem na track, e plugins que se inserem na master geral, as vezes é melhor desabilitar um da track e saber usar melhor o dá master geral, depende, tem que ir experimentando.
      Ou se esta usando na master track e não na track individual, e se o instrumento esta muito baixo, de repente tem que inserir algo na individual.
      09- verificar e conferir se o envelope do instrumento virtual esta de acordo com o estilo e proposta da música, aqui pode ser necessário incluir variações, que também afetam o nível de volume.
      Neste estilo de música, tem que tomar cuidado para não usar plugins destinados a pura música eletrônica, tem que pensar no estilo, isto é usar os plugins mais adequados.
      10- E sempre usar um plugin visualizador de espectro das ondas sonoras no final da cadeia de efeitos, para analisar com mais detalhes, quais as frequências que estão muito altas ou baixas, e conforme vai aplicando algum efeito, observar se o resultado vale a pena ou não.
      As vezes aplicamos algum efeito, mas no final das contas não adianta nada na questão de volume, então melhor não usar.
      Pois cada efeito que se adiciona sempre deixa um rastro no áudio.
      Cuidado com o uso de EQ e para ajustar a clareza e a presença, mas não é um efeito ideal para volume.
      O reverb também, tem que ter na música, mas conforme se usa o reverb no instrumento individual o seu volume baixa naturalmente.
      Assim tem que saber dosar o reverb na faixa individual, e o reverb que fica na master geral. (para unificar o áudio)

      Esta é uma busca constante, a do nível ideal de volume
      É uma dificuldade enfrentada por todo e qualquer músico quando vai usar uma daw e mixar e masterizar.
      E não existe uma única receita, e uma única solução.
      A ideal é aquela que menos agrida a dinâmica da música, mantendo uma boa equalização.
      E tudo vai depender também da mídia final em que o áudio vai ser escutado pelos seu fãs.
      Infelizmente para poder inserir boa música nas mídias de screaming (internet) muitas vezes vai ser inevitável sacrificar em certo ponto a qualidade da dinâmica.
      Pois no geral o nível de volume é muito alto, mas se a sua música ficar num nível mais baixo comparativamente, o pessoal vai deixar de ouvir, e passar para uma outra música de outro artista, e deixar de lado a sua.
      Este é um problema de difícil solução, e assim conforme o caso de destino final da mídia, tem que fazer diferentes masterizações, mesmo estando ciente de que esta nova masterização prejudica.
      Achar o ponto ideal aqui é muito difícil senão impossível.
      Só os ouvintes mais exigentes na questão de qualidade de áudio, é que sabem ouvir, sabem que a música tem que ter níveis de volume mais baixos, e assim quando escutam ajustam o nível de volume manualmente, mas a grande maioria dos ouvintes não faz isto.

      Edit:
      tem muito mais sobre o nível de volume, tudo depende da gravação original em si, e dos softwares, assim tem que dentro das suas possibilidades, ir aprendendo a usar o que cada software pode dar de melhor, e isto não é somente uma dificuldade sua, todos nós sofremos deste problema de volume.
      E tem que também saber administrar os clips (distorções de áudio por causa do volume muito alto), e assim tem que usar uma track auxiliar de automação, e modificar o nível de efeito na linha do tempo, onde ocorrem os clips, seja diminuindo o nível do efeito, seja baixando um pouco o nível de volume geral, dá um certo trabalho, mas digamos que assim você faz uma espécie de ajuste (uma espécie de compressão natural, isto ajusta manualmente os diferentes níveis, ou seja você trabalha direto na fonte do problema, eliminando as diferenças dos níveis dos instrumentos que exigem a necessidade de compressão, e assim se acerta aqui não tem o porque de usar de usar compressão), mas evita usar os compressores em demasia.
      É um erro usar na linha do tempo da música os mesmos níveis de efeitos o tempo todo.
      É uma mixagem/masterização meia boca, pode até aparentar ser boa, mais é meia boca, pois não conserta o real problema.
      Não atua na causa do erro, e sim no seu resultado(efeito).
      Claro vai exigir mais tempo, e assim um mixador/masterizador profissional não pode perder muito tempo, pois tempo para ele é dinheiro.
      Já um hobbysta de áudio, não tem este problema e pode se aprofundar mais, e gerar um mixagem/master melhor.
      Claro dá trabalho, mas quanto mais você trabalhar aqui na automação (que na verdade não é uma robótica muito pelo contrário).
      Claro é robótica no sentido de que cada vez que se da play toca igualzinho, mas até isto não é uma regra geral.
      Pois no caso dos pads (sons mais largos) podem ocorrer diferenças a cada vez que se grava, e assim quando um pad não esta soando tão bem, tem que experimentar fazer diferentes gravações (transformar o midi em aúdio) até encontrar a mais perto da ideal.
      Os compressores são úteis e necessários mas tem que saber usar, coisa que não sabemos fazer direito, pois temos as nossas limitações, não somos engenheiros de áudio, além do que os manuais do plugins em geral são muito ruins.
      E o ponto mais importante que notei , é que quanto melhor o instrumento virtual (no geral mais caro), melhor se adapta a música na questão de volume, os instrumentos virtuais ruins, tem o problema ou de soarem alto demais, ou no geral de soarem baixo demais. (pois se esta soando alto demais é fácil, é só baixar o volume, mas se esta soando baixo, conseguir um nível ideal é muito mais difícil e as vezes é uma tarefa impossível de se conseguir.
      Daí a importância de ser ter boas bibliotecas de instrumentos virtuais.

      Adler3x3
      Veterano
      # ago/15 · Editado por: Adler3x3
      · votar


      A dinâmica dos instrumentos.

      Nos instrumentos virtuais podemos ter:
      - notas sampleadas de acordo com a dinâmica desde o ppp (pianíssimo) ao fff (fortíssimo);
      - notas sampleada numa media de velocidade;

      No midi:
      - podemos editar e usar diferentes velocidades conforme o modo que se toca, também do pianíssimo ao fortíssimo).

      E temos duas diferentes dinâmicas, a do midi e a do áudio.
      A do midi influencia o resultado final a do áudio.
      E para ter uma dinâmica final mais realista tem que compatibilizar e ajustar diversos níveis de controle na edição.

      Só que?!?!
      O instrumento virtual não tem separações de velocidade (ou melhor da dinâmica em si) ,usa uma média.
      Cada instrumento virtual de diferente desenvolvedor (e até do mesmo) responde de uma forma diferente, o que pp num pode ser p no outro.

      E assim cada caso é um caso.
      E aí a melhor forma e escutar e tentar ajustar os níveis de velocidade.
      Encontrado o equilíbrio de variações entre uma nota e outra (forma de tocar e dar sentido a interpretação), o próximo passo é ajustar, daí se pode reduzir ou aumentar em percentagem. até que fique melhor, sempre observando o comportamento das notas em um visualizador de espectro.

      Quando o instrumento virtual tem variações de articulações de acordo com a dinâmica o processo é obviamente diferente, claro tem que ter variações nas velocidades, e a partitura tem que estar bem feita com claras e precisas variações.
      E tem que testar cada articulação de modo a compatibilizar os níveis, dos instrumentos virtuais, que são ppp por exemplo, com os níveis de velocidades.
      E a melhor forma é comparar os resultados das experiências com os db (decibéis) que aparecerem no analisador de espectro.
      E claro levar em consideração também as instruções de expressão, modulação e sustentação das notas, entre outros detalhes.
      Quanto mais detalhado, mais caprichado melhor vai ser o resultado final.
      Assim se você sequencia uma parte que esta em ppp, no analisador de espectro tem que aparecer com o nível de decíbeis compatível.
      Se a parte da música é em ppp, não pode aparecer no visualizador com decibéis de mf, isto vai mostrar que esta parte esta com erro, e o trabalho tem que ser refeito.
      Tem que ir consultado tabelas de velocidades e de decibéis.

      Imagine então um VSTi mais complexo, que analisa e adapta a dinâmica, seria necessário mais samplers, e um inteligência artificial mais elaborada.

      E por fim para poder ajustar melhor ainda usar as tracks de automação para fazer pequenos ajustes finos necessários.
      Nunca vai ficar 100%.

      E o mal uso de compressores aqui, simplesmente detona a dinâmica, isto é a interpretação, seja de instrumento real seja de virtual.
      E claro no moderno sistema de audição pela internet esta parte da dinâmica musical esta comprometida.
      É a má audição de música, pois não respeitar as variações de dinâmica é um erro crasso contra a música, o dano do loudness war.

      Claro dependendo do tempo para fazer e gravar a música pode ser que não tenhamos prazo para detalhar tanto assim.
      Mas quanto mais detalhes melhor.

      E como o piano é muito sensitivo dá muito trabalho para sequenciar.

      Os textos podem parecer extensos, mas não o são.
      Muito mais detalhes existem, como aplicar variações de tempo, variações nos compassos (conforme o instrumento, antecipar notas ou retardar), diferentes tempos em que o instrumento pode começar a soar num compasso e muito muito mais.

      Mu_Cephei
      Veterano
      # ago/15 · Editado por: Mu_Cephei
      · votar


      Gostei das tracks, só achei a última meio artificial, como disseram acima.

      Essa é minha grande dúvida atualmente: como ter um bom volume e manter a dinâmica? Principalmente em piano solos.

      Já experimentou compressão paralela? Basicamente você usa um send da track de piano para um canal auxiliar, e nesse auxiliar você usa um compressor "no talo". Isso mantém os transientes da track original ao mesmo tempo que adiciona densidade ao piano.

      Flipe J.
      Membro Novato
      # set/15
      · votar


      Muito obrigado caro Adler3x3 muito informativos os seus textos, com certeza serão de grande valia para mim.

      Jabijirous

      Pior que nunca tinha pensado nisso, obrigado por ouvir e pelo insight vou tentar nas próximas.

      Flipe J.
      Membro Novato
      # set/15 · Editado por: Flipe J.
      · votar


      https://soundcloud.com/felipe-j/sets/demo

      2 tracks uplodadas "Memories" and "Out of the box".

      Reduzi o uso de compressores.

      Jabijirous
      Veterano
      # set/15
      · votar


      Flipe J.

      Agora sim! Apesar de ter ouvido no fone, tá soando bem pacas!

      Tá no caminho certo!

      Adler3x3
      Veterano
      # set/15
      · votar


      Olha!

      Melhorou e muito.
      Para o meu gosto ainda não esta o ideal.
      Mas é o meu gosto, e é uma questão de estilo, cada um forma o seu próprio estilo.
      Mas comparando com outras gravações tá show
      Você conseguiu avançar e já esta num outro estágio, num passo mais a frente.

      Flipe J.
      Membro Novato
      # set/15
      · votar


      Jabijirous e Adler3x3

      Que ótimo!
      Com certeza graças aos seus comentários. Obrigado mais uma vez.

      Adler3x3
      Veterano
      # set/15 · Editado por: Adler3x3
      · votar


      Flipe J.

      Dá mais trabalho para fazer mais o resultado fica melhor.
      E depois com mais prática vai ficar mais fácil e rápido de fazer.
      E sempre vai ter uma técnica que se pode ir aperfeiçoando, ou variando descobrindo "n" formas diferentes de fazer a mesma coisa.

      E medida que vai aprendendo vai ensinando os outros.
      Todos nós temos limitações, todos nós estamos aprendendo
      A verdadeira harmonia começa com a harmonia entre os músicos com respeito e ordem.
      Depois vem a harmonia musical.
      Um acorde mais simples de três notas, significa que cada nota é uma pessoa, e soa bem porque as pessoas estão de acordo entre si.

      O Jabijirous é um bom professor.

      Aqui neste tópico por força de esclarecer alguns questões sobre softwares, detalhei um pouco mais o processo de automação, e escrevi outras coisas que já tinha postado, mas com outras palavras:
      E este é um tema muito amplo.

      http://forum.cifraclub.com.br/forum/16/323856/

      Jabijirous
      Veterano
      # set/15
      · votar


      A verdadeira harmonia começa com a harmonia entre os músicos com respeito e ordem.
      Depois vem a harmonia musical.
      Um acorde mais simples de três notas, significa que cada nota é uma pessoa, e soa bem porque as pessoas estão de acordo entre si.


      Pura filosofia!! Adler3x3

      Flipe J.
      Membro Novato
      # set/15
      · votar


      Nova track adicionada: "Anathema".

      Senti que essa pediu compressão só não sei se a usei direito rsrsrs.

      https://soundcloud.com/felipe-j/anathema

      Adler3x3
      Veterano
      # set/15
      · votar


      Flipe J.

      Caro Felipe.
      Esta não me animou tanto.
      Mas acho que você exagerou no compressor.
      E não gostei da instrumentação.

      makumbator
      Veterano
      # set/15
      · votar


      Flipe J.

      Ah, eu gostei. Ficou com um pitadinha dance (por isso acho que a compressão se justifica). Curti os glissandos.

      Flipe J.
      Membro Novato
      # set/15
      · votar


      Adler3x3
      A intenção era fazer uma musica "peculiar" tipo "ame ou deixe".
      Vlw por escutar.

      makumbator
      Opa! Uma opinião diferente. Que bom que gostou! A harmonia é muito dance mesmo... principalmente se tirar os demais instrumentos.
      To buscando umas sonoridades "diferentes" para cada musica.

      lonehunterband
      Membro Novato
      # set/15 · Editado por: lonehunterband
      · votar


      E aí pessoal, tudo certo?

      Adler3x3
      Foi quase uma palestra, hein! Quando o cara manja é outra coisa! rsrsrs
      Muito conteúdo! Parabéns por compartilhar!

      Flipe J.
      Como citado, usar compressão paralela ajuda um bocado.
      Nas minhas gravações eu usei um monte de bus. Parte agrupando instrumentos por semelhança, parte usando efeitos em paralelo, etc. Tudo foi direcionado pra 2 bus em série, sendo o último o Master. Nesses eu tentei ajustar e finalizar a parte de volume. Olhando a representação gráfica do áudio da pra usar compressor/limiter/maximizer. Pra não exagerar você deve apenas dar uma "aparada nas pontas" rsrsrs
      Veja a imagem:
      https://lh5.googleusercontent.com/proxy/GnRj55uuveyHvmi_rLSUcftL83aiTo icKrZtlO5ueYv0h5NvUqn2NQR4Dq9UacGv6C1LhqOCPXlcJLIwpcKnKde-dwTMfz_2ji5a rIZGvxunMLfm0f-Rr-jWsm0qRuzG9dl3R7ELiNqbVG4zAKvNgI414t9E55RgYAi2M6VUVp 63ncbZFQDB1-hsPZswufix9iybyBWE23sN-mCKnuYfXSAKYb9cqLbCroc=w812-h181-nc

      O corpo das ondas ficam e os picos você vai espremendo e aumentando o volume com compressor/limiter/maximizer até chegar em 0db ou -1db.
      É uma ideia.
      Mas tudo depende do vst e da intenção musical que a música esteja pedindo.
      Use também os simuladores de gravador de rolo, válvulas e equipamentos analógicos pra tentar dar um pouco de vida, reverb e ambiências também ajudam.
      Vai testando e vendo o que vai acontecendo. É tentativa e erro até acertar.
      Eu estou começando ainda. Peço até que me corrijam se eu escrevi alguma bobagem.

      Flipe J.
      Membro Novato
      # set/15
      · votar


      lonehunterband

      Valeu pelas dicas! Qualquer opinião com o objetivo de ajudar é bem vinda.

      Flipe J.
      Membro Novato
      # 22/mai/16 20:16
      · votar


      Mais uma curtinha: https://soundcloud.com/felipe-j/distant-shrine

      Inspirada em VGMs de RPG e similares.

      Jabijirous
      Veterano
      # 23/mai/16 09:34
      · votar


      Flipe J.
      Ficou bom. Só falta trabalhar um pouco mais na mixagem!!

      Adler3x3
      Veterano
      # 23/mai/16 09:41 · Editado por: Adler3x3
      · votar


      Legal.
      Concordo com o Jabijirous, a mixagem pode ser melhorada, os agudos as vezes soam um pouco ardidos, e esta soando mais para mono.

      Avante!

      Flipe J.
      Membro Novato
      # 19/nov/17 19:33 · Editado por: Flipe J.
      · votar


      E aew galera! Passando por uma fase complicada da vida deixei meio que o FCC em ultimo plano, caí num buraco chamado depressão e desde então estive tentando sair dele but I'm back now (I hope).

      Sigo como um compositor de fim-de-semana a cada dia tentando aprender mais um pouco e com tracks curtas, tento focar na qualidade do minuto e não na quantidade deles.

      Agradeço desde já aos colegas que ouvirem, as opiniões e sugestões.
      Aviso que tbm tenho interesse em ouvir as obras dos senhores é só deixar o link q irei conferir com certeza.

      https://soundcloud.com/felipe-j/always-by-my-side

      https://soundcloud.com/felipe-j/conqueror-of-the-seven-seas-boss-theme

      Adler3x3
      Veterano
      # 19/nov/17 22:22 · Editado por: Adler3x3
      · votar


      Bem melhorou.

      Comece a fazer músicas além de um minuto.


      Espero que melhore do outro lado deixando a depressão.

      O melhor caminho para sair da depressão é estudar as virtudes.

      Muito bom te ver por aqui de novo, me manda um e-mail.

      Abração

      Flipe J.
      Membro Novato
      # 21/nov/17 19:51
      · votar


      Muito grato pelas palavras caro Adler3x3! Lhe mandei um email, reponda quando puder.

      Até!

      tito lemos
      Veterano
      # 23/nov/17 15:46
      · votar


      Marcando aqui pra ouvir com (c)alma depois.

      tito lemos
      Veterano
      # 29/nov/17 21:50
      · votar


      Flipe J.
      Cara, ouvi tuas músicas, e mesmo as primeiras (gravadas tempos atrás) são muito boas em termos de ideias. O problema está somente no som demasiado artificial em alguns momentos, culpa dos instrumentos virtuais. Por isso, acho interessante mesclar instrumentos reais com virtuais, pra transmitir mais realidade à coisa. Mas você faz algo que eu há tempos quero fazer também, música instrumental simples, porém tocante. Melhor que muito instrumental "blu blu blu" por ai (me refiro ao virtuosismo exacerbado, principalmente dos instrumentais de guitarra).

      Quanto aos sons mais novos, não curti muito a "Conqueror..." pq eu tenho preconceito mesmo com trilhas orquestrais feitas com VSTis, eu acho sempre artificial em algum ponto, e mesmo quando tá muito bem feito (como é o teu caso), acho que esse tipo de música é pra orquestra real mesmo e ponto. Já a "Always By My Side"... Cara, eu adorei! É o tipo de som climático que faz minha cabeça. A gente precisa trocar ideia brother.

      Grande trabalho! Parabéns!

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Instrumentais Virtuais 010101

      303.879 tópicos 7.863.284 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital