Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Mercado de Ações >> Aprenda =)

      Autor Mensagem
      Rato
      Veterano
      # nov/06


      O que é uma compania Aberta?

      É considerada aberta quando promove a colocação de valores mobiliários em bolsas de valores ou no mercado de balcão. São consideradas valores mobiliários: ações, bônus de subscrição, debêntures e notas promissórias para distribuição pública

      O que são Ações?

      São títulos emitidos por companhias abertas que representam a propriedade de uma fração do capital social da companhia - S/A - Sociedade Anônima -, registrada na CVM - Comissão de Valores Mobiliários.
      Na prática, quem investe em ações é proprietário de uma parte da sociedade anônima, tornando-se acionista e participando de seus resultados, sejam eles lucros ou prejuízos. As ações são convertidas em dinheiro, a qualquer tempo, através de negociação nas Bolsas de Valores ou no Mercado de Balcão, desde que haja comprador ou vendedor.



      Mercado de Ações

      Pode ser entendido como sendo o segmento do mercado de capitais. No mercado de ações são realizadas as chamadas colocações primárias - novas emissões de ações realizadas pelas sociedades anônimas, e as negociações secundárias - realizadas com ações já existentes, colocadas em circulação, na Bolsa de Valores e no Mercado de Balcão.

      Índice de Ações

      Índice composto pelas ações mais negociadas na Bolsa de Valores. Serve como referencial para determinar se a Bolsa está em alta, estável ou em baixa e em quantos pontos fechou.
      Os índices que se destacam no mercado brasileiro são: o Ibovespa, que significa Índice da Bolsa de Valores de São Paulo; o IBA, que é o Índice Brasileiro de Ações;, o Índice Brasil, que tem como sigla IBX; e o FGV-100, que é um índice composto, calculado pela Fundação Getúlio Vargas, das 100 ações mais negociadas, excluindo as estatais e bancos.
      Os principais índices no mercado internacional são: o Dow Jones, que é o Índice da Bolsa de Nova Iorque; S&P 500, que significa Standard & Poor´s 500; o Índice das empresas de tecnologia negociadas no pregão eletrônico dos EUA chamado NASDAQ; Nikkei 225 que representa o Índice das 225 principais ações da Bolsa de Valores de Tóquio e o Índice da Bolsa de Valores de Londres, FTSE 100, com as 100 empresas mais capitalizadas.

      Renda de Ações

      A rentabilidade que uma ação proporciona ao investidor é variável e irá depender de vários fatores, tais como: condições de mercado, lucros que a empresa vem auferindo, como a empresa vem atuando no mercado, percepções dos investidores, política de dividendos da empresa, etc.

      Valores Mobiliários

      Entende-se por valores mobiliários as ações, as partes beneficiárias, as debêntures, os cupões desses títulos, os bônus de subscrição e os certificados de depósitos de valores mobiliários. Também são considerados valores mobiliários outros títulos criados ou emitidos por sociedades anônimas, a critério do CMN, que significa Conselho Monetário Nacional, e que estejam devidamente registrados pela CVM, que é a Comissão de Valores Mobiliários.

      Sociedade Anônima

      São as chamadas empresas de Capital Aberto, que possuem ações negociadas na Bolsa de Valores e no Mercado de Balcão. Essas empresas estão registradas na Comissão de Valores Mobiliários, cuja sigla é CVM.

      Por que uma empresa abre seu capital?

      As empresas abrem seu capital por várias razões:

      • fonte de financiamento para investimentos que a empresa deseja realizar a um custo em geral mais baixo que o financiamento bancário;

      • reestruturação de passivos;

      • melhoria da imagem da empresa frente à imprensa especializada e frente aos parceiros comerciais e financeiros, sendo eles nacionais ou estrangeiros;

      • busca por aumento de liquidez do patrimônio dos acionistas controladores;

      • reestruturação societária, etc.

      Essas razões acabam influenciando na forma de como a empresa decide abrir seu capital: tipo de valor mobiliário, tipo de lançamento e tipo de investidor mais adequado aos objetivos da empresa. A abertura de capital não se restringe apenas às grandes empresas, as de menor porte também participam desse mercado.

      Entenda o funcionamento das Bolsas de Valores

      As Bolsas de Valores são associações civis, sem fins lucrativos, que realizam atividades de interesse público. Têm como função principal oferecer um mercado para a cotação dos títulos nelas registrados, orientar e fiscalizar os serviços prestados por seus membros, facilitar a divulgação constante de informações sobre as empresas de capital aberto e sobre os negócios que são realizados em seus pregões diários. São elas que garantem a efetivação das negociações realizadas, propiciando liquidez às aplicações de curto e longo prazos.
      Quem negocia os títulos e valores mobiliários são as chamadas sociedades corretoras, que são instituições financeiras devidamente credenciadas, habilitadas a operar em Bolsas de Valores. As operações na Bolsa podem ser realizadas de duas formas: pelo tradicional pregão viva-voz ou pelo pregão eletrônico.


      Por que investir em Ações?

      Porque, apesar do investimento em ações oferecer flutuações que podem ser negativas em um determinado período, a longo prazo investimentos em ações tendem a superar os investimentos tradicionais de renda fixa.

      Tipos de Ações existentes no Mercado

      • Ação Ordinária -ON
      Menos negociada, confere ao acionista direito de voto na empresa. Na distribuição dos dividendos da empresa, seus proprietários só recebem sua parcela correspondente depois que os proprietários das ações preferenciais tenham recebido suas parcelas.

      • Ação Preferencial -PN
      Mais negociada, confere ao acionista o direito de receber um percentual fixo dos lucros, antes de serem distribuídos os dividendos da empresa. Não dá direito de voto. Algumas empresas diferenciam as séries de papéis lançados no mercado por letras, como por exemplo: PNA, PNB, PNC.
      Observação: uma sociedade anônima pode emitir até 2/3 em ações preferenciais e 1/3 em ações ordinárias.


      Classes de Ações

      Quando uma empresa emite diferentes classes de ações, estas receberão classificações por letra A, B, C... O estatuto da empresa vai descrever as características – diferentes rendimentos para cada classe de ação. Algumas recebem a classificação A, B, C, ou alguma outra letra, conforme suas características.
      Observação: As classes também podem indicar restrições feitas pelas empresas emitentes quanto à posse das ações, como, por exemplo, restrição ao investimento de estrangeiros.

      • Blue Chips
      São as chamadas ações de 1ª linha. Ações de empresas de grande porte, com grande liquidez e volume de negócios nas Bolsas de Valores. Ex.: Petrobrás e Eletrobrás.

      • Small Caps
      São empresas de 2ª e 3ª linhas, com patrimônio líquido bem inferior ao das empresas Blue Chips.


      Forma de distribuição das Ações

      • Nominativas
      Ação, representada por cautela, que identifica o nome do seu proprietário no livro de Registro de Ações Nominativas da empresa. A transferência da ação é feita com a entrega da cautela e a averbação de termo, em livro próprio da empresa, identificando o novo acionista.

      • Escriturais
      Funcionam como uma espécie de conta corrente, onde os valores são lançados a débito ou a crédito dos acionistas. Não há movimentação física dos documentos. Observação: ações ao portador não existem mais desde o Plano Collor.

      Exemplo: Os conceitos de tipos de ações, formas de distribuição e classes de ações nos permite compreender melhor certas siglas presentes no mercado, tais como: Ação OED, que é uma ação ordinária, escritural da classe D.


      Lotes de Ações

      • Lote redondo
      Quem deseja investir no mercado acionário precisa comprar uma quantidade mínima de ações com características idênticas devidamente predeterminadas pelas Bolsas de Valores, o lote-padrão. Essa quantidade é estipulada totalizando um número inteiro, na maioria das vezes múltiplo de 100, 1.000 e assim por diante.

      • Lote fracionário
      Existe a possibilidade de ser transacionada uma quantidade inferior ao lote-padrão. Essa operação é realizada no mercado fracionário. Exemplo: O lote-padrão de Itaú Banco PN, cujo código é ITAU4, negociado no mercado à vista é de 100 ações ou múltiplos desse valor.
      Para negociar ações em quantidades inferiores ao lote-padrão, é necessário recorrer ao mercado fracionário, onde serão negociados, no exemplo acima, 1 a 99 ações de Itaú Banco PN. Logo, para comprar 135 ações Itaú Banco PN, compram-se 100 ações no mercado integral e 35 ações no mercado fracionário.
      Para diferenciar as cotações do mercado fracionário essas vêm com um F depois do código, como PETR4F, TNLP4F, entre outras.


      Como são formados os códigos de negociação

      Para facilitar as consultas e identificações das empresas operadas em Bolsa, cada uma tem um código de negociação. Exemplos: Itaú Banco PN, cujo código é ITAU4. O código da empresa é ITAU e o número 4 indica que é PN. As ações ON são indicadas pelo número 3.


      Sistemas de negociação eletrônica

      • Mega-Bolsa
      Sistema eletrônico de negociação de ações da Bovespa, que podem ser negociadas no mercado à vista, a termo e de opções. Os horários de negociação, assim como os papéis que são negociados nesse sistema, são previamente estabelecidos pela Bovespa.

      • SENN
      Mercado onde ocorre a negociação eletrônica de ações e outros ativos. São integrantes do SENN todas as Bolsas brasileiras, exceto a Bovespa, que possui o seu próprio sistema eletrônico de negociações, a Mega-Bolsa. Esse sistema é administrado pela Comissão Nacional de Bolsas de Valores e as operações são feitas através da rede de serviços da BVRJ.

      • SOMA
      A Sociedade Operadora do Mercado de Ativos é um mercado de balcão organizado, onde operações são realizadas por terminais de computador. Os horários de negociação são os mesmos que os do pregão nacional

      Rato
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Tipos de Negociação em Bolsa


      Mercado à Vista

      A entrega dos títulos vendidos se processa no segundo dia útil depois de realizada a negociação em Bolsa. Já o pagamento e o recebimento do valor da operação é feito no terceiro dia útil, mediante a efetiva liquidação física.

      Ativo-objeto ou papéis negociáveis
      Chamamos de ativo-objeto todas as ações negociáveis em Bolsa.

      Preço
      Os preços das ações são formados em função da oferta e procura dos investidores que atuam nesse mercado. Quando a oferta é grande, a tendência é de que os preços das ações caiam, e vice-versa. Anúncio de grandes investimentos ou parcerias, perspectivas do setor no mercado brasileiro e mundial, política de dividendos da empresa, assim como as alterações na política econômica também exercem grande influência na cotação dos preços das ações.

      Negociações
      Para que as negociações ocorram, é necessária a intermediação de uma corretora, que efetuará a operação de acordo com a ordem de compra ou venda feita pelo cliente no pregão da Bolsa, através de um de seus representantes, ou seja, o operador. As operações do mercado à vista poderão ser acompanhadas em tempo real nesse site.

      Formas de Negociação
      As negociações poderão ser realizadas pelo sistema eletrônico de negociação por terminais ou no próprio pregão viva-voz das Bolsas de Valores.

      • Pregão Eletrônico (sistema eletrônico de negociação por terminais): a oferta de compra e venda de ações é feita por terminais de computadores. Esse sistema faz com que automaticamente haja o encontro das ofertas de compra e venda, realizando assim, os negócios. Os operadores realizam as negociações diretamente da corretora.

      • Pregão Viva-Voz (onde são negociadas as ações de maior liquidez): lugar onde os operadores das corretores apregoam suas ofertas em viva-voz. No momento da negociação os operadores especificam o nome da empresa, o tipo da ação, a quantidade e o preço de compra ou de venda.

      After Market:
      O After Market é uma negociação que acontece fora do horário de pregão, podendo oferecer maior tempo e comodidade para os investimentos no mercado de ações. No After Market podem ser negociadas todas as ações que foram negociadas no pregão normal do mercado à vista.
      As ordens enviadas pelo sistema Home Broker - via Internet - no After Market têm um limite de R$100.000,00 por investidor. Não há valor máximo para as transações, caso as ordens não sejam enviadas pelo Home Broker.
      Para proteger os investidores de oscilações abruptas do mercado, a variação máxima permitida nos preços é de 2% em relação ao preço de fechamento do pregão diurno.

      Horários de Negociação
      Pregão Viva-Voz - 10h às 13h e das 14h às 17h45
      Pregão Eletrônico - sessão contínua das 10h às 17h
      After Market - negociação das 17h45 às 19h

      Tipos de Ordem de Compra ou Venda

      • Ordem a Mercado: é aquela que especifica somente a quantidade e as características dos valores mobiliários ou direitos a serem comprados ou vendidos, devendo ser executada a partir do momento em que for recebida pela sociedade corretora.

      • Ordem Administrada: é aquela que especifica somente a quantidade e as características dos valores mobiliários e os direitos a serem comprados ou vendidos, ficando a execução a critério da sociedade corretora.

      • Ordem Discricionária: aquela que é cometida por uma instituição, a ser executada dentro das possibilidades de mercado, representando um ou mais comitentes a um só tempo, cuja especificação será determinada por quem cometer a ordem, que indicará, também, o preço a ser atribuído.


      • Ordem Limitada: é aquela que deve ser executada somente a preço igual ou melhor do que o especificado pelo comitente.



      Ordem Casada: é aquela constituída por uma ordem de venda de determinado valor mobiliário ou direito e de uma ordem de compra de outro, que só pode ser efetivada se ambas as transações puderem ser executadas, podendo o comitente especificar qual das operações deseja ver executada em primeiro lugar.



      Ordem de Financiamento: é aquela constituída por uma ordem de compra ou de venda de um valor mobiliário ou direito em uma modalidade operacional, e outra concomitantemente de venda ou compra do mesmo valor mobiliário ou direito, na mesma ou em outra modalidade, com prazos de vencimentos diferentes.



      Ordem Start Simples: é uma ordem de COMPRA programada para ser enviada para a bolsa somente quando a cotação do ativo a ser comprado atingir valor igual ou superior ao preço de disparo, chamado de “preço start”, estipulado pelo investidor. Quando atingido ou superado o “preço start” programado, será enviada uma compra do tipo limitada para a bolsa com o preço limite que foi estipulado pelo investidor no ato do registro da oferta.
      Obs. A modalidade de ordem denominada "Ordens Start/Stop Itautrade" ("Ordem SI"), é um serviço adicional oferecido pela Itaú Corretora que permite ao cliente determinar o preço de venda ou compra para as ações, sendo a ordem enviada ao sistema de negociação somente quando a ação atingir o preço determinado. No entanto, as "Ordens SI" são ordens do tipo "limitada" perante a Bovespa e demais participantes do mercado.
      O preço de fechamento das ações está sujeito a ajustes em decorrência da distribuição de proventos aos acionistas e o disparo e/ou execução de "Ordens SI" pode ocorrer se o preço de disparo for atingido/ultrapassado devido a estes eventos. Nestas condições, a Itaú Corretora não se responsabilizará pelo disparo e/ou execução de "Ordens SI".




      Ordem Start Duplo: é uma ordem de COMPRA programada para ser enviada para a bolsa somente quando a cotação do ativo a ser comprado atingir valor igual/superior ou igual/inferior aos preços de disparo estipulados pelo investidor. O primeiro preço de disparo, chamado “preço start 1”, deve ser superior à cotação do último negócio e o segundo preço de disparo, chamado “preço start 2”, deve ser inferior à cotação do último negócio. Se atingido ou superado o “preço start 1” programado, será enviada uma compra do tipo limitada para a bolsa com o “preço limite 1” que foi estipulado pelo investidor. O disparo da primeira oferta programada ocasiona o cancelamento automático da segunda oferta do “start duplo”. Se atingido ou superado o “preço start 2” programado, será enviada uma compra do tipo limitada para a bolsa com o “preço limite 2” que foi estipulado pelo investidor. O disparo da segunda oferta programada ocasiona o cancelamento automático da primeira oferta do “start duplo”.
      Atenção: somente uma das duas ofertas de compra programadas no “start duplo” será enviada para a bolsa, aquela cujo preço de disparo for atingido ou ultrapassado primeiro. O disparo da primeira oferta automaticamente cancela o disparo da outra oferta programada.
      Obs. A modalidade de ordem denominada "Ordens Start/Stop Itautrade" ("Ordem SI"), é um serviço adicional oferecido pela Itaú Corretora que permite ao cliente determinar o preço de venda ou compra para as ações, sendo a ordem enviada ao sistema de negociação somente quando a ação atingir o preço determinado. No entanto, as "Ordens SI" são ordens do tipo "limitada" perante a Bovespa e demais participantes do mercado.
      O preço de fechamento das ações está sujeito a ajustes em decorrência da distribuição de proventos aos acionistas e o disparo e/ou execução de "Ordens SI" pode ocorrer se o preço de disparo for atingido/ultrapassado devido a estes eventos. Nestas condições, a Itaú Corretora não se responsabilizará pelo disparo e/ou execução de "Ordens SI".




      Ordem Stop Simples: é uma ordem de VENDA programada para ser enviada para a bolsa somente quando a cotação do ativo a ser vendido atingir valor igual ou inferior ao preço de disparo, chamado de “preço stop”, estipulado pelo investidor. Quando atingido ou ultrapassado o “preço stop” programado, será enviada uma venda do tipo limitada para a bolsa com o preço limite que foi estipulado pelo investidor no ato do registro da oferta.
      Obs. A modalidade de ordem denominada "Ordens Start/Stop Itautrade" ("Ordem SI"), é um serviço adicional oferecido pela Itaú Corretora que permite ao cliente determinar o preço de venda ou compra para as ações, sendo a ordem enviada ao sistema de negociação somente quando a ação atingir o preço determinado. No entanto, as "Ordens SI" são ordens do tipo "limitada" perante a Bovespa e demais participantes do mercado.
      O preço de fechamento das ações está sujeito a ajustes em decorrência da distribuição de proventos aos acionistas e o disparo e/ou execução de "Ordens SI" pode ocorrer se o preço de disparo for atingido/ultrapassado devido a estes eventos. Nestas condições, a Itaú Corretora não se responsabilizará pelo disparo e/ou execução de "Ordens SI".




      Ordem Stop Duplo: é uma ordem de VENDA programada para ser enviada para a bolsa somente quando a cotação do ativo a ser vendido atingir valor igual/inferior ou igual/superior aos preços de disparo estipulados. O primeiro preço de disparo, chamado de “preço stop 1”, deve ser inferior à cotação do último negócio e o segundo preço de disparo, chamado de “preço stop 2”, deve ser superior à cotação do último negócio. Se atingido ou ultrapassado o “preço stop 1” programado, será enviada uma venda do tipo limitada para a bolsa com o “preço limite 1” que foi estipulado pelo investidor. O disparo da primeira oferta programada ocasiona o cancelamento automático da segunda oferta do “stop duplo”. Se atingido ou ultrapassado o “preço stop 2” programado, será enviada uma venda do tipo limitada para a bolsa com o “preço limite 2” que foi estipulado pelo investidor. O disparo da segunda oferta programada ocasiona o cancelamento automático da primeira oferta do “stop duplo”.
      Atenção: somente uma das duas ofertas de venda programadas no “stop duplo” será enviada para a bolsa, aquela cujo preço de disparo for atingido ou ultrapassado primeiro. O disparo da primeira oferta automaticamente cancela o disparo da outra oferta programada.
      Obs. A modalidade de ordem denominada "Ordens Start/Stop Itautrade" ("Ordem SI"), é um serviço adicional oferecido pela Itaú Corretora que permite ao cliente determinar o preço de venda ou compra para as ações, sendo a ordem enviada ao sistema de negociação somente quando a ação atingir o preço determinado. No entanto, as "Ordens SI" são ordens do tipo "limitada" perante a Bovespa e demais participantes do mercado.
      O preço de fechamento das ações está sujeito a ajustes em decorrência da distribuição de proventos aos acionistas e o disparo e/ou execução de "Ordens SI" pode ocorrer se o preço de disparo for atingido/ultrapassado devido a estes eventos. Nestas condições, a Itaú Corretora não se responsabilizará pelo disparo e/ou execução de "Ordens SI".




      Ordem Estratégia: é um combinado de duas ordens de naturezas diferentes em uma mesma ordem: uma VENDA e uma COMPRA, ambas programadas para serem enviadas para a bolsa quando a cotação do ativo a ser vendido/comprado atingir ou ultrapassar os preços de disparo programados pelo investidor no ato do registro da oferta. O "preço stop" deve ser superior à cotação do último negócio e o "preço start" deve ser inferior à cotação do último negócio. Quando atingido ou ultrapassado o "Preço Stop" programado, será enviada uma venda do tipo limitada para a bolsa com o "Preço Limite" que foi estipulado pelo investidor. O disparo da oferta “stop” programada ocasiona o cancelamento automático da oferta "start". Quando atingido ou ultrapassado o "Preço Start" programado, será enviada uma compra do tipo limitada para a bolsa com o "Preço Limite" que foi estipulado pelo investidor. O disparo da oferta "start" programada ocasiona o cancelamento automático da oferta do "stop".
      Atenção: somente uma das duas ofertas programadas na oferta “estratégia” será enviada para a bolsa, aquela cujo preço de disparo for atingido ou ultrapassado primeiro. O disparo da primeira oferta automaticamente cancela o disparo da outra oferta programada.
      Obs. A modalidade de ordem denominada "Ordens Start/Stop Itautrade" ("Ordem SI"), é um serviço adicional oferecido pela Itaú Corretora que permite ao cliente determinar o preço de venda ou compra para as ações, sendo a ordem enviada ao sistema de negociação somente quando a ação atingir o preço determinado. No entanto, as "Ordens SI" são ordens do tipo "limitada" perante a Bovespa e demais participantes do mercado.
      O preço de fechamento das ações está sujeito a ajustes em decorrência da distribuição de proventos aos acionistas e o disparo e/ou execução de "Ordens SI" pode ocorrer se o preço de disparo for atingido/ultrapassado devido a estes eventos. Nestas condições, a Itaú Corretora não se responsabilizará pelo disparo e/ou execução de "Ordens SI".



      Custos de Transação

      • Taxa de Corretagem: será cobrada em função do volume de negócios realizados no pregão. Para mais informações, consulte custos operacionais.

      • Emolumentos: é a taxa cobrada pelas Bolsas na negociação. Para Operações Finais a taxa é de 0,035% do valor financeiro da operação. Para Operações de Day-Trade a taxa é de 0,025% do valor financeiro da operação.

      • A.N.A.: é o chamado Aviso de Negociação de Ações. A Bovespa dá isenção dessa taxa por um período indeterminado.







      Mercado a Termo

      Operações com prazos de liquidação em geral de 30, 60 ou 90 dias. Limites mínimos para a transação e depósito de valores são utilizados como margem de garantia da operação.
      Os contratos a termo são acordos de compra e venda de ativos em uma data futura determinada, a um preço previamente estabelecido. Esses contratos são semelhantes aos contratos futuros, a diferença é que no mercado a termo não há ajustes diários.
      Esses contratos são liquidados somente no vencimento e não existe a possibilidade de haver recompra ou revenda, ficando as partes obrigadas a mantê-los até o final.
      As principais vantagens do investidor que compra a termo são: proteção de preços de compra, diversificação de risco, obtenção de recursos e alavancagem.
      As principais vantagens de se vender a termo são:
      - Financiamento: compra do ativo no mercado à vista e venda a termo, objetivando ganhos sobre a diferença no mercado à vista e a termo;
      - Aumento de Receita: objetiva ganhos além do preço à vista da ação, em função dos juros recebidos, os quais irão variar de acordo com o prazo do contrato.

      Ativo-objeto

      Ação ou uma commodity.

      Prazo do Contrato

      O prazo desse contrato é preestabelecido e pode ser de: 30, 60, 90, 120, 150 ou 180 dias.

      Preço

      O preço a termo do ativo-objeto será igual ao valor desse ativo no mercado à vista mais juros, os quais são livremente fixados em mercado, variando em função do prazo do contrato.

      Negociações

      A negociação no mercado a termo é muito parecida com a do mercado à vista. Para que essa ocorra, é necessária a intermediação de uma corretora, que fará a execução da operação no pregão da Bolsa, através de um de seus representantes, o operador.

      Garantias

      As transações a termo requerem um depósito de garantia que será feito para a corretora e essa, por sua vez, repassará para a Bolsa. As corretoras estão autorizadas a pedir margens adicionais àquelas determinadas pela Bolsa. São elas:

      • Cobertura: quando o vendedor a termo faz um depósito dos seus ativos na Bolsa, os quais servirão de garantia para o cumprimento de sua obrigação futura. Observação: com esse depósito, o vendedor não precisa prestar garantias adicionais.

      • Margem de Garantia: é um valor fixado pela Bolsa ou pela caixa de registro e liquidação, ao comprador ou vendedor de um contrato a termo, que servirá como garantia para o cumprimento da obrigação futura. O valor da margem inicial requerida é igual à diferença entre o preço à vista do ativo e seu preço a termo, mais a diferença entre o preço à vista e o menor preço à vista possível no pregão seguinte.


      • Margem Adicional: será necessário mais um depósito, sempre que houver uma redução no valor de garantia do contrato, que ocorre em função de uma oscilação na cotação dos ativos depositados como margem e/ou dos ativos-objeto transacionados.

      Remuneração das Margens

      O montante depositado em dinheiro nas Bolsas, referente às margens de garantia, é aplicado no mercado aberto e seu rendimento é repassado aos investidores pelo intermédio das corretoras.






      Mercado de Opções

      Mediante pagamento de um prêmio em dinheiro, a opção dá ao investidor que a adquire o direito de comprar ou vender um ativo-objeto a outro investidor. O preço e o prazo de compra ou venda são preestabelecidos contratualmente.
      Uma opção é um instrumento que dá ao seu comprador, ou titular, um direito futuro sobre algo, mas não uma obrigação, enquanto que para seu vendedor, ou lançador, dá uma obrigação futura, caso seja solicitado pelo comprador da opção.


      Ativo-objeto

      Ação ou uma commodity.


      Preço

      • Prêmio: é o valor que o comprador da opção paga em data presente, ou seja, o preço da opção é a remuneração do vendedor por ter assumido uma responsabilidade em data futura - data do exercício - se assim solicitar o comprador da opção.

      • Exercício: é o preço especificado no contrato de opção.


      Tipos básicos de opção

      • Opção de compra (call): proporciona ao seu titular o direito de comprar um ativo em data determinada por certo preço.

      • Opção de venda (put): proporciona ao seu titular o direito de vender um ativo em data determinada por certo preço.

      As opções podem ser Americanas ou Européias.
      Americanas: podem ser exercidas a qualquer momento até seu vencimento.
      Européias: só podem ser exercidas na data do vencimento.

      Nas Bolsas de Valores brasileiras, as opções de compra são as do tipo americanas e as de venda são as do tipo européias.


      Estratégias utilizadas no Mercado de Opções

      • Box: box de quatro pontas ou de renda fixa é uma estratégia utilizada no mercado de opções que transforma uma operação de renda variável numa operação sintética de renda fixa. Para que isso ocorra, são feitas combinações de opções de compra – call – com opções de venda – put.

      • Travas: existem dois tipos de operações de trava: trava de alta e trava de baixa. Essas operações ocorrem da seguinte maneira:

      Trava de Alta: compra-se uma opção de compra por um determinado preço de exercício e vende-se uma opção de venda por um preço superior ao da opção de compra adquirida e com a mesma data de vencimento. O lucro resultante desse tipo de operação tende a ocorrer quando o preço do ativo à vista apresentar uma queda até o vencimento da opção.

      Trava de Baixa: compra-se uma opção de compra por um determinado preço de exercício e vende-se uma opção de venda por um preço inferior ao da opção de compra adquirida e com a mesma data de vencimento. O lucro resultante desse tipo de operação tende a ocorrer quando o preço do ativo à vista apresentar um crescimento até o vencimento da opção.

      Mercado Futuro

      O contrato futuro é um acordo de compra ou venda de um determinado ativo numa data específica no futuro, por um preço previamente estabelecido.
      O mercado de futuros tem sua origem ligada ao mercado de produtos agrícolas. Hoje em dia são transacionadas não só mercadorias como também moedas, metais, índices de ações e juros. A Bolsa especializada nesses tipos de operações é a BM&F - Bolsa de Mercadorias e Futuros, considerada uma das maiores do mundo.
      Nesse mercado, duas partes assumem compromissos de compra e/ou venda de um determinado ativo numa data específica futura, por um preço previamente estabelecido.
      Uma característica particular desse tipo de compromisso entre as partes é o ajuste diário dos valores negociados dos contratos futuros. Todos os dias a Bolsa calcula os ganhos e perdas daqueles que possuem negócios com contratos futuros, os quais irão variar de acordo com a oscilação dos preços do ativo específico. Com o contrato firmado, seus participantes têm que depositar uma margem que servirá como uma garantia para o cumprimento futuro do contrato.
      O objetivo principal do Mercado de Futuros é o de proporcionar aos seus agentes, que são o Hedger e o Especulador, a oportunidade de realizar operações onde possam proteger-se do risco de flutuação de preços. Sendo assim, o mercado de futuros acaba tendo como principal função a de transferência de riscos.


      Por que investir no mercado de futuros?

      Existem dois motivos principais que levam os investidores a aplicar seus recursos no mercado de futuros:

      • Hedge: a palavra hedge pode ser entendida como “proteção”. Hedge é uma operação que tem por finalidade proteger o valor de um ativo contra uma possível redução de seu valor numa data futura ou, ainda, assegurar o preço de uma dívida a ser paga no futuro. Esse ativo poderá ser o dólar, uma commodity, um título do governo ou uma ação.

      Os mercados futuros e de opções possibilitam uma série de operações de hedge. Por exemplo, através de mercado futuro de dólar, negociados na BM&F, uma entidade que possui dívidas em dólar pode reduzir o risco de uma perda provocada por uma elevação da cotação da moeda norte-americana, desde que compre contratos futuros de dólar em valor equivalente à sua dívida. Proteções semelhantes podem ser feitas para reduzir riscos de outros mercados, com taxas de juros, Bolsas de Valores, contratos agrícolas e outros, dependendo das necessidades da instituição que está à procura do hedge.

      • Especulação: o especulador utiliza seu capital na expectativa de tirar proveito de flutuações favoráveis de preços no mercado. Quando o especulador espera que o preço de um determinado ativo irá subir, ele compra o contrato futuro. E, na expectativa de queda desse ativo, ele vende o contrato futuro. Ele não manuseia a commodity, apenas se aproveita das oscilações no preço para obter ganhos de capital.

      Sistema de depósito de Margens

      Margem de Garantia: é um valor fixado pela Bolsa de Futuros ou pela caixa de registro e liquidação ao comprador ou vendedor de um contrato a termo, que servirá como garantia para o cumprimento da obrigação futura. As margens de garantia não precisam ser depositadas em dinheiro, assim sendo, pode-se utilizar como margem de garantia títulos públicos e privados, cartas de fiança, apólices de seguro, ações e cotas de fundos fechados de investimento em ações.

      Margem Inicial: o valor da margem inicial requerida normalmente refere-se a um pequeno percentual sobre o valor do contrato.

      Margem Adicional: será necessário mais um depósito, sempre que houver uma redução no valor de garantia do contrato, que ocorre em função de uma oscilação na cotação dos ativos depositados como margem e/ou dos ativos transacionados.




      Mercado de Swap

      As operações de swap são contratos de troca de fluxo de caixa, por exemplo, prefixados contra pós-fixados, firmados entre duas partes no mercado de balcão.

      Swap

      É um contrato de troca de fluxos de caixa firmado entre duas partes, que podem ser grandes investidores, empresas ou bancos. Esses contratos são feitos no mercado de balcão e são firmados com o objetivo de hedge e não como instrumento para obter ganhos de capital. Os principais tipos de contrato de swap são os de troca de taxa de juros, geralmente prefixados por pós-fixados, e de taxas de câmbio.

      Um contrato de swap deve ser mantido até seu vencimento, a não ser que as duas partes estejam de acordo em antecipar o fim do contrato. Nesse mercado, as próprias partes envolvidas estipulam as características do contrato, tais como: prazos de vencimento, valor do contrato, garantias, etc.



      Mercado de Câmbio

      O que é câmbio?

      São as operações em que há necessidade de conversão de moedas estrangeiras por moedas nacionais e vice-versa. As operações que ocorrem no chamado mercado cambial são, em grande parte, de compra e venda de moeda estrangeira. Quem realiza a intermediação dessas operações são as instituições financeiras autorizadas pelo Banco Central do Brasil.
      Exemplo: Quando você faz uma viagem ao exterior, você vai ao banco e troca seus reais por moeda estrangeira - dólar, marco, franco, etc. - de acordo com a taxa de câmbio vigente no dia. Retornando de sua viagem, poderá recorrer ao banco mais uma vez, agora para trocar a moeda estrangeira por reais.
      O banco também age como intermediário financeiro dos exportadores e importadores, comprando divisas dos exportadores e vendendo-as para os importadores.

      Quem pode comprar e vender moeda estrangeira?

      Qualquer pessoa, seja ela, física ou jurídica, pode comprar e/ou vender moeda estrangeira no Brasil. No entanto, essas operações devem ser realizadas por uma instituição autorizada com a intermediação das corretoras. As operações de câmbio realizadas no país sempre devem ser feitas através de um contrato de câmbio.
      Os participantes desse mercado são: exportadores/importadores, turistas brasileiros/estrangeiros, devedores/recebedores de empréstimo estrangeiro e aqueles que recebem transferências do exterior.

      Tipos de operações realizadas no mercado de câmbio

      Todo tipo de pagamento e recebimento em moeda estrangeira pode ser realizado no mercado de câmbio, desde que se refiram a atividades lícitas. A maioria dessas operações encontra-se descrita e especificada nos regulamentos e normas vigentes do Banco Central do Brasil. Para realizá-las, basta procurar uma instituição devidamente autorizada. No entanto, para a realização de operações que não se encontram expressamente regulamentadas, essas irão depender de manifestação prévia do Banco Central.

      Divisão do mercado de câmbio no Brasil

      O mercado de câmbio é dividido em dois segmentos: livre e flutuante.

      Mercado Livre

      É também chamado de “comercial”. Nele são realizadas as operações comerciais e financeiras, sejam elas, de exportação e importação, dos governos, sejam eles municipais, estaduais ou federal, e de transferências financeiras de investimentos estrangeiros no país, empréstimos a residentes, etc.

      Mercado Flutuante

      É também chamado de “turismo”. Nele são realizadas as operações que não se referem somente às operações de compra e venda para o turismo no exterior, mas também aquelas que se referem às doações, heranças e legados, aposentadorias e pensões, manutenção de residentes, tratamento de saúde e contribuições a entidades associativas.

      Instituições que podem operar no mercado de câmbio

      As instituições que podem operar no mercado de câmbio são aquelas devidamente autorizadas pelo Banco Central. No mercado livre, quem opera são os bancos comerciais e o Banco Central. Já no mercado flutuante as instituições que podem estar autorizadas a operar são as seguintes: agências de turismo, meios de hospedagem de turismo, corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários.

      O que é e para que serve o contrato de Câmbio?

      O contrato de câmbio é o documento que formaliza a operação cambial, é o instrumento por intermédio do qual se efetua essa operação. Ele serve como comprovante de realização da operação efetuada, para a fiscalização do Banco Central. As informações que devem constar nesse contrato são as seguintes: a moeda estrangeira que você está comprando ou vendendo, a taxa contratada, o valor correspondente em moeda nacional, os nomes do comprador e do vendedor, as respectivas assinaturas e a data da operação.

      Tipos de contrato de câmbio

      Os contratos de câmbio estão classificados de acordo com a sua finalidade. Existem quatro tipos de contrato de câmbio: de exportação, de importação, financeiro de ingresso e financeiro de remessa.

      Admin
      Moderador
      # nov/06
      · votar


      putz, assim a galera desiste, rato. =)

      Rato
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Outras formas de negociação


      Day-Trade

      Ocorre quando uma operação de compra e venda é realizada no mesmo dia, pelo mesmo investidor, na mesma Bolsa de Valores e intermediada pela mesma sociedade corretora. Leia mais sobre esse assunto no manual de Day-Trade.



      Arbitragem

      Estratégia de investir em dois ou mais mercados simultaneamente em busca de lucro sem risco. Exemplo: uma mesma ação está sendo cotada em uma Bolsa de Valores a R$ 30,00 e em outra Bolsa a R$ 30,50. Essa diferença no preço da ação possibilita ao investidor ganhos de arbitragem, caso ele compre a ação na primeira Bolsa por R$ 30,00 e venda na segunda Bolsa por R$ 30,50. Assim sendo, o arbitrador irá ganhar R$ 0,50 por ação. Esse tipo de arbitragem é mais comum com papéis negociados em Bolsas localizadas em países diferentes.




      Financiamento e Reversão

      É uma estratégia utilizada no mercado de Opções ou de Futuros, onde compram-se opções ou contratos futuros de maior valor e vendem-se opções ou contratos futuros de menor valor. Essa estratégia implica num custo inicial baixo e em ganhos futuros decorrentes da diferença entre o valor pago e o valor ganho no vencimento dos contratos. A estratégia de reversão é exatamente o contrário do financiamento, compram-se os contratos de maior valor e vendem-se os de menor valor.

      Rato
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Proventos

      Provento é o nome dado aos benefícios e remunerações que as empresas concedem aos seus acionistas. Os proventos variam entre as empresas, pois eles são concedidos de acordo com a política de cada empresa.

      Dividendos
      Parcela do lucro apurado pela empresa que é distribuído aos seus acionistas no encerramento do exercício social. De acordo com a Lei das Sociedades Anônimas as empresas devem distribuir em forma de dividendos pelo menos 25% do lucro líquido apurado em cada exercício social. O dividendo pago às ações preferenciais deve ser no mínimo 10% superior ao pago às ações ordinárias.

      Bonificação
      Bonificação são novas ações que a empresa emite e distribui proporcionalmente entre seus acionistas. Essa emissão é feita quando as reservas legais são incorporadas ao capital social da empresa.

      Subscrição
      A subscrição é um direito do acionista que tem o objetivo de manter a participação constante após uma nova emissão de ações no mercado. Por exemplo, se um acionista é dono de 10% das ações de uma empresa, ele terá o direito de comprar 10% da emissão de novas ações.

      Split
      Split é o desdobramento das ações existentes de uma empresa. Por exemplo, se uma empresa que possui 10.000 ações cotadas a R$10,00 cada fizer um split 1:2 ela passará a ter 20.000 ações cotadas a R$ 5,00 cada.

      Ação vazia – ex
      Ação cujos direitos de dividendos, bonificação e subscrição já foram exercidos.

      Ação cheia – com
      Ação cujos direitos ainda não foram exercidos.

      O que são direitos de subscrição?

      Os direitos de subscrição são proventos oferecidos pelas empresas aos seus acionistas, em cumprimento a instruções da Comissão de Valores Mobiliários e determinadas leis. Essas distribuições são anunciadas quando há, por exemplo, aumento de capital social ou ajustes nas demonstrações financeiras. São distribuídos em quantidade proporcional às ações já possuídas pelos acionistas da empresa em determinada data preestabelecida no edital de subscrição.

      Como recebo esses proventos?

      O recebimento de direitos de subscrição depende da política de distribuição e pagamento de proventos adotada pela empresa que os oferece, e também da quantidade de ações que o acionista possuir em carteira em determinada data preestabelecida no edital de subscrição.

      Esses direitos são negociáveis em bolsa?

      Sim. Caso o acionista não tenha interesse em subscrever seus direitos na data do exercício, ele pode vendê-los em bolsa a preço de mercado, dentro do período preestabelecido. Há ainda a possibilidade de adquirir direitos adicionais em bolsa, comprando esses direitos a preço de mercado, obedecendo aos prazos de negociação, e podendo exercê-los na data estabelecida.


      Como diferenciar ações e direitos de subscrição?

      É importante ressaltar que ações são ativos distintos de direitos de subscrição. Há dois tipos de ações negociáveis em bolsa: ações ordinárias, que normalmente têm seus códigos acompanhados do número 3, e ações preferenciais, que normalmente têm seus códigos acompanhados do número 4. Os direitos de subscrição de ações ordinárias têm geralmente seus códigos acompanhados do dígito 1, enquanto os direitos de subscrição de ações preferenciais têm geralmente seus códigos acompanhados do dígito 2. É possível ainda diferenciar ações e direitos de subscrição através dos códigos “DIR PRE” e “DIR ORD” que acompanham os direitos de subscrição de ações preferenciais e ordinárias respectivamente.

      Exemplos de direitos de subscrição: ITSA1, ITSA2, TCSP1, TELB1, TCOC1, TEPR2.

      Quando os direitos exercidos se transformam em ações negociáveis?

      Ações adquiridas através do exercício de direitos de subscrição dependem de homologação por parte da empresa emissora para se tornarem negociáveis em bolsa. Na primeira etapa desse processo os direitos são convertidos em “Recibos” de exercício de direitos de subscrição que comprovam o exercício por parte do acionista junto à bolsa e garantem a ele o recebimento dessas ações. Assim como os direitos de subscrição, os recibos também são negociáveis em bolsa.

      Exemplo: um acionista recebe direitos de subscrição de uma empresa na qual mantém participação. Estando interessado em exercê-los, informa a Itaú Corretora via e-mail, discriminando a quantidade que deseja subscrever. Realizado o exercício, seus direitos são convertidos em recibos negociáveis em bolsa. Dependendo do processo de homologação, os recibos serão trocados por ações da empresa em questão. Lembramos que o período de homologação de ações pode variar dependendo do emissor das ações.

      Exemplos de recibo: ITSA9, ITSA10, TELB9.

      Informações importantes que constam do edital de subscrição da empresa.

      • Valor total da subscrição de ações e aumento do capital social
      • Quantidade e tipo de ações a ser emitida

      • Preço de emissão e de subscrição


      Justificativa do preço de emissão

      • Prazo de exercício do direito de preferência

      • Proporção do direito recebido

      • Sobras

      Rato
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Imposto de Renda =/

      Imposto de Renda de Pessoa Física
      Desde 1º de janeiro de 2005, a alíquota que incide sobre o lucro nas operações de renda variável é de 15% para operações normais. Para operações day-trade, a alíquota foi mantida em 20%.

      Cálculo do Imposto de Renda no mercado de renda variável

      O mercado de renda variável compreende todas as operações realizadas nas bolsas de valores, bolsas de mercadorias e futuros e assemelhadas, bem como as operações com ouro, ativo financeiro, realizadas fora de bolsas, com a intervenção de instituições integrantes do Sistema Financeiro Nacional (bancos, corretoras e distribuidoras).


      OPERAÇÕES NORMAIS

      • Alíquota
      Há incidência de alíquota de 15% sobre o ganho líquido.

      • IR retido na fonte
      Para operações de venda normais, há incidência de IR retido na fonte, na alíquota de 0,005%. Ficam isentas desse recolhimento vendas cujo valor do IR na fonte em um mês seja igual ou inferior a R$ 1,00.

      A Corretora recolherá o IR na fonte e irá acumular os valores a serem pagos até que o limite de isenção seja ultrapassado. Assim que o mesmo ocorrer, haverá um débito em conta corrente referente ao IR retido na fonte.

      A alíquota de 15% deve ser aplicada sobre o lucro líquido apurado pelo investidor através de DARF.

      Caso seja apurado um prejuízo no mês, o saldo de imposto retido na fonte poderá ser compensado com os ganhos líquidos apurados nos meses subseqüentes.

      • Ganho líquido
      É a diferença positiva entre o valor da venda e o custo de aquisição da ação.

      • Valor de venda
      (Preço x Quantidade) – (Corretagem + Emolumentos)

      • Custo de aquisição
      (Preço x Quantidade) + (Corretagem + Emolumentos)
      Exemplo: Compra e Venda de ações Itaú Banco em 1 mês


      DAY-TRADE
      Uma operação é considerada um day-trade quando uma compra e uma venda do mesmo ativo é realizada no mesmo dia e pela mesma corretora.

      • Alíquota
      Há incidência de alíquota de 20% sobre o ganho líquido.

      • IR retido na fonte
      Para operações day-trade, há incidência de IR retido na fonte na alíquota de 1% sobre o ganho líquido. O recolhimento desse percentual é realizado diretamente pela corretora.

      Os 19% restantes devem ser recolhidos pelo investidor através de DARF.

      Caso seja apurado um prejuízo no mês, o saldo de imposto retido na fonte poderá ser compensado com os ganhos líquidos apurados nos meses subseqüentes.

      A apuração do Imposto de Renda para as operações day-trade é feita como nas operações “normais”, através da soma dos ganhos líquidos apurados no mês. Ao calcular o valor a ser pago deve ser deduzido o valor já recolhido pela corretora.

      • Isenção de Imposto de Renda
      Estão isentos do Imposto de Renda os ganhos líquidos de pessoas físicas que tenham realizado no mês alienações (vendas) no mercado à vista de ações igual ou inferior a R$ 20.000,00

      • Compensação de Prejuízos Passados
      A partir do início do ano 2000 os prejuízos obtidos nas operações no mercado à vista de ações só podem ser compensados com os ganhos auferidos nesse mesmo mercado. Os prejuízos apurados nas operações day-trade só podem ser compensados com os ganhos líquidos apurados no mesmo tipo de operação.


      • Pagando o Imposto de Renda
      O IR deve ser pago até o último dia útil do mês subseqüente ao mês onde foram apurados ganhos líquidos no mercados de renda variável.

      O pagamento deve ser feito em qualquer agência bancária através do formulário DARF, utilizando o código 6015. Esse pagamento pode ser feito de forma eletrônica através do Itaú Bankline.

      • Declaração de Ajuste Anual
      Os ganhos líquidos são apurados e tributados, mês a mês, em separado e não integram a base de cálculo do Imposto de Renda na Declaração de Ajuste Anual. Apesar de não fazerem parte da base de cálculo, os ganhos líquidos devem ser declarados na Declaração de Ajuste Anual. O imposto pago não pode ser deduzido do devido na declaração.

      • Mais informações
      No site da Receita Federal está disponível toda a legislação sobre Imposto de Renda.

      • Guia Rápido
      Apuração: mensal
      Alíquota: 15% sobre o ganho líquido para operações normais e 20% sobre o ganho líquido para operações de day-trade.
      Custo de Aquisição: Valor da Compra + Corretagem + Emolumentos
      Cálculo do ganho líquido: (Valor de Venda – Custo de Aquisição)
      Isenção: Alienação igual ou inferior a R$ 20.000,00 no mês
      Pagamento: até o último dia do mês subseqüente

      Midgard
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Rato

      po mas demora pra elas se valorizarem, e quando valorizam =/

      Rato
      Veterano
      # nov/06 · Editado por: Rato
      · votar


      Dúvidas Frequentes =)

      O que é Home Broker?
      De forma semelhante aos serviços de Home Banking, oferecidos pela rede bancária, os Home Brokers das corretoras estão interligados aos sistemas da BOVESPA e permitem que o investidor envie, automaticamente, através da Internet, ordens de compra e venda de ações.


      Qual a vantagem em comprar ações diretamente através de uma corretora em relação a investimento em fundos de ações ou carteira livre?

      Vantagens em investir em ações diretamente:
      Ficou muito mais fácil e interessante aplicar diretamente em ações com o sistema Home Broker. Você toma as suas decisões com base em várias análises, recomendações e notícias que são oferecidas pelas corretoras via Internet por um preço muito baixo.
      É mais ágil que os investimentos em fundos. Você compra ou vende ações ao preço do mercado no momento que fez a operação (D+0). Nos fundos, o investimento ou o resgate é feito com o valor da cota do fechamento do dia seguinte ao seu pedido de movimentação (D+1).
      É mais barato, pois você paga somente os custos de corretagem enquanto que nos fundos você paga a taxa de administração e em alguns casos a taxa de performance.

      Vantagens em investir em fundos de ações:
      Deixar as decisões de investimentos para os profissionais.
      Você pode diversificar a sua carteira com pouco recurso, uma vez que você é um cotista entre muitos em um fundo que estará investindo em vários papéis.
      Como é feito o débito e o crédito das operações?
      Todas as operações são debitadas e creditadas automaticamente em sua conta corrente no Banco Itaú. A liquidação financeira ocorre no terceiro dia útil após a operação, o "D+3". Para entender um pouco mais, consulte o fluxo de liquidação.
      Como os investimentos em ações são tributados?
      Os investimentos em ações são tributados com o Imposto de Renda sobre o ganho real líquido, na alíquota de 15% para operações normais e de 20% para operações day-trade. O ganho obtido é tributado como ganho de renda variável. Isenção: está isento o ganho líquido em operações no mercado à vista de ações, cujas alienações em cada mês sejam iguais ou inferiores a R$ 20.000,00 para o conjunto de ações.

      Para maiores detalhes sobre o Imposto de Renda, colocamos o Guia de Imposto de Renda à disposição.
      Como calculo o ganho de renda variável para efeito de imposto e como faço para pagá-lo?
      O ganho de renda variável é calculado da seguinte forma: preço de venda, menos preço de compra, menos custos de transação (corretagem e os emolumentos), menos o Imposto de Renda Retido na Fonte (no caso de operações normais). Podem também ser compensados os prejuízos obtidos no mesmo período no mercado à vista ou em outros mercados, como por exemplo as opções, exceto operações iniciadas e encerradas no mesmo dia, as chamadas day-trade, que somente poderão ser compensadas com ganhos em operações dessa espécie. O ganho de renda variável é calculado mês a mês e o tributo deve ser pago até o último dia útil do mês subseqüente ao ganho obtido, através de DARF em qualquer agência bancária ou através do "Itaú Bankline". A apuração e o recolhimento devem ser feitos mensalmente pelo próprio investidor.
      Como devo fazer para acompanhar minhas ordens?
      É possível acompanhar o status das ordens enviadas para o pregão eletrônico da BOVESPA através da página "Acompanhamento de Ordens". Seguem os significados de cada um dos possíveis status:
      • Aguardando execução: a oferta foi enviada à BOVESPA e encontra-se na fila de ofertas da respectiva ação ou opção no sistema Megabolsa.

      • Totalmente executada: todas as ações foram efetivamente compradas ou vendidas.

      • Parcialmente executada: parte das ações referentes à ordem enviada foram compradas ou vendidas. A diferença entre a quantidade de ações da ordem e a que foi executada no sistema Megabolsa continua em oferta no pregão eletrônico.

      • Cancelada: a ordem foi cancelada e retirada do sistema Megabolsa.

      • Vencida: a ordem não foi executada até o final do pregão After-Market da data de validade da mesma e, por conseqüência, cancelada e retirada do sistema Megabolsa.

      • Pendente: a ordem foi recebida pelo site Itautrade e ainda não foi enviada para a BOVESPA. Isso pode ocorrer, por exemplo, fora do período de funcionamento do pregão eletrônico (de segunda a sexta-feira, das 10 horas às 17 horas e das 17 horas e 45 minutos às 19 horas), ou em caso de paralisação temporária dos negócios.

      Como devo consultar as listas de ofertas de compra e venda?
      É possível consultar as filas de ofertas da cada um dos ativos negociados na BOVESPA através da digitação do nome ou do código do ativo, total ou parcialmente em nosso "Finder", disponível no topo de todas as páginas do Itautrade. As ofertas são listadas de acordo com a ordem na qual estão dispostas no sistema Megabolsa, acompanhadas do código da corretora que enviou a oferta à bolsa. Entretanto, recomendamos aos clientes que acompanhem a execução das ordens na página "Acompanhamento de Ordens"


      Riscos =/
      aí ferra

      Riscos Inerentes ao Mercado de Ações

      Ações são ativos de renda variável, ou seja, não oferecem ao investidor uma rentabilidade garantida, previamente conhecida. Por não oferecer uma garantia de retorno ao investimento, este é um investimento considerado de risco.

      A rentabilidade dos investidores é composta de dividendos ou participação nos resultados e benefícios concedidos pela empresa emissora, além do eventual ganho de capital advindo da venda da ação no mercado secundário (Bolsa de Valores). O retorno do investimento dependerá de uma série de fatores, tais como desempenho da empresa, comportamento da economia brasileira e internacional etc.

      Por esse motivo, é aconselhável que o investidor não dependa do recurso aplicado em ações para gastos imediatos e que tenha um horizonte de investimento de médio e longo prazos, quando eventuais desvalorizações das ações poderão ser revertidas.



      Riscos Operacionais do Uso da Internet

      Qualquer investidor está sujeito a encontrar problemas em suas conexões à internet, devido à diversidade de fatores inerentes ao uso desse meio. Mesmo com a utilização das mais modernas tecnologias de informática, é importante que o usuário tenha certos cuidados básicos ao operar seus equipamentos domésticos, sobre os quais a instituição provedora do serviço não tem responsabilidade e os quais esta não tem formas de gerenciar.

      As orientações de segurança a seguir poderão minimizar alguns dos problemas que podem ocorrer:
      não divulgue sua senha. Escolha seqüências que misturem letras e números e evite colocar nomes de parentes e datas de aniversários. Altere-a regularmente;
      sempre utilize programas antivírus atualizados e verifique se eles estão ativos antes do acesso à Internet;
      nunca execute arquivos encaminhados por e-mail sem antes verificar a possibilidade de estarem contaminados por vírus;
      atualize seu navegador (browser). A cada atualização, você observa melhorias, inclusive sob o aspecto da segurança;
      evite a utilização de equipamento que não seja de sua confiança e não utilize aplicativos desconhecidos. Você não deve realizar operações em equipamentos públicos;
      sempre acompanhe as movimentações de sua conta por meio de extratos periódicos. Se houver qualquer crédito ou débito irregular, você deve contatar sua Corretora imediatamente.
      Na conexão via Internet, estão envolvidas diversas situações sujeitas a problemas, que poderão comprometer sua conexão com a Corretora Home Broker. Entre estas, podemos citar:
      falta de energia elétrica;
      interrupção ou má qualidade de linhas telefônicas, se sua conexão for por meio de acesso discado;
      performance de conexão e capacidade de processamento do provedor de acesso;
      performance do microcomputador utilizado.


      Riscos relacionados ao ciclo de liquidação

      A Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia - CBLC é a responsável pela compensação e liquidação de operações realizadas no mercado a vista da BOVESPA.

      No caso de uma operação de venda no mercado a vista, as ações objeto de negociação devem estar disponíveis na conta de custódia do vendedor, para entrega ao comprador, até o horário limite estabelecido pela CBLC.

      A não entrega total ou parcial das ações objeto da negociação em D+3 ou a ausência de apresentação de documentos necessários à liquidação caracterizam a falta da entrega de ativos e resultam em multa ao vendedor das ações.

      Caso os ativos não sejam entregues, a CBLC aciona, no mesmo dia, o mecanismo de tratamento de falta de entrega - o Processo de Recompra de Ativos - além de cobrar nova multa sobre o valor dos ativos não regularizados.

      A ordem de recompra emitida em D+4 é o instrumento que autoriza a contraparte a executar, a preço de mercado, uma nova operação de compra dos ativos adquiridos em D+0 e não recebidos no prazo regulamentar por falta na entrega. Essa ordem de recompra deve ser executada até D+6 e ter confirmada sua execução, perante a CBLC, até D+7. O vendedor em falta com a entrega dos ativos arcará com a diferença de preço da recompra, quando ela ocorrer.

      Caso a recompra não seja executada até o prazo estipulado por qualquer que seja o motivo, a CBLC, em D+8, reverterá a operação, retornando os valores financeiros ao comprador da operação.

      Assim, o cliente deve estar ciente de que uma eventual venda realizada sem ter as ações em sua conta, ou sob a expectativa de seu recebimento por conta de uma compra do mesmo ativo realizada em data anterior, poderá resultar em sua inadimplência, com o conseqüente ônus, conforme demonstrado, caso essa compra sofra problemas em sua liquidação.



      acho q tá bom =/

      se tiverem dúvidas; vamo falando ;)

      Rato
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      putz, assim a galera desiste, rato. =)

      ae hehe

      nada guras;
      dahora essas paradinhas ae
      o foda é mercado de opções =/
      dá um material creio q 3 x mais q este aí; acima


      Midgard
      po mas demora pra elas se valorizarem, e quando valorizam =/

      í!
      mas aí depende guras; exemplo. A própira Vale do Rio doce q é das mais consevadoras para investimento estava 3 meses atrás R$ 38. Hoje tá R$ 49 =/

      Admin
      Moderador
      # nov/06
      · votar


      Rato
      ce investe?

      Marisco
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Gätõn
      Bom dia!

      Midgard
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Rato

      vou pesquisar isso cara =)
      mas sera q vale a pena mesmo?

      Rato
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Admin
      ce investe?

      ixi!
      qualquer real q sobra na minha conta eu compro ações =/


      Marisco
      boa guras ;)

      Luckas_Guitar
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Muito boa a compilação de informações para os aprendizes... mas o q c deve aprender mesmo no mercado financeiro é: negociar e saber ler dados e informações econômicas, além de ficar ligado na Dow Jones. O burocrático é tranquilo, mas comprar na baixa e vender na alta q é o mistério q poucos carregamos.

      Eu, particularmente, utilizo a análise macroeconômica aliada da análise técnica (grafista).

      Luckas_Guitar
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Com opções da pra faturar bem tb! E é mais emocionante!

      Rato
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      outra dica

      Operando ações: sem psicologia das negociações é impossível obter sucesso

      Por: Marcello de Almeida
      23/11/06 - 09h55
      InfoMoney

      SÃO PAULO - Grande parte dos investidores chega ao mercado de ações com planos já confeccionados, com poucas noções de psicologia das negociações e de gestão do dinheiro. A maioria depreda seu patrimônio e foge correndo. Outros, mais afortunados, continuam jogando, em busca de entretenimento.

      Em seu livro Aprenda a Operar no Mercado de Ações, Alexander Elder, operador profissional e psiquiatra radicado nos Estados Unidos, defende que os operadores bem-sucedidos devem transpor várias barreias elevadas - e prosseguir na corrida de obstáculos. "Só ganha quem tem conhecimento e disciplina", enfatiza.

      Elder avalia que a intensidade do treinamento depende do emprego almejado. "Se você quiser ser faxineiro, uma hora de treinamento pode ser suficiente. Já se, por outro lado, você quiser realizar cirurgias, terá de aprender muito mais".

      Em relação à disciplina, o especialista completa que desenvolver, testar e seguir seu sistema de negociação é aprender a entrar e sair dos mercados em resposta a sinais predeterminados, em vez de saltar para dentro ou para fora ao sabor de impulsos.

      Quais serão as metas e estratégias a serem usadas?
      Por exemplo, você compra 500 ações da Petrobras. Embalado por boas notícias, os papéis sobem 10% em uma semana, proporcionado ganhos similares a sua remuneração salarial mensal. Qual sua reação? Será que vale a pena vender e realizar lucro? Ou será melhor comprar mais e aumentar as perspectivas de ganho?

      Outro exemplo, você liga seu computador em uma bela tarde e vê que seus papéis perderam 4% de seu valor. Seu estômago dá um nó, você se inclina sobre a mesa e, dominado pela ansiedade, sente toda tensão do momento.

      Duas perguntas importantes precisam ser respondidas: "qual é a minha meta de lucro?" e "como proteger meu capital?". Ressaltando que o único motivo racional para se operar nos mercados é ganhar dinheiro, o experiente Elder conta que os operadores bem-sucedidos já sofreram duros golpes, mas aprenderam com seus erros e não voltaram a repeti-los.

      Siga sempre o plano!
      Em primeiro lugar, Elder ressalta que os perdedores adiam o reconhecimento das perdas. Já os vencedores aceitam os prejuízos ocasionais, os absorvem e seguem em frente. "Os operadores ruins compram a 35 e colam stop a 32. A ação chega a 33 e ele recua seu stop para 30. Esse é o erro fatal - transgrediu sua disciplina e violou seu próprio plano".

      A única forma de descobrir se suas operações estão sendo bem realizadas é manter bons registros, sobretudo um Diário de Operações e uma curva patrimonial. "Caso o ângulo de sua curva patrimonial incline para cima, com poucas guinadas para baixo, você estará em uma posição confortável. Caso contrário, estará fora de sintonia com o mercado e se sabotando".

      Por fim, Elder reitera que o bom operador assume total responsabilidade pelos resultados de todas as suas operações. "Você não pode culpar os outros por tirar seu dinheiro. Você precisa melhorar seus planos de operação e seus métodos de gestão do dinheiro. Isso levará tempo e exigirá muito estudo e disciplina".

      Luckas_Guitar
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Rato

      Vc deixa a cargo de um terceiro operar sua carteira ou vc mesmo a adiministra?

      lula_molusco
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Bom dia Rato, mas não tô no clima pra ler sobre ações quando acabo de acordar.

      Rato
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Luckas_Guitar
      Vc deixa a cargo de um terceiro operar sua carteira ou vc mesmo a adiministra?

      hehe
      não tenho culhão para deixar terceiro administrar não =/
      vou na raça mesmo hehe[[
      ,



      lula_molusco
      Bom dia Rato, mas não tô no clima pra ler sobre ações quando acabo de acordar.

      ae hehe

      vida boa da porra =/

      The_Fourth_Horseman
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Lerei tudo hoje a tarde... =]

      cao fofo
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      ja apliquei mas tem uns 2 anos, hj deixo minha graninha no fundo fixo, e esse ano ta pouco, ta 0.89 +/- :(

      maggie
      Veterana
      # nov/06
      · votar


      ta 0.89
      pff
      quase uma poupança, assim não vale a pena

      estou pensando em aplicar também

      Admin
      Moderador
      # nov/06
      · votar


      Rato
      Luckas_Guitar
      Como é a carteira de vcs? Quais papéis? Ou vcs variam/especulam mt?

      Tô começando agora e tô assustado. Submarino (suba3) deu 24% no dia que americanas comprou. Tive acesso ao boato mas comi mosca assim mesom. =P

      Facchini
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Sinceramente, não consigu ler tanto assim :/

      maggie
      Veterana
      # nov/06
      · votar


      Tô começando agora e tô assustado. Submarino (suba3) deu 24% no dia que americanas comprou. Tive acesso ao boato mas comi mosca assim mesom. =P

      BOCABERTA

      :)


      Facchini
      Sinceramente, não consigu ler tanto assim :/
      Percebi!! hehe
      Mas também não li tudo, ainda.

      Luckas_Guitar
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Admin

      Atualmente minha carteira está com BB 13%, bradesco 5%, Cesp e Ichoop Max com 13 e 10% e Telemar com -0,8%.

      Cara, no início é bom conversar MUITO com alguém com experiência no ramo, LER muito sobre análise grafista, suporte e resistência, teoria das ondas, e sobre o IFRelativo. Essas são ferramentas importantes na hr de vc mesmo gerenciar uma carteira e não ficar só na mesmice de pets e vales... Recebo um email, da Projeção Consultoria, se quiser posso te passar.

      Costuma ficar com carteiras por um mês, ou até mais, dependendo da perspectiva de lucro, essa agora deve manter, com poucas alterações até o fim do ano.

      Pra quem quer investir, até q tá numa fase boa.

      lula_molusco
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Rato
      ferias rulam, as roitas adoram =P

      Admin
      Moderador
      # nov/06
      · votar


      Luckas_Guitar
      Atualmente minha carteira está com BB 13%, bradesco 5%, Cesp e Ichoop Max com 13 e 10% e Telemar com -0,8%.

      Desde quando?

      Tenho lido muita coisa sim, comprei até uns livros... lendo muito material de site tb... bradesco tem uns relatórios fodas. Tô com petro, vale e Gol (resolvi entrar depois da crise dos controladores pois boto fé em recuperação em médio/longo prazo).

      https://www.ondeinvestirbylopesfilho.com.br/cli/brd/cot/cotacao.asp?pa pel=vale5

      Rato
      Veterano
      # nov/06
      · votar


      Admin
      minha carteira:

      Light 27,37 %
      Natura 25;51%
      perdigão 27,2 %
      Petrobrás: o q restou =/

      não especulo pq não tenho dinheiro suficiente hehe

      se tu pretende tr um investimentoa longo prazo; se atente a política de dividendos da empresa e tb sobre os balançoes e projeções para os próximos anos. Resumindo; dá uma lida no prospecto =)



      lula_molusco
      ferias rulam, as roitas adoram =P
      ixi!
      tá certo. Coma todo mundo mesmo. nas minhas férias tô planejando criar um fundo exclusivo só para gastos com Motel =/

      lula_molusco
      Veterano
      # nov/06 · Editado por: lula_molusco
      · votar


      Rato
      huahauhauhauahu aplicar na poupança né? sei sei...

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Mercado de Ações >> Aprenda =)

      304.523 tópicos 7.875.012 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital