Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      O lado negro dos handmakers brasileiros (espionagem, panelas, lives, Facebook, escalões, etc)

      Autor Mensagem
      MMI
      Veterano
      # 02/mai/18 12:44 · Editado por: MMI
      · votar


      Ismah

      Certa vez, estava no Caribe com a patroa, num jantar a luz de velas ao livre... Ventava bastante, o que me deu a curiosidade de saber como aquelas velas não apagavam. Foi a primeira vez que vi estas velas e talvez a única que vi ser, de certa forma, indispensável. Eu não conheço esse NuTube, mas arrisco dizer, é uma vela dessa. Vejo com maus olhos, para mim não tem novidade nenhuma, pura enganação. Pode ser minha completa ignorância, assumo, mas é sério que eu vou precisar de um chip com umas luzinhas para achar que tenho som de válvula? Isso aí é uma patente, uma tentativa de fazer um diferencial com uma luzinha, de algo que um Kemper, Fractal, Boss, Zoom ou mesmo Amplitube, Guitar Rig, BIAS FX e sei lá mais o que fazem ou estão bem próximos de fazer, eventualmente até num smartphone (se não fazem, é questão de pouquíssimo tempo para fazerem). Tem que ser muito caro mesmo, é justo, porque é "tecnologia de ponta" e produto de marketing para este ano, ano que vem tem coisa melhor, mas custa milhões para lançar. Logo, isso não é brincadeira para terceiro-mundistas disputarem, é coisa de gente grande. Mesmo sendo mais do mesmo, não dá para querer um MeteoroTube, TMirandaTube ou PedroneTube, não vai ter, a gente morre e não vai ver.

      Já tive várias conversas com construtores de amplificadores, mas principalmente de captadores. O problema não é captar a vibração das cordas e transformar em som amplificado. Tem zilhões de formas de fazer isso e na realidade, não precisaria nem de cordas e fazer calos nos seus dedinhos. Para captar tem piezo, ou qualquer campo magnético com um fio enrolado (já vi até pesquisa com laser para captar a vibração). A grande questão é que nos anos 40-50 fizeram um pau com cordas, um Alnico e um fio enrolado de certa forma que era amplificado por válvulas. Com suas qualidades e defeitos, isso definiu o som de guitarra. Assim como em 1600 definiram o som de violino, viola, cello, contra-baixo. Teria como fazer hoje um violino mais fácil, mais eficiente, mais tecnológico, mas o violino é aquilo, assim como som de guitarra tem que ser aquilo definido até a década de 70 - calos nos dedos, cordas de aço, captadores feitos daquele jeito (ou que lembrem o som daquilo) e válvulas. Não vejo muito como tirar coelho da cartola, um amp que imite o seu Duovox flat com um booster não seria absolutamente nada de novidade, até onde posso imaginar. Mas é só ver aqui no fórum mesmo, muita gente chama de "guitarra" unicamente instrumentos sólidos, Strato, Tele e Les Paul basicamente, excluindo todo o resto do termo, mas tem muito mais "guitarra" além disso. Eu vejo que muita gente aqui trafega em instrumentos simples, sem conhecer os acima de 10 mil dólares (para colocar um limite imaginário). Estes podem ter só 1% de diferença, para os "matemáticos" que gostam de colocar números, mas tem o 1% de diferença. É exatamente aí que um nicho de mercado curte. Tem lojas, pessoas e até brasileiros que buscam isso que um pessoal "chuta" em 1% de diferença e pagam. Pagar todos os órgãos? Veja, quem ganha salário mínimo uma guitarrinha chinesa é um fortuna, mas sei de um cara que pagou 80 mil dólares em um violão, pensou e achou melhor pedir logo dois, até porque isso é dinheiro que para mim ou para você significa menos que uma latinha de Coca-Cola, jamais um órgão. E garanto- tem brasileiro nisso, inclusive luthiers, fornecendo para gente que não quer mais uma Gibson ou Fender (Custom Shop ou vintage), quer daquele cara. Por exemplo, um cara se recusou comprar 2 guitarras vintage aqui em SP (uma transação de uns 150 mil dólares) porque era muito pouco para pegar um avião no Nordeste e vir até aqui num fim de semana, para compensar ele queria pelo menos mais 2 ou 3 guitarras deste padrão. Já tem gente deste nível investindo na luthier nacional. Longe desse papo de que luthier daqui só fornece para quem não pode pagar por Gibson, apesar de não ser o habitual, mas não não dá para sair falando isso... Também tem gente mais normalzinha se desfazendo das Gibson CS por luthieria nacional, por questão de qualidade, não de grana - aí tem aos montes. Isso está mudando...

      sandroguiraldo
      Veterano
      # 02/mai/18 15:51
      · votar


      Del-Rei
      Produto handmade deveria ser diferenciado, mais caro em relação aos produzidos em série de larga escala, logo, para público também diferenciado. Na gringa o original sai mais barato que o handmade, em geral. Mas como vivemos na contramão do mundo, os originais aqui chegam a preços proibitivos pra população em geral e nossos handmades são formas alternativas de acessibilidade.

      Chamamos cópias de handmade...

      Ismah
      Mas... Nós, produzimos o que mesmo ? rsrs
      Claro que o handmade deveria ser diferenciado...! A ideia de produção em larga escala de Fender e Marshall, é exatamente o que eu falei... Produzir maior quantia, no menor tempo, com um mínimo de qualidade que ainda permita vender o equipamento...
      Handmade, é uma arte... Trabalho entre ourives e relojoeiro... Tipo os caras que fazem miniatura de máquina a vapor, que funciona mesmo...
      Por aqui, virou sinônimo de equipamento que praticamente, só empata com os comerciais em qualidade, por um preço menor... E não estou sendo ofensivo, não é viável dedicar mais tempo para produzir um amp, o custo disso torna-o inviável...
      " Por esse preço eu compro (insira aqui sua marca gringa preferida) "

      Quando o Lisciel falou isso, todos queriam a cabeça dele, se é que entenderam o que ele disse...
      Negaiada compra guitarra de luthier, amp e pedal de handmade, mas queria aquele, o original... Queria a guitarra Gibson, e o amp Vox...
      Aí como não poderia bancar, mente todos os dias pra si, que a dele dá pau em não sei quem...
      Na análise fria, sim, pode ter elevado o Tonante ao rei dos violões de fato, mas nunca será um Taylor... E a nostalgia de tocar no instrumento, não existe...
      De verdade, quem consegue ultrapassar essa paixão pela coisa toda, é mais feliz musicalmente, e plenamente capaz de construir SUA identidade sonora... Mas a maioria absurda, nunca vai conseguir...

      Exatamente!

      Lelo Mig
      Algumas coisas são tão fantasiosas quanto deixar de ir ao médico para ir no curandeiro da floresta.
      Muito bem colocado. Uma vez fui tocar num lugar, e tinha uma carinha como uma guitarra toda zuada, chiadeira total e ele se gabava falando pra todo mundo que a guitarra tinha sido do Juninho Afram...

      Ismah
      Veterano
      # 03/mai/18 03:18
      · votar


      MMI

      Estou falando de pessoas normais, com salários normais, que tocam na noite, de bar em bar... Artistas de ponta, ou gente com grana o papo é outro... Luan Santana usando uma viola Gibson na TV, mas pera aí... Quem puxou o saco dele não era a Fender? rsrs

      Magicamente o luthier chegou nesse patamar... O vivente peleou muito, e todos vão ter que fazer muita chinesa melhorada...

      Bicho, eu tenho dois conhecidos que estão fazendo guitarras, ambos usam CNC's, para corte.
      De um acho os preços dele bastante honestos, com 3 mil, tu sai com uma guitarra equivalente a uma Gibson ou Fender de linha. O outro tá pedindo preços absurdos, coisa de 9, 10, 15 mil, pelo mesmo produto...

      Seria excelente se o mercado de guitarra mudasse por aqui, antes de afundar de vez (to rindo, mas é de nervosismo)... Só que até lá, os luthiers precisam pagar as contas, ou vão achar outra coisa pra fazer... Certamente se eu chegar com 80 mil pra qualquer luthier sério, ele vai polir os trastes com algodão... Simplesmente, porque a rotina dele não é com uma encomenda dessas...

      Está mudando? Claro que sim! Mas de modo geral, o consumidor que faz o perfil majoritário, não está ainda disposto a pagar tanto assim nisso...

      GustavoGremista
      Membro Novato
      # 03/mai/18 06:48
      · votar


      Acabei de ouvir os áudios ontem, no inicio achei que estava jogando meu tempo fora, mas agora considero que foi um bom investimento. Semana passada eu também achava que toda a fofoca que vazou, deveria ser considerada papo de bar e que todos nós falamos merda, mas li muito isso nos grupos de guitarristas, "eu não perco meu tempo falando tanto e tão mal assim dos outros e falando tanta merda". Todos nós temos desafetos e inimigos, mas tudo tem limite, tem cara nos áudios tem de ir imediatamente para o psiquiatra e evidentemente que isso afetou os negócios.

      Lembrem-se que ele não conseguiram se suportar nem por 5 meses, mesmo alguns morando no RJ e outros em SP, não conseguiram se suportar nem por 5 meses e estorou essa merda toda, muito impressionante.

      Fica muito evidente, que com meses de antecedência, o X9 já planejava vazar os áudios, tem perguntas que são feitas claramente para alguns "desabafarem" com a intenção de causar polêmica, o Dré falou merda até do Kashima, mas ele era incitado a falar merda, é muito evidente.

      Todos os consumidores estão muito desconfiados, os músicos vão ter que se reinventar, Review em que o guitarrista recebe de presente o equipamento, recebe $$ para fazer o Review ou é Endorser estão totalmente desacreditados. Não sei qual será a opção futura, mas o review tradicional está totalmente comprometido, é muito fácil roubar num review e a gente sabe que vão roubar!

      O Pedrone e o Marco são os caras mais frios, calculistas e "isentos" nos áudios. Me parece que eles queriam dominar esse nicho de mercado, mas que descambou para uma formação de Cartel. Não vou defender ninguém, sempre fui muuuuuito bem atendido pelo Pedrone e pelo Marco, todas as minhas dúvidas foram muito bem respondidas, mas fica esse sabor de "me digas com quem andas que te direi quem és!"

      Nas Screens da para ver que o Snow era o candidato do Pedrone e o Dré era o Candidato do Marcelo para ser o endorser das marcas. O Dré pode ter um ótimo conhecimento dobre equipamentos, qualidade sonora e música em geral, mas era muito antipático, isso é fato.

      Eu recomendo muito, que consigam o arquivo completo e e invistam um tempo para ler as screens e ouvir os áudios, é uma injeção anti G.A,.S., importante saber como os caras estão se matando por trás das cortinas.

      Também é importante lembrar que houve um terceiro fora do grupo que aliciou o X9 a vazar os áudios e tinha um interesse gigantesco nisso. E esse Handmade pode estar cometendo os mesmo erros desse primeiro grupo que caiu.

      Poderia ficar falando um monte, tem muita coisa para ser dita, coisas ilegais e outras não éticas e etc etc, desculpem o TEXTÃO.

      Forte abraço.

      NeoRamza
      Veterano
      # 03/mai/18 07:33
      · votar


      undefinedGustavoGremista
      Também é importante lembrar que houve um terceiro fora do grupo que aliciou o X9 a vazar os áudios e tinha um interesse gigantesco nisso. E esse Handmade pode estar cometendo os mesmo erros desse primeiro grupo que caiu.

      Eu não reparei isso nos audios não. Isso fica bem claro ou é suposição sua? Depois que vazou teve alguns handmades que se aproveitaram da situação, mas se alguém aliciou o X9 antes, isso me passou batido.

      Ismah
      Veterano
      # 03/mai/18 09:28
      · votar


      GustavoGremista

      Review em que o guitarrista recebe de presente o equipamento, recebe $$ para fazer o Review ou é Endorser estão totalmente desacreditados
      o review tradicional está totalmente comprometido, é muito fácil roubar num review e a gente sabe que vão roubar!

      Desculpe a palavra, mas não tem como definir de outra forma: ou tu é muito inocente, ou muito burro... Ninguém trabalha de graça, ninguém faz sucesso só porque é bom... Pode começar assim, mas quando o troço deixa de ser passatempo das horas vagas, e passa a ser em tempo integral a coisa desanda, ou tu mata com profissionalismo no peito, ou tu deixa a desejar...
      O jabá tá em tudo, até nas redes sociais... Esse é o mundo que vivemos.

      GustavoGremista
      Membro Novato
      # 03/mai/18 10:07 · Editado por: GustavoGremista
      · votar


      NeoRamza
      Eu não reparei isso nos audios não. Isso fica bem claro ou é suposição sua? Depois que vazou teve alguns handmades que se aproveitaram da situação, mas se alguém aliciou o X9 antes, isso me passou batido.

      Fica bem claro, é um dos áudios do Dré tentando desesperadamente convencer o X9 a não vazar, inclusive cita o nome do Handmade que estava fazendo a cabeça dele. Tem muito áudio e muita porcaria, é normal passar batido nesses detalhes.

      Ismah
      O jabá tá em tudo, até nas redes sociais... Esse é o mundo que vivemos.

      Você endossou o que a maioria vem comentando. Existem tópicos bem extensos sobre esse assunto nesses grupos do FB. No tempo do Torao, o pessoal usava os Reviews na inocência ou na burrice, e isso acabou. Review de "TIMBRE" está totalmente desacreditado, o cara pode até assistir o review para ter uma ideia das funcionalidades do qual o equipamento se propõe.
      Como eu disse, isso não é problema meu, a mídia vai ter que se reinventar e o consumidor está desconfiado.

      Mais uma coisa importante que esqueci de escrever, para quem acompanhou tudo do FOS, os leilões, ouviu os áudios e leu as screens, ficou mais que indignado com o primeiro vídeo do Silas, mais que claro a tentativa de jogar uma ´pá de cal em cima do assunto, ficou evidente que provavelmente o Marcelo conversou com ele antes. Praticamente chamou de idiota quem tinha uma mínima noção do ocorrido.

      HortaRates
      Membro
      # 03/mai/18 10:47
      · votar


      GustavoGremista
      Review em que o guitarrista recebe de presente o equipamento, recebe $$ para fazer o Review ou é Endorser estão totalmente desacreditados
      o review tradicional está totalmente comprometido, é muito fácil roubar num review e a gente sabe que vão roubar!


      Eu não entendo essa de "roubar" em review. Pra mim o único jeito de roubar em review é se o cara gravar o som com um equipamento X e falar que tá usando equipamento Y. É isso que acontece? Cara pega uma Memphis Strato, grava o vídeo com ela e substitui a track por uma em que ele tá tocando com uma Fender?

      StratovariaCaster
      Membro Novato
      # 03/mai/18 10:48
      · votar


      A gente lê cada coisa aqui, que faz a gente pensar umas 10x mais antes de querer comprar algo...

      Ismah
      Veterano
      # 03/mai/18 11:27 · Editado por: Ismah
      · votar


      HortaRates
      GustavoGremista

      Falando como profissional, sonoramente review não serve de nada...
      Serve para dar uma amostra dos recursos e possibilidades com determinado equipamento... Review de TubeScreamer, é meio absurdo... Penso que é um nome bonito, para o que se chama de demonstração nos teclados...

      Porque não serve sonoramente? É um conjunto de fatores
      SEMPRE será um recorte da realidade, e como normalmente se fala de um elo isolado, como um pedal, cabo, captador, amp, AF... O conjunto da obra é muito flexível, e acaba subordinando o que é demonstrado, ao contexto...
      O microfone em si, sempre trás um recorte bem grande da realidade, a soma deles então...
      Sem falar que nos vídeos mais profissionais, vejo nego em estúdio, com Neumann, Rodes, Telefunken... As vezes aparece um mais fuleira, Shure...
      Cara, se aparecer um Shure SM57 num palco que a maioria esmagadora de bandas amadoras encontra pela frente, é porque os caras estão muito bem... Tem as exceções, mas sabemos que a base técnica, de recursos e humana, é BEM fraca...

      Segundo, em vídeo, não se preza tanto pela qualidade do áudio - questões técnicas... No link abaixo, tem uma explanação da qualidade do áudio no U2B...
      support.google.com/youtube/answer/4603579?hl=pt-BR

      Eu não compreendo BEM a plataforma, mas do que eu assisto, e na qualidade que eu consigo assistir (no máximo 720p @ 30 FPS), noto que é absurdamente ruim a qualidade do áudio. Ou seja, a compressão do formato em uso, tem perdas muito grandes...

      Ainda assim, parece viável operar em WAV, mas cara... Premier Guitar, Pro Guitar Shop, Thomann, e canais das marcas, tem bolas pra pagar um técnico... Será que todos esses amadores fazendo review, tem conhecimento, recursos e capacidade para isso?

      Quem se fia em review, é amador de carteirinha, com uma grande tendência a fã boy, e quase nenhuma experiência profissional nessa parte...
      Review é ruim? Não! Mas é muito mais uma forma de marketing que qualquer outra coisa...! Além do que, nada me garante que o som foda que eu escuto ali, não é feito na pós-edição... Gente eu gravo no meu quarto, com 2 microfones MUITO FULEIROS, e depois de muita maquiagem na pós-edição, soa até bem...

      HortaRates
      Membro
      # 03/mai/18 11:39
      · votar


      Ismah
      Eu concordo em partes. Acho que um review de uma distorção é útil pra você conseguir ver o tanto de ganho e a granulação da distorção, por exemplo, ou o quanto os controles de equalização influenciam na saída. Quando a Landscape lançou o famoso (ou infame hahaha) Brutal Distortion, tinha vários reviews mostrando a atuação do controle de médios no timbre do pedal, e eu achava isso interessante. Em reviews de MultiFX, é legal ver os timbres de algumas simulações de amps e de pedais. Eu acho legal ver o timbre de wah wah de uma MultiFX. Acho que mesmo por vídeo, dá pra ter uma ideia legal.

      Agora, como referência de timbre eu acho que review é inútil mesmo. Review de instrumento eu acho que não dá pra tirar conclusão nenhuma. Review de captador eu acho ridículo. Dá pra tirar qualquer timbre com qualquer captador. Se tiver 1 bilhão de reviews utilizando os mesmos caps, vão sair 1 bilhão de timbres diferentes.

      LeandroP
      Moderador
      # 03/mai/18 12:34
      · votar


      Tem muito review que o cara nem sabe o que tá acontecendo. Toca uma coisa aleatória, o efeito tem uma velocidade diferente, desalinhada, por exemplo. Muda alguma coisa e não mostra o que mudou. Tem que saber filtrar as informações.

      sandroguiraldo
      Veterano
      # 03/mai/18 13:23
      · votar


      Eu sempre encarei os reviews do youtube para verificar as possibilidades que o equipo oferece e não necessariamente os timbres...

      Como disseram, dá pra ter uma idéia de como a equalização de porta, se ela abre bem do grave pro agudo, eu diria que se trata mais do espectro da timbragem do que do som em si.

      renatocaster
      Moderador
      # 03/mai/18 13:34 · Editado por: renatocaster
      · votar


      Concordo com o LeandroP. O lance é filtrar, tem uns canais de review do Youtube que são ótimos, já tem outros que são uma bela duma bosta.

      Outra coisa também, sobre o tão famigerado "unboxing". De cara vc acha que é uma parada meio inútil, tipo, eu vou perder alguns minutos do meu precioso tempo só para ficar vendo um cara desembalar um produto da caixa?

      Já vi alguns que foram úteis para mim, me ajudaram a ter um norte sobre a escolha de um determinado produto, principalmente quando se trata de um produto que vc está comprando pela internet e não é possível vê-lo fisicamente antes da compra.

      Lelo Mig
      Membro
      # 03/mai/18 14:04
      · votar


      Review, Unboxing e etc... Tiveram o seu auge.

      Já foram modinha e sucesso entre guitarristas que compram equipamento top com o dinheiro que ganha como médico, advogado, engenheiro e etc...

      Obs: Nada contra amadores que tocam e ganham dinheiro em outras profissões, mas sempre senti falta de um outro tipo de opinião. Opinião de quem tem vivência de palco, shows e studios.

      Os reviews também foram muito utilizados por fabricantes e lojistas... Tem sua função. Existem reviews bons, bastante úteis. Tem coisas que quase não tem no mercado, não tem em loja nacional.

      Muita gente não pode viajar... Não pode ir a lojas em Nova York ou Tokio. O review aproxima de algo distante para muitos.

      Agora, quem assiste tem que ter critério, bom senso, informação.

      Alguém que acredita que a Terra é plana, por exemplo, eu convenço que um ampli Corcel é melhor que um Mesa Boogie.

      metal_ofender
      Membro Novato
      # 03/mai/18 14:12 · Editado por: metal_ofender
      · votar


      Eu gosto dos canais simples e pouco conhecido para assistir Review.

      Tem uns que são até engraçado, Violão de R$ 500,00 contra Violão de R$ 5000,00. Até eu que tenho um péssimo ouvido e não entendo quase nada consigo sentir muita diferença quando toco em alguma loja ou algo do tipo, ai chega no video é capaz do de R$ 500,00 soar até melhor que o de R$ 5000,00, fake puro haha.

      O bom de canais humildes é que, apesar do áudio ser de má qualidade, geralmente tem a opinião sincera do cara que ta fazendo o review.

      Lelo Mig
      Membro
      # 03/mai/18 15:25
      · votar


      Blackmore ouviu os audios e leu as prints....

      Ficou puto!!



      Felipe Stathopoulos
      Membro Novato
      # 04/mai/18 10:17
      · votar


      metal_ofender

      "O bom de canais humildes é que, apesar do áudio ser de má qualidade, geralmente tem a opinião sincera do cara que ta fazendo o review."

      Podicrê. Quando tenho que comprar algo sem testar sempre prefiro review de um tosquêra qualquer, ou um gringo pé-rapado, que esses "reviews" de nego pago por aí.

      Sem contar que exatamente pela gravação ser tôsca é que dá pra sentir como é que vai soar na tua mão, na tua guita, no teu ampli e no teu quarto, e não numa Gibson Custom Shop, num powta estúdio, com tratamento acústico, ligado num Marshall Plexi, com uma caixa 4X12.

      Na moral, mas "review" de endorser, tipo Torao, Silas F., Alabama, etc. (exemplos meramente ilustrativos), só vale pra vc saber q o bagulho existe. Na verdade nem reviews são, apenas propaganda.

      Ismah
      Veterano
      # 04/mai/18 13:01 · Editado por: Ismah
      · votar


      HortaRates
      dá pra ter uma ideia legal.

      Isso eu nunca neguei, mas é uma vaga referência.

      Dá pra tirar qualquer timbre com qualquer captador.

      A questão é : quanto investir em camadas de processamento para chegar lá? É uma noção que eu trago do áudio profissional e estúdio. Na minha frente, fizeram um mic de karaokê soar como um Shure SM58, a questão foi que isso levou 3 horas de trabalho, quando pro Shure foi só espetar o mic...

      Praticidade meu amigo!
      É mais fácil usar um captador mais específico, do que tentar recriar um som usando eq, compressão, etc...

      Lelo Mig
      Corcel

      Pô, mas ele é melhor que MesaBoogie!

      metal_ofender

      A diferença é muito mais sutil do que timbre. E como eu disse acima, com camadas de processamento suficiente, dá para usar. Em estúdio é uma coisa, temos tempo "infinito" disponível... Ao vivo o bicho pega...

      NeoRamza
      Veterano
      # 04/mai/18 23:13
      · votar


      Felipe Stathopoulos
      Na moral, mas "review" de endorser, tipo Torao, Silas F., Alabama, etc. (exemplos meramente ilustrativos), só vale pra vc saber q o bagulho existe. Na verdade nem reviews são, apenas propaganda.

      Não acredito em review nenhum, ao vivo é tudo deferente. Pra mim só faz sentido videos comparativos.

      StratovariaCaster
      Membro Novato
      # 05/mai/18 01:25
      · votar


      Lelo Mig
      ampli Corcel é melhor que um Mesa Boogie.
      Pelo menos no review dele da pra confiar

      rafael_cpu
      Veterano
      # 05/mai/18 11:27
      · votar


      HortaRates
      LeandroP
      renatocaster

      Eu concordo com os amigos em relação aos reviews do YT. Basta sensatez e saber filtrar, aliás como tudo na vida.

      Nem em uma loja você consegue vivenciar a experiência ideal de teste a fim de avaliar timbre com essa profundidade toda que o pessoal advoga.

      Ainda que você encontre o pedal ou ampli em questão disponível para teste, situação rara em âmbito nacional. Mesmo levando sua guitarra (o que em verdade já é pouco comum), tem a questão de interação com o resto do seu equipamento (ampli, guitarras, cabos, outros pedais, microfones), ambiente, acústica, tempo de teste, curva de aprendizado/familiarização, acomodação auditiva, etc.

      Então, esse preciosismo todo que se exige do review do YT não encontramos praticamente nunca.

      T+

      GustavoGremista
      Membro Novato
      # 05/mai/18 17:52
      · votar


      Por existir toda essa complexidade, que eu amo a guitarra!!!

      Del-Rei
      Veterano
      # 05/mai/18 19:23
      · votar


      rafael_cpu
      Verdade. Até em loja é complicado mesmo. As raras vezes que testei pedal em loja nacional, o camarada me dava a guitarra mais bizarra e o pior amp. Obviamente o pedal soava uma porcaria. Servia basicamente pra saber se o pedal estava funcionando, porque em termos de sonoridade, acho que ninguém compraria baseado nesses testes de loja.

      Um aceno de longe!!!

      Lelo Mig
      Membro
      # 05/mai/18 21:11 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      Del-Rei

      Fora que na grande maioria das lojas o ambiente criado para "test drive" é constrangedor. Os caras fazem questão de demonstrar que não gostam que cliente teste, o vendedor fica plantado do seu lado com a maior má vontade.... Principalmente para novatos é muito opressor.

      O tratamento não é profissional e falta noção básica de atendimento a clientes.

      Obs: Tem guitarrista famoso que tira onda de "estrela famosa", mas na verdade tem vergonha de tocar na frente dos clientes, porque não toca poha nenhuma... Então, liga avisando que vai na loja e os caras atendem depois do horário comercial com loja fechada.

      Sabe quem é?...conto não...rs

      Jota Jota SP
      Membro Novato
      # 05/mai/18 22:54 · Editado por: Jota Jota SP
      · votar


      Lelo Mig Tem guitarrista famoso que tira onda de "estrela famosa", mas na verdade tem vergonha de tocar na frente dos clientes, porque não toca poha nenhuma... Então, liga avisando que vai na loja e os caras atendem depois do horário comercial com loja fechada.

      Ué. Mas se você mesmo disse que as condições para testes em lojas são ruins, não faz sentido que peçam para serem atendidos em outros horários?
      Não entendi.
      Desse modo entendo que a interpretação de que os motivos desses guitarristas dito famosos ser "vergonha de tocar em público", como você colocou, é uma interpretação totalmente subjetiva sua.
      Não necessariamente seja esse o motivo, não necessariamente seja a realidade.

      Lelo Mig Sabe quem é?...conto não...rs

      Pessoalmente não sei e não tenho interesse.
      Foi justamente esse um dos motivos que originou o que esse tópico descreveu, e toda essa bagunça no mundo da guitarra brasileira: Nomes de guitarristas demais sendo citados demais, e com motivos de menos.

      Lelo Mig
      Membro
      # 05/mai/18 23:43 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      Jota Jota SP

      Amigo, o que quero dizer é que a premissa básica no comércio, e que muitas lojas no Brasil não aplicam, seja pelo nivel de educação do dono ou de seus funcionários, é que todo cliente é um comprador em potencial e surpresas em vendas, vem de onde menos se espera.

      Aqui, ainda predomina a ignorância e o preconceito. E numa loja de instrumentos, onde se esperaria "menos" preconceito, ele é absurdamente grande.

      Conheço muitos lojistas e vendedores na Theodoro Sampaio. Gente que já bati muito papo fora do âmbito comercial... Tomando cerveja.

      E, infelizmente, por conhecer (claro sempre há exceções), posso te dizer que a maioria tem aquela cabeça de que: "músico é tudo duro e vai na loja só pra encher o saco e testar coisas que não pode comprar".

      A questão é que se você abre uma loja ou fábrica de instrumentos musicais com esse pensamento... tá fadado ao fracasso!

      Ah... E o músico que você atendeu com loja fechada, tras instrumento de fora na próxima viagem que fizer.

      Abraço.

      metal_ofender
      Membro Novato
      # 05/mai/18 23:45
      · votar


      Na minha opinião, a maioria desses guitarristas que foram citados, por mais que sejam bons, só faz influenciar gente que fica fazendo exercício e escala o dia inteiro, na maior parte das vezes sem nem entender o porque.Sei disso pq alguns amigos começaram a tocar e tinha esses caras como referência, em 1 ano já estavam mil vezes "melhores" que eu que toco a uns 8, passou 2 anos os caras já nem quer saber mais de música.

      Deve ter um ano que a maioria desses guitarristas não toca nem um cover da música que gosta, eu fico pensando, esses caras ainda escutam alguma música? Cara, se eu passar 1 semana sem tocar uma música, só fazendo modos gregos oxilidios mixolidios invertido eu perco o tesão no instrumento. Claro que é bom aprender essas coisas, mas você vê no video desses cara (Rotina de estudos de 8 horas de exercícios e escalas).

      Ai você vem e me fala, "Ah mas ele faz pq quer e gosta", será mesmo ? Por que depois fica reclamando que a guitarra está morrendo, que não tem público, bla bla bla. Os cara só faz coisa pra outro guitarrista escutar e acha que está fazendo música, e, por cima, ainda quer ser chamado de Rockeiro !

      Jota Jota SP
      Membro Novato
      # 06/mai/18 14:57
      · votar


      Lelo Mig Amigo, o que quero dizer é que ...

      ???

      Jota Jota SP
      Membro Novato
      # 06/mai/18 15:00 · Editado por: Jota Jota SP
      · votar


      metal_ofender "Ai você vem e me fala, "Ah mas ele faz pq quer e gosta", será mesmo ? Por que depois fica reclamando que a guitarra está morrendo, que não tem público, bla bla bla. Os cara só faz coisa pra outro guitarrista escutar e acha que está fazendo música"

      Fazem o que podem. A guitarra supostamente está morrendo porque não há cultura no país, muito menos musical. Não é culpa dos guitarristas que atuam mais na internet. Uma coisa não tem a ver com a outra. É inquestionável a abertura e as facilidades que a internet proporcionou ao aprendizado da música, sobretudo da guitarra.

      metal_ofender "e, por cima, ainda quer ser chamado de Rockeiro"

      Isso é bobagem.
      Arrisco dizer que já estaria na hora de trancarem esse tópico.

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a O lado negro dos handmakers brasileiros (espionagem, panelas, lives, Facebook, escalões, etc)

      305.751 tópicos 7.895.463 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital