Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Existem combos Valvulados de baixa potência (1,2,3,4,5w) com falante de 12?

      Autor Mensagem
      ogner
      Veterano
      # 13/out/17 15:21
      · votar


      macaco veio
      Hehehe! To ligado! Certamente a geracao "rock" nao toca mais como antigamente. Os proprios Tremendoes e o Thunder da giannini era cacetada na orelha!! E a galera s antigas usava muito, né?!

      MMI
      Veterano
      # 13/out/17 16:22 · Editado por: MMI
      · votar


      Humm, peculiar toda essa conversa.

      Sim, peculiar demais...

      Quando se fala em "valvulado" o assunto é abrangente. A potência traduz alguma coisa no volume sim, mas tem muito mais além disso.

      Quando se fala em alto falantes, uma das especificações é a sensibilidade deles, geralmente se fala em algo como 95 a 105 dB a 1 metro de distância. O que é isso? A norma técnica trabalhista brasileira, que segue um padrão mundial, coloca um limite de 85 dB como aceitável. Acima disso potencialmente causa lesão auditiva, dá insalubridade, é necessário o uso de EPI (protetor auditivo), ou seja, a exposição a níveis maiores que isto causa problemas e significa que 2 W num falante é som exagerado. Vou concordar que limitar em 85 dB uma banda, especialmente de rock, não dá a "energia" da música. Mas entra a questão, além do problema auditivo, do limiar de dor que a intensidade sonora produz, fica entre 110-130 dB. Portanto, o ideal é que a banda fique até 100 dB no máximo. Isto significa que a banda e seu público, de acordo a norma técnica brasileira, pode ficar exposta a no máximo 1 hora. Infelizmente músicos e público frequentemente são expostos a mais que isto, mas vale o conhecimento - significa que a 1 metro de distância, um falante de alta sensibilidade com 1 W já está detonando tudo, não só isso, o vizinho tem todo direito e razão de chamar a polícia com este nível de ruído a noite, o síndico do seu prédio pode e deve te multar etc. Entram aí outras questões, como a atenuação reflexa do ouvido que protege a sons altos.

      De certa feita, participei de uma gravação de guitarras com um produtor excepcional. É o cara que fez um comercial premiado da Coca-Cola. Para controle das sessões, colocamos um microfone para o decibelímetro a mais ou menos 2,5 M dos falantes e limitamos o som a um máximo de 97 dB, que foi perfeito - de alto ganho, drive baixo e limpo. O problema é que poucos microfones aguentam um close-mic batendo 120-130 dB ou mais, podem estragar ou distorcer. Entendo que não é imprescindível, mas se a gravação inclui um bom condensador (por exemplo, Neumann U-67 ou U-87) ou mesmo um ribbon legal, dá para estragar o microfone fazendo isso... São varias as razões para não se exceder nos limites de som em estúdios, acaba valendo para som ao vivo também.

      Não quero dizer com isso que um amp de 2W resolve tudo. Quando se fala em válvula para guitarra, o desejável é a saturação, compressão, harmônicos pares etc., ou seja, sons absolutamente limpos um bom SS muitas vezes é muito melhor. Logo, o ideal da válvula é fazê-la trabalhar mais para o limite dela. Só que a arquitetura, o projeto, as válvulas, mudam tudo. Nos famosos, um Fender Champ é diferente de um Mesa Rectifier, que é diferente de um Marshall JTM45 com KT66, que é diferente de um Vox AC15, que é diferente de um Hiwatt... Um Marshall com KT66 do Hendrix, stack de 100W, só dá aquele som no talo. Não só isso, o volume e o som de distorcer uma 12AX7 é diferente de uma 5751, que é diferente de uma EL84, ou EL34, ou KT66. Ou seja, um single ended de 5W pode ser ótimo mas não é a mesma coisa nem tem o mesmo som e aplicação de um Mesa Road King de 120W, não dá para comparar com um Fender Champ de 4W, mesmo que ambos sejam “valvulados”. Muito longe de serem a mesma coisa, até para servirem para o mesmo propósito. Alguns sons precisam mesmo de mais potência, outros menos, nem é questão de ser "rock" ou não.

      DstrikE
      Veterano
      # 13/out/17 18:05
      · votar


      ogner

      Você iria de blackstar ht-1 ou bugera v5? Por que?

      Estou entre esses dois!

      ogner
      Veterano
      # 13/out/17 18:35
      · votar


      DstrikE
      Nao cinheco o blackstar... :(

      Casterman
      Membro Novato
      # 13/out/17 20:26
      · votar


      DstrikE

      Eu tenho o HT-1, e como disse antes, com caps singles ele não distorce no canal limpo, mesmo que esteja no talo. Talvez uma sujeirinha de leve.
      Tem o canal drive, mas o timbre não me agrada, e pelo que li, não agrada a maioria dos proprietários.
      Com singles e um pedal de fuzz no canal limpo, fica fantástico. Com um tube screamer também.
      Com humbuckers no canal limpo, com o drive no máximo, volume depois do 5, fica um overdrive lindo. Com tube screamer, melhor ainda.
      Tudo isso que estou descrevendo é em volume para uso "doméstico" (mas já incomoda quem estiver por perto). Acredito que se botar um microfone na frente e gravar vai ficar excelente.
      Pra tocar com banda, teria que microfonar e testar. Como nunca fiz isso, não posso falar.

      SkyHawk
      Membro
      # 13/out/17 22:20
      · votar


      Como disse.... um classe A, single ended, 12ax7, 10w resolve meu timbre perfeitamente.

      Já toquei em vários amps caros, todos muito bons. Mas meu amp não vendo, não dou e não empresto.

      ogner
      Veterano
      # 14/out/17 00:44
      · votar


      SkyHawk
      Vc tem um SE de 10w?? Qual? SE que eu conheco, tirando o Acedo 290 q é de 20w, os outros de no maximo 5w ( os q conheco) ( tenho o Acedo 290 tb )

      SkyHawk
      Membro
      # 14/out/17 06:35 · Editado por: SkyHawk
      · votar


      ogner
      Viralata da Gato Preto.

      10 watts operando em Classe A, Single Ended (1x EL34 no power / 2 12ax7 no pré)
      Controles: Volume, Grave, Médio, Agudo e Ganho
      100v / 220v
      Saídas: 4ohms / 8ohms

      Foi uma série 438 amps produzidos, fui um dos últimos compradores.

      Também sou fãn de seu Acedo 290. Tem algo especial em Classe A SE, comprei pela arquitetura é um som muito crú, se ligar a guitarra direto no amp, deixar esquentar um pouco e abrir o ganho e volume ...... Não precisa de mais nada.

      ogner
      Veterano
      # 14/out/17 09:13
      · votar


      SkyHawk
      Viralata da Gato Preto.
      Ahhhh, sim!! Nunta toquei mas conheço. Mas pra vc ver como tem valvulado de tudo q é circuito. O gato Preto pelo q vi na epoca ( foi mo bum, todo mundo falava, hehe ) ele tende a crunchar/drive bem cedo, correto??, tem um drive bem bonito.??

      O SE 276 do acedo de 6w, ate consegue um timbre sem drive ( porem com pentelhos de drive, um certo headroom ate surppreendente pra 6w ( com singles ) E o drive do 276 nao é muito redondo, é bem peculiar nao agrada a todos ( eu nao gostava ) fuzzado. meio rachado... MAs no breakpoit + pedal é o capeta...hehe

      O SE 290, sei la, é meio diferente, nao tem o som foda do 276...O 276, nao sei se o papo dos harmonicos pares, enfim, sei q o som era bonito, grande, cremoso... hehehe!!!

      Ismah
      Veterano
      # 14/out/17 18:01 · Editado por: Ismah
      · votar


      MMI

      Na tua conta tu desconsidera algumas coisas...

      1W de que? Ruído rosa? Frequência fixa?

      No amp é definido por 1kHz senoidal, 3 dB de fator de crista, 1 Wrms, 2 Wpeak (de pico)...
      No AF é definido por ruído rosa, com HPF e LPF aplicados conforme algumas coisas, e 10 dB de fator de crista... 1 Wrms, 10 Wpeak...

      Outra coisa que pesa na situação... Qual a curva de ponderação?

      Isso não diminui tua contribuição, mas são variáveis que precisam ser pesadas, pois interferem nos resultados finais.

      Todo show gringo, tem reclamação de volume baixo... Os caras mixam a 90~95 dB, um máximo de 97~100 dB no auge da música. Entretanto, exigem que exista essa pressão em toda a área com público...
      Para padrão BR, o show do Queen foi algumas vezes equipamento, do que seria preciso (pesando por capacidade de SPL), para um show nacional de mesmo porte... Já a qualidade, nem se fala...

      APROVEITANDO A DEIXA...

      Alguém já leu sobre a distorção na inversora?
      Vejo muito amp de grande porte com uma 12AX7 de inversora, pra 6 6550... Ela não aguenta tanta corrente... E aí como fica?

      SkyHawk
      Membro
      # 14/out/17 19:01 · Editado por: SkyHawk
      · votar


      ogner
      O Viralata cruncha bem cedo, como disse, clean só no quarto ou microfonado. Mas o drive é muito bacana, principalmente o do power que vem fácil. Muito cremoso, bem britânico e vintage.

      O bacana é que o amp vai muito bem com pedais tanto overdrive, fuzz e distortion, regulando no break point e empurrando com pedal é fácil timbrar como quiser. Com um pedal de distorção e um de EQ dá para mudar bem o timbre para a praia do moderno facilmente. Achei isso bem legal !!!

      O clean é que é o problema, é muito bonito só que só sai com pouco ganho e com volume em menos da metade, não é nem perto do suficiente para tocar com banda. Se microfonar fica bom, mas a onda desse amp é outra foi feito para abrir o Gain e o Volume e limpar no pot da guitarra.

      Por sinal foi você que me deu essa dica quando falei que o timbre ZZ Top vinha fácil mas o crunch cremoso eu ainda não estava satisfeito. Você falou que o caminho era limpar no volume a partir do timbre que eu já tinha. Funcionou perfeitamente !

      Lelo Mig
      Membro
      # 14/out/17 19:34 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      A discussão é importante, as informações relevantes, dados técnicos importantes, mas, o guitarrista médio normal, não sabe nada de dados técnicos mais específicos... O que lê desses números, esquece uma semana depois.... Coisas como decibéis, picos de spl, relação de potência, dB, curvas de distorção, tipo de distorção.... Não são assuntos que a maioria dos músicos dominem, pelo contrario, a grande maioria só fala merda sobre assuntos altamente tecnicos e que pouco importam.

      Que timbre o caboclo quer? Qual o nivel de headdroom? Qualidade do clean? Tipo de overdrive e estagio do inicio dele.... Etc.

      Isso tudo, se define com o ampli a frente e uma guitarra no colo.

      Não é preciso se formar em fisica quantica para ser guitarrista e ter um timbre ducaralho.....

      macaco veio
      Veterano
      # 15/out/17 15:58 · Editado por: macaco veio
      · votar


      E por isso que são enganados o tempo todo, vou dar um exemplo, o cara põe o volume no 2 e o aparelho já crunchou cedo, pô que beleza esse ampli cruncha pra caraio, mas do 3 até o 10 o volume não acontece mais nada, não altera quase nada, simplesmente porque o fabricante enganou o usuario usando potenciômetro linear quando no esquema o correto seria um logaritmo para o volume atuar direito. Nesse ponto eu tenho que concordar com Ismah, o cara compra um metal zone, um ampli meia boca, faz uma barulheira do caraio e acha que tá abafando, sem sequer ter ideia de que o primeiro teste que se faz num ampli é o nivel de ruido dele no volume máximo. Depois vem aqui no cifraclub postar, me ajudem a consertar meu meia boca. KKKKKK

      Ismah
      Veterano
      # 15/out/17 16:51
      · votar


      Lelo Mig

      Precisar não precisa, mas em tempos onde a maioria só quer ver os lucros aumentando, apelam pra qualquer coisa... Logo, quando tem um bobo e um esperto querendo se dar bem, dá negócio na certa...

      Em tempos modernos, o preço da internet é mais tentador, e o lojista físico não consegue competir... Aí o cara compra um amp lá na casa da phruta que caiu, baseado em testes/reviews de terceiros, internet a fora...
      Realidade que até a 10~15 anos não existia!
      Aí era opinião com base no teste da loja, no amp do amigo, baseado no baseado, etc... OLHA LÁ uma reportagem numa revista!

      E é difícil o rapazito novo, achar um norte. Toda palavra tem mesmo peso, mas cada realidade é uma coisa diferente também... E isso é o agravante... Recomendar um amp de 2W para tocar na igreja é pra lascar... Querer distorcer o power, do mesmo amp que tu usa clean, beira o absurdo...
      Não é questão de timbre, porque a distorção de pré é perfeitamente usável, mas é questão de bom senso... Ou tu pega 2 amps, um para clean e outro (rsrs pré) amp para distorcer o power - o que é uma opção - ou tu cai na real de que é preciso som clean e som moderadamente distorcido... Melhor um amp no canal clean e se virar com pedais, que um drive incontrolável, e quando precisa de clean ele não vem...

      O macaco veio tem razão quanto aos testes... Se o amp for suportável no máximo, abaixo do máximo é só alegria... Com timbres é quase a mesma coisa... Se timbrar no volume máximo o resultado ao abaixar o volume tende a ficar bem proporcional, mesmo algumas frequências "sumindo" (culpa das curvas Fletcher-Munsson), elas estão lá... E é deveras interessante, pois isso se junta ao som do baixo, e trás o que se chama de banda... Realidade muito distante do que se vê por aí...

      Lelo Mig
      Membro
      # 15/out/17 17:14
      · votar


      macaco veio
      Ismah

      Pois é. Neguinho tem muito pouca visão prática, acredita em "mitos" de que nunca tera uma distorção decente usando um pedal overdrive num ampli SS.

      Em "teoria" poderá nunca conseguir aquele drive de saturação de valvulas num SS, mas em contrapartida desconhece que isso tem um preço, não só financeiro mas de engenharia.

      Ai gasta dinheiro pra cacete, compra um Plexi 150W pra tocar no quarto ou vai vender pedra e assaltar banco pra comprar um Twin.

      E depois se suicida porque nem assim conseguiu o som que queria......kkkk

      Ismah
      Veterano
      # 15/out/17 18:06 · Editado por: Ismah
      · votar


      Mas e o que é lá som de overdrive de amp valvulado?

      Quantos da minha geração, já ouviram um Marshall Super Lead de 1959 (o mais famoso plexiglass)? Quantos já ouviram um Dumble? Um Mesa-Boogie Rectifier?

      Sacas? Como julgar qual pedal tem som de alguma coisa que a gente não escutou?

      Comprar um Plexi de 150 W (isso existe?) pra tocar no quarto é uma coisa para poucos... A maioria de nós não tem grana para isso, e acaba precisando comprar "alternativas" - cópias, pelo sim, pelo não...

      Caímos no mesmo dilema de querer imitar o timbre de qualquer famoso, apenas dá para chegar perto... Usar de influência é lógico, mas mais que isso é assinar a declaração de tolice...
      O fraseado é """" fácil """", mas o timbre... Com base num disco é que não serve pra referência... E pior que a maioria dos caras tem um timbre "bosta", que precisa puxar frequência de tudo que é lado...

      Eu sou um baita apaixonado nos Carr e Tone King, acredito que ele seja o pau pra toda obra dentro do contexto do tópico, mas... E grana? O Metallica tinha razão Sad, but true!

      SkyHawk
      Membro
      # 15/out/17 19:36 · Editado por: SkyHawk
      · votar


      Ismah
      Já toquei em muito amp bom: Soldano Snake, Soldano SLO-100, Mesa Boogie Dual Rectifier, Mesa Boogie Roadster Combo, Hughes & Kettner TubeMeister 18, Orange Rockreverb, ENGL Powerball, entre outros. Gabinetes Marshall 4x12, Orange 4x12, Randall 2x12.

      Tudo de um amigo colecionador.

      Sem qualquer mimimi, o importante é timbrar o que se tem. Entre um amp ruim e um Amplitube 4 ligado em uma caixa amplificada.... Mil a zero para o Amplitube !!! Com os recursos que existem hoje não tem desculpa para não se esforçar para buscar um timbre ao menos decente.

      Quanto a amp, um Orange Tiny Terror usado não é tão inacessível assim e é um monstro de som. E um SS honesto na linha Roland é muito competente. Potência alta é para quem precisa tocar ao vivo sem microfonar, coisa muito rara hoje em dia.

      Uma G1on em linha é muito melhor que qualquer ampzinho vagabundo que a minha geração usava quando comecei a tocar um instrumento, comprei uma dessa usada por R$ 200,00 por pura curiosidade e comecei a lembrar do meu primeiro pedal de distorção que montei seguindo um esquema da revista Eletrônica em 1984, plugava minha Giannini nele e direto no 3 em 1 CCE do meu pai. Que lixo !!!!!!!!!

      Eu não abro mão de amp, mas que essa geração reclama de barriga cheia isso é verdade !!!!

      O resto é frecura e marketing. Não sou músico, sou amador e hobista e até tenho muita coisa boa, modéstia a parte e com muito estudo e dedicação estou bastante satisfeito com meu som, mas se me livrar de 95 % do meu setup e deixar uma guitarra honesta, um notebook e um PA o som vai continuar bacana.

      Lelo Mig
      Membro
      # 16/out/17 13:29
      · votar


      SkyHawk

      "pedal de distorção que montei seguindo um esquema da revista Eletrônica em 1984, plugava minha Giannini nele e direto no 3 em 1 CCE do meu pai. Que lixo !!!!!!!!!"

      Também iniciei nesta vibe "pobre e desinformado".....o nosso amigo "DeRoss" já declarou aqui que começou com 3 em 1 também... e assim alguns de nós!

      Por isso que eu sempre bato na tecla, sem falsa modéstia, a gente timbra satisfatoriamente qualquer equipo.

      Mano, verdade seja dita, neguinho que comeu pedra vai se engasgar com feijão?

      Lelo Mig
      Membro
      # 16/out/17 13:29 · Editado por: Lelo Mig
      · votar


      double

      SkyHawk
      Membro
      # 16/out/17 23:49
      · votar


      Achei esse vídeo interessante:

      https://youtu.be/1z9CGBoIPKY

      DstrikE
      Veterano
      # 18/out/17 23:00 · Editado por: DstrikE
      · votar


      Pessoal estou em dúvida entre:

      Bugera V5 (achei ele versátil pois é 5w mas atenua para 1w e 0,1w), gostei do timbre

      Crate v5 (a vantagem é que possui um falante de 10' a desvantagem é que não tem o atenuador que nem o bugera)

      Laney cub 8

      Tem o acedo 276 com falante de 8 e de 12 (a desvantagem é o preço, muito mas caro que os importados da mesma potência e falante - achei um por 1300 de 8' e outro por 1600 de 12')

      Qual vocês recomendariam?

      SteveRayMorse
      Veterano
      # 19/out/17 04:58
      · votar


      DstrikE

      Não conheço muito bem nenhum desses, mas o que mais me agrada, vendo os modelos em si, é o Acedo pelo tipo de amp que é. Mas já que chegou nesse ponto pega o que tiver em melhor estado, se forem usados, e o que tiver um preço melhor.

      Abs

      henriquelhrf2
      Veterano
      # 19/out/17 08:46
      · votar


      DstrikE
      Não sei se ainda tá à venda, mas eu tinha visto no Face um Alien Five head + caixa com falante de 12" por 1.400. Eu iria nesse.
      Entre os q vc citou eu preferiria o Acedo pela confiança na marca, por ser um amp bem falado e por ter falante de 12".

      ogner
      Veterano
      # 19/out/17 14:29
      · votar


      DstrikE
      Bugera V5 (achei ele versátil pois é 5w mas atenua para 1w e 0,1w), gostei do timbre
      Gosto muito do meu, uso exclusivamente em casa, muito. ja levei pra jams com amigos com batera e tals, funciunou muito bem mesmo com falante de 8. Ele tem um problema de Eq. soa muito fechado,bem encaixotado ( ate pelo tamanho e falante pqn ) tem algumas mods na internet. Mas me viro bem acertando a Eq nos pedais. O drive dele é bem bom, atochando ganho, fioca mais bonito em 5w, mas ae e´mnais alto, depende de onde vai tocar. O Reveb digital dele quebra um galho bom. Bem leve, bem pratico, pra gravar com mic ou microfonar pra show ( ae tem que ver como vai ser seu retorno ) ele é perfeito. Tem saida pra cx externa. Ja liguei num de 12" e fala mais.

      O Acedo é foda, menos versatil, nao tem um drive muito facil, bem especifico. Eu so usava ele no limite do break e usava pedais, TS e Fuzz, ANIMAL o som que eu tirava, nao sei se sao os hamonicos ou oa caraios, sei q o som dele é grande, bonito.... Usava o de 12¨". nao tem atenuador. E ele tem abrir o volume pra ficar bem bom... Ainda vou ter outro 276...hehe!! Eu dei o meu como arte do pagamento pra pegar o 290.

      Os outros nao conheço nem nunca toquei...

      Filippo14
      Veterano
      # 19/out/17 18:58
      · votar


      DstrikE

      Muitos amps hoje tem atenuação, pega um amp maior, que dê para você tocar com folga na igreja e uma caixa 1x12 e em casa atenua a potência, ou compra um loadbox, pluga o amp no pc e toca de fone em casa, mas fica com um amp legal pra tocar o que for. Hoje em dia, tanto amp grande como amp pequeno da para usar em qualquer situação, pensa apenas no timbre que você gosta e quanto está disposto a gastar. Olha os amps do Pedrone, todos tem atenuação, inclusive alguns tem umas 4,5 opções de atenuação no mesmo amp.

      Abs,

      Ismah
      Veterano
      # 19/out/17 19:07
      · votar


      SkyHawk

      Esse pensamento, é o comum a sua geração... Aí o fan boy de banda X e Y, que economizou a grana da merenda desde o primário, economizou até a ida ao motel com a moça no fim da festa (e ficou no beijinho), pra comprar o valvulado, surta quando vê a banda usando simulação... Mas não faz ideia dos problemas - e boa parte deles estão relatados no tópico - que os circuitos analógicos, e mecanismos acústicos tem...

      rafael_cpu
      Veterano
      # 19/out/17 23:03
      · votar


      SkyHawk
      Eu não abro mão de amp, mas que essa geração reclama de barriga cheia isso é verdade !!!!
      Lelo Mig
      Também iniciei nesta vibe "pobre e desinformado".....o nosso amigo "DeRoss" já declarou aqui que começou com 3 em 1 também... e assim alguns de nós!

      +1

      T+

      SkyHawk
      Membro
      # 25/out/17 23:03 · Editado por: SkyHawk
      · votar


      Quando eu digo que dá para timbrar qualquer coisa....

      https://youtu.be/rXVBPgYdmFk

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Existem combos Valvulados de baixa potência (1,2,3,4,5w) com falante de 12?

      303.739 tópicos 7.860.035 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital