Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Celestionshop.com Encerrando as Atividades

      Autor Mensagem
      Del-Rei
      Veterano
      # 03/ago/17 16:04
      · votar


      acabaramosnicks
      Verdade. Muito complicado. E esses 800 seria considerando que o cara conseguisse manter 4 datas toda semana, o que não é garantido. Nem ficar doente o cara pode. Se colocar os gastos básicos mensais de uma casa, a conta não fecha. Realmente não consegue nem trocar as cordas.
      Filhos? Nem pensar.

      MatheusMX
      Cara, o próprio site da CelestionShop vendia alguns Eminence. Mas agora não estou nem conseguindo acessar o site deles. Acho que eles tinham alguns modelos no Mercado Livre também, já deu uma pesquisada lá?
      http://lista.mercadolivre.com.br/_CustId_8162760

      Um aceno de longe!!!

      Ismah
      Veterano
      # 03/ago/17 16:33
      · votar


      Del-Rei
      Melhor do que não vender e fechar as portas, não? Dificilmente uma pessoa abre um negócio e prospera sem boa divulgação. Se tiver concorrência então...

      É, mas não é assim que a turma pensa...

      honestamente, me pergunto se essas pessoas não precisariam arrumar outro trampo pra complementar essa renda, porque numa conta rápida, considerando que esse músico tenha 4 datas por semanas, ele fecha o mês com 800 reais. Isso se arrumar 4 datas toda semana e se não gastar com bebida.

      4 shows? Bicho, os caras estão tocando de 30 a 40 "shows"... No auge da vida mansa, eu estabeleci um recorde difícil de ser quebrado: 56 datas num mês. Eu me esgotei naquele verão de 2013/14, em parte porque havia oferta de trabalho, em parte porque meu velho morreu, e leva tempo até regularizar tudo...

      De dia com a sonorização, de noite um programa de rádio ao vivo da capital... Final de semana foram 3~4 datas em 2 dias...

      Del-Rei
      Veterano
      # 03/ago/17 17:42
      · votar


      Ismah
      4 shows? Bicho, os caras estão tocando de 30 a 40 "shows"

      Cara... Então não entendi... rs... A vida dos músicos aí é boa ou difícil? Achei que seus posts anteriores fossem dizendo que era difícil manter a agenda cheia. Agora o papo mudou, rs.

      E 4 shows eu me referi a uma semana. A galera aí toca 30-40 na semana???

      Um aceno de longe!!!

      Buja
      Veterano
      # 03/ago/17 18:09
      · votar


      40 shows num mes? Isso é mais do que 1 por noite, de domingo a domingo. Ta bom demais da conta.
      Voce toca com o Dinamite Joe 'Bonamassa'?

      MatheusMX
      Veterano
      # 03/ago/17 18:36
      · votar


      acabaramosnicks
      Del-Rei
      Obrigado pelas dicas!

      Ismah
      Veterano
      # 03/ago/17 22:15 · Editado por: Ismah
      · votar


      Del-Rei

      Fácil não é cara, se manter numa agenda dessas é tarefa bem complicada, os corres são gigantes pra fazer isso girar, o estresse é demais... Eu não aguentava mais quando chegou o inverno, beirei a exaustão, e OPTEI por ganhar menos, pra trabalhar menos...

      Só não se confunda mercado fácil com profissionalização... Eu preciso trabalhar diariamente quase, como em qualquer outro emprego. Não sei a visão individual de cada um, mas quando digo que é trabalho, é trabalho mesmo, diário e contínuo.

      Vou usar minha agenda de Julho como exemplo, foi um dos melhores meses desse ano, fora Fevereiro que é sempre absurdamente agitado por causa do Carnaval.

      01 - Dinamite Joe - Nova Petrópolis
      02 - Banda A. - Bom Princípio
      04/05/06 - E.P. - Desmontagem show Detonautas Roque Club - Feliz
      07 - Suporte técnico - rádio comercial
      07 - Dinamite Joe - Garibaldi
      09/10 - Banda A. - Manutenção em multicabo 56 vias e Behringer X32
      10 - Suporte técnico - rádio amador
      10 - Suporte técnico - Dinamite Joe

      11 - Compras PoA e região metropolitana
      11 - Visita técnica / orçamento elétrica de estúdio

      12 - P.S. (PA com Dj) - São Sebastião do Caí
      13 - Dinamite Joe - Porto Alegre (dia mundial do rock)
      14 - Dinamite Joe - Carlos Barbosa
      15 - Dinamite Joe - Caxias do Sul (com Tequila Baby)

      16 - Meu acidente de ciclismo

      17/18 - E.P. - Montagem estrutura rave (cancelado)
      19 - Dinamite Joe - Bom Princípio
      20 - A.V. - Harmonia (cancelado)
      21 - A.V. - Passo Fundo (cancelado)
      25/25/26/27 - Suporte técnico / produção em estúdio a B.L. - Farroupilha
      29 - A.V. - Montenegro (cancelado)

      Foram 20 e lá vai datas ao todo. Trabalhei praticamente como se estivesse num emprego formal. Isso não quer dizer que foi fácil conseguir elas, eu agendei alguns a 3 meses ou mais... To negociando algumas datas pra Novembro, e os eventos de Natal já...

      Quando falei de 30~40 shows, falava no mês mesmo, e falando da nata regional... Se o pessoal quiser, alguns conseguem bem mais que isso...
      Mas não precisam e/ou não querem, os royalties das músicas, os shows principais etc, ainda rendem um dinheiro bom...
      Creio que nenhuma banda consegue sustentar essa agenda sozinha, mesmo as sertanejas, são geralmente 5~6 " empregos " para fazer isso...

      Como técnico... Se for pensar, rádios grandes e estúdios de grande porte, e algumas empresas de sonorização, dispõe de plantão técnico 24hs (geralmente turnos de 6 ou 8 hs). Tu não faz nada, mas tem que estar lá e recebe por isso - é a redundância que se justifica.
      Se no contra-turno pegar uma casa noturna que abre de segunda a segunda, são dois palitos pra fazer 60 datas no mês. São na prática dois empregos... Nada anormal.

      Alguns casos tenho cachê + boca livre (o que consumir é por conta deles). Noutros, se der sorte o chefe paga uma mineral, o cachê é um pouco mais alto, mas é quase tudo por tua conta...

      Suporte técnico, é concertinho e manutenção, fazer/refazer um cabo, um patch/cena, geralmente a distância ou a pessoa trás pra mim... Visita técnica é avaliação de casos e orçamento, como o nome diz, eu faço uma visita...
      Nenhum dos dois é rentável, não tem como cobrar um cachê de pra fazer um cabo...

      OBS.: As siglas são pois não tenho autorização para divulgar os nomes.

      Buja
      Voce toca com o Dinamite Joe 'Bonamassa'?

      Primeiramente eu não toco, e faço questão de ressaltar isso sempre.

      Já sobre a relação grana / fama, o caminho é contrário... Quanto maior a fama, maior o cachê, menor a agenda...
      Com a Dinamite Joe apenas não é viável se manter, apesar de movimentar bastante a agenda, conforme pode conferir no site... Eles são cientes disso e em 3 anos de banda, aconteceu só um conflito de agenda,

      Honestamente, eu tenho amizade forte com o roadie de batera R.G. da banda N.N., o cachê dele é 400/show e 80 de diária, a banda toca de 5 a 6 datas mensais. Isso se traduz num " salário " de 2mil~2,4mil limpo, por uns 15 dias trabalhados (tem que contar as viagens, day-off etc).
      Eu preciso trabalhar muito além disso para me equivaler, na sonorização é trabalho pesado... Ele é um roadie com 25 anos de estrada, 23 na N.N. - eu não tenho isso de idade ainda...

      OBS.: As siglas são pois não tenho autorização para divulgar isso.

      Del-Rei
      Veterano
      # 03/ago/17 22:54
      · votar


      Ismah
      Cara, sua agenda está boa. Bem boa, e imagino a correria que deve ser.
      Você é o cara da parte técnica, que joga em diversas posições e com várias bandas, vários eventos. Tirando os eventos cancelados, você tem mais de 20 eventos marcados no mês.

      Mas e os músicos? E as bandas? Tu acha que um músico aí do sul consegue se manter só com a agenda de shows? Pagando suas contas?

      Pergunto isso porque nosso papo inicial era sobre o músico ter grana pra investir em equipamentos. No começo você falou sobre ser difícil os músicos ganharem 600 pratas pro falante, e tu jogou uma média de 50 líquido por evento pra cada músico. Tirando as bandas mais renomadas (D. Joe), quantas datas tu vê, mais ou menos, as bandas fazendo por mês? Honestamente, acho bem difícil a maioria das bandas ter 4 datas por semana. E mesmo assim, o líquido é baixo no final do mês.

      Falando do meu caso aqui no RJ, e ainda mais considerando que eu sou exclusivamente autoral (o que complica ainda mais), seria impossível viver de música, porque casa de show abrir evento pra autoral independente é difícil, não dá público. O público quer mesmo ouvir os medalhões do mainstream. A média de shows da minha banda é 3 por mês, variando um pouco. Obviamente estou nessa pelo amor à música, não pela grana. Tirando um ou outro show maior, na maioria o cachê é diluído nos custos operacionais (gasolina, às vezes estacionamento, alimentação...).

      Conheço alguns técnicos de som que são aqueles "Faz-Tudo", como você, e também têm muito mais datas que as bandas.

      Um aceno de longe!!!

      Ismah
      Veterano
      # 04/ago/17 01:23 · Editado por: Ismah
      · votar


      Conseguir consegue, mas é uma carreira, não um emprego... Ou seja, tu não consegue fazer acontecer de hoje para amanhã, não arranca ganhando 5mil por mês.

      Parece contraditório, e confuso, mas eu to falando da nata, das bandas que levam música como trabalho e tem certa vivência.

      Músico que começou semana passada A SUA BANDA, não conhece ninguém na noite, não tem nome na praça, com toda certeza tá ralando pra fechar duas datas no mês, e ainda mal pagas.
      Só que mesmo ter datas, não significa ter grana!

      Voltando ao mundo real, e tirando uma média:

      Tenho uma banda cover com mais 4 músicos, aqui em Bom Princípio - cidadela de interior, seu bairro com certeza tem mais gente que na cidade - e tenho data em Porto Alegre, 85km longe.

      Sendo otimista, cada show paga 600~800 + janta - QUE NÃO É REALIDADE.

      Eu arranco com um prejuízo operacional de ~350 reais por causa de van.
      Ir de carro próprio não vira, muito risco no trânsito, assalto, estacionamento etc... Como a banda não é auto-suficiente, cada um precisa ter um trabalho formal e tocar no contra-turno, com a van podem dormir na viagem. Além disso, eu mesmo já dependeria de carona ou de busão.

      Se cada boneco, beber só água (a maioria das casas de PoA dá, e as vezes até uma consumação de X valor/pessoa), o custo com bebida é zero - até porque tem que trabalhar no dia seguinte.
      Sobra assim de 250 a 450 pra dividir entre 5... O que dá 50 a 90 conto pra cada um de cachê.

      "Ah mas é pouco", cara é um absurdo de pouco, não justifica nem o sacrifício a primeira vista, imagina carregar equipamento! Só que como disse é carreira, lá na frente isso permite a profissionalização. E felizmente tem gente entendendo isso aqui no sul.

      Aqui é interior, a média das pessoas vive com um salário mínimo de 800~900 pila da fabrica, por volta de 500 limpo (descontado, almoço, roupa, transporte...). Pra fazer 900 contos de réis, com a banda precisa-se tocar ao menos 8 vezes por mês. PORÉM... PORÉM, na fábrica tu recebe o salário e vai embora... Se precisa uma tesoura, é o chefe que providencia ela...

      Já na banda, tu tem que investir! Ensaio, tocar pelo preço de custo ou até de graça pra mostrar serviço, tomar calote (a van quer ser paga), gerar multimídia, marketing, logística, telefone (pra agendar as coisas)... E praticamente alguém fica só em função disso!
      E individualmente é corda (ao menos um jogo por semana da mais barata), em manutenção do equipamento (mics, cabos, regulagem, fonte, pedal, amp, extensão...), coisa que não é barato...

      Realmente, um BOM AF custa 500 pila aqui no país, um par de válvulas 6L6GC 350~400, um cabo curtinho e bom 150, corda da mais barata é 20~25 pila e vai 4 por mês (pra dormir tranquilo), uma POD HD500 é 2k5 usada...
      E não tem choro, ou escapatória, áudio é caro... Genérico existe, mas é sempre loteria, e se não funcionar tu ta lascado... Cabos Cordial custam um horror, coisa de 500 conto aqui, mas o CGK Road 75 tá indo pra 8 anos de uso, no mesmo estado que o novo - e parece que a garantia é vitalícia para o primeiro dono...
      AH e claro, tem que ter grana pra comprar o valvulado, a guitarra, a POD, o Road 75, etc...

      Tu tá numa grande capital bicho, o custo operacional diminui. Digamos que cada um vá de coletivo ou Uber, a pé, de charrete... São 120~160 pau para cada boneco, e tenho quase certeza que faz menos que aqui com 50... Mesmo sabendo as mutretas pra pagar menos - comprar verdura na CEASA, rancho em mercado atacadista (só com CNPJ)... - o custo de vida no Rio é absurdo de caro (por causa do turismo talvez?). Em sampa a diferença com Porto Alegre não é tão absurda, mas TENDE a ser pior, porque tu perde tempo no trânsito, muitíssimo mais caótico, que lima de tu fazer coisas em casa, conseguir correr atrás de preço - uma diferença de 10% não justifica cruzar uma metrópole como Rio ou Sampa.
      ________________

      Numa das bandas citadas, apenas o vocalista é de fato músico profissional, os demais são empresários. Conheço ele a uns bons anos já. Ele está para completar 40 anos (fonte: facebook rs), 26 de carreira, e uns 19 para se profissionalizar completamente.

      Ele se divide entre a banda, e o seu trabalho acústico... No acústico ele faz dinheiro! Porque é ele e um percussionista, e a namorada de " roadie ", que viajam com equipo no carro dele. O cachê dele é na média de 300~400, geralmente com janta e bebida... Dá 100 na mão do percussionista, põe 100 de gás, e embolsa o resto.

      Eu olhei propositadamente, ele tocou 14 acústicos mês passado, a banda está de folga (viagem de um membro), e tem 22 esse mês. Ou seja, só ali ele fez 1k4~2k8 mês passado, mais os ganhos da banda que toca, que aqui são completamente marginais. Deve fazer 2k2 a 4k4 em Agosto...
      Claro que o custo dele tocar com um Taylor, com cordas Ernie Ball, uma caixa ultra-moderna da Mackie, uma Voice Live Touch, é maior, mas não chega a ser proporcional. Ele só segura uma harmonia no violão, não rolam solos absurdos, afina em E 428Hz (é mais confortável o violão, e pra voz) logo não estoura corda tão fácil...
      ________________

      meu caso aqui no RJ

      Rio é complicado, principalmente na cena rock... Não que não tenha, mas a impressão que tive, é que o que movimenta dinheiro de fato, é tocar samba e bossa... Mais ou menos tocar 4 vezes Ary Barroso pra turista, num dia... Rio Grande do Sul realmente é mais rock, diria até que sampa...

      Mas não pense que das citadas é só rock! A banda A. é uma banda de baile, toca do sertanejo ao pop rock, tem enfoque no regional com autoral no meio... A festa com Dj, foi um pé no saco, eu me senti um pedófilo de tabela, só deu criança de 13,14, 15, partindo pro funk baixaria - MC Sapão pareceu um grande compositor do cancioneiro nacional... Não é o que eu curto, mas paga as contas!

      eu sou exclusivamente autoral (o que complica ainda mais)

      Rock autoral no RJ, com todo respeito, é realmente um caso sério de amor... Nem aqui no sul não sei se rola, mesmo tentando agradar gregos do pop, e troianos do rock... Não acho tua banda extrema, mas é o que mais rola... Tá cheio de gente querendo ouvir death metal na novela das 8... Gostaria de saber que drogas essas pessoas usam, e em que mundo vivo...

      A Dinamite Joe talvez seja a última que conseguiu algum sucesso com autoral aqui no sul... Antes deles só lembro de algumas bandas, mas ainda na década de 90. Tem algumas como a Valente (Estância Velha) que se destacaram no SuperStar, mas não vingou - eu diria que porque o som é bastante alternativo, tal qual Los Hermanos, eles tão cagando pra sucesso...


      Conheço alguns técnicos de som que são aqueles "Faz-Tudo", como você, e também têm muito mais datas que as bandas.

      Acredite em mim, tem gente que já ta pegando nojo de mim, porque onde vai tocar to eu lá kkkk

      Del-Rei
      Veterano
      # 04/ago/17 15:20
      · votar


      Ismah
      mas eu to falando da nata

      Entendo. Então, no geral, músico não se banca só com shows por aí também, tirando um ou outro.

      E isso influencia fortemente no mercado de vendas de equipamentos, e contribui pra lojas como a Celestioshop fechar as portas.

      Perguntei isso porque sei que no RJ a coisa é tenebrosa pra rock, principalmente autoral independente. Não dá mesmo. Banda cover também é quase impossível viver dignamente, e provavelmente o cara vai precisar fazer freelancer em outros esquemas.

      E como tu falou, aqui o lance é samba, bossa, funk e agora tem essa merda de sertanejo modista. Depois do subsolo, do petróleo, do pré-sal e do núcleo da terra, vem o rock.

      Até shows internacionais aqui no RJ tá complicado. Falando dos atuais... U2 vai fazer 4 datas em SP, Coldplay vai a SP e POA. Tirando evento como o Rock In Rio (que a maior parte das bandas não é rock), aqui a coisa tá braba.

      Um aceno de longe!!!

      Buja
      Veterano
      # 04/ago/17 16:08
      · votar


      Del-Rei
      A coisa sempre foi ruim no Brasil. Mas depois da Copa do Mundo e as Olimpiadas, o caixão foi fechado e só tem gente de cima tentando impedir o enterro. Por aqui, ou voce gosta de porcaria, ou é um gringo culto e inteligente que infelizmente nasceu no lugar errado.

      Ismah
      Veterano
      # 04/ago/17 16:11
      · votar


      Quem quer se estabelecer como músico profissional, tem que se puxar... São anos e anos de investimento, e um risco de não dar retorno esperado...

      Faz parte esse risco pra qualquer banda...

      O sertanejo é algo do Brasil, o turista não sabe nem que existe...

      Del-Rei
      Veterano
      # 04/ago/17 19:05
      · votar


      Buja
      Cara, lembro no réveillon, que eu estava num local onde a TV estava ligada e havia um pessoal assistindo a um tal de show da virada, onde tocavam uns desses sertanejos modistas. Parei pra prestar atenção, analisar mesmo, tentando deixar de lado o preconceito. Fiquei pasmo.

      As letras são vazias, basicamente falando de traição, uma dar tapa na cara da outra, ignoram completamente as concordâncias e regras da língua portuguesa (que nesse caso não considero licença poética, é ignorância mesmo).

      E o que me deixou mais pasmo foi ver que era um show com uma plateia enorme, tipo Rock In Rio, e a galera cantando todas as músicas, que eu nunca sequer tinha ouvido.

      Parei pra observar a produção do "evento"... Cara, o investimento ali é pesado. A galera nesse sertanejo injeta grana de verdade porque o retorno é certo.


      Ismah
      O sertanejo é algo do Brasil, o turista não sabe nem que existe...

      Normal. Mas eu gosto do sertanejo original. Não gosto desse modismo que inventaram e gerou esse tal sertanejo "universitário" pop.

      Existem alguns gêneros que são intrínsecos do interior de cada local. Assim como nos EUA há o country, aqui há o sertanejo. E cada país tem em sua cultura de interior, com outros estilos, que não conhecemos.

      Um aceno de longe!!!

      Ismah
      Veterano
      # 04/ago/17 21:59
      · votar


      Del-Rei

      O Metallica é odiado por uns, e amado por outros, mas é a única banda de metal, que sacou como o mercado mainstream funciona atualmente: IMAGEM.

      Não se iluda com os números grandes, não é nada desconhecido que likes de facebook, views do youtube etc, são passíveis de ser gerado, pois TODOS são views por conta e não por IP...
      Saiu hoje a tarde no G1 que Despacito é vídeo mais visto de todos os tempos no u2b... Conta comigo...

      2 bilhões
      994 mihões
      973 mil
      697

      Somos 7,6 bilhões de pessoas no mundo... Não creio que 1/3 das pessoas conheça Despacito... Imagina ir assistir o clipe... Só China e Índia somam 2,6bi, o que é uma fração bem grande de pessoas, e tem internet bastante controlada, além de gostos... digamos peculiares... Não são muito fãs de reggaetown...

      E vale lembrar que o que é muito ruim dá audiência (vide " Para nossa alegria " ) tanto quanto o que é bom...

      As plateias idem... O gênero, só segue o que o Latino faz desde fins de 90... Gravou DVD no reveillon do RJ... Porque? Platéia garantida!

      Sertanejo grande, que juntaria público por si só, chama 4 ou 5 outros grandes pra fazer abertura, e somar os públicos... Quando não grava em um baita festival, onde tem 100 foram por ele, 900 por outros artistas e 9mil por causa da festa em si...
      ______________

      O vazio nas letras é porque ninguém leva nada a sério, a zoeira come solta... Eu não sou lá a pessoa mais séria do planeta, mas a coisa desandou, tem gente cometendo absurdos cada vez maiores...
      Vá dizer isso para um fã de sertanejo isso, que ele te diz que é só música, que não é literal...

      Apesar de coisas assim acontecerem, há discrepâncias sobre o quanto uma música pode influenciar o comportamento individual... Mas que eu saiba nunca na história, a platéia que veio assistir ópera, quebrou o teatro inteiro... Já no mundo do punk e do metal (nem tão extremo) danos são comuns de acontecer!

      A ostentação, e demais componentes que o funk e o sertanejo valorizam e pregam, não pode ser só tão simples música... Não há pesquisas concisas infelizmente, mas não é novidade rapazote bem de vida, indo roubar e traficar, só pra gastar na festa...

      Não é obviamente o gênero que faz as atitudes, só que sabemos que nosso dia-a-dia influencia... Temos estudos de mais de 100 anos, que mostram que pessoas se tornam psicopatas muito raramente por simples acaso, e sim que existe um contexto específico, geralmente na infância, que leva a isso...
      E a que a situação atual leva a que?! É uma incógnita, com uma interrogação bem grande!

      Em segundo plano, a maioria não sabe cantar a música inteira só o refrão... Quando tá cheio de gente que canta Eduardo e Mônica e Faroeste Caboclo, emendado se precisar... Porque? Sertanejo não é música para ser ouvida, é pano de fundo.

      Ramsay
      Veterano
      # 04/ago/17 23:03
      · votar


      Por falar em Despacito eu confesso que não entendo como uma música latina meia boca pode estar há tantos meses em 1º lugar no Billboard.
      Será que não existe nada melhor por lá??
      Ou eles estão deixando a Despacito em 1º só pra contrariar o Trump que queria (mas não vai) construir um muro separatista??

      makumbator
      Veterano
      # 04/ago/17 23:40
      · votar


      Ramsay

      Macarena também ficou em primeiro lugar um tempão lá (e em boa parte do mundo) pelos idos de 1997 e 1998 (e é uma música pior que Despacito). Tem disso desde sempre.

      Ramsay
      Veterano
      # 05/ago/17 00:56 · Editado por: Ramsay
      · votar


      makumbator
      Pois é, mas, não dá pra entender, parece até que deram um "pause" na parada americana e o tal de despacito fica lá de ad-eterno. Enquanto isso, hits de qualidade superior ficam a deriva como, por exemplo, o abaixo que está entre os 5 top da parada inglesa e que é o de uma mulher que além de ser um tesão, canta muito (Se dependesse de mim ela estaria em 1º lugar no Billboard USA):



      Ismah
      Veterano
      # 05/ago/17 01:32
      · votar


      Por Zeus... Perdi mais um pouco da audição com essa música, e ganhei uma dor de cabeça de brinde...

      Eu concordo que a mulher é linda, a música pode ser boa (só consegui pensar em abaixa o volume), mas a master...

      Já sobre Despacito, acho ela uma boa composição, é algo diferente... Anitta parece que tentou pegar a onda da música latina, e caiu de cara no chão... Tá um portuñol horrível... Se fosse fronteira, ok, é algo regional esse "sotaque", mas ali ficou um espanhol mega forçado...

      Agora... Não sei se é bom ou mau... Wesley Safadão se converteu a Igreja Batista de Lagoinha ou coisa assim...

      Ramsay
      Veterano
      # 05/ago/17 01:42
      · votar


      Ismah
      Cara, para de beber e vai dormir, pq vc só tá falando besteira!!

      Ismah
      Veterano
      # 05/ago/17 02:14
      · votar


      Eu não bebo...

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       
      302.998 tópicos 7.841.877 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital