Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Review: Marshall DSL40C

      Autor Mensagem
      erico.ascencao
      Veterano
      # jul/14


      Equipamentos de referência para comparação:
      - Meteoro Nitrous GS100
      - Electrontubes Wizard 1 x 12" 50 W
      - Blackstar HT Studio 20
      - Fender Hot Rod Deluxe III
      - Blackstar HT Club 40

      Recursos:
      Amplificador com pré e power valvulados, 4 válvulas 12AX7 no pré, 2 válvulas EL34 no power, falante Celestion Seventy 80 12", loop de efeitos, vem com footswitch para alternar canal e ligar/desligar reverb, 40 W com atenuador para 20 W, dois canais (classic gain e ultra gain), reverb com controles independentes por canal, chaves de modo para os dois canais, equalização comum aos dois canais e chave de tone shift para a equalização.

      Som:
      Este amplificador é mais voltado pra um som Marshall moderno, à la anos 90. O canal Ultra Gain tocado com uma Les Paul lembra muito os timbres do Slash, com um drive bem médio-agudo (coisa que eu particularmente não gosto) e que pode chegar a boas doses de ganho mudando o switch de modo para a posição Lead 2. Entretanto, peguei este Marshall com o objetivo de tirar um drive mais vintage à la JTM e por este motivo encontrei dificuldades para domá-lo neste sentido - como já relatei neste tópico. Comecei primeiro experimentando o canal classic gain no modo crunch com o ganho no máximo, mas senti falta de ganho para um som do tipo AC/DC. Aí passei a regulá-lo no canal ultra gain, no modo Lead 1, com pouco ganho (9:00) e cortando o presence (7:00) e o agudo (9:00); aí sim consegui um timbre que me satisfez. Usando um Ibanez TS9 como booster antes dele eu chego numa distorção parecida com a do canal ultra gain, só que com menos estridência. Vale ressaltar que o canal classic gain, no modo clean, é clean mesmo, sem granulações e com um timbre "cremoso". O que me chamou a atenção neste amplificador é a dinâmica que ele proporciona, ou seja, dá pra dosar legal o drive com a pegada ao tocar ou com o potenciômetro da guitarra.
      Nota: 8,0.

      Acabamento:
      Simples, porém bem muito feito. Não vi nenhum erro no acabamento.
      Nota: 9,5.

      Confiabilidade e durabilidade:
      Ainda não coloquei este quesito à prova pois ele ainda não saiu de casa. E dificilmente ele sairá, pois o Fender e o Blackstar são amplificadores mais usáveis em situações ao vivo devido à versatilidade deles no meu set. De qualquer forma, classifico-o como bom neste quesito.
      Nota: 8,0.

      Impressão geral:
      Na minha opinião, a Marshall nos castiga com a falta de modelos de entrada na sua linha de valvulados. Há pouco tempo atrás o Class5 veio para aproveitar o hype dos valvuladinhos e ele realmente me chamou a atenção. Como eu queria algo um pouco mais potente, o DSL40C foi a minha única opção. Mesmo tendo características timbrísticas diferentes das que eu procurava, decidi arriscar. Depois de alguns meses aprendendo a lidar com ele, cheguei a bons resultados e estou contente. Por ter uma equalização comum aos dois canais, não acho ele um amplificador muito versátil pra se usar ao vivo, por isso ele está fadado a ficar no quarto até aparecer um show em estádio hehehhehehe.
      Nota: 8,5.

      NeoRamza
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      Na verdade são 3 12AX7 no pré, umas das 12AX7 vai no power junto com as duas EL34.

      O que você achou dele comparado ao HT40? O DSL40C no lead 2 chega num ganho igual do HT40?

      erico.ascencao
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      NeoRamza
      Na verdade são 3 12AX7 no pré, umas das 12AX7 vai no power junto com as duas EL34.
      Dessa eu não sabia. Você sabe qual é a função da quarta 12AX7 no power?

      O que você achou dele comparado ao HT40? O DSL40C no lead 2 chega num ganho igual do HT40?
      O Lead 2 do canal ultra gain do Marshall DSL40C chega numa faixa de ganho do Blackstar HT Club 40, mas a característica dos dois drives é bem diferente. Por ser mais médio-agudo, o Marshall tende a soar mais fuzzy e mais "frouxo" (com menos peso, acredito eu pela falta dos médio-graves) com ganhos altos. O Blackstar com alto ganho continua com a equalização controlada e mais equilibrada em todas as frequências.

      edalko
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      Minha experiência com amps me faz afirmar que na maioria das vezes o som indesejável que acaba se escutando dos amps que vc compra pretendendo um som a lá X ou Y, decorre do baixo volume e em segundo lugar do falante/caixa utilizada.

      Quanto mais vc abre o volume o grave responde mais, o fizzzy some, e o som tende a ficar mais redondo.

      Eu quase comprei esse amp, pois tinha uma promoção interessante no ML. Mas eu iria me ferrar economicamente... e desisti. Mas é um amp interessante.

      erico.ascencao
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      edalko
      Quanto mais vc abre o volume o grave responde mais, o fizzzy some, e o som tende a ficar mais redondo.
      Fato. Já dizia Eddie Van Halen: "Timbre é volume."

      NeoRamza
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      erico.ascencao
      Dessa eu não sabia. Você sabe qual é a função da quarta 12AX7 no power?

      Não, também queria saber rsrs.

      Del-Rei
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      erico.ascencao
      Maneiro, cara.
      Então, apesar da dificuldade inicial em domar o bicho, tu acabou curtindo. Legal.
      Eu sou fã da Marshall, curto o timbre rasgadão, cheio de médios, mas quando toquei no DLS15H, não curti. Como você falou, a Marshall não investe muito nos modelos de baixo custo.

      edalko
      Minha experiência com amps me faz afirmar que na maioria das vezes o som indesejável que acaba se escutando dos amps que vc compra pretendendo um som a lá X ou Y, decorre do baixo volume e em segundo lugar do falante/caixa utilizada.

      Isso aí... concordo.
      Volume melhora tudo no som. Só quem discorda disso são os vizinhos... rsrs

      Um aceno de longe!!!

      erico.ascencao
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      Del-Rei
      O DSL15 me pareceu um amplificador só com o "modo Slash". Ele não tem as chaves de modo dos canais, então o cassic gain soa como limpo e o ultra gain soa distorcido mesmo. Não sei se conseguiria domá-lo no canal ultra gain com pouco ganho.

      Del-Rei
      Veterano
      # jul/14
      · votar


      erico.ascencao
      Ele não tem as chaves de modo dos canais, então o cassic gain soa como limpo

      Pois é... É limpo mesmo a não ser que se possa aumentar muito o volume, o que é inviável 99,9% das vezes.

      e o ultra gain soa distorcido mesmo. Não sei se conseguiria domá-lo no canal ultra gain com pouco ganho.

      Pois é, esse canal eu não curti o drive dele. Achei muito comprimido, e como sempre, só começa a soar legal depois de um determinado volume, que também é quase inviável.
      :/

      Um aceno de longe!!!

      erico.ascencao
      Veterano
      # jan/15
      · votar


      Um videozinho pra ilustrar o review.



      Equipamento utilizado:
      - Gibson Les Paul Traditional
      - Marshall DSL40C
      - MXR Microamp

      Del-Rei
      Veterano
      # jan/15
      · votar


      erico.ascencao
      Opa... Legal... Tu que gravou, ou pegou algum no YouTube?

      Só achei que os pratos da bateria ficaram muito evidentes, e a guitarra podia sobressair mais.
      Tem como vc editar essa mix novamente?

      Um aceno de longe!!!

      MMI
      Veterano
      # jan/15
      · votar


      erico.ascencao

      Legal! Baita clássico...

      Ismah
      Veterano
      # jan/15
      · votar


      NeoRamza
      erico.ascencao

      A terceira válvula pode ser a inversora, é especulação, mas é uma especulação quase óbvia. Fica dúvida, pois ela pode servir como um boost de ganho (pro canal ultra-gain) ou para mover o reverb (improvável, pelo porte e proposta do amp).

      krixzy
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      erico.ascencao
      Eu curti rs.... mas é outra praia....

      Acho que com um bom equalizador da pra modelar o som ao gosto do cliente...
      https://www.youtube.com/watch?v=KrwI1ggYPGM

      erico.ascencao
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      Del-Rei
      Opa... Legal... Tu que gravou, ou pegou algum no YouTube?

      Eu que gravei, postei num outro tópico aqui no FCC.

      Só achei que os pratos da bateria ficaram muito evidentes, e a guitarra podia sobressair mais. Tem como vc editar essa mix novamente?

      Vix, gravei tudo junto, playback e guitarra captados pelo microfone do próprio celular. Pra melhorar só gravando de novo :(

      krixzy
      Você curte umas paradas mais pesadas? Se sim, este amplificador pode até te atender, mas vai te dar uma distorção mais clássica, à la anos 90. Eu gravei este vídeo com a seguinte regulagem:
      - Canal: Ultra Gain
      - Switch: Level 1
      - Ganho: 20%
      - Volume: 15%
      - Treble: 20%
      - Middle: 50%
      - Bass: 50%
      - Presence: 0%
      - Ressonance: 100%
      - Reverb: 0%

      Eu tiro estes agudos pra deixar o drive mais macio, com uma cara mais vintage. Já tentei um equalizador da Zoom G3x, que deu um bom resultado, mas seria chato de usar no meu set. Conversando com meu cunhado, cheguei à conclusão que um falante Celestion V30 seria legal pra corrigir esta característica timbrística. Por enquanto, vou deixando do jeito que está que eu até que fico feliz.

      Del-Rei
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      erico.ascencao
      Legal! Vendo agora pelo computer da pra ver o nome do arquivo, tá escrito seu nome, rs. Eu tinha visto pelo celular e não tinha o título do vídeo, rs.

      Gostei muito, cara. Apesar de não ter curtido muito o Head de 15W, creio que esse combo de 40 seja bem melhor.
      Parabéns pelo vídeo!!

      Um aceno de longe!!!

      erico.ascencao
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      Del-Rei
      O DSL40C tem dois modos em cada canal. No canal Classic Gain há os modos clean (totalmente limpo) e crunch (drive levinho),e no Ultra Gain tem os modos level 1 e level 2. Eu comprei este ampli pensando em usar o Classic Gain no modo crunch pra ter um drive mais vintage, mas descobri que precisava de um pouco mais de ganho pra chegar no timbre que eu queria, então parti pro canal Ultra Gain no modo level 1 com pouco ganho. O problema é que o canal Ultra Gain soa mais rasgado/brilhante, por isso tive que aprender a domar este excesso de frequências.

      krixzy
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      erico.ascencao
      Conversando com meu cunhado, cheguei à conclusão que um falante Celestion V30 seria legal pra corrigir esta característica timbrística.

      Mas o V30 é mais agudo, se vc já ta achando muito agudo com esse falante, colocando o V30 não iria piorar?

      erico.ascencao
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      krixzy
      Mas o V30 é mais agudo, se vc já ta achando muito agudo com esse falante, colocando o V30 não iria piorar?

      Vi um vídeo review no Youtube mostrando exatamente estra troca de falantes no Marshall DSL40C e tive a percepção contrária. O falante original soou mais ardido e o V30 mais "quente".

      erico.ascencao
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      krixzy
      Achei o vídeo e retiro o que disse. Com a Les Paul deu pra sentir um ardido aparecer.



      lemingue
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      erico.ascencao

      Já tive amps e cabs com 70/80 e com V30. O V30 dá um banho no 70/80. Tive um LC50 que com V30 era animal, com o 70/80 era , digamos, normal. Se colocares um V30 nesse marshall o som vai melhorar pelo menos uns 50%...

      Abs.

      erico.ascencao
      Veterano
      # fev/15 · Editado por: erico.ascencao
      · votar


      lemingue
      De maneira bem grosseira, percebi que o V30 deixa o som mais presente. Tenho receio que isso traga mais à tona o "harsh" deste ampli, pois ele naturalmente já tem uma cara mais moderna, anos 90... enfim, a cara do timbre do Slash.

      Nefelibata
      Veterano
      # fev/15 · Editado por: Nefelibata
      · votar


      erico.ascencao

      Se vcs jah acham esse amp harsh com 70/80, talvez seja culpa do falante mesmo. Esse falante é beeeem harsh. A falta de médios deixa os agudos magrelos...

      Pelo vídeo achei que o V30 salvou o amp. No clean dá pra ver o quanto o 70/80 é mais agudo e tem menos médios que o V30; na distorção até pode parecer que o V30 é mais agudo. No entanto, o foco nos médios do V30 é evidente e tem um som muito mais completo e bonito que o 70/80.

      Em resumo: Não dá pra julgar muito bem qual é a do amp com um falante tão meia boca quanto este 70/80. Há que testar esse V30, que parece q ficou bom. Se achar q tah muito agudo, bota um Greenback ou Creamback que resolve. Pelo que descreveu penso que vc poderia ir direto num creamback mesmo. Tenho e aprovo.

      Abraço

      PS: tive um amp valvulado fender com esse 70/80 e odiei o amp até trocar de falante e descobrir o culpado do problema.

      lemingue
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      erico.ascencao

      O 70/80 é falante da rabeira dos celestions... ele é um Classic 80 mais "simples"... Não é a toa que os 70/80 são instalados em amps de menor custo, mesmo sendo marhall, laneys (que agora tem sua própria marca) e etc. Já o V30 é médio/top da marca... ser top ou não, não quer dizer muita coisa, mas num mesmo fabricante sim... Sempre achei o som do 70/80 meio sem vida ou murcho sabe... não tem definição nos médios e graves. Ele é um falante "flat" só que não tão bom quanto o seu "pai", o Clássic 80. O V30 já dá um timbre a mais pro amp, eu gosto... tenho um laney head e já tive um laney combo... sem o V30 eu nem tocava no combo... Esse negócio de ficar harsh ou com muito médios é meio relativo... só trocando tu já vai sentir a diferença, ele tem mais db, mais médios e definição. Tem gente que se esquece dos potenciômetros do amp ou não sabe usar... E tocando a diferença é ainda maior. Esse negócio de equalização em "V" ao extremo é coisa para quem não toca em banda nenhuma... médios é área da guitarra... é aí que ela aparece... em casa é uma coisa... agora junta um baixo, outra guitarra, um teclado, vocais e etc... se não usar um pouco de médios o som fica fininho e por mais que tu aumente não adianta nada, ainda corre o risco de, com mais volume, os graves embolarem...

      Essa é só a experiência minha já tive os dois falantes, ao mesmo tempo inclusive. Hoje só tenho V30 e não é a falta de um que vai fazer o som ficar ruim... só que, com ele, fica melhor.

      lemingue
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      Nefelibata

      PS: tive um amp valvulado fender com esse 70/80 e odiei o amp até trocar de falante e descobrir o culpado do problema.
      Não cheguei a odiar o LC50 que tive, pois sabia que o problema era o falante. A questão é que eles tentam baratear onde dá com certas linhas de produtos, levam a produção pra Ásia, colocam válvula meia boca, não fazem ajuste de bias e etc... O princípio é saber que o som básico de um amp leva em conta a configuração do pré, do power e dos falantes... combo nada mais é que a combinação dos três... que redundância numa hora dessas... mas é isso aí. O melhor upgrade que se pode fazer em um amp é a troca de falantes... muito mais que trocar válvulas de pré e power, se forem da mesma configuração, e, mesmo sendo diferentes, a "proporção" de mudança é bem menor que a do falante.

      Nefelibata
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      lemingue

      Concordo. Mas eu já tive experiências em outros amps com 70/80 e as vzs ainda acabo tocando nele em cubos dos estúdios por aí. É bem como vc disse, o som é sem definição, sem médios e sem personalidade.

      O amp era um Hot Rod Deluxe 3, mexicano. Válvulas foram trocadas por JJ e bias ajustado. Mesmo assim a diferença no timbre foi mínima. Daí botei um Jensen... aí ficou muito bom. Deu vida e personalidade pro amp até postei um vídeo aqui depois da troca. Hoje a fila andou e não tenho mais esse amp.

      Abraço

      erico.ascencao
      Veterano
      # fev/15
      · votar


      Nefelibata
      lemingue
      Valeu pelas dicas! Meu cunhado tem uma caixa com V30 que ele usa com um cabeçote Mesa Boogie Mark V e está querendo vendê-lo pra pegar um falante da própria Mesa Boogie, portanto já estou na fila de espera. Existe até a possibilidade de eu pegar este falante emprestado pra fazer um teste comparativo antes de me definir para compra.

      Andy Viper
      Veterano
      # 15/dez/15 14:49 · Editado por: Andy Viper
      · votar


      (PC deu erro. Por favor, algum moderador, exclua esse comentário repetido. Obrigado.)

      MauricioBahia

      Andy Viper
      Veterano
      # 15/dez/15 14:50 · Editado por: Andy Viper
      · votar


      (PC deu erro. Por favor, algum moderador, exclua esse comentário repetido. Obrigado.)

      MauricioBahia

      Andy Viper
      Veterano
      # 15/dez/15 14:52
      · votar


      erico.ascencao
      Desculpe desenterrar o tópico, mas estou prestes a comprar esse amp e queria saber como é o canal limpo dele. É totalmente limpo mesmo, inclusive em altos volumes? E o volume dele é bem alto?

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Review: Marshall DSL40C

      303.874 tópicos 7.863.171 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital