Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      É todo valvulado ou não é, pô!? Definição correta de "All Tube".

      Autor Mensagem
      nichendrix
      Veterano
      # out/10
      · votar


      MauricioBahia

      Cara, eu não estou tentando dizer que um é melhor que outro, até porque seria hipocrisia pra quem tem teve tanto valvulados, quanto SS (e sonha com alguns amps das duas categorias).

      Sobre a tal alcunha do termo, é como eu disse, se tu voltar uns 15-20 anos no tempo, antes da "popularização" dos híbridos, nem existia o termo All Tube. É um termo que surgiu como estratégia de Marketing por parte dos fabricantes que só faziam valvulados (especialmente os mas baratos), pra alegar que ao contrário da concorrência que fazia amps hibridos, eles só faziam valvulados.

      Por essa época a maioria dos amps já usavam algum tipo de transistor no circuito, notadamente na hora de mudar canais. Então do ponto de vista de definir all tube como sendo algo que o sinal não passa em momento algum por algo que não seja valvula é meio que incoerente, uma vez que o próprio termo não foi criado para designar esse tipo de coisa.

      A terminologia popular e técnica é cheia dessas confusões de termos, de coisas que surgiram em um contexto e de repente se vêm aplicados de forma inadequada em contextos diferentes dos originais.

      Pra mim esse é o caso do all tube, que surgiu só pra dizer que os 2 estágios de potencia usavam válvulas e depois foi descontextualizado para significar outra coisa, gerando mais confusão do que esclarecimento.

      MauricioBahia
      Moderador
      # out/10
      · votar


      nichendrix: Cara, eu não estou tentando dizer que um é melhor que outro, até porque seria hipocrisia pra quem tem teve tanto valvulados, quanto SS (e sonha com alguns amps das duas categorias).

      Eu sei! Mas eu estou sempre frisando isso pq tenho medo que o pessoal comece a "jugar amps" e isso aí é morte certa! ehhe

      Pra mim esse é o caso do all tube, que surgiu só pra dizer que os 2 estágios de potencia usavam válvulas e depois foi descontextualizado para significar outra coisa, gerando mais confusão do que esclarecimento.

      Acho que a confusão é proposital, né por nada não!

      Pergunta off: pelas suas andanças e vendas, qual o amp que vc tocou e ficou sem dormir pensando nele?

      rafael_cpu: Quer dizer, então, que o 5150 ou o 6505, não são realmente all tube, se entendermos a definição de all tube como all tube, ou seja, na maneira do zefonseca e do MauricioBahiaverem o tema?

      Pois é... Pra mim são valvulados, mas não "All Tube", pq a palavra "All" significa "tudo" ou "todo" e se tem outra coisa que não sejam válvulas no caminho do áudio, o termo não deveria ser aplicado.

      Abs

      ogner
      Veterano
      # out/10 · Editado por: ogner
      · votar


      MauricioBahia
      Pergunta off: pelas suas andanças e vendas, qual o amp que vc tocou e ficou sem dormir pensando nele?

      Ele certamente ficou sem dormir por um ALL TUBE de verdade ( Rá! CAOS!! ) tipo um Vibro-King, mas como ele quer causar o caos tb, vaio falar um xexelento que ele vive citando um tal de Politone..Polialgumacoisa...Que é SS...

      Hehe!

      MauricioBahia
      Moderador
      # out/10
      · votar


      ogner: Politone..Polialgumacoisa..

      Polivox?

      hehehe

      megadeth2612
      Veterano
      # out/10 · Editado por: megadeth2612
      · votar


      Quer dizer, então, que o 5150 ou o 6505, não são realmente all tube, se entendermos a definição de all tube como all tube, ou seja, na maneira do zefonseca e do MauricioBahiaverem o tema?

      Mas daí vai o bem senso também né? Como esses amps conseguiriam alcançar esse nível todo de ganho (5150, Rectifiers, etc) somente com valvulas? Ficaria inviável né?

      Essas discussões no FCC são muito perigosas, principalmente porque se cria meias verdades, como foi o caso da "distorção de power". Quando estava vendendo meu Pedrone SLO 100w, muitos possíveis compradores (sendo em quase na sua totalidade pessoas leigas que nunca tiveram um valvulado) indagavam que era muita potência e que não conseguiriam distorcer o power. Mas como assim? O projeto do amp não foi feito para obter a sua distorção primária do power! Como se fosse só o fato de distorcer o power o que salvaria o som da guitarra. Achei isso um absurdo, principalmente em um amp com 6L6 na saída. Criou-se o conceito de que para ter um valvulado, terá que ser necessariamente um de baixa potência (15w, 10w, 5w, 1w, quanto menor melhor) ou utilizar um atenuador, como se realmente fosse um pré-requisito para se alcançar um bom timbre de valvulado, o que é um equívoco na minha opinião. Hoje tenho um amp de 50w (Marshall DSL) e não preciso derrubar as paredes do quarto para conseguir um bom timbre, também não precisava disso quando tinha o Pedrone SLO 100w.

      Onde eu quero chegar? Daqui a pouco vai ter moleque falando aos 7 ventos que Peavey 5150, Mesa Rectifiers, etc são uma merda de amplificadores porque não são all-tube.

      MauricioBahia
      Moderador
      # out/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      megadeth2612: Essas discussões no FCC são muito perigosas, principalmente porque se cria meias verdades, como foi o caso da "distorção de power

      daqui a pouco vai ter moleque falando aos 7 ventos que Peavey 5150, Mesa Rectifiers, etc são uma merda de amplificadores porque não são all-tube.

      Concordo. Mas por causa disso não vou abrir uma discussão? Não posso falar sobre saturar power amps, de denominações controversas como "All Tubes" e qualquer outra que gere dúvidas? Então é melhor ficar calado e não aprender sobre o assunto, não debater. Isso não é democrático, no meu modo de ver.

      Infelizmente tem muita gente que não lê o tópico e sai falando/imaginando um monte de coisas, mas o FCC é um fórum de debates e acho uma merda ter que usá-lo com "tira-dúvdas", como acontece.

      Aliás, ninguém aqui falou mal de qualquer amplificador aqui.

      Criou-se o conceito de que para ter um valvulado, terá que ser necessariamente um de baixa potência (15w, 10w, 5w, 1w, quanto menor melhor) ou utilizar um atenuador, como se realmente fosse um pré-requisito para se alcançar um bom timbre de valvulado, o que é um equívoco na minha opinião.

      Cara, pra tocar no meu quarto os 15w do meus amp fica muito alto e simplesmente inviável de tocar sem incomodar. Se o seu não, ótimo, mas é quase unanimidade que valvulados em volume altos soam melhores e é isso que o tópico que fiz a algum tempo atrás abordava.

      Sim, todo debate pode gerar confusão pq tem um monte de gente que não lê com ateção, até pq o assunto se torna extenso muitas vezes. Mas a idéia não é a troca de informações/idéias sadias e sem segregar.

      Cada tem sua visão e isso é muito interessante e faz do debate algo até mesmo surpreendente.

      Abs

      nichendrix
      Veterano
      # out/10 · Editado por: nichendrix
      · votar


      ogner

      nhee... Polytone, Lab5 e Roland são o que há pra tocar sons limpos jazzisticos... hehehehe

      MauricioBahia
      Acho que a confusão é proposital, né por nada não!

      Bom, discordo em parte, eu acho que pela propaganda da época, não era proposital... mas depois que o fenômeno internet veio e mudou as regras do jogo... eles continuaram usando porque "pegava bem".

      Tem que ver uma coisa que é inerente a internet. Tipo 16-17 anos atrás quando eu comecei a tocar, não existia essa guerra contra digitais e multi-efeitos, esse apego a distorções de power e muito menos com all tube. Todo mundo queria um amp bom. Fosse um Peavey Bandit, um Marshall Valvestate, um Fender Bassman ou um Mesa/Boogie Triple Recto.

      Cada um procurava um som e tinha o som que queria, a maioria das pessoas tinha uma renca de pedaizinhos e sonhava em adicionar um multi-efeitos ao set. Amplificadores como Marshall Valvestate, Fender Deluxe 90 ou Peavey Bandit eram amps tão desejados quanto os JCM800, Fender Blues Deluxe ou 5150.

      As guitarras mais desejadas eram quase sempre super stratos, Jackson, Ibanez, Charvel, AriaPro, Kramer, Steinberg, até a Fender e a Gibson tinham séries de superstratos ou versões super-strato-like de seus produtos.

      E tu deve lembrar disso melhor que eu, já que eu era só um pivete de 13 pra 14 anos que vivia trancado no banheiro e tu já tava tocando o terror por aí... hehehhehe

      Eu era um anormal, porque comecei a ler e a me interessar por guitarra muito antes de tocar, ganhei de uma tia minha alguns livros, tanto em português e em inglês, sobre guitarras, amps, violões e eu vivia sonhando com isso. Em geral eram livros na linha do The Complete Guitarriste ou Guitar Handbook/Toque, que puxavam mais pro aspecto histórico e técnico do que para um método musical.

      Até mais ou menos 1998, eu era virtualmente um dos 3 caras com menos de 30 anos que eu conhecia que realmente curtia Gibson Les Paul, uma ES-335, uma SG ou uma Stratocaster ou Telecaster e que por essa época tinha 2 Semi-Sólidas e 1 Strato estilo vintage com mais de 10 anos de uso e já estava juntando a grana pra minha Les Paul (uma Studio).

      Virtualmente todas as pessoas que eu conhecia que tinham gosto similares tinha perto do dobro da minha idade.

      Então, eu não vejo como sendo um complô para enganar a todos, eu acredito que realmente começou como uma "brincadeira" de marketing, que depois ganhou proporções muito maiores.

      A que eu atribuo essas proporções? Obvio que a internet.

      Podem falar o que for, mas eu sou da primeira geração que cresceu na frente de um computador (já que ganhei um MSX usado aos 8 anos de um tio meu que tinha comprado um 286SX). Eu também fui da primeira geração da internet, porque como meu pai era professor na Federal, teve acesso à internet 1 ano antes dos usuários domésticos por conta da universidade (o bom e velho modem de 9600).

      E acima de tudo, eu tinha informação por livros e revistas que não estava indisponível para minha geração, pois era coisa que no Brasil foi publicada até o inicio dos anos 80, bem como livros estrangeiros que nunca nem foram publicados no Brasil.

      Naquela época, nas BBS, em sala de conversa de musica, tu não via adolescentes de 14 anos sonhando com uma Gibson Les Paul, todo mundo queria uma Gianinni Trilogy, quando era modesto era uma Stratosonic porque era a mais barata, e ainda morrendo de raiva porque era feia.

      Valvulado??? Tá doido?? Válvula é coisa de radio velho e o pessoal que tocava rock pauleira no Guns'n'Roses ou no Iron Maiden.

      Enfim, eu era um anormal naquela época. Mas agradeço por isso, porque eu tive a informação do jeito que ela deveria ser passada, as fontes eram antigas, não tinha toda a coisa dos mitos amplificados pela enorme brincadeira de telefone sem fio que é a internet.

      De 1998 em diante, quando internet ficou barato e acessível à maioria da classe média e depois à todos (não só no Brasil, como no mundo), começou toda essa bola de neve de mitos, toda essa valorização do que é antigo.

      É só ver que em 1989 uma Les Paul 1959 totalmente mint condition custava pouco menos que o dobro de uma Les Paul Standard nova. em 1999 eram guitarras que passavam dos 50mil dolares, em 2009 passavam fácil dos 500mil dolares.

      O mesmo acontecia para equipamentos novos. Uma Les Paul Standard ou um Marshall ou Fender eram relativamente caros, mas nada de absurdo, qualquer classe média que economizasse um pouco por alguns meses, conseguia comprar comprar um em alguns meses. Eu mesmo, comprei meu primeiro Marshall aos 16 pra 17 anos, com dinheiro juntado das duas merendas que tinha na escola, juntei por de 2 anos e era um valvulado que pra época era caro porque era o top da linha "vintage" da Marshall (JTM), que empatava em preço com os combos tops da linha JCM e com essa grana comprava tranquilo qualquer Fender Silverface que tu quisesse.

      De repente a internet chega, e esses amps, começam a disparar em preço, começam a gerar lendas e a virar mitos. Isso não pouco existia antes da internet se popularizar.

      Pergunta off: pelas suas andanças e vendas, qual o amp que vc tocou e ficou sem dormir pensando nele?

      Cara por incrível que pareça não foram muitos. Dos SS, o Roland JC-120 e o Polytone Mini-Brute fazem minha cabeça voar até hoje, foram amps que na primeira vez que toquei, fiquei o dia todo me perguntando se algum dia ia tocar o suficiente pra merecer ter um deles.

      Dos valvulados, tiveram alguns mais, de longe os que mais me fizeram sonhar em ter a falta de juízo suficiente pra dar muito dinheiro em amp, nem que fosse só pra ficar vendo foram o Matchless Chieftain e o Fender Vibro-King. Não tem como, são amps que nem precisa ligar para saber que ali tem algo que está em um nível muito superior ao resto.

      Fora esses que realmente são amps de boutique, feitos com circuito ponto a ponto e tralalala, a maioria dos outros talvez surpreendam vocês, pois por incrível que pareça os amps que mais me fizeram sonhas foram os Blues Deville, Blues Deluxe e os Super Reverb, os Marshall JTM-35 Bluesbreaker, JTM-60, os Marshall 30th Aniversary, um Gianinni Tremendão, os Vox AC30 e AC15 e os Mesa/Boogie Blue Angel, Heartbreaker e Trem-o-Verb.

      Se pedissem pra eu fazer uma seleção de amps definitivos pra mim, provavelmente seria esses aí, com caixas 2x10 para os cabeçotes (não curto muito as 4x12).

      Podem me perguntar porque não tem Twin Reverb, Bassman, JTM-35, SPL, Mark's, JCM e afins (inclusive alguns originais vintage)... porque talvez esses amps tenham gerado uma expectativa tão grande em mim, que quando toquei, fiquei foi com aquela cara de quem diz, qualé, não pode ser só isso?

      A maioria dos amps citados, eram maps que eu não dava um sibasol furado quando fui tocar... hehehhehehehe

      megadeth2612
      Mas como assim? O projeto do amp não foi feito para obter a sua distorção primária do power! Como se fosse só o fato de distorcer o power o que salvaria o som da guitarra. Achei isso um absurdo, principalmente em um amp com 6L6 na saída. Criou-se o conceito de que para ter um valvulado, terá que ser necessariamente um de baixa potência (15w, 10w, 5w, 1w, quanto menor melhor) ou utilizar um atenuador, como se realmente fosse um pré-requisito para se alcançar um bom timbre de valvulado, o que é um equívoco na minha opinião.

      Isso é verdade, essas lendas do FCC e de dos foruns de guitarra mundo a fora em geral, são um perigo.

      Eu só discordo de uma coisa sobre amps de baixa potência, não digo que eles são necessários para ter um ótimo som, ou para se ter um valvulado. Todavia, dependendo do tipo de som e de utilidade, são ideais sim.

      Quando morava em casa, rolava ter um amp de 60W no quarto e tocar nem que fosse baixinho a noite sem incomodar ninguém, em apartamento não rola. Da mesma forma pro mané_guitarra que só toca 3 acordes no quarto e não tem banda, ter um JCM-2000 TSL 100 com um full stack no quarto é no minimo burrice.

      kosmiktubes
      Veterano
      # out/10
      · votar


      megadeth2612

      Concordo com você que se criam muitos mitos em foruns. Não só no FCC, mas em foruns do exterior também, é uma característica da conversa informal que tem nos forum, digamos, conversa de botequim.

      Tem que saber distinguir entre o que é material de qualidade e o que é chute.

      All tube não é um termo técnico, não tem definicão em nenhum manual de norma técnica.

      Pensei melhor e acho que all tube tem que ter tudo valvulado, inclusive a fonte. Tem razao ai quem disse que all eh all, tudo valvulado.

      Um amplificador nada mais e que uma fonte modulada. O sinal da guitarra modula a energia da fonte que e entao transmitida para um meio mecanico, o falante.

      Entao, se partirmos dai, o all tube deve ser sim todo valvulado, inclusive a fonte. E se aceitarmos isso, qualquer um que anuncie um all tube que nao for exatamente all tube, esta sendo anti etico ou ate mesmo desonesto.

      MMI
      Veterano
      # out/10
      · votar


      MauricioBahia
      ogner

      Pergunta off: pelas suas andanças e vendas, qual o amp que vc tocou e ficou sem dormir pensando nele?

      Ele certamente ficou sem dormir por um ALL TUBE de verdade ( Rá! CAOS!! ) tipo um Vibro-King, mas como ele quer causar o caos tb, vaio falar um xexelento que ele vive citando um tal de Politone..Polialgumacoisa...Que é SS...


      Pessoal, vou falar o que eu penso e acho que o nichendrix vai concordar. É como guitarra, não tem como falar uma que é a melhor. O Polytone Mini-Brute que o nosso amigo já citou, de fato é algo dos sonhos para se tocar um timbre limpo, "jazzy". Eu mesmo sonho com um Mini-Brute II, amp usado por George Benson. Para mim é melhor (pessoalmente), mas não para para afirmar que de fato é muito melhor que um Roland JC-120. Da mesma forma que na hora de distorcer, eu opto por um rack com pré Rectifier e power mais fraco, exatamente para ter à disposição distorção de power também, além de gravação em linha. Mas para tocar num estádio, talvez um Road King fosse melhor. Da mesma forma que os Marshall, Fender, "Plexis" e por aí vai. Cada um tem seu ponto alto e aplicação.
      Particularmente um amp que me chamou muito a atenção foi um Hughes & Kettner Triamp. Só que não é para mim... Tem muitos amps muito bons...

      Curly
      Veterano
      # out/10 · Editado por: Curly
      · votar


      valvulado virou religião. a comunidade de amps valvulados no ok tem mais de 5k membros, todos grandes entendidos, todos grandes guitarristas... com a internet ficou fácil encontrar informações sobre os detalhes mais sutis envolvendo falantes, sets de válvulas, circuitos, mods, trafos, atenuadores...

      às vezes acho que tem gente que passa o dia inteiro na internet olhando isso. aqui mesmo no fcc vemos mlqs de 13 anos que sequer sabem tocar criando tópicos sobre detalhes de falantes, etc.

      em princípio não tem problema nenhum, é uma diversão sadia (e cara), só acho que esse tanto de informação dispersa do princial: a música...

      pessoalmente não gosto muito de valvulado por causa da confiabilidade e imprevisibilidade. já vi guitarrista perdendo a concentração e passando o show inteiro brigando com o amp e tb shows arruinados pelo amp. só quem não sabe o que é válvula não fica tenso quando leva um para o palco.

      antes que me chamem de estúpido, esclareço que sei muito bem o que é um valvulado, tenho formação média e superior em eletrônica, já trabalhei com manutenção de equipamentos (não amps) que usavam válvulas, inclusive estou construindo uns valvulados por diversão, vou doá-los aos meus sobrinhos, hehe !

      MauricioBahia
      Moderador
      # out/10
      · votar


      MMI: Particularmente um amp que me chamou muito a atenção foi um Hughes & Kettner Triamp. Só que não é para mim... Tem muitos amps muito bons...

      Eu acabei de comprar esse: http://forum.cifraclub.com.br/forum/7/244461/

      Haha!

      Abs

      MauricioBahia
      Moderador
      # out/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      Sobre mitos...

      Todo dias criam-se mitos, querendo ou não pois a interpretação de cada um pode variar num contexto aberto, como esse. Pra evitar isso, num fórum de discussão, ou você implanta o autoritarismo, censurando tudo por uma entidade superior ou não se discute mais assunto algum que gere questionamentos.

      Quando eu propus o assunto escrevi no 1o. post e frisei: A questão aqui não é se o amp piora ou não com isso, mas sobre a definição de "All Tube", já imaginando que pudesse haver algum tipo de segregação.

      Então, os mitos devem ser combatidos sim e se esse tópico está gerando algum, vamos tentar discutí-los também, com educação é claro.

      Abs

      megadeth2612
      Veterano
      # out/10 · Editado por: megadeth2612
      · votar


      MauricioBahia
      nichendrix

      Ninguém aqui quer cercear o direito de debate aqui no fórum.

      Só estou dizendo que este é um tipo de debate perigoso, porque podem surgir meias verdades. Eu já vi isso acontecendo, como o caso dos amplificadores de baixa potência, que realmente são úteis em algumas situações, mas não o Santo Graal ou o único caminho a seguir para o timbre perfeito.

      Os debates no FCC sempre tomaram grandes proporções e por isso temos que ter bastante responsabilidade ao escrevermos, pois tem uma nova geração toda aí conectada sedenta por conhecimento, mas que ao mesmo tempo é extremamente preguiçosa e que gosta de tirar conclusões preciptadas (ou verdades absolutas, que seja) utilizando-se de informações extraídas de um tópico ou outro.
      Resumindo: Vamos discutir sim, claro, é saudável, mas com a preocupação de quem for ler depois não tome para si algo que não procede.

      Curly
      Veterano
      # out/10
      · votar


      MauricioBahia

      Então, os mitos devem ser combatidos sim e se esse tópico está gerando algum, vamos tentar discutí-los também, com educação é claro.

      concordo. temos que ouvir todos lados. por exemplo, a questão da fonte valvulada, não duvido dos companheiros que afirmam que muda a sonoridade, com amps onde vc pode mudar o tipo de fonte na hora dá para saber direitinho se o som é alterado ou não, a questão é a explicação técnica, até hoje não encontrei uma que me convencesse por completo

      nichendrix
      Veterano
      # out/10
      · votar


      zefonseca

      Cara, é isso aí mesmo, eu penso que se partir pro radicalismo da expressão, não existe amplificador valvulado "all tube".

      MMI
      Particularmente um amp que me chamou muito a atenção foi um Hughes & Kettner Triamp. Só que não é para mim... Tem muitos amps muito bons...

      H&K são amps legais que só, conheço poucos, é raro de achar fora da Europa, os de guitarra não me deixaram sem dormir... mas os de violões... são coisa de outro mundo.

      Curly

      Fale moço, to esperando aquelas doses de Johnny, Jack ou Jose ao som de jazz até hoje... hehehehehhe

      pessoalmente não gosto muito de valvulado por causa da confiabilidade e imprevisibilidade. já vi guitarrista perdendo a concentração e passando o show inteiro brigando com o amp e tb shows arruinados pelo amp. só quem não sabe o que é válvula não fica tenso quando leva um para o palco.

      Bah, eles são meio temperamentais, depois de um tempo exigem muita atenção, mas como eu não ando fazendo shows todo dia, pra mim nem chega a ser problema. Entretanto, a maioria dos meus amigos que vivem de música concordam contigo, a maioria deles deixa as lampazinhas em casa e vai tocar de Line 6, Peavey, Roland, Marshall ou Fender SS.

      Eu nem me arrisco a tentar entender tudo de valvulado, entendo o básico, a parte mais técnica é mais a base de pegar livros e;ou artigo de quem realmente entende explicando, do que de ficar abrindo pra fuçar. Obvio se tiver algum reparo simples eu mesmo faço, mas ficar trocando os "baton garoto" lá de dentro, no way... hehehhe

      Eu particularmente acho interessante pegar a parte do Toque/Guitar Handbook e usar como referência para quem quer entender de valvulado, não só porque explica tudo em uma linguagem acessível, quanto explica tudo do ponto de vista técnico daqueles tempos (anos 70-80). Acho muito legal as sessões de explicações técnicas e de pequenos reparos sobre virtualmente tudo que existe na cadeia de sinal de um guitarrista (ou pelo menos um guitarrista daquela época).

      nichendrix
      Veterano
      # out/10
      · votar


      MauricioBahia
      Quando eu propus o assunto escrevi no 1o. post e frisei: A questão aqui não é se o amp piora ou não com isso, mas sobre a definição de "All Tube", já imaginando que pudesse haver algum tipo de segregação.

      Então, os mitos devem ser combatidos sim e se esse tópico está gerando algum, vamos tentar discutí-los também, com educação é claro.



      Vamos, só falta mesmo umas cervejas cariocas e umas mineirinhas pra ficar melhor hehehehehehe

      Rapaz, eu queria essas conversas era num bar ao som de boa música... hehehehehe

      Agora bichão, ajuda se tu especificar os mitos a serem discutidos... hehehhehe

      Eu como a maioria já notou, prefiro botar tudo numa perspectiva histórica, porque eu realmente não vejo como analisar o que é feito hoje, sem analisar a origem.

      Se tu me perguntar, se é de má fé hoje chamam qualquer coisa com valvulas no pré e no power de all tube sem nenhuma menção ao fato de ter outros componentes lá dentro... eu concordo.

      Agora como disse, uns 15 anos ou mais atrás a situação nem era essa, ou assim eu quero acreditar, afinal eu tinha 14-15 anos, logo não percebia as coisas de forma bem mais inocente e simples que hoje e não dá pra lembrar com os olhos de hoje o que vivi ontem... hehehehehe

      Mas eu sei lá, afinal, quem sabe de alguma coisa num universo em que até a relatividade é relativa?

      shoyoninja
      Veterano
      # out/10
      · votar


      MauricioBahia
      Quando eu propus o assunto escrevi no 1o. post e frisei: A questão aqui não é se o amp piora ou não com isso, mas sobre a definição de "All Tube", já imaginando que pudesse haver algum tipo de segregação.

      Se você pensar apenas pelo ponto de vista técnico e objetivo, então de fato para ser All-Tube todos os componentes ativos deveriam ser Válvulas.

      Mas há um problema sério nisso:

      Do ponto de vista técnico, todo amplificador de guitarra, valvulado ou não, é uma bela porcaria. Além de ter uma faixa de resposta em frequência limitadíssima para aplicações de áudio, ainda distorce o som.

      Também, do ponto de vista técnico, pouco importa se você usou válvulas, transistores, FETs ou lâminas de barbear e pontas de lápis 2B. O que importa são as características finais do circuito e suas especificações.

      Mas isso não faz sentido porque o amplificador de guitarra é PARTE do instrumento.

      A sonoridade padrão buscada é a sonoridade que as inúmeras imperfeições das válvulas produzem. Principalmente no que diz respeito às válvulas de potência e ao transformador.

      Até concordo que circuitos de pré-amplificação valvulados distorcem e trazem uma certa coloração ao som, mas isso se dá muito mais por conta das limitações de topologias possíveis do que qualquer outra coisa.

      Mas não vejo porque TODO pedaço do circuito precisa colorir o som. Por exemplo: send/return só serve para enviar e receber sinal, ele não deveria participar da sonoridade do instrumento. Um TL092 é PERFEITO para a função e com um custo ridículo. Equalização idem, tanto que muitos Mesa Boogie usam circuitos SS para os filtros.

      O que entendo por amplificador All-Tube é: um amplificador projetado para trazer uma certa sonoridade ao invés de eficiência, e que tenha suas partes CRÍTICAS projetadas e baseadas em válvulas, só isso.

      shoyoninja
      Veterano
      # out/10
      · votar


      MauricioBahia

      Pois é... Pra mim são valvulados, mas não "All Tube", pq a palavra "All" significa "tudo" ou "todo" e se tem outra coisa que não sejam válvulas no caminho do áudio, o termo não deveria ser aplicado.

      Hehe então nenhum é e nunca foi.

      Pelo menos resistores o desgraçado tem que ter :P

      MauricioBahia
      Moderador
      # out/10 · Editado por: MauricioBahia
      · votar


      nichendrix: Agora bichão, ajuda se tu especificar os mitos a serem discutidos... hehehhehe

      O megadeth2612 que tá falando em mitos...

      megadeth2612

      Tá tudo certo, mas eu acho que o medo dos mitos é algo a ser combatido. Se existe algum surgindo, vamos acabar com ele logo.

      Cita um aí! :)

      Abs a todos. Vou pra night, com minha Miss Solid State! Depois leio os posts com calma.

      Bjunda pra todos e cuidado pro mito não pegar! heheh

      nichendrix
      Veterano
      # out/10
      · votar


      MauricioBahia

      O negócio tá bom aí em nikiti, pq quinta feira já começou o fim de semana hehehehehhehehehe

      MMI
      Veterano
      # out/10
      · votar


      Curly

      a questão da fonte valvulada, não duvido dos companheiros que afirmam que muda a sonoridade, com amps onde vc pode mudar o tipo de fonte na hora dá para saber direitinho se o som é alterado ou não, a questão é a explicação técnica, até hoje não encontrei uma que me convencesse por completo

      O que me pergunto, nesses amps que pode ser selecionado o tipo de retificação, é se os dois tipos não foram feitos exatamente para soarem diferentes. Porque se fosse para um tentar reproduzir o outro, muita gente poderia dizer que a chave não serve para nada...

      nichendrix

      H&K são amps legais que só, conheço poucos, é raro de achar fora da Europa, os de guitarra não me deixaram sem dormir... mas os de violões... são coisa de outro mundo.

      Bom, tirar o sono de fato não me tirou. Mas achei muito legal sim.

      nichendrix
      Veterano
      # out/10 · Editado por: nichendrix
      · votar


      MMI
      O que me pergunto, nesses amps que pode ser selecionado o tipo de retificação, é se os dois tipos não foram feitos exatamente para soarem diferentes. Porque se fosse para um tentar reproduzir o outro, muita gente poderia dizer que a chave não serve para nada...

      É por isso que eu estou naquela de... não duvido de nada, mas também não escrevo nada em pedra... hehehhehehee

      Bom, tirar o sono de fato não me tirou. Mas achei muito legal sim.

      Sim, são legais, são diferentes... mas como disse, H&K foda são os para violão mesmo, dão uma vida danada à piezo.

      Sem contar a maravilha molhada e aerada que é o Tube Rotosphere... hehehehehe

      Vinícius Iron
      Veterano
      # out/10 · Editado por: Vinícius Iron
      · votar


      (caindo de para-quedas na discussão...)

      Passando os olhos pelos posts, vi uma leve discussão sobre Solid State e Valvulados. Não sei se eu vou me encaixar certo na discussão, mas eu acho que cada um dos dois tem a sua aplicação. Se tu toca num lugar pequeno e um estilo de música que fica entre o Jazz, o Blues e o Rock Clássico, é bem preferível usar um transistorisado. É claro que esse deve ser bem selecionado (nem preciso dizer o por quê), como um Roland JC-120, por exemplo. Já, existem outras aplicações em que o Valvulado se encaixa melhor... se tu toca em locais de maior tamanho (digamos bem maior que um bar) e, principalmente, se o som que tu toca exige alto ganho, nada mais conveniente e apropriado para essa situação do que um Valvulado.

      Sobre o assunto do tópico mesmo, volto a dizer: na minha opinião, o circuito do amp é fator mais determinante para ele ser considerado 'Tube' ou transistor. Caso contrário, todo híbrido seria chamado de 'Tube' (ainda que não 'All Tube'). Eles até nomeiam esses amps de 'Pré-Valvulado', o que, para mim, é errado, visto que seu circuito é de transistor. No final, das contas 'All Tube' deve ser aquilo que possui circuito de valvulado, com as válvulas de pre e power.


      (Fiz uma leitura dinâmica, ou melhor, mega-dinâmica, e não sei se entrei direito na conversa, hehe)

      MMI
      Veterano
      # out/10
      · votar


      nichendrix

      Já tocou violão num AER? Outro bem legal...

      nichendrix
      Veterano
      # out/10
      · votar


      Vinícius Iron

      Na verdade não tem uma discussão valvulados x solid state aqui não.. hehehhee

      A discussão é se amps, especialmente de alto ganho, podem ser chamados de All Tube, já que para dar conta de gerar o ganho alto, uma parte da distorção termina sendo por clipping de diodos, existem amps de baixo ganho que também usam clipping de diodo, mas em menor proporção que os de alto ganho.

      nichendrix
      Veterano
      # out/10
      · votar


      MMI

      Rapaz, esse é novidade pra mim, e olha que nem de tocar violão eu sou (salvo archtops), mas até deu vontade de comprar um Taylor pra tirar um som... hehehehehe

      MMI
      Veterano
      # out/10
      · votar


      Vinícius Iron

      discussão sobre Solid State e Valvulados.

      Por favor, aqui não!!!!!!!!!! hehehehehe

      nichendrix

      É um dos melhores amps de violão que eu já experimentei, com um bom Taylor fica o bicho! hehehehe

      nichendrix
      Veterano
      # out/10
      · votar


      MMI

      Como será que fica com os Martin novos, aqueles que tem o captador todo modernoso do SD?

      Vinícius Iron
      Veterano
      # out/10
      · votar


      MMI

      Sim, claro, é pareceu que deram uma pitada desse assunto aqui, hehe. Mas eu não disvirtuei e também não quero voltar aquele assunto, haeueahuehu.

      nichendrix

      A discussão é se amps, especialmente de alto ganho, podem ser chamados de All Tube, já que para dar conta de gerar o ganho alto, uma parte da distorção termina sendo por clipping de diodos, existem amps de baixo ganho que também usam clipping de diodo, mas em menor proporção que os de alto ganho.

      É uma questão interessante... mas eu acho que o clipping de diodos, gerando ou não o alto ganho, não afetaria necessariamente chamá-lo de 'All Tube'. Tanto que existem muitos transistorisados que não usam nenhum tipo de válvula, mas, mesmo assim, possuem alto ganho gerado pelo sistema de clipping, como, por exemplo, a série AVT da Marshall. Em questão aos valvulados, o clipping de diodos podem, sim, dar conta do ganho do amp, mas não é por isso que ele deixaria de ser um 'All Tube', já que o que proporciona as características timbrísticas do valvulado é a sessão de Power. Caso contrário, todo híbrido poderia ser chamado de 'All Tube'.

      Acho que não fui muito claro, mas eu tentei mostrar mais ou menos o que eu penso a respeito desse assunto...

      MMI
      Veterano
      # out/10
      · votar


      nichendrix

      Olha, a última vez que toquei em um AER foi há pouco tempo, experimentando exatamente o novo Martin com captação da Roland. Uma loucura... Mas veja, SS total e desvirtuando o tópico! hehehehe

      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a É todo valvulado ou não é, pô!? Definição correta de "All Tube".

      304.978 tópicos 7.882.966 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2018 Studio Sol Comunicação Digital