Notificações Amigos pendentes

      Fórum Cifra Club - maior fórum de m&uacite;sica do Brasil

      Condensador no palco para vocal

      Autor Mensagem
      francisco2004
      Veterano
      # 22/jun/17 14:23


      Pessoal, estou pesquisando condensadores para usar no palco com banda de rock. Vi nos fóruns gringos tipo GearSlutz que tem gente fazendo isso, mas às vezes envolve customização dos microfones. Queria saber se alguém já tentou isso, principalmente com microfones condensadores feitos para uso no palco (mas geralmente para instrumentos), como o AKG C1000s ou o Samson C05 (esse difícil de achar hoje em dia, não sei por quê).

      Queria saber se esses condensadores de palco estão preparados para capturar vocais sem que os instrumentos "tomem a frente".

      Ismah
      Veterano
      # 22/jun/17 22:16 · Editado por: Ismah
      · votar


      Valendo 1 milhão a pergunta para o Francisco é:

      Porque tu quer um condensador no palco?

      francisco2004
      Veterano
      # 23/jun/17 12:00
      · votar


      Ismah
      Valendo 1 milhão a pergunta para o Francisco é:

      Porque tu quer um condensador no palco?


      Lá vem o Ismah, chefe do exército espartano da produção musical. Porque eu sou metido a geek e quero ouvir harmônicos da minha voz acima de 16000Hz. Microfone dinâmico parece a voz ligada num efeito tipo "1930s Radio".

      Falando sério, vi postagens aqui e ali de gente tendo sucesso com condensadores de palco. Aliás, o pessoal de igreja comenta pelos fóruns Brasil afora sobre o Samson C05. Só que esse microfone parece ter saído de linha por alguma razão e o Q8 (dinâmico) tomou conta do mercado. Nos fóruns gringos tem gente que justifica o uso de condensadores (customizados para mudar o padrão polar) ou condensadores de mão no palco.

      Ismah
      Veterano
      # 23/jun/17 12:54 · Editado por: Ismah
      · votar


      O chefe do exército espartano que trabalha todo dia com isso, e tem paciência suficiente pra ajudar gente que tem ideias cada vez mais absurdas, simplesmente porque não busca entender o funcionamento da coisa toda. E ainda por cima, ajuda de forma gratuita.
      Mas também tem a opção de não ajudar. A escolha é tua. :)

      Vamos falar a verdade, se SHOWS DE GRANDE PORTE, NÍVEL INTERNACIONAL usam dinâmicos é porque algum motivo existe, e ele é bem grande para ser assim. Não?

      Condensadores ao vivo, num palco, são usados em casos muito específicos, e em ordem:
      - vozes femininas de tessitura muito aguda onde os dinâmicos falham, casos bastante raros

      - performances muito dinâmicas, ou com proposta muito purista, aka jazz, bossa, e alguma coisa de pop, rock, geralmente com proposta conceitual, por exemplo o Richie Kotzen, endossado pela Samson

      - situações de pouco ou nenhum ruído ambiente, seja com preletores, oradores, palestrantes etc ou com bandas de baixíssimo SPL no palco - digamos Jean Michel Jarre se monitorando em fones apenas.

      Do ponto de vista prático, os gringos em qualquer igreja tem em primeiro plano pessoas capacitadas para lidar com isso. Em segundo acesso a recursos em geral, muito mais avançados que nós.
      Por aqui, ainda vivemos os anos 70/80 na maioria dos lugares que é viável de se apresentar não sendo uma banda de renome - a realidade de quase todos nós.

      Resumidamente: é possível usar, tanto que se usa para captar pratos, mics condensadores. Só não vale a pena sem dispor de recursos adequados - o famoso menos é mais vem a tona - mesmo sendo um mic adequado para.

      OFF:

      Em 1930, o formato mais popular de transmissão de rádio e que necessitava de microfone, era broadcasting. O mics mais usados eram os de carbono, seguido do de cristal de quartzo (piezo) - este bastante usual para gaita de boca, e telefones até os anos 90.
      Em 1925 a RCA começa a desenvolver o ribbon, de som mais transparente que o dinâmico, e alguns dizem que era/é melhor que o condensador, vindo a ser patenteado em 1932, e tomando rapidamente o lugar dos de carbono e cristal.
      O som de "30's radio" é culpa da péssima qualidade dos aparelhos reprodutores, e não da captação. Tinham geralmente baixa potência, e usavam AF's pequenos. Apesar de não ser nenhuma novidade os AF eletro-magnéticos (eram conhecidos desde 1874), os mais populares ainda usavam AF's eletro mecânico, muito mais antigos (possivelmente anteriores a 1838, quando Morse inventa o telégrafo) , conectados as gargantas de longas cornetas para melhorar a resposta de frequências baixas (algo como 500Hz era o grave da época).

      Todavia o conceito de som vintage, do começo do século passado, está mais atrelado as gravações em cilindros de cera (até as imitações de vinil são mais parecidas com isso que com vinil), telefones, e demais com amplificação mecânica, e póstumas amplificações rudimentares ao vivo do que ao resto. A culpa da sonoridade sempre é da mesma coisa: a corneta, principalmente pelas distorções no domínio do tempo que ela trás. E claro, mal e porcamente se reproduziam médios na época...

      Ningen
      Veterano
      # 25/jun/17 13:01 · Editado por: Ningen
      · votar


      francisco2004

      Já experimentou mandar um exciter na voz? Tô gostando muito desse Neutron Exciter da Izotope Inc.

      Ismah
      Veterano
      # 26/jun/17 09:36
      · votar


      Como pretende fazer isso ao vivo? (a pergunta é séria)

      Ningen
      Veterano
      # 26/jun/17 13:51
      · votar


      Ismah

      A pergunta foi pra mim? Rsrs

      Apesar de eu ter falado de um plugin exciter que gosto, pois não faço som ao vivo, existem alternativas físicas de todos os preços que imagino que façam um trabalho parecido.

      Ismah
      Veterano
      # 26/jun/17 15:04
      · votar


      Presumo que sim, a pergunta foi pra ti, pois foi em sequência a teu post rsrs

      existem alternativas físicas de todos os preços que imagino que façam um trabalho parecido

      Existir, existem. Todavia entra em pauta a logística e o lado financeiro... O "tchan" de um exciter numa voz é tão pequeno que não se justifica, existem outras prioridades. Pra começar, escolher um mic para sua voz é algo extremamente importante, se soar bem no mic, precisa menos processamento, menos correção e fica mais próximo ao real... A melhor coisa é captar da melhor forma possível... É o que ele está buscando.

      De todo modo ele quer CAPTAR harmônicos, ou seja, melhorar a qualidade da captação de agudos. O que o exciter simula apenas. Sacas?

      Ningen
      Veterano
      # 26/jun/17 15:49 · Editado por: Ningen
      · votar


      Ismah

      Presumo que sim kkkkk

      O "tchan" de um exciter numa voz é tão pequeno que não se justifica

      Essa eu não sabia. Imaginei que fosse parecido com o que plugins fazem... E ao menos os que testei tem um "tchan" bem grande rs

      Ismah
      Veterano
      # 26/jun/17 16:47
      · votar


      Sim, a diferença existe, mas NUM CANAL SÓ, no contexto de uma mixagem, mesmo soando em um PA eficiente, são apenas ganhos marginais... Isso que quis dizer.

      Sobre o exciter, basicamente ele gera harmônicos artificiais. As vezes saturando algumas frequências e tal. A ideia é recuperar as perdas de uma gravação, comuns na fita de rolo: cada vez que a fita é rodada, tem-se uma perda, conforme a produção vai rolando, tem de-se refaze a mix algumas vezes, f... não tem agudo mais!
      É um efeito que quando guitarristas descobrirem, será a morte dos valvulados.
      Na prática, todo simulador de fita, é um exciter bem no fundo, e o exemplo mais direto e evidente do que um exciter faz. Eu uso direto, e adoro!

      Vale a pena ler... http://www.musitec.com.br/revistas/?c=161

      Antes de torrar uma grana num exciter pra usar com microfone fuleiro e babado, vale a pena um mic BOM. Falando bem sério, minha voz fica razoavelmente bem num SM7, o Beta58 meio que é o default nos shows, mas minha voz fica anasalada demais, pois as fundamentais não são bem captadas.

      Depois de ter um mic para SUA VOZ, em ordem de importância eu considero ter um compressor, um reverb / delay. Com isso tudo dá pra se virar.
      Então vem perfumarias que é o tchan a mais, e um pouco de gosto pessoal, ou seja, não está em ordem de importância. pré-valvulado, exciter, echange, flanger, phaser, synth / robot... Talvez um compressor valvulado, um delay de fita, um reverb de mola (Roland linha RE <3)... Talvez todo o resto reunido num channel strip...

      E o eq? Dispensa-se um particular, toda mesa tem um e se resolve fácil estando o mic adequado a captar bem.

      Mas e o exciters e enhancers? Digamos que tu tá usando um baixo passivo, agudo é mito ali, sempre tem que se puxar muito, e com isso vem ruído junto... Um exciter vai pegar aquele médio grave, e dobrar a frequência (shift up de uma oitava), quadruplicar (duas oitavas)... Pronto: temos os agudos!

      Mas vale pra qualquer coisa... Eu mais uso pra quando foi captado errado, ou o timbre é muito bosta, aí geralmente dobro o canal, passo um LPF ou um e adiciono o exciter... Vou dosando a mixagem dos dois, e processo o sinal num VCA...

      Isso é a realidade de estúdio. No ao vivo, simplesmente não rola ! É sempre melhor, ir pelo mais simples possível.

      Ismah
      Veterano
      # 26/jun/17 16:51
      · votar


      Ah, não estou dizendo que não deva usar. Música é arte, e cada um faz como achar que deve. Eu prefiro processar o mais que dá e gravar pronto, tem quem prefira gravar limpo e processar depois.

      E quis frisar que gravação é uma coisa, ao vivo é outra... Mudam muito as formas de trabalhar. Antes de querer um detalhe, é melhor garantir o básico.

      MMI
      Veterano
      # 27/jun/17 11:41
      · votar


      Ismah

      Eu vejo um monte de sertanejos e axé`s usando condensadores no palco. Neste quesito os Neumann KMS 104/ 104Plus / 105 são o "must". Outros optam só pela cápsula (KK104 / 204). Vi um ou outro optar pelo headset, não deixam de ser condensadores, um ou outro bem adaptado e que não seja omni funciona bem pelo que me contaram. E tem até os Ribbon como os Beyerdynamic M260 / TG-V90R (que conheço de ouvir falar). Só que caiu, acabou, né? E se paga uma boa grana por um aqui... Como você disse, são produtos meio fora da realidade. Aqui se diz que um Shure Beta58 é top de linha, tem que agradecer de joelhos por um luxo desses.

      Só que você tem toda razão, o primeiro passo é captar bem. Como em estúdios, não adianta captar uma porcaria e "deixar para consertar na mix". E voz anasalada, apenas razoável e mesmo o "radinho de pilha" não é mito não, com os dinâmicos. Vivemos de fato na década de 70/80, só que mesmo assim sem recurso$. kkkkkk

      Ningen
      Veterano
      # 27/jun/17 13:36
      · votar


      Ismah

      Faz todo sentido. Eu que viajei aqui com o plugin rsrs.

      Ismah
      Veterano
      # 29/jun/17 17:01
      · votar


      MMI

      Não chegam a ser tão sensíveis de deixar cair e quebrar. Alguns sim, mas a maioria não, se fosse assim ainda usaríamos dinâmicos pra captar pratos ao vivo...

      E infelizmente é nossa realidade viver num passado. Há reportagens diversas, sobre PA's antigos. Pessoalmente, a média do país, poderia ser o PA da Renkus-Heinz que o ACDC usava em 1970~80.
      Se te interessa por coisas assim, a página do face "PA of the day" é muito boa.
      AINDA vivemos imitando, sem saber porque, mas se o gringo faz, vamos repetir... E nessas, o que é visto é só uma parte do conceito real...

      "Ah o sertanejos usam condensadores ao vivo". Realmente usam, e realmente é melhor... Só não citou que usam também compressores Avalon, usam transmissores Sennheiser EM 3731-II com Sennheiser SKM5200-II modificado (tá 20mil em promoção na Thomann rsrs), consoles Avid Venue SC48 em diante, Midas Pro2, DiGiCo X-S31, Soundcraft Si Performer 3, PreSonus StudioLive...
      Ou seja, só equipamento do melhor... E sabe porque? Primeiro, porque é melhor, segundo, eles tem grana pra bancar... Simples assim. :)
      E é por isso que eu digo de boca aberta: como técnico é muito melhor ouvir arrocha e maxixe a noite toda, do que com rock...

      Pra setembro, a festa do município vai trazer Luan Santana, Maiara e Maraisa e não sei mais quem... To ansiando agora já hehehehe

      A banda aqui, é bem versátil, meio jam band, aceitando quase tudo que vier. Só que somos cientes que existem condições mínimas pra trabalhar, então ao menos uma 01V de 24 canais é solicitada. E nem sempre tem a disposição!
      O que acontece é simples: não temos produtores querendo oferecer boas condições ! Querem só gastar o mínimo possível... Então se eu pedir uma Pro2, com muita sorte deve chegar uma Soudcraft SI Performer... Uma X32 se der azar, ou uma 01V com defeito... Se der muito azar, tentam te empurrar uma Techvox (Ciclotron) Vega 2 com defeito, sem periféricos...

      Eu adoro essa mesa! Mas precisa estar em dia (e tem coisa pra dar manutenção!)...

      Já tentaram empurrar uma china híbrida que era pra ser AQUELA COCA-COLA toda. Num outro evento que eu estava em day-off, mesma empresa, a console travou na metade do evento... Dá pra querer ser feliz?

      Ningen

      Relaxa, todos estamos aqui pra aprender. Não pra me gabar, mas eu corro muito atrás de cursos e workshops, além de que é meu cotidiano: eu acordo de manhã pensando em AF e durmo calculando delay pra compensar o efeito Haas. :)
      Pessoalmente, quero ir estudar no IGAP esse ano ainda, mas faltam várias coi$a$... Mesmo que eu pague, acho que só tem uma forma do quadro geral melhorar: se informar, conhecer as coisas, aprender como funcionam e como operar, e achar alternativas (geralmente no passado, por causa dos recur$o$) para solucionar os problemas...

      Precisando estamos aí!

      francisco2004
      Veterano
      # 30/jun/17 16:43 · Editado por: francisco2004
      · votar


      Ismah
      É um efeito que quando guitarristas descobrirem, será a morte dos valvulados.

      Achei interessante o que você disse... peguei o bonde andando, mas lembro que quando tinha meu walkman no início dos anos 90, costumava pegar CDs emprestados e gravá-los em fita. O som ficava mais low-fi, mas numa linha que lembra mesmo um timbre de guitarra num amplificador valvulado. Não sei se o que você está falando tem algo a ver com isso, mas achei interessante essa associação entre fita e som de valvulado.

      ------------------------------
      Sobre o condensador, não tenho achado muita indicação mesmo. Uso um AKG D5 nos bares onde toco esporadicamente, e faço segunda voz. O lead vocal, que toca teclado e violão, às vezes usa até aquele Shure com carcaça de plástico, ou seja, nem teria por que eu querer melhorar a captação da minha voz, mas também é uma forma de influenciar os outros. Pré-amplificador ao vivo é algo que me deixa curioso... tipo botar esse "clone" do Neve 1073 da Arcano no palco. Ou esse brinquedinho aqui. O vendedor até me mandou fotos da placa e ainda estou esperando opiniões no Gearslutz.

      Ismah
      Veterano
      # 30/jun/17 17:05
      · votar


      Não exatamente... Tudo tende a adicionar harmônicos, mas eu falava mesmo do exciter criando harmônicos artificialmente.

      Ismah
      Veterano
      # 03/jul/17 12:43
      · votar


      Phil Collins e todos os backing vocals cantando em Beta87A, condensadores de eletreto, super-cardioide. Reparem que o palco é gigante logo, a monitoração inteira é com fones, logo não há ruído no palco. Até os amps de guitarra estão microfonados com o que parece ser um condensador ou ribbon (Royer 121?). O que se traduz em som limpo possível de se ouvir na mix - mesmo que feita em estúdio, a captação é, ao menos em maior parte, ao vivo!

      www.youtube.com/watch?v=uYCAf9HwfLE


      Enviar sua resposta para este assunto
              Tablatura   
      Responder tópico na versão original
       

      Tópicos relacionados a Condensador no palco para vocal

      302.829 tópicos 7.838.062 posts
      Fórum Cifra Club © 2001-2017 Studio Sol Comunicação Digital